História Meu Adorável Chefe - James Rodríguez - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias James Rodríguez
Personagens James Rodríguez
Tags Fc Bayern Munich, James Rodriguez, Romance
Visualizações 498
Palavras 2.518
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Esporte, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente mto obrigada pelos comentário e favoritos! 😍😍😍😍 Vcs são uns amores!
Espero que gostem. Mais um pouco da fofa da Salo.

Capítulo 5 - Cinco


Fanfic / Fanfiction Meu Adorável Chefe - James Rodríguez - Capítulo 5 - Cinco

Já fazia quatro dias que eu estava trabalhando na casa do James. Amanhã era sábado e logo depois minha folga, ah liberdade! James ia precisar de mim amanhã.

            Eu tava adorando trabalhar ali, tinha criado uma rotina com a menina que funcionava bem. James saía as oito pra ir treinar e ela ainda estava dormindo, acordava por volta de nove, nove e meia. Eu a arrumava e lhe dava o café da manhã, depois íamos brincar no jardim ou assistir desenho, a deixava escolher. Meio dia lhe dava banho e almoçávamos juntas. A tarde ela costumava cochilar e eu aproveitava pra ficar na internet ou ler um livro, James tinha me dado a senha do wi-fi. Por volta das cinco ela acordava, a gente lanchava e ficávamos vendo TV até o pai dela chegar.

            Quando chegava, James tomava banho e ficava o tempo todo com ela, brincava, conversava, ele era louco pela filha, notei isso no primeiro dia. Nesse momento eu ia tomar banho e esquentar o jantar.        

            Hoje fez muito calor e Salomé ficou na piscina, nem preciso dizer que o cachorro pulou junto, além de dar banho nela depois, tive que dar banho no cachorro também, mas eu adorava. Eu não entrei, não sabia se podia.
– Tini você gosta de mim? – Salomé perguntou e olhei pra ela pelo espelho, estava penteando seus cabelos depois de ter lhe dado banho.
– Adoro você pimpolha. – eu a chamava assim. – Não tem como não gostar de uma coisa fofa como você. – fiz cócegas nela e a abracei, Salo riu com gosto. 

            Terminei de arrumá-la e fomos pra sala. Estranhei a pergunta dela. Salomé não falava muito na mãe, aquele assunto ainda me incomodava, mas acho que eu não tenho o direito de perguntar.

            Estava conversando com Bel no whatsapp e Salo assistia A Pequena Sereia, James não queria que ela ficasse muito tempo na internet, tinha estabelecido o tempo que ela podia mexer no celular ou no tablet. Manolo estava deitado no tapete.

            Perua cadê o gostoso do seu patrão?

            Dei risada e digitei uma resposta.

            Mas é muito abusada mesmo! Olha o respeito. Ele deve ta chegando a qualquer momento.

            E a princesa?

            Assistindo TV aqui comigo. Mas e você ta bem? Sentindo muito minha falta, eu aposto.

            A gente se falava todo dia.   

            Muito! Contando os minutos pra domingo. Abriu uma boate nova no centro, a gente podia ir.

            Me animei.

            Ótima ideia bixa! Amanhã quando o James chegar, eu vou pra sua casa e podemos ir. 

            Maravilha!  

            Manolo levantou a cabeça e abanou o rabo, ele quem avisava quando James chegava.

            Amiga eu preciso ir, chefinho chegou. Beijos.

            Desliguei o celular e guardei no bolso do short.

            James abriu a porta com um sorriso no rosto, lindo como sempre.
– Boa noite meninas.
Papá! – Salomé correu pra ele que a abraçou apertado.
– Hola mi amor. Como foi seu dia?

            James sentou no sofá com ela no colo, ele me olhou sorrindo e eu devolvi o sorriso.
– Foi muito legal papá! Eu fiquei na piscina! O Manolo também!
– Sério? – James me olhou e eu achei que fosse levar uma bronca.
– Não consegui segurar o cachorro. – me apressei em explicar. – Quando percebi, ele já tinha pulado atrás da Salomé.
– Tudo bem, mas você deu banho nele depois?
– Sim.     
– Sortudo. – James falou baixo.
– Oi? – perguntei pra ter certeza e ele me olhou com as bochechas vermelhas.
– Nada, não tem problema.
Papá a Tini tem medo de água! – Salomé disse rindo e James olhou pra ela e depois pra mim. – Ela não entrou na piscina!

            James riu junto com ela e acabei rindo também.
– Eu não sabia se podia. 
– Mas é claro que pode Tini, fique a vontade. Salo, o papá vai tomar banho, fique com Tini.
– Quando você voltar, eu vou tomar banho e depois vou esquentar o jantar. – falei quando ele já ia subindo a escada.
– Ótimo, eu não demoro.
– Você é danada hein mocinha! – fiz cócegas em Salo enquanto ela se contorcia rindo em cima do sofá. – Disse meu maior medo pro seu pai. – eu tinha dito pra ela que tinha medo de água.

            Parei de fazer cócegas e ajeitei o laço no cabelo dela. Salo pegou o controle e mudou de canal, ela deixou em um canal que passava clipes musicais, estava passando o clipe de What U Gonna Do da cantora Oriana.

            Salomé pulava empolgada em cima do sofá. Não resisti e comecei a dançar com ela rebolando ao som da música contagiante.

            Nós duas batíamos palmas e cantávamos a música.
– Nem me convidaram pra festa. – a voz de James soou atrás de mim e me virei, ele tinha um sorriso nos lábios e um olhar divertido.

            James me olhava de cima baixo de um jeito bem diferente e senti meu coração disparar, tentei dizer a mim mesma que era porque estava dançando e não por causa daquele olhar. Eu usava um short jeans curto, hoje tinha feito muito calor, portanto minhas pernas estavam à mostra e foi ai que ele demorou mais em olhar.
– Eu vou tomar banho.

            Subi a escada sem olhar pra trás e quanto entrei no quarto tranquei a porta. Fiquei encostada na porta tentando acalmar as batidas do meu coração.
– Você está vendo coisa de mais Martina. Você é apenas a babá da filha dele e ele é um jogador famoso. – falei comigo mesma.

            Um belo e gostoso jogador famoso. Lindo... Cheiroso... Com um corpo que...

            Balancei a cabeça dissipando aqueles pensamentos e fui separar a roupa que iria usar. Eu estava há quase um mês sem sexo, por isso esses pensamentos idiotas, preciso tirar o atraso, eu preciso gozar pra tirar o estresse e ia fazer isso nesse fim de semana.

            Fui pro banheiro e tomei meu banho rapidamente. Sequei-me e passei hidratante no meu corpo, gostava de manter minha pele sempre macia e cheirosa. Vesti um vestido florido longo, com duas fendas laterais, por cima um casaco leve. Calcei minhas havaianas e desci.

            James e Salomé estavam sentados no sofá assistindo TV, na verdade Salo estava no colo do pai.
– Quem ta com fome? – perguntei terminando de descer a escada e eles olharam pra mim.
– Eu! – Salo gritou levantando as mãos e demos risada.
– Eu vou esquentar o jantar.
Papá a Greta fez sobremesa! – Salo contou naquela empolgação típica de criança.
– Sério hija! – James entrou na empolgação dela. – O que ela fez?
– Mousse de chocolate.
– Nossa que delicia!

            Deixei os dois brincando na sala e fui pra cozinha. Eu não precisava fazer ameaças a Salomé do tipo “se você não comer tudo, não vai ganhar sobremesa”. Pense numa menina boa de boca, não rejeitava nada e adorava experimentar coisas novas.   

            James gostava de uma boa comida colombiana. Ele gosta muito de macarrão e carne, de qualquer tipo. Greta era uma excelente cozinheira.

            No jantar a gente comia algo mais leve. Hoje Greta tinha feito arepa bem ao estilo colombiano, é uma massa muito comum nos países latinos, parece uma tortilha, feita de massa de milho e recheada com frango ou carne desfiada, e ela era frita. Eu a ajudei a preparar. Greta tinha feito com recheio de frango, o preferido de Salomé, lógico que opinião da menina foi pedida. De acompanhamento eu sugeri um molho bem temperado, que eu mesma fiz.    

            Estava tudo pronto, era só esquentar. A arepa não tinha como esquentar, então mergulhava no molho quente e comia.

            Enquanto esquentava o molho, eu fui preparar a mesa.
– Precisa de ajuda? – me virei e James estava em pé encostado ao armário com as mãos nos bolsos da calça moletom.

            Porque cada vez que ele sorria assim, meu coração dava um salto? Tenho que parar com isso.
– Toda noite você vem aqui e pergunta se eu quero ajuda James e eu mando você voltar e ficar com sua filha. – respondi rindo e fui pegar os pratos, que, aliás, era bem perto de onde ele estava.      

            Senti seu perfume maravilhoso e peguei os pratos. Inspirei fundo quando me afastei.
– Verdade. – ele comentou também sorrindo. – O que tem hoje pra jantar? – perguntei chegando perto do fogão.
– Acho que você vai gostar. – sorri pra ele e me abaixei pra pegar a bandeja com as tortilhas que estava no forno, estava coberta com papel alumínio.

            Coloquei em cima da mesa e ele tirou o papel em um lado.
– Não acredito! – seus olhos brilharam – Arepa!
– Eu ajudei Greta a preparar.

            Ele pegou uma e comeu com evidente prazer. Fiquei observando enquanto ele mastigava e engolia, e seu pomo de adão subia e descia fazendo alguma coisa aqui dentro subir e descer também.    

            Eu vou surtar! Pensei desviando o olhar e indo verificar o molho.
– Estão muito boas e quentes ainda.
– Eu fritei agora à tarde, Greta só deixou a massa pronta. – respondi mexendo o molho. Ele se aproximou e parou ao meu lado, o braço roçando no meu.

            Esse homem vai acabar comigo!
– Mexe enquanto eu termino de colocar a mesa. – entreguei a colher de pau a ele e me afastei, na verdade eu inventei uma desculpa pra sair de perto dele. James tem alguma coisa que quando chega perto de mim...

Na verdade eu sei bem o que é isso, atração sexual, é questão de química, coisa de pele. A questão é, será que ele sente o mesmo? Ou já percebeu o efeito que causa em mim? Eu tenho que tomar cuidado com isso. Atração sexual é perigosa, incontrolável. Só basta sentir o olhar dele em mim pra eu sentir algo queimar aqui dentro.
– O que é isso? – James perguntou ainda mexendo a panela.
– Um molho que eu fiz pra acompanhar as tortilhas.
– Você sabe cozinhar? – ele parou de mexer e me olhou surpreso.
– Sim, mexe a panela senão vai queimar. – falei rindo e ele riu também voltando a sua função.
– Tini você sabe que não precisa cozinhar, Greta ta aqui pra isso.
– Eu gosto, faço por prazer. Pode apagar, já está bom.

Senti o olhar dele em mim o tempo todo enquanto pegava o molho e despejava em uma porcelana. Eu que sempre fui dona de mim e não me intimidava com nada, fico assim com um simples olhar dele, o sorriso dele era o suficiente pra me desconcentrar. E olha que não tem nem uma semana que eu estou aqui! Eu estava errada, não vai ser moleza.
– Pode ir chamar a Salo? – pedi sem olhá-lo e levando a porcelana pra mesa.
– Claro.

James foi pra sala e fiquei olhando ele se afastar, aonde eu fui me meter? Ele é bonito demais e tem uma aura de inocência, algo que não é comum nas pessoas. Eu to ferrada!

James e Salomé conversavam durante todo o jantar, eu apenas observava.   
– Tudo bem? – James perguntou enquanto nós lavávamos a louça suja, eu lavava e ele secava. – Você quase não falou durante o jantar.
– Estou com um pouquinho de dor de cabeça, vou terminar aqui e deitar.
– Quer um remédio?
– Eu tenho, vou tomar um antes de deitar.
– E o seu joelho?
– Já está bem melhor.

Terminamos em silêncio.
– James amanhã quando você chegar, eu já posso sair pra minha folga? – perguntei enquanto secava as mãos. – Eu combinei de sair com uma amiga.
– Claro.
– Obrigada, você coloca a Salo na cama? Eu vou me deitar.
– Sim, pode ir deitar.
– Obrigada. Boa noite.

Saí antes de lhe dar a chance de responder ou perguntar alguma coisa. Fui pro meu quarto e me tranquei lá dentro. Aquele homem é um perigo pra minha sanidade, ele mexe comigo demais! Cada vez que olho pra ele, eu só penso em levá-lo pra cama! Nunca desejei ninguém assim! Também nunca conheci um homem tão bonito quanto ele! Ele é intenso demais, só com um simples olhar, imagine se...                  
– Eu preciso urgentemente transar com alguém!

Troquei-me e deitei na cama, estava sem sono e fiquei lendo meu livro à luz do abajur.  

Uma meia hora depois, eu vi a sombra dele passando pela abertura da porta embaixo. Ele entrou no quarto de Salomé e voltou alguns minutos depois. Ele parou bem em frente à porta do meu quarto.    
– Tini. – James bateu na porta me chamando.

Senti minha pulsação acelerar, mas me obriguei a ficar quieta. Eu já estava de camisola e não seria uma boa ideia abrir a porta assim.

Vi sua sombra se afastar e uma porta bater. Ele deve ter achado que eu já estou dormindo, melhor assim.

Desliguei o abajur e fui tentar dormir, mas custei a pegar no sono e fiquei rolando na cama até de madrugada.

 

O sábado amanheceu ainda mais bonito que ontem, o sol brilhava na fora. Peguei o celular pra olhar à hora, nove da manhã, e notei que tinha uma mensagem. Era do James.

Bom dia, quando saí você ainda não tinha acordado, qualquer coisa me liga.

Todo dia antes de sair ele me falava isso e eu nunca precisei ligar.

Espreguicei-me e levantei indo pro banheiro. Fiz minha higiene matinal e tomei banho, tive uma ideia pra hoje. Enquanto tomava banho, eu pensei em James, o quanto ele me afetava, eu não podia deixar isso acontecer. Ele era meu patrão e nutrir qualquer coisa por ele era um erro, mesmo que fosse uma simples atração.

Hoje à noite eu vou encontrar um gato bem gostoso e vou fuder com ele até não aguentar mais! Pronto, resolvido.

Terminei meu banho e vesti um macacão jeans escuro bem curto, por baixo uma camiseta de alcinhas branca. Calcei meu all star branco e fiz um rabo de cavalo no cabelo. Saí do quarto e fui acordar Salomé. Hoje Greta não vinha, eu tinha que fazer o almoço dela. 
– Buenos días princesa. – fiz cafuné nos cabelos dela que se mexeu abrindo os olhinhos doces.
– Hola.
– Vamos levantar Salo, o dia está lindo lá fora. – abri as cortinas deixando o sol entrar.
– To com preguiça. – ela disse com aquela vozinha dengosa que eu adorava.
– Deixe essa preguiça ai na cama e vá tomar banho, nós vamos sair.
– Pra onde? – perguntou animada sentando na cama.
– Vamos andar de bicicleta no parque.

Os olhinhos de Salo brilharam, mas logo ela ficou triste.
– O que foi pimpolha? – perguntei sentando ao seu lado.
– Eu não sei andar de bicicleta e também não tenho.
– Mas isso é um ultraje! – levantei me fazendo de indignada e ela riu. – Como uma princesa dessa não sabe andar de bicicleta!

Salomé riu mais ainda.
– Isso não é problema meu amor, nós podemos alugar uma bicicleta com rodinhas pra você.
– Verdade? – seus olhinhos brilharam de novo.    
– Sim.
Gracias Tini! – ela pulou em cima de mim me abraçando e eu retribuí.

Dei banho em Salo e arrumei uma mochila pra ela. Enquanto tomávamos café da manhã, eu tentei ligar pra James pra avisar, mas chamou até cair na caixa postal. Não acho que ele vá se importar é só um passeio.
– Vá escovar os dentes Salo que eu vou avisar ao motorista que nós vamos sair.

Avisei Pedro e fui escovar meus dentes também. Salomé me implorou pra levar o cachorro e não consegui convencê-la a mudar de ideia, no fim acabei indo procurar uma guia pra prender Manolo que estava tão eufórico pro passeio quanto à menina. 


Notas Finais


Gente pra quem quiser ouvir a musica é essa aqui https://www.youtube.com/watch?v=df2wFr1x2Lo
Tini já está começando a sentir os efeitos James Rodríguez 😏😏😏😏
Já já tem mais gente 💖💖💖💖 Prox é com o James 😉


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...