1. Spirit Fanfics >
  2. Metido de terno e gravata - Fillie >
  3. Capítulo 27

História Metido de terno e gravata - Fillie - Capítulo 27


Escrita por:


Notas do Autor


Aproveitem o 27º capítulo!

Capítulo 27 - Capítulo 27


 

Finn

 

ESSA COISA DE PATERNIDADE não é para medíocres.

Mesmo que Jane não saiba que eu era realmente seu pai, eu não a tratava diferentemente do que se ela soubesse.

Certifiquei-me que ela me visse quase todos os dias e a fiz uma prioridade.

Ontem à noite foi particularmente difícil porque eu nunca tinha lidado com uma criança doente antes. Maddie pensou que seria uma boa ideia se eu assumisse a liderança na inquietação com Jane. Se minha filha ia passar algum tempo na minha casa, eventualmente, eu precisaria saber como cuidar na doença e na saúde.

Jane principalmente só queria que eu a abrace e lesse para ela. A pobrezinha tinha pus saindo de suas orelhas e estava queimando em febre. Senti-me impotente porque não havia nada que pudesse fazer para fazê-la sentir-se melhor, além de apenas estar lá. Ela foi ficando cada dia mais apegada a mim. Provou que, apesar da distância entre nós ao longo dos anos, houve uma conexão imediata entre pai e filha.

Graças a Deus Millie estava sendo compreensiva com tudo isso. Senti sua falta como um louco. Eu estava começando a ter graves retiradas. Tanto quanto eu amava passar um tempo com minha filha, eu precisava ver minha namorada hoje à noite. Precisava sentir sua buceta apertada em torno do meu pau. Precisava do meu punho em um punhado daquele cabelo sexy. Eu precisava ouvir aquele som que ela faz quando ela goza comigo dentro dela. Merda... Eu precisava lhe dizer de uma vez e por todas o quanto eu a amava.

A sorte estava do meu lado porque Jane estava se sentindo um pouco melhor. Os antibióticos estavam começando a reagir. Depois de ter um jantar com ela, fui direto para a Millie. Eu ia ter um carro para buscá-la e levá-la a minha casa, mas ela disse que preferia que eu viesse a dela. Eu tinha brincado dizendo que eu seria feliz em vir em qualquer lugar que ela quisesse esta noite.

Quando ela abriu a porta, imediatamente enterrei meu rosto no pescoço dela, respirando seu perfume de baunilha. Esse cheiro praticamente me deu alta.

"Foda-se. Eu senti sua falta," disse contra sua pele. "Como você consegue estar ainda mais bonita?"

Foi um alívio ver que as pontas do cabelo dela eram ainda azuis. Um vestido azul Royal apertado, correspondente abraçou

seu peito elevando-os. Tanto quanto eu queria rasgar o vestido para baixo e chupar seus mamilos duros, eu igualmente tinha perdido seu sorriso, sua risada, sua atitude sarcástica.

Mesmo que não estivéssemos separados por muito tempo, ter estado mergulhado na paternidade, me senti como se tivesse sido um mundo longe de outra parte importante da minha vida.

Eu amava a minha filha, mas minha casa estava com Millie.

Abaixando a minha mão para a dela de volta, eu perguntei.

"Você está com fome?"

"Não. Você mencionou que jantou com Jane, então eu só comi algo leve."

Parecia que algo a estava incomodando. 

"Alguma coisa errada?"

Ela hesitou. "Não".

"O que quer fazer hoje? Poderíamos beber um copo de vinho, ver um filme, o que você quiser".

"Podemos apenas ficar aqui?"

"Você sabe que eu nunca vou reclamar de ter você só para mim."

"Como a Jane está essa noite?"

"Ela está muito melhor. O médico passou penicilina e a dor de ouvido abaixou significativamente."

"Estou tão feliz em ouvir isso."

Meu olhar foi dela até o balcão. Notei que havia duas taças de vinho sujas. Uma descarga de adrenalina me bateu.

Dois copos? Quem estava aqui?

"Você teve companhia?"

Seu rosto ficou nivelado. "Hum... na verdade, meu pai apareceu."

Enquanto aliviado pela explicação, incomodou-me que ela não me contou. 

"Realmente..."

"Sim. Ele apareceu aqui sem avisar ontem à noite."

Meu coração se afundou, porque eu sabia que em circunstâncias normais, ela teria vindo para mim sobre isso. Vê-lo não poderia ter sido fácil para ela. Mesmo que eu soubesse a resposta, perguntei-lhe de qualquer maneira.

"Por que você não disse nada pra mim sobre isso?"

"Você estava com Jane. Não queria incomodá-lo. Enfim, foi tudo bem. Nós só conversamos. Não foi tão ruim quanto eu imaginava que podia ser vê-lo depois do jeito que eu deixei sua casa naquele dia."

"O que ele disse para você?"

"Você sabe o que? Não quero desperdiçar esta noite relembrando tudo isso. Meu pai e eu.... Estamos realmente bem. Foi uma visita okey."

"Tem certeza que você não quer falar sobre isso?"

"Eu tenho certeza."

 

"Okey". Eu a puxei para mim e planto minha testa na dela. "Você sabe o que eu estava pensando? Melhor irmos para a Espanha  para nossas férias. Eu quero beijar o chão da terra que me trouxe você. Nunca estive lá. Podemos visitar a Marbella. O que você acha?"

"Tenho certeza de que Espanha é linda."

"Você não respondeu minha pergunta." 

Puxado para trás para examinar o rosto dela. "Você não parece tão animada como eu pensei que estaria. Não temos de ir lá. Podemos ir para outro lugar."

Ela colocou as duas mãos em volta do meu rosto e disse:

"Você é incrível. Eu terei sorte de ir a qualquer lugar com você." No entanto, ela não estava sorrindo quando ela disse isso.

O que?

"Você está bem? Você parece triste. Tem certeza de que seu pai não a aborreceu?"

"Eu estou bem."

"Não acredito".

Ela ficou em silêncio, e isso começou a alarmar-me a sério. Lavei a palma da minha mão ao longo de sua face.

"Você sabe que você pode me dizer tudo, certo? Eu sei que as coisas com Maddie e Jane não tem sido fáceis para você. Preciso que fale comigo, quando as coisas estão te incomodando, não as mantendo com você. Não há nada que não podemos trabalhar, portanto não esconda coisas de mim."

"Não há nada para falar. Meu humor não está legal hoje à noite. Vamos nos deitar?"

Eu examinei o rosto dela antes de responder, "Claro".

Apesar da explicação dela, uma nuvem sinistra parecia seguir-nos conforme fomos para o quarto dela. Eu retiro minha gravata. Enquanto eu desabotoava minha camisa, Millie estava sentada na cama, me olhando. Eu amei o fato de que ela estava tão encantada com meu gesto, mas para ser honesto foi um pouco estranho e atípico para ela só me olhar desse jeito. Ela definitivamente não agia normalmente esta noite.

Jogando minha camisa na cadeira, eu disse, "Você não quer falar, então vou ter que encontrar outra maneira de fazer você se sentir melhor".

Ela levantou-se e caminhou até mim, em seguida, lentamente, traçou seu dedo indicador ao redor da tatuagem do nome dela sobre meu coração. "O fato de que você fez isso significa muito para mim. Não acho que realmente expressa o suficiente."

"Você significa muito para mim. Você me trouxe de volta à vida, Millie. Isso era o mínimo que poderia fazer para expressar como me sinto. Representa como você está sempre comigo, mesmo quando nós não podemos estar fisicamente juntos por causa do trabalho ou da Jane. Em última análise, sabendo que você está lá por mim e que tem minhas costas é o que me trás de volta."

Ela continuou a olhar para minha tinta quando ela perguntou, "você vai fazer amor comigo"?

"Tinha uma pergunta sobre se isso aconteceria agora?" 

"Não, mas eu quero ir com calma esta noite. Saboreá-lo."

 "Eu posso ir lento."

Sexo não resolve tudo, mas eu tinha certeza de como o diabo eu ia tentar comê-la fora deste estado em que ela estava. Eu ia mostrar-lhe com o meu corpo exatamente o quanto eu a amava,

que não havia nada que não conseguíssemos, enquanto nós ficarmos juntos, literal e figurativamente.

Ela estendeu a mão e começou a me beijar apaixonadamente, de uma forma que quase me senti desesperado. Quando nós desabamos na cama, ela pegou meu pescoço apertado e puxou-me para ela, espalhando suas pernas bem abertas.

"Por favor", ela implorou.

Vendo sua boceta aberta e espalhada assim, eu imediatamente tinha que me lembrar dela... Pedindo para ir com calma, porque naquele momento, eu só queria ir com força.

Quando eu entrei ela soltou o suspiro mais bonito no meu ouvido. Movendo-me dentro e fora com uma intensidade lenta e difícil, eu percebi que havia uma diferença entre puro, transa desenfreada e fazer amor louco e apaixonado. Você tinha que estar realmente apaixonado por alguém para atingir este último. E eu estava definitivamente apaixonado por Soraya, de uma forma que nunca tinha estado com ninguém antes. Era hora de deixá-la saber.

Comigo preso nela, tentando não esmagá-la com o peso do meu corpo ansioso, sussurrei no seu ouvido, "Eu te amo tanto, Millie." Retiro e empurro todo o caminho para ela outra vez, eu repetia, "Eu te amo".

Ela respondeu simplesmente, segurando em mim mais apertado, apertando as pernas ao meu redor e guiando o meu corpo. Eu queria tanto que ela falasse de volta essas três palavras para mim. Em vez disso, ela permaneceu em silêncio até que eu senti umidade em meus ombros.

Ela estava chorando.

"Baby, o que aconteceu?"

Meu coração batia mais rápido. Eu tinha estado delirante, em pensar que ela estava sentindo-se bem?

Quando eu abrandei os meus movimentos, ela murmurou, "Não pare Finn. Por favor, não pare".

Frustrado, eu peguei o ritmo, fodendo-a mais difícil do que eu pretendia. Ela gritou com prazer quando os músculos dela pulsavam ao redor do meu pau. Eu vim tão difícil, esvaziando dentro dela.

Nosso peito levantou-se e caiu enquanto nós arfávamos um sobre o outro.

Ela olhou nos meus olhos por muito tempo e parecia estar lutando com as palavras. Quando ela finalmente disse algo, eu quase me desfiz.

"Seu nome não pode estar tatuado no meu coração, mas ele sempre vai estar gravado em minha alma. Passei mais de duas décadas, pensando que eu era incapaz de ser amada. Obrigada por provar que estava errada. Você mudou minha vida."

Mesmo não contendo as três palavras que eu esperava ouvir, em muitos aspectos, era até mais importante.

Fizemos amor mais três vezes naquela noite, cada vez mais intensa do que a última. E quando Millie finalmente adormeceu nos meus braços, uma sensação de mau agouro me manteve acordado.

 

*******

 

DURANTE A PRÓXIMA SEMANA, começou a ficar claro que tive um bom motivo para me preocupar. Millie deu-me uma história diferente todas as noites sobre por que ela não podia ver- me.

A irmã precisava de ajuda.

A mãe dela queria ir às compras. Ela tinha planos com Caleb e Sadie.

Pavor multiplicava cada dia, eu pensava em voltar para nosso último encontro, em que ela estava apaixonada e sensual, mas tinha elementos de comportamento bizarro por parte de Millie.

Como suas palavras sobre a minha mudança na vida dela tocaram-me, não pude deixar de ficar obcecado com o fato de que nem uma vez ela tinha usado a palavra amor. Com cada hora que passava, essa omissão parecia ter uma importância crescente.

Talvez ela não me ame.

De qualquer forma, algo estava errado, e eu precisava chegar ao fundo disso. Esforcei-me a dar-lhe o espaço que ela aparentemente queria. Concentrei-me na Jane para tomar minha mente fora do fato de que Millie foi distanciando-se de mim.

Final de semana, no entanto, ela tinha me deixado com nenhuma escolha, a não ser esperar em frente ao seu apartamento, até que ela aparecesse. Supostamente, ela estava com Caleb e Sadie novamente.

Mas com certeza como foda-se que não era com eles que ela estava passeando de mãos dadas na rua às 21h da noite.

 


Notas Finais


Até amanhã com o próximo capítulo galera : )


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...