História Meu amado mascarado - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, André Bourgeois, Chloé Bourgeois, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Nathanaël, Nino
Tags Alyno, Marichat, Romance
Visualizações 97
Palavras 637
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


oi gente foi mal pela demora mas eu estou em época de provas e vcs sabem como é,né? Bom, chega de enrolação, aí vai um capítulo fresquinho pra vcs!!

Capítulo 2 - Início de um amor


Fanfic / Fanfiction Meu amado mascarado - Capítulo 2 - Início de um amor

CHAT NOIR on:

Hoje é o dia, está tudo preparado para a invasão da mansão Bourgeois, meu velho amigo nino me ajudou a conseguir informações sobre o turno dos vigias que protegem a mansão. Pulei o muro com um pequeno gancho de escalar e comecei a andar sorrateiramente por aquela grande propriedade, tinha lindos jardins com flores de todas as cores, me pergunto como um homem tão cruel e machista pode ter um jardim tão lindo assim, talvez para impressionar seus convidados ricos e esnobes. Já estava perto da parede da grande mansão, procurei por alguma janela aberta e achei uma que aparentava dar na cozinha, com meus ágeis instintos felinos ,pulei a janela e adentrei na cozinha rustica da grande mansão, ela tinha uma mesa de carvalho no centro e encostado na parede tinha o fogão a lenha e bancadas também de carvalho, passei pela cozinha e fui em direção do escritório do senhorio tão cruel.

Eu sei que vcs devem estar pensando o por que de eu ficar falando que esse homem é tão mal, bom para começar ele é machista e sempre trata as mulheres como meros objetos, isso me enoja, além disso ele também é conhecido por maltratar seus criados e como se não fosse ruim o suficiente muitas pessoas fofocam que ele matou a própria mãe para ficar com a herança que ela iria deixar.Bom ,voltando a realidade, começo a subir os degraus do grande hall de entrada, quando chego ao topo procuro por uma porta que se assemelhe a uma porta de escritório (N/A: Eu não sei como uma pode se assemelhar a algo mas a mente perturbada desse nosso protagonista gatinho pode,então quem sou eu para julgar :/) e achei, entrei na grande sala que possuía duas estantes cheias de livros uma mesa bem no centro e a direita da mesa tinha um urso polar empalhado.Procurei em todo lugar mas não achei nada ,então olhei para o quaro que ficava na parede atras da escrivania, nele estavam o senhor bourgeois e sua filha, resolvi dar meu ultimo chute e retirei o quadro do local, quando fiz isso achei o cofre que guardava uma pequena parte da riqueza do senhor bourgeois, depois de encher os sacos com as joias e moedas voltei pelo mesmo local de onde vim, mas quando passei pela cozinha tive a melhor visão de todas.

A garota que tinha visto na feira estava encostada no balcão de madeira usando uma camisola de cetim que realçava ainda mais sua beleza exótica, ela estava bebendo água e quando percebeu  minha presença quase derrubou o copo, eu fui rápido peguei o copo e tapei sua boca para não gritar.

C:Por favor my lady, é falta de educação uma dama tão bela gritar só por causa de um gatuno fazendo seu trabalho.-felei colocando o copo na bancada e depois segurei sua cintura para ela não figir.

C:Olha se prometer não gritar eu te soltarei- ela deliberou por um minuto e depois confirmou com a cabeça, eu a soutei  e ela me olhou como se estivesse me analizando

M:Vc não parece ser tão ruim quanto os jornais fazem parecer!-falou com os braços cruzados e com um sorriso malicioso,cara...acho que apaixone.

C:Obrigado minha cara princesa mas agora tenho que ir-disse fazendo uma reverencia e beijando a palma da mão da jovem senhorita que acabou de me roubar o coração.

Depois de me despedir da bela garota saí pela janela e fui para a corda que deixei no muro, mas antes de ir fui até o jardim e colhi uma rosa azul e ao seguir a azulada pelas sombras das janelas pude ver onde era seu quarto, esperei um pouco e quando ela foi ao banheiro tia oportunidade de deixar a rosa em sua cabeceira.

Eu espero reencontra essa linda e doce azulada.   


Notas Finais


EITA SE APAIXONOU DE CARA! Até outra noite de lua cheia


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...