1. Spirit Fanfics >
  2. Meu Abrigo >
  3. Nas Margens do Rio Amazonas

História Meu Abrigo - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olha eu vindo com uma vmin agora sksksksk
Bom essa fanfic eu meio que tive a ideia dela e como eu resolvi colocar o tae e o jimin no meio da Amazônia? Eu não sei kkkkkk
Criatividade 10/10

Sobre o carimbó que aparecerá na fanfic é uma dança de roda típica do nordeste do Pará, estado da Região Norte do Brasil, popular entre os nortistas e nordestinos.

Mas eu queria agradecer a @Biazoides pela capa e pelo banner, que eu me apaixonei assim que eu vi <3
Bem fiquem com minha ideia mas maluca até agr bjs <3

Capítulo 1 - Nas Margens do Rio Amazonas


Fanfic / Fanfiction Meu Abrigo - Capítulo 1 - Nas Margens do Rio Amazonas

  Taehyung era um aventureiro desde criança, amava explorar novos lugares, aprender coisas novas, aprender novos costumes, culturas. Mesmo que isso causasse muitos problemas na adolescência, ele nunca perdeu a sua essência, seu sendo para aventuras. Então resolveu se aventurar em um lugar inusitado, no meio da grande floresta amazônica, mas ele não estaria sozinho. Seu namorado nunca o deixaria viajar sozinho, ele amava conhecer lugares diferentes e exóticos tanto quando ele. O loiro realmente tinha certeza que achou sua cara metade, sua alma gêmea no baixinho chamado Park Jimin.

 Os dois namoravam já fazia três anos e foram muito amigos antes de dar uma passo a mais no relacionamento, eles se deram muito bem desde o começo por terem o mesmo estado de espírito, combinavam em quase tudo e estavam sempre aprontando juntos em algum país diferente, e agora lá estam os dois no meio de uma lancha  no grande rio Amazonas com seus cabelos ao vento e óculos escuros com um grande sorriso feliz em seus rostos.

 Taehyung na verdade não conseguia desviar seus olhos do moreno que está distraído olhando para a vegetação para pegar a encarada do namorado. Era tão óbvio na expressão facial do mais alto o quando ele o amava que até mesmo os mais lerdos conseguiam perceber o olhar amoroso que o mesmo estava dando ao outro.

 Quando ele olhou para o Kim seu sorriso era tão brilhante que o loiro teve dificuldade em não derreter alí mesmo com o quão lindo ele era ou o quanto seu coração pulava a cada gesto simples e bonito que Jimin fazia. Quando finalmente chegaram até a beira do rio onde ficava a reserva — onde ficariam durante sua estadia — o mais baixo praticamente pulou do barco todo animado e ansioso para explorar o lugar.

 — Vamos Taehyung quero conhecer o lugar — o loiro que estava lutando com todas as suas malas, olhou feio para o baixinho.

 — Se alguém me ajuda-se talvez, quem sabe, eu fosse mais rápido.

 Jimin se aproximou e pegou suas malas ajudando o outro que ainda estava com dificuldades para andar devido ao peso. Agradeceram ao jovem que os trouxeram e fora para a margem onde tinha um homem que parecia ser o guia que estava às suas esperas.

 — Sejam muito bem-vindos senhores — ele comprimentou em um inglês fluente.

  — Obrigada — responderam os dois turistas juntamente.

 — Sigam-me vou levá-los até a reserva — tendo certeza que os dois jovens o seguia, ele adentrou a trilha e seguiu até o lugar indicado, onde ficava uma pequena pousada para os dois descansarem da longa viagem que tiveram.

 O moreno estava super empolgado falando com o guia sobre as coisas que poderiam fazer lá, Taehyung que era outro falador, até mais que o outro, estava cansado demais da viagem e tudo que ele queria era se jogar em uma rede e dormir até o outro dia, mas, ele duvidava que Jimin o deixasse ter uma folga. O mais baixo estava tão animado que o Kim sentiu seu coração doer por estar tão cansado, era como se ele estivesse atrapalhando seu amado e isso não era um sentimento legal. Aguentando firme, eles andavam pela trilha tropeçando em galhos, pedras e também tiveram um encontro infeliz com uma aranha que o fez despertar finalmente do seu sono e quase se jogar nos braços do guia que apenas ria do desespero dos mais jovens.

 Quando finalmente chegaram a pousada Taehyung quase se ajoelhou no chão agradecendo por finalmente poder descansar. Jimin parecia tão cansado quanto ele, suas energias foram embora com o morador local e ele apenas adentraram seus quarto e se jogaram na cama.

 — Taehyung — Jimin falou colocando a cabeça no peito do outro.

 — 'Hum? — ele respondeu com apenas um som casado.

 — Estou feliz por estar aqui com você, julgo que você, sendo a melhor coisa que já cruzou o caminho — Taehyung sorriu com os olhos fechados e passou o braço em volta da cintura do namorado — acho que deveríamos morar juntos, estamos sempre viajando mesmo, seria mais prático se morarmos na mesma casa não acha?

  Jimin não recebeu nenhuma resposta então olhou para cima vendo que o loiro estava já dormindo, então apenas deu um beijinho em sua testa e se alinhou mas também pegando no sono, porém ele não sabia que Taehyung ainda estava acordado apenas pensando, ele tinha planos sobre sempre estarem juntos, ele queria que o Park estivesse vivendo todos os dias com ele. Na verdade, seu plano era garantir que ele ficasse com ele, continuo nunca achou coragem o suficiente para fazer a maldita pergunta, apenas adiando por nunca ser o momento ou sempre perder a capacidade de fala toda vez, no entanto, ele estava decidido em ter Jimin ao seu lado até o final da suas vidas e o Kim tinha certeza que logo daria mais um passo importante para seu futuro.

 Naquela noite, ele sonhou com os dois, sorrindo um para o outro enquanto sentados na areia branca da praia durante a noite enquanto sorriam um para o outro. Quando acordou sentiu um sentimento tão bom em seu peito e ele se agravou quando viu Jimin entrar no quanto com uma bandeja de café da manhã em suas mãos. Taehyung realmente o amava muito e o sonho foi apenas um reflexo dos seus sentimentos.

  — Levante seu preguiçoso. Vamos, temos que levantar,  hoje é o dia de explorar as trilhas. 

 — Não posso ficar na cama só mais alguns minutinhos? — a cara de cachorro que caiu da mudança dele não funcionou nem um pouco no coração de pedra do moreno.

 — Nem pensar, não passei horas naquele avião para ficar vegetando na cama de uma pousada — Jimin deixou as bandejas em cima de uma mesinha e segurou o namorado pelos pés o puxando para o chão — vamos levante-se ou vou sozinho e vou fazer questão de me perder com algum brasileiro bonitão.

 — Você não se atreveria! — Taehyung que estava jogado no chão de repente pulou para ficar de pé.

 — Não mesmo, porém, funcionou para te trazer de volta a vida — ele tinha um sorriso maligno nos lábios, sempre aquela tática funcionava para acordar o Kim.

 — Você não tem coração — o loiro falou dramaticamente.

 — Tenho, mas não vou usar ele com você enquanto não estiver arrumando para irmos fazer a caminhada pelas trilhas com os outros.

 Ele saiu deixando um Taehyung muito mal-humorado para trás, planejando uma forma de deixar uma onça o devorar e poupar seu sofrimento de enfrentar insetos que encontraria. De banho tomado, cabelo arrumando, repelente passado e chapéu na cabeça, ele saiu do quarto terminando de comer um dos pães que o Park tinha lhe trazido de manhã. Procurando o namorado ele o achou conversando com alguns dos outros turistas que estavam ali para o mesmo objetivo que eles, aproveitar o ar livre e tentar não ser comidos por uma cobra gigante.

 A caminhada foi de certo modo tranquila, Jimin apontava para qualquer ser vivo que aparecia entre as folhagens e Taehyung prestava muita atenção por onde caminhava para não ter mais nenhum acidente com aranhas. Quando tiveram que passar pelas pontes de cordas que tinham por cima dos riachos foi um problema. O moreno tinha um pouco de medo de andar naquelas coisas, elas balançavam muito e deixou o jovem turista com receio de caminhar sobre elas e quase atrasou todo o grupo. O loiro como um bom namorado segurou a mão pequena e calmamente o ajudou a passar, o resto da caminhada resultou em um Taehyung muito desconfortável com os olhares apaixonados que recebeu das mulheres do grupo.

 Os guias — que eram dois, um homem e uma mulher —, os levou até uma pequena aldeia indígena para descansarem e aprender mais sobre a cultura deles, claro Jimin fez Taehyung fazer as pintar, dançar em volta da fogueira, fazer colares e cocares, comer da comida típica que ele quase morreu para conseguir falar seu nome e por fim ir nadar no rio logo após ouvirem o Xamã' da aldeia lhes contar suas histórias. Foi um dia cansativo, porém muito produtivo, e o sorriso no rosto do casal era um sinal do quanto eles se divertiram naquele dia.

 No final do dia eles estavam deitados juntos na rede na varanda da pousada, abraçados.

 — Gostei deste lugar, sabia? Tem muitos insetos, mas é muito divertido, temos que voltar mais vezes — o moreno comentou — adoraria conhecer outras partes do Brasil.

 — Você sabe que onde você for, estarei contigo — Taehyung levantou a cabeça para vê-lo melhor — Você é minha casa Jimin, como eu não posso querer conhecer lugares com você?

 Sorrindo jimin beijou os lábios do maior e encostou suas testas.

 — Posso saber o porquê desse romantismo todo? 

 — Só quero que saiba o quanto é importante para mim.

 — Estou ciente deste fato senhor Kim Taehyung e… — ele se sentou sobre o loiro com as suas pernas em cada lado — não planejo esquecê-lo tão cedo.

  Eles passaram boa parte da noite se beijando ou apenas conversando enquanto com o pé, o mais alto balançava-os na rede. A única coisa que ouviam eram os barulhos relaxantes que vinham da floresta e vendo os vagalumes pintarem a noite com suas luzes.

 No outro dia os dois estavam tomando café da manhã com as outras pessoas e pensando em o iriam fazer naquele dia, até que uma das pessoas que trabalhavam na pousada se aproximou e os recomendou nadar com os botos.

 — É bem seguro e muito divertido — garantiu o funcionário para o casal.

 — Parece legal — Taehyung ponderou  e olhou para o namorado — o que você acha?

 — Vamos, não pensamos em nada melhor para fazer hoje — concordou.

 — Só tomem cuidado existe uma lenda sobre eles — o jovem brasileiro comenta.

 — lenda? — pergunta os dois turistas ao mesmo tempo.

 — Ah sim! Dizem que eles se transformam em homens bonitos para dormir com as jovens moças.

 — Então o Taehyung não poderá nadar com a gente, vai que ele engravida do boto? — Jimin e o outro homem começam a rir da careta que o loiro fez antes de tentar acertar o mais baixo com uma das frutas que estava comendo.

  Eles passaram muitos dias fazendo todas as  atividades disponíveis que encontravam, eles pareciam duas crianças correndo atrás um do outro pelo lugar, tantos que fez amizade com muitas pessoas devido a suas palhaçadas diárias. Eles eram muito amigos, confidentes e amantes, todos as outras pessoas adoravam ver como eles interagem um com o outro diariamente, era muito fofo como o amor deles era puro, a felicidade que eles tinham nos olhos quando brincavam ou começavam a rir por motivos idiotas, como um olhava para o outro quando achavam que ninguém estava prestando atenção neles, era um relacionamento tão lindo.

  Juntos eles decidiram nadar em uma nascente de águas cristalina no final da tarde, Taehyung só sabia que precisava se controlar para não ficar babando pelo corpo perfeito do outro enquanto tirava suas roupas, lentamente para a tortura do mesmo que estava tão ocupado olhando para ele que quase engoliu um mosquito. Segurando a mão um do outro eles se jogaram na água espirrando para todo lugar e causando um barulho alto, eles submergiram rindo e se abraçaram, afundando novamente para conseguir dar um beijo debaixo d'água. Nos seus peitos estavam o sentimento de que não se importa onde estivessem, estando um com o outro, sempre haveria motivos para sorrir. Eles ficaram ali até que o sol já estivesse quase se pondo e depois foram devolta para a pousada de mãos dadas e cabelos molhados.

 Naquela noite Taehyung estava terminando de arrumar sua bandana nos cabelos loiros compridos já que eles iriam participar de uma roda de carimbó que estaria acontecendo naquela noite e como Jimin tinha se dedicado tanto para aprender a dançar, o Kim não teve outra alternativa a não ser ir junto. Vestido com uma bermuda branca e uma blusa social da mesma cor, o turista terminou de arrumar a sandália em seus pés para finalmente ir chamar Jimin que ainda estava se arrumando no banheiro.

 — Jimin vamos? — ele deu duas batidinhas na porta e se encostou esperando uma resposta do namorado.

 Aporta finalmente se abriu e o loiro se afastou vendo o outro sair vestido com uma bermuda azul-marinho e uma blusa branca estilo havaiana estampada com flores por todo tecido. Taehyung admirou a figura do seu namorado antes de finalmente olhar para seu rosto.

 — Sim, estou bonito — o moreno falou convencido e o pior era que o mesmo nem poderia discordar — agora vamos, não quero chegar atrasado.

 — Sempre tão convencido — resmungando o loiro pegou uma pequena caixa já que o Park não percebeu e colocou no bolso da bermuda.

 Jimin se aproximou pegando seu pulso e amarrou uma pulseira artesanal feita pelos artesãos. Era de uma cor amarelada com pingentes feitos à mão e muito delicadinhos.

 — Comprei uma para mim também — ele ergueu o pulso mostrando uma igual à sua — será nosso amuleto da sorte.

 — É muito bonita, adorei! — Taehyung se aproximou dando um beijo nos lábios fartos do moreno que retribuiu aprofundando mais ainda aquele momento.

  — Tae precisamos ir — Jimin afastou do mais alto.

 — Só mais um — rindo ele se aproximou e beijou mais uma vez o namorado carente.

 Quando eles finalmente chegaram já era possível ver vários casais juntos dançando o famoso carimbó, as mulheres rodavam sua saia sendo acompanhados por seus parceiros que giravam em torno delas com grandes sorrisos no rosto. Taehyung aprendeu que aquela dança apenas parecia fácil, seus pés doloridos que falem por ele, todavia, não reclamou, já que sorriso de Jimin por ele ter concordado em participar foi seu maior prêmio.

 — Queria dançar igual elas — o moreno diz olhando para as mulheres.

 — Como assim? Você não estava aprendendo? — Taehyung perguntou confuso — em comparação a nós dois, Jimin, você foi mil vezes melhor.

 — Não estou falando sobre saber ou não dançar. Estou falando das nossas roupas, não combina com a dança.

 — Então o que você quer fazer?

 Ao ver o olhar maligno do namorado, o Kim se arrependeu na mesma hora de ter perguntado. Conheci muito bem Jimin para saber que ele estava com alguma ideia em mente e isso eram motivos para o loiro se preocupar, e muito. Pegando sua mão, o arrastou até umas senhoras que estavam segurando algumas saias rodadas iguais às que as moças estavam usando enquanto dançavam. Foi aí que o mais alto descobriu o que o moreno planejava e começou a orar a qualquer divindade que ele não causasse problemas com suas ideias malucas e nem que os dois fossem afogados em algum manguezal pelos moradores locais por ter dois idiotas se intrometendo em sua cultura. Deus o ouça que ninguém ali fosse muito preconceituoso.

 — Com licença — Jimin falou educadamente, se enrolando entre o português e o inglês — queria saber se vocês têm alguma saia que posso me emprestar? É para a dança.

 O moreno apontou para a roda e viu um das mulheres idosas parecer compreender. 

 — Claro moço bonito — ela sorriu — é para a sua namorada?

 — A namorada está aqui e ela não planeja usar uma saia — Taehyung responde depois de compreender o que foi dito pela senhora e acabou levando uma cotovelada do namorado.

 — Não senhora, é pra mim mesmo — o moreno respondeu sorrindo, mas ainda lançou um olhar duro ao loiro que se encolheu.

 — Entendo, venha comigo e vamos resolver isso — ela se levantou de onde estava sentada convidando Jimin a ir com ela.

 — Espere por mim okay? Eu já volto — Jimin seguiu a mulher idosa deixando o loiro sozinho.

 Encostado na parede Taehyung colocou a mão no bolso onde estava o anel e suspirou, hoje ele finalmente iria pedir a mão de Jimin. Oficializar o que eles já tinham, ele sabia que não precisava disso, porém, o mesmo sabia que o moreno era alguém romântico e que mesmo tendo uma visão moderna ainda suspirava nos filmes românticos quando o personagem masculino pedia a mocinha em casamento. O turista já tinha tudo planejado para depois, ele apenas estava torcendo para ser que Jimin não achasse brega demais, ou sei lá, por algum motivo não aceitasse. Depois de meses tentando fazer a maldita pergunta, ele não poderia deixar passar mais tempo, nem que tivesse que pedir para que Jimin casasse com ele no meio da floresta amazônica enquanto fugiam de uma onça.

 Batendo o pé ao ritmo da cantiga, o loiro estava distraído que não percebeu o namorado até que ele já estivesse parado na sua frente. Abrindo a boca em surpresa ele olhou de cima a baixo em Jimin.

 — Nossa você está…

  Taehyung não sabia nem o que dizer, apenas que o moreno ficava bem em uma saia. Jimin usava uma saia branca rodada, ele tinha trocado sua camisa por iam regata branca e presa em sua orelha esquerda estava uma flor vermelha que o loiro não sabia a espécie. Ele estava tão bonito, seus pés também estavam descalço e ele sorria largamente com a falta de reação do mais alto. Dando uma voltinha ele mostrou o movimento da peça feminina e sorriu vitorioso.

 — Agora podemos dançar sem problemas — ele estendeu uma de suas mãos para o loiro que ainda estava sem reação com o quando ele ficava bem de saia. 

Taehyung agora tinha um novo fetiche e ele era Jimin em uma saia de carimbó.

 Puxando-o até o meio da roda, os dois começaram a dançar juntos. O Park rodava a saia como se sempre tivesse dançado aquilo a sua vida toda, Taehyung apenas o acompanhava enquanto ele rodava e mexia nas pontas da sua roupa com delicadeza e cuidado. As pessoas estavam olhando para o casal que ria e dançava como se só tivessem os dois alí, as gargalhadas gostosas podiam ser ouvidas e também estavam impressionados com o quanto Jimin era bom dançando carimbó. O mais alto ainda  não consegui desgrudar os olhos do namorado que remexia sua cintura com destreza e habilidade enquanto seguia os movimentos das outras dançarinas.

 Quando terminaram receberam elogios e Taehyung ficou muito feliz por não ter recebido nenhum comentário recriminatório, era uma noite importante e ele não queria que fosse estragada pelo preconceito. Quando Jimin já estava usando suas roupas novamente, contudo, ainda deixando a flor em seu cabelo, o loiro aproveitou para tirá-lo dali e o levar para a beira do rio que ficava ali perto com a desculpa de que iriam fazer uma oferenda aos orixás.

  — Não costumam fazer isso no ano novo? — o moreno perguntou enquanto arrumava a cestinha com flores e frutas.

 — Sim, mas não estávamos aqui então… terão que se contentar com a nossa oferta atrasada.

 Taehyung estava nervoso, suas mãos tremiam enquanto ele ajudava Jimin a arrumar a cestinha e quando terminaram eles foram até a margem e colocaram a oferenda para boiar.

 — O que você pediu? — o mais baixo perguntou o encarando.

 — Que você me dissesse sim — respondeu calmamente deixando um Jimin muito confuso.

 — Que eu dissesse sim para o que?

 O loiro pegou a mão do mais baixo e o levou para mais distante da margem, apenas com o brilho da lua o iluminado ele segurou as duas mãos do moreno e tentou se acalmar antes de começar a falar.

 — Estamos juntos a um tempo já, tipo, sempre estivemos juntos como amigos e depois como um casal. Graças a você, é claro, que tomou a atitude de me beijar naquele dia já que minha covardia adolescente não estava ajudando em nada para a gente ficar juntos. 

 — Taehyung o que você está fazendo? — Jimin perguntou receoso.

 — Espere! Apenas… apenas me deixa falar — tomando fôlego e engolindo o nó que estava em sua garganta pela ansiedade, o loiro encarou os olhos do mais baixo que estavam apenas visíveis pela luz natural do céu estrelado — você foi uma das melhores coisas que aconteceu na minha vida, o único que me apoiava quando eu dizia que apenas queria viajar e conhecer o mundo. O único que me viu chorar, que esteve lá quando eu mais precisei e mesmo quando a gente brigava, você todo irritado ainda cuidava de mim.  Sou muito grato por você existir na minha vida, nunca me considerei alguém de sorte, mas você é a tudo de bom que eu precisava, já dei valor em coisas muito banais e pequenas. Coisas que era sem importância, que não me trazia tanta alegria como sinto agora com você aqui, em um lugar diferente, cercado de árvores por todos os lados. Nunca me senti tão feliz quanto sou quando estou ao seu lado, então, aqui nas margens do rio no meio da floresta amazônica, apenas com as estrelas como testemunha; quero te fazer a seguinte pergunta: Jimin quer casar comigo?

  Quando terminou sua fala, Taehyung se ajoelhou e mostrou o anel dentro da caixinha que tinha trazido em seu bolso. Jimin estava com os olhos marejados e se ajoelhou abraçando o loiro com tudo.

 — Claro que sim — ele falou com a voz embargada — aceito me casar com você.

 Sorrindo o mais alto beijou o moreno apaixonadamente. 

 — Eu te amo muito futuro senhor Kim.

 — Também te amo Taehyung — ele sussurrou segurando uma das bochechas do loiro em suas mãos.

 Os dois se sentaram na areia, um próximo do outro, o loiro segurou a nuca do namorado — agora noivo — e falou baixinho.

 — Aprendi a cantar uma música pra você.

 — Então canta, quero te ouvir.

 Sem sair da posição em que estavam Taehyung apenas começou a cantar olhando nos olhos do moreno.

 “Você é a razão da minha felicidade.

Não dizer que eu não sou sua cara-metade.

Meu amor, por favor, vem viver comigo.

No seu colo é o meu abrigo

Quando terminou de cantar, Taehyung está sorrindo lindamente para Jimin que retribuía ainda mais apaixonado, pois os dois sabiam que sempre seriam o abrigo um do outro.



Notas Finais


Se chegaram até aqui, obrigada por ler mesmo sendo totalmente uma ideia meio louca rs
comentem o que achou, goste de saber suas opiniões meus anjos❤️
Até a próxima meus amores❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...