História Meu abrigo - Capítulo 2


Escrita por:

Visualizações 145
Palavras 847
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais um capítulo, hj mesmo pq não aguentei kkkk
Música ;
Eu era-Marcos e Belutti

Capítulo 2 - Quase...


Fanfic / Fanfiction Meu abrigo - Capítulo 2 - Quase...

P. V. Fernanda 

Terminei meu almoço e fui ao estúdio hoje as gravações do Dr Darci teriam uma convidada, então fui um pouco mais cedo pra saber quem e a convidada. 

Cheguei e fui falar com a produção, eles falaram que séria super divertido pois todo o elenco conhecia a convidada. Lembrei da Maisa. Fui no  camarim, quando abri a porta ,derubei as folhas que havia na minha mão, era a Ray! 

-lembra de mim? 

-Miga sua loca!! -me  joguei em cima dela

-Por quê não me avisou?? 

-Era supresa, e também seria meio estranho eu vim aqui né?! 

-Oxe? Por que seria estranho? -a solto e olho, ela tava meio abatida, sentei na cadeira e ela no banquinho na minha frente. 

-vai me conta, oq deu? Você não e assim, pelo menos da última vez que tive era locona da vida. 

-ta mesmo parecendo que to mal?! Aí deus! 

-como assim? 

-ai tanta coisa pra falar, nem sei por onde começar sabe?! Mas vou falar só o porque seria estranho eu vir aq, mesmo sendo convidada

-pode falar-olhei no fundo dos olhos castanhos dela. 

-Gustavo... 

-Ah deus! Perdão havia esquecido, vcs estão brigados ainda? 

-Na verdade, a gente nunca brigou. 

-Mas então era fakes aquelas notícias? Cheguei a acreditar, você sumiu do nada, ele parou de falar de você ,slá, mó estranho. 

-Sim eu sei, e porque me mudei pra SP, sem avisar quase ninguém, fiz uma puta burrada, me culpo até hoje. 

-Nossa, mas não prescisa se culpar não, mas você já tentou falar com ele? 

-A gente nem se viu mais. 

-Meu deus e, sério mesmo!-falo e logo escutamos o autofalante na salinha:

-VOLTEM AOS SEUS CAMARINS, COMEÇAREMOS EM 30 MINUTOS! 

-ai ray, depois a gente se fala ta?! Fica calma, ta?! Vai dar tudo certo. 

-ta, obrigado! Ah não fala nada pra ninguém sobre oq te falei aq. 

-OK, até daqui a pouco, bjs! 

Saiu da salinha, entro no camarim meu e do Gustavo, ele tava concentrado no texto. 

-Sabe quem e a convidada? -falei, queria ver se ele já sabia que era a Raissa. 

-Sim-falou rápido e logo voltou a olhar no texto. 

-sabe que vocês vão ter uma fala juntos né?! Não tem como um ignorar o outro. 

-Ah Fer, slá, a gente já não se fala fais messes, meio estranho, a gente era grudado e olha só! Parecemos desconhecidos um para o outro. 

-Acabei de falar com ela, ela ta receosa também. Ela mudou bastante, não ta tão animada. 

-Ela ta mal? Ela ta bem? 

-De saúde sim, mas alguma coisa ta encomodando ela, e nítido. 

-Também depois das notícias, ela sumiu do nada, parece até que brigamos de verdade.

-Tenta falar com ela,vai que vocês se entedem? 

-Não sei Fer, ela e muito cabeça dura. 

-Meu deus! Eu to tentando ajudar vcs, mas nenhum dos dois lados ajuda!! Nunca vi igual. 

-Acho melhor deixa pra lá, se ela vim falar comigo, vou ver oq deu nela pra sumir desse jeito 

-Só vou pedir uma coisa! Ouça ela, tenta não se estressar, não vai atropelado tudo! 

-Ta, agora vamos está na hora.

Saimos da salinha fomos pro cenário .A primeira cena era da Débora, logo depois era eles dois, tava quase engolindo minhas unhas. 

P. V. Raissa

Minhas mãos suavam frio, era agora, passava milhares de vezes na minha cabeça "fala a fala e saí ",mas do mesmo jeito o nervosimos não passava. Ele entrou primeiro logo depois ouvo chamarem o nome da minha personagem, respiro fundo e vou .

Entro e olho para o cantinho, terminando o cenário, A fer tava lá, com a unha já na metade, RI do nervosismo dela. 

Falamos as falas, agora era hora em que minha personagem abraça o Fernando, e lá vamos nós. Dou um paço a frente e passo meus braços em seu pescoço ,ele por sua vez passa os braços pela minhas costas, arrepiei. Funguei no seu ombro,o mesmo cheiro de sempre, tava bom demais pra ser real. Logo passa o longo e cruel 1 minuto, me solto dele e tento colocar meu sorriso mais forçado do mundo, eu queria sair correndo e me trancar e chorar. Evitei olhar nos olhos dele, logo a Débora (fer)  entra, respiro aliviada. 

Terminamos de gravar, saiu com a Fer, mas ela diz que estava muito(quase fazendo ali) apertada, então falo que iria esperar ela ali. De longe escuto conversas, e de cara reconheço a voz, era ele. 

-Oi-ele me comprimenta 

-Oi- digo, o clima tava pesado ali

-Parabéns, ótima atuação! 

-Você também se saiu muito bem-tava com o rosto vermelho, queria chorar. 

-Bem eu tenho que ir ,tchau- sim gente, eu fugi ,ódeio segurar por muito tempo, saiu dali correndo. 

-Espera!... 

Chegando no estacionamento, acho o carro da minha mãe, me encosto nele e escorego lentamente, deixando minhas lágrimas escorrem 

-Por que tem que ser assim? por que? -falo em susurros para mim mesma e choro até me aliviar, e entro no carro, espero minha mãe lá dentro. 

Ao chegar em casa apenas deito, estava morta, mas ao coçar meu olho, sinto seu cheiro em meu casaco, e lá vem mais lágrimas...





Notas Finais


Morri literalmente com esse capítulo, esses dois em, Fer ajuda demais mas fazer oq né?!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...