História METAL BLEACH SOLIDUS: THE PHANTOM PAIN - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bleach, Metal Gear
Personagens Byakuya Kuchiki, Grimmjow Jaegerjaquez, Ichigo Kurosaki, Jack "Raiden", Jinta Hanakari, Karin Kurosaki, Masaki Kurosaki, Nelliel Tu Odelschwanck, Orihime Inoue, Personagens Originais, Renji Abarai, Rukia Kuchiki, Sado Yasutora, Soi Fong "Soifon", Tatsuki Arisawa, Toushirou Hitsugaya, Ulquiorra Schiffer, Urahara Kisuke, Uryuu Ishida, Yukio Hans Vorarlberna, Yuzu Kurosaki
Tags Metal Gear, Revelaçoes
Visualizações 20
Palavras 1.094
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Ficção Científica, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Sci-Fi, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Pelo fato desse capitulo servir como prologo vou colocar apenas os nomes de três personagens, que por acaso um deles é uma parte fundamental para o enredo da fanfic, mas sobre a aparência dele e do nome do pai e da mãe não vou colocar para evitar spoilers.

Bom espero que vocês gostem e vamos lá para o foco principal do capitilo

Capítulo 1 - Prequel: THE MAN WHO SOLD THE WORLD


Uma noite de inverno com uma lua cheia belíssima, o chão totalmente coberto pela neve e fazia um contraste impecavel com a Lua e as estrelas, que na maioria das noites desejava iluminar as noites com seu brilho e beleza majestosamente divina

Muitas pessoas admiravam a paisagem, não importando onde estivessem, na cidade grande ou em um rancho afastado da civilização, não interessa de onde, noites como essa eram difíceis de acontecer, podia ser considerada uma obra de arte feita pelo próprio Deus, mas para alguns essas noites traziam tristeza e solidão, chegando até a desprezarem esses momentos.

Este era o caso do jovem Yusei, de 20 anos, que agora voltava de seu trabalho na sede da 1°Divisão, trabalhou muito durante seu período, mas ele não se importava se o trabalho de ler e assinar cada relatório que vinha das 13 divisões de guardas da Corte, pois seus pais sempre lhe incentivaram a a batalhar duramente para crescer na vida, afinal seu pai uma vez disse: "Você só vai conseguir o que quer apenas se você fizer por merecer"

Na verdade Yusei não perguntou o por quê de ter que merecer o que quer, pois confiava plenamente na ideologia de seu pai mesmo que ele fosse muito individualista e uma pessoa que cobrava muito da esposa e de seus filhos, diferente de Yuria e Yukimaru, Yusei nunca reclamou sobre isso, ele o considerava um homem maravilhoso, honrado e um grande filósofo, e não era tão afastado da família, sua mãe nunca deixou de ama-lo, pois seu amor pelo chefe da família era imensurável.

Mas por quê não se sentia feliz com tudo que conseguiu? Por quê toda vez que ele vê tal paisagem ele se sente culpado? Agora que conseguiu tudo que merecia, ainda faltava algo. Ele queria ver sua família completa.

Meses atrás, seu pai misteriosamente desapareceu, deixando lhe apenas um pequeno pacote, no qual tinha um bilhete dizendo para abrir apenas quando completasse 20 anos, e já se passou um dia depois de seu aniversário, com certeza ele comemorou, seus amigos e sua mãe lhe fizeram uma festa surpresa e todos se divertiram, mas ele achava que com o pai presente na comemoração ele estaria mais feliz.

Depois de alguns minutos caminhando pela periferia da Seireitei, o jovem optou por utilizar o passo-flash para chegar a sua casa, lá, sua mãe lhe recebeu bem.

- Yusei! Seja bem vindo querido!

- Oi mãe, como a senhora está?

- Muito bem graças a deus, o trabalho lhe deu boms frutos hoje?

- Sim, o General esteve em uma reunião com o Parlamento Quincy, finalmente chegaram a um acordo sobre o filho da Avatar sucede-la no próximo ciclo, mas não foi uma decisão fácil, pois ela é casada com um Fullbring, muitos o consideram um bastardo, mas o apoio que ele recebeu, o elegeram, mas muitos ainda torcem o nariz pro Jason.

Antes que sua mãe fizesse uma brincadeira com a afirmação, seu irmão mais novo entrou

- Eu nunca vou entender esses nobres, eles são realmente um pé no saco!

- Yuria, Yukimaru.

- Yusei!

- Fala aí irmão!!

- Como vai cara?

- De boa, eu e Yuria acabamos de chegar, só estávamos esperando você chegar.

- Só pra nós jogarmos CoD né

- Humm, é...hehe?

- Eu estava mais afim de jogar Portal 2, mas o Yukimaru foi o primeiro a ligar o 360 então.

Yusei deu uma risada de leve.

- Desculpe mas estou um pouco cansado, amanhã a gente joga.

 - Beleza!!

Depois eles foram jantar, no decorrer da refeição conversaram sobre algumas coisas do dia-a-dia, sobre o treinamento de psicocinese de Yuria e do fato dela ter cido bem sucedida; sobre a enorme confusão qie aconteceu na academia e do trabalho da mãe como capitã da 11°Divisão. Yusei simplismente concordava ou discordava dos argumentos dos três, mas ele não falava muito. Mas mesmo assim o sarcasmo de seu irmão e de sua mãe de certa forma dava um toque de diversão ao jantar, Yusei achava legal momentos assim, por conta do carisma de sua família, sua tristeza sumia por algum tempo.

Mais tarde, Yusei foi a seu quarto e ficou lá por alguns minutos pensando se abria o pacote que seu pai havia lhe dado ou não, mas depois de questionar bastante, decidiu que não vai mais esperar, pegou o pacote e o abriu.

Dentro dele havia somente uma fita K7 com um nome escrito "The man who sold the world" e ao lado dela estava outra fita com o o nome de "Operation S3TK777" e também havia um diário no qual a capa mostrava um dragão e uma ave de fogo, formando im semi-circulo em volta de um relâmpago.

- É o diário de guerrilha do meu pai!

Ele observou as fitas e ele reconheceu o nome de uma delas, ou melhor da música

 - "O homem que vendeu o mundo" a música favorita dele.

- O quê?

Yuria e Yukimaru entraram no quarto, assustando o jovem.

- Quase derrubo o disquete!

- Desculpe, é que nós ouvimos você.

- Tá, foi mal, eu só estava vendo o que nosso pai nos deixou.

- Podemos ver irmão?

- Sim.

Ambos se sentam no sofá-cama onde Yusei estava, entao o rapaz abre o diario do pai.

- Parece que ele deixou uma espécie de mensagem pra nós

- Duas fitas K7 e um caderno?

- Não só isso, ele escreveu esse texto, mas por quê? Eu nunca vi isso pessoalmente.

Yukimaru foi colocar o disquete no sistema de som e o ativou, depois a musica do Nirvana começou a tocar. Enquanto isso Yuria perguntou:

- O que ele disse ai Yusei?


Querido Yusei

Eu espero que você esteja bem, mesmo de tão lonje eu consigo ouvir suas reclamações: papai, eu não sei onde você está a muito tempo 

Bem se você quiser ouvir desculpas da minha boca, eu tenho milhares pra você, a primeira delas é que eu estive resolvendo alguns assuntos inacabados tanto no Hueco Mundo e no Mundo dos Vivos quanto na propria Soul Society, e por isso fiquei incapaz de me comunicar com vocês pelos meios tradicionais.

Fiquei assim até dois anos atrás quando presenciei uma mudanca drastica em minhas circunstâncias.

Nesse meio tempo, pude pensar ocasionalmente na forma de escrever meus anos de silêncio para você

Primeiro me desculpe pela demora, mas antes de eu contar o porquê de eu ter fugido, vou contar uma história, longa e detalhada sobre o que eu fiz no passado, e de como tudo mudou ao meu redor, não somente nossa família mas também o mundo em que vivemos, logo depois vou lhe contar, de forma breve, rápida e com poucos detalhes o porquê do meu desaparecimento depois que todos os eventos aconteceram.


Essa é a história de como eu construi um novo mundo.


Continua


Notas Finais


A história será contada em forma de relatos, então eu já falo: existe uma coisa chamada de "erro de relato do personagem" ou seja um autor ou roteirista pega um personagem da história que ele criou e deixa ele narrar, abrindo margens para interpretações.

Em outras palavras, de 70% a 75% do enredo será posto na tela, mas os outros 25% serão interpretativos, fazendo com que a fanfic tenha múltiplos finais, mas apenas um desses será o verdadeiro.

Bom jovens então é isso, eu espero que vocês tenham gostado, não se esqueçam de visualizar, se possivel comentar, grande abraço a todos vocês, tudo de melhor sempre, muito obrigado por tudo, beleza então valeu, falou e até, té mais


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...