História Meu Amigo Gay - Jung Hoseok - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys, Bts, Hoseok, J-hope, Jimin, Jungkook, Namjoon, Seokjin, Taehyung, Vhope, Vkook, Vmin, Yoongi
Visualizações 47
Palavras 994
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


...............

Boa leitura, crianças!

Capítulo 8 - Teste da Farmacinha?


 

 

Não, não e não! As coisas não estão nada bem. Vou resumir o que aconteceu nessa desastrosa manhã...

...Acordei neste maravilhoso dia com Jung Hoseok enroscado em mim, dormindo igual a um anjinho. Claro, não demorou muito tempo daquele jeito. Quando ele acordou - com uma puta ressaca, por sinal - começou a me fazer perguntas, com seu tom de voz tão estridente que acho até que quem tava na rua ouviu. Daí, ele me pediu desculpas, falando que não sabia o que estava fazendo porque tava bêbado e blá blá blá. Eu, pra não pagar de trouxa - ou pelo menos tentar - disse que também estava bêbada e que, enfim, que eu tava bêbada, mesmo que só tenha ingerido o álcool da boca dele, mas é claro, ele não precisava saber... Voltando, ele se vestiu e saiu de lá, me deixando sozinha.

Enfim, eu voltei de ônibus para casa parecendo uma puta - com todo respeito as moças -, com o cabelo todo embaraçado, maquiagem borrada e um vestido colado junto aos saltos que eu tive que tirar no meio do caminho porque se não, provavelmente, eu cairia no chão. Deviam de ser umas nove e pouco da manhã, as senhorinhas me olhavam com desdém e eu estava com um puta medo de ser assediada pelo moço que estava em pé ao meu lado.

Mas, entretanto, dou graças a Deus por estar agora, 13h07min, estirada na minha cama ainda com a mesma roupa, sorrindo igual idiota para o ventilador - sim, ventilador, ainda não tenho esse luxo todo pra ter ar condicionado.

Dou dinheiro pra quem acertar o que é que eu estou pensando!

E se você disse Jung Hoseok, parabéns, você não vai levar nada por ter acertado...

Sim, estou pensando naquele corpinho nu que eu vi ontem. E, sabe? Eu me sinto uma idiota! Mesmo sabendo que o Hobi tava bêbado eu não me importei, simplesmente deixei ele aproveitar do meu corpinho nu para depois se esquecer da foda que tivemos.

Como aquele homem me fode - no bom e mal sentido.

Amanhã, eu infelizmente tenho que voltar ao trabalho e… Puta merda! Deus, o Taehyung! Ah mas, que trouxa eu, mas é claro que se ele lembrasse da noite não me daria chance, ele tem o Tae - que por sinal é um puta de um homão -! Sem falar que o coitado pode se culpar por ter traído o namorado, ainda mais com uma garota, já que ele se diz gay. Ainda tem isso, ele é gay! Nem pra ser bi o miserável!

Me levantei e fui pra cozinha, vendo que havia umas panelas no fogão, provavelmente, meu almoço de ontem. Abri as panelas, vendo que tinha apenas arroz e feijão - porque eu não sei cozinhar essas comidas coreanas e meu miojo acabou -... Feijão esse que tava meio esquisito. Aproximei meu nariz da panela azulzinha.

Mano, tava estragado, e aquele cheirinho me deu uma ânsia, me fazendo vomitar, tecnicamente, água.

Não deu nem tempo de me preocupar com a sujeira que eu tinha feito na cozinha, sai correndo pro banheiro, me ajoelhando na frente da privada e soltando, agora, o almoço do dia anterior.

Me levantei e decidi tomar um banho logo. E já no chuveiro, pensando e criando paranoias do porquê diabos eu havia vomitado. Claro, deveria ser só algo que eu comi - ou o fato de não ter comido...?

Bom, o fato é que, eu lembrei das camisinhas de melancia que Hoseok comprou ontem. Sim! Eu tô chateada que ele não usou comigo, aliás, ele não usou nenhuma comig...

 

Eita, cu.


 

[...]


 

 

E cá estou eu novamente, na porta do meu vizinho esperando ele abrir a mesma. Dessa vez não era  pra pedir açúcar - ou café -, e sim, ter um papinho com ele... Eu tô nervosa pra caralho, e também tô um pouco feli...

-Jucicleide? O que você quer? - Hoseok me assustou ao abrir a porta. Ele estava sério e dessa vez estava com longas roupas de moletom... Será que ele já tava me esperando?

-Hobizito... Eu... eu vim falar sobre ontem. Sabe? Eu, você, sexo gostoso... - me atrevi a entrar em seu apartamento pela brechinha de seu corpo e o batente da porta.

Hoseok fechou a porta e se sentou na minha tão amada poltrona de oncinha. Eu amo essa poltrona, cara.

-Olha, Cicleide, eu tava bêbado, nem lembro o que aconteceu. - ele começou a tagarelar rápido demais - Tipo, você disse que também tava bêbada, então não é como se a gente quisesse fazer aquilo, mas não tô dizendo que foi ruim, até porque eu nem lembro direito o que a gente fez e...

-Hoseok, eu tô grávida!

-Não, tudo bem eu assumo o filho... Pera, é o que? - ele arregalou os olhos e se levantou - Vo-Você não tá querendo me dar o golpe do baú não, né? Querida, nem rico eu sou e, além do mais voc...

-Mas que cacete, Hoseok! Olha, não venha me dizer que eu tô querendo dar a porra de um golpe, sendo que eu mijei no banheiro todo de lá de casa só para fazer o fucking teste da farmacinha!  

Puta que me pariu  - com todo respeito, mamãe -, era só o que me faltava, puff.

Eu ouvi o porteiro comentar com uma moça na portaria, que pessoas ficam sensíveis quando estão grávidas. Hoseok entrou realmente no clima já que começou a chorar descontroladamente.

-Hobi, cê tá bem? - perguntei desentendida.

Será que é a emoção porque vai ser papai ou ele tá chorando de tristeza?

-Cicleide, você não tem noção do quão…

Toc! Toc! Toc! Toc! Toc!

Batidas são desferidas na porta de modo como se tivessem tocando uma musiquinha.

Hoseok e eu olhamos para a porta branquinha - que na verdade está meio amarelada -. Estou rezando internamente para nossa senhora dos buraquinhos virgens para que não seja a morte… Ou o Taehyung, porque, né?

 


Notas Finais


Então, né... Eu não sei o que comentar, mas se vocês quiserem comentar eu agradeço!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...