História Mestre kakarotto ( em revisão) - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Dragon Ball
Personagens Androide Nº 17, Androide Nº 18, Bardock, Bra, Brolly, Bulma, Caulifla, Chichi, Freeza, Gine, Gohan, Goku, Goten, Hit, Kakaroto, Kuririn, Mr. Satan, Tights Brief, Trunks, Turles, Vados, Vegeta, Videl, Whis
Tags Bra, Bulma, Chichi, Dragon Ball, Gochi, Goku, Goten, Kakarotto, Máfia, Trunk, Vegebul, Vegeta
Visualizações 183
Palavras 1.020
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Lemon, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


boa leitura a todos

Capítulo 13 - Um dia especial


Fanfic / Fanfiction Mestre kakarotto ( em revisão) - Capítulo 13 - Um dia especial

Kakarotto precisava respirar... precisava se acalmar...sem dúvidas passou do limite... sem dúvida perdeu seu controle emocional... despois de tantos anos... porque?

Aquela lembrança voltava a ele novamente... precisava esquece-la... precisava de um café.

Ele volta novamente aquele local. Quando ele entra procura pela jovem que havia o atendido.

- A Chichi... bom ela está na faculdade agora. - Um homem muito alto e gordo fala

- Mas ela trabalha em qual horário aqui... –a jovem pergunta enquanto bebe sua xicara de café sentado ao pequeno balcão dali

-Normalmente ela fica alternando, sabe por causa do curso na faculdade, então as aulas se intercalam entre manha tarde e noite.

-Entendo. - Responde sem emoção

- Como é seu nome mesmo meu jovem? – o mais velho pergunta.

-Kakarotto – o jovem fala com a cabeça baixa se concentrando no café.

-por acaso você está se engraçando com a minha princesinha? – o mais velho pergunta arqueando o cenho

kakarotto quase se engasga com o café

-Sua princesinha? Ela é sua esposa? - ele pergunta nervoso “porque estou nervoso... eu não tenho medo... eu coloco medo...droga... vou ter que mata-lo agora.”

Uma gargalhada vigorosa é ouvida...

-Não! Chichi é minha filha...

- Hã?! Ah sim sua filha... – ele se acalma e solta a arma que havia levado a mão para pegar no coldre em sua cintura.

- Bom o que você quer mesmo com ela meu jovem? o homem questiona

- Eu fiquei devendo uma refeição aqui, havia saído tão apressado que deixei a carteira então vim pagar.

- Ah essa Chichi... sempre com um bom coração. - Fala enquanto balança a cabeça -Você trabalha em algum desses cassinos, não é? É algum dos seguranças? Dá pra ver pela sua roupa...

“eu pareço um segurança? Como ousa... eu...” pensa com raiva Kakarotto quando seus pensamentos são interrompidos pelo homem

-Claro. Parece ser um bom homem... honesto... poucos viriam pagar algo assim. Geralmente é mais fácil ignorar sabia? – o homem fala calmamente.

“honesto?” mais uma vez ele se engasga com o café

Se havia uma palavra que jamais o definiria era isso: honesto. Soou como uma piada ingrata e sem graça.

“Um homem bom e honesto... que decadente kakarotto... a que nível de desespero você chegou? Precisa vir no subúrbio ver alguém que nem sabe quem você é para depois se deparar com isso...”

-Putz! – murmura. Kakarotto pega a carteira e puxa uma nota de 100 U$ põe no balcão e pega um copo de café.

Ele se levanta e vai saindo

- Quer que eu avise que você a procurou – o homem pergunta

-Tanto faz—kakarotto responde sem emoção.

 

Ele vai até o seu carro e pega o pedaço de papel que a jovem havia anotado seu número. Ele pega o celular e salva o numero da jovem... ligaria? Talvez... precisa absorve algumas coisas.

“bom e honesto...”

Então ele finalmente vai para o seu escritório. Quando entra todos os olhares se desviam para o chefe que carregava um maldito copo de café barato..., mas como era bom aquele maldito café.

- Voltem ao trabalho seus bastardos – ele dá a ordem de forma rígida. Então como mágica tudo volta ao seu lugar.

- Que bom que está de volta chefe- Valery se aproxima do homem com semblante frio

Deixei em sua mesa todos os relatórios e uma copia do cronograma de hoje à noite.

- Perfeito. como sempre impecável ne Valery?

- Obrigada senhor

Ele para o seu caminho até sua sala e se vira para sua assistente atrás dele

- Valery se você me conhecesse hoje, você diria que eu seria um homem bom ou honesto? – ele pergunta em visível dúvida franzindo o cenho.

Valery se espanta com a pergunta.

-Bom senhor, seria difícil para mim simplesmente responder. Mas sendo sincera seu semblante não remeteria muito bem isso...

- Como assim semblante? - ele pergunta arqueando ainda mais o cenho

-Como se fosse uma aura... energia sei lá... você não emana boas energias... então para mim se te conhecesse hoje, não diria que o senhor é bom... já honesto é relativo...

Ela esperava tudo que ele gritasse, a respondesse ... enfim...

Mas ele simplesmente bebeu mais um gole de café e se virou continuando seu trajeto até sua sala

“definitivamente ele não está bem!” pensou Valery

As horas passam e parece que kakarotto havia finalmente voltado ao normal. Ele vai até sua casa. Videl não estava mais... tudo estava como antes... ele dá um sorriso de canto

-Sempre cuidadoso irmão.

Ele toma um longo banho e vai até seu closet. Ele paga um dos seus melhores ternos. E se veste, coloca um dos mais caros relógios e assim vai se aprontando para aquela noite.

 

Vegeta e Bulma também estavam se arrumando todos deveriam estar perfeitamente alinhados. Todos deveriam estar acima de qualquer impressão.

Vegeta usava um terno azul marinho muito luxuoso e bem-acabado.

Bulma usava um belo vestido azul combinando com as madeixas ele tinha uma fenda até a coxa e um caimento fino. Suas sandálias combinavam perfeitamente. toda a produção, maquiagem tudo impecável. Quando ela desce pelas escadas vegeta dá um enorme suspiro “está deslumbrante... perfeita como uma rainha”

Então ele estende o braço como um cavalheiro. Ambos vão até seu carro vegeta abre a porta para a jovem que se senta ao seu lado.

Após algum tempo chegam ao clube de yancha. O cara era um cretino, mas era bom de lábia. O que fazia varias mulheres entrarem para o clube dele. De todos os lugares que estivera aquele definitivamente era o pior. Era barato e realmente acima de qualquer suspeita

Aos fundos do clube num espaço amplo que lembrava um amplo salão tudo havia sido milimetricamente preparado.

O lugar possuía grandes colunas ricamente decoradas, uma fonte artificial e uma longa mesa com confortáveis sofás em volta muita iluminação. Um clima de boate e muitas gaiolas com garotos e garotas dançando dentro. Muita comida e bebida circulando todo o tempo, mas seria VIP.

Lá estava a comitiva dos gêmeos junto com eles, seus seguranças, advogados etc.

Do lado de cá estavam, Turles, Gohan, Bra, alguns seguranças, Bulma e vegeta e por fim kakarotto.


Notas Finais


vamos de cap duplo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...