1. Spirit Fanfics >
  2. Meu amigo imaginário mas nem tão imaginário assim - Taeyong >
  3. Second

História Meu amigo imaginário mas nem tão imaginário assim - Taeyong - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Second


Fanfic / Fanfiction Meu amigo imaginário mas nem tão imaginário assim - Taeyong - Capítulo 2 - Second

Taeyong on

Entrei em uma escola nova,até que gostei fiz amizade lá. Mas uma pessoa me chamou muita atenção...a S/n,ela me parece muito famíliar,como se em outra vida tivéssemos uma conceção profunda. Ela é legal pelas poucas palavras que troquei com ela,é diferente e tem um olhar diferente, não pude de deixar de olhar para Yuqi que também é atraente mas já detectei que ela e Lucas tem uma química não assumida.

Sou Lee Taeyong,tenho 18 anos e sou filho único, tenho um pai que se chama Kim Jaejoong, o mesmo não tem 'Lee pois era de minha mãe,e ela morreu em um acidente de carro,no que resultou de meu pai ficar muito abalado mas ele superou. Meu pai é médico muito importante em Seul,um dos médicos mais bem pagos.
Trabalha muito,mas não o julgo,meu pai é muito forte em questão psicologicamente.

|6:40 da manhã|

— Bom dia flor do dia - senti o clarão do sol nascendo batendo em meu rosto,meu pai tem a mania de me acordar abrindo a cortina,eu odiava isso,mas me acostumei com o tempo.

— Ah não pai,eu não quero ir,mais cinco minutos - Falei puxando as cobertas já que o mesmo havia acabado de tira-las de mim.

— Que cinco minutos o que Taeyong,faltam vinte pras sete - olhei pro mesmo e sai disparado pro banheiro e fazer minhas hegienes - Te espero lá embaixo - Gritou o mais velho do outro lado da porta.

Tomei um banho quente,coloquei uma roupa calcei meu tênis sequei meu cabelo,arrumei minha cama e passei um perfume e desci para tomar meu café da manhã,sentei-me em frente ao meu pai.

— Vai sair pra trabalhar hoje? - Perguntei enquanto comia minha torrada com geleia de morango.

— Sim,mas hoje vou sair mais cedo - bebeu seu café - meio dia eu já devo estar em casa - apenas concordei - já terminou? - assenti - ótimo,vamos vou te levar pro colégio.

No caminho ao colégio ficamos conversando sobre os paciente que meu pai rebecia em seu consultório,a conversa fluía muito bem,até eu perceber que eu estava em frente ao colégio.

— Boa aula - meu pai disse e fizemos um toque com as mãos,des de criança fizemos isso,virou costume. Saí do carro acenei ao mesmo e andei até o portão,sempre tem aqueles olhares que recebemos quando somos novos em algum local. Não me incomodava,sei que na maioria dos olhares é porque sou bonito.

Adentrei na sala vendo Yuqi e Lucas tendo uma discussão,Lucas chegou tão perto de Yuqi que pensei que ele iria beija-la,mas não. Yuta,Shicheng,Taeil e Johnny acenaram para mim,apenas acenei de volta,sentei-me em meu lugar olhei pro lado e vi S/n dormindo,não ousei em acorda-la vai ver que ficaria brava.
Logo o professor de inglês entrou na sala e começou a passar exercícios na lousa e eu comecei a copiar.

|Na hora do interva-lo.|

Assim que todo mundo saiu,sai também,não acordei a S/n,ela parecia cansada, comprei dois sanduíches e dois sucos de caixinha. Voltei para a sala coloquei um dos sanduíches em cima da mesa da mais baixa e o suco também,agachei perto dela e comecei a sacudi-la levemente.

— Ei...S/n acorde - cutuquei a Park.

— Hum? - Ela ergueu a cabeça e coçou os olhinhos me fazendo rir.

— Trouxe um sanduíche pra você,você dormiu duas aulas seguidas, aposto que está com fome - sentei-me na frente dela que era o lugar de Yuqi.

— Obrigada Taeyong - Ela sorriu envergonhada e logo começou a comer.
Fiquei conversando com ela, a mesma me disse que sua família possuí uma herança enorme, e que toda sua família mora em sua casa,ela tem dois irmãos e duas irmãs.

— E você Taeyong? - Ela falou e logo em seguida mordeu seu sanduíche.

— Bom...eu moro com meu pai,sou filho único e também possuo uma grande herança,gosto de rap,dançar e ouvir música,tenho germofobia e toc por limpeza,meu pai é rico e é médico - olhei pra ela que ouvia atentamente.

— O que é germofobia? - Ela disse confusa.

— Tipo...gosto de limpeza,tenho medo de germes e bactérias, sempre lavo as mãos e...é isso,meu pai também é assim só que não tão como eu - Ela apenas assentiu.

— Você apenas falou de seu pai,mas não falou nadinha de sua mãe - disse enquanto bebia seu suco.

— Bom...minha mãe morreu em um acidente de carro... - abaixei a cabeça.

— Sinto muito Taeyong, me desculpa por tocar nesse assunto eu... - a interrompei

— Tudo bem - levei minha mão ao seu ombro,você não sabia...mas relaxa - sorri gentilmente.

Continuamos a conversar até o intervalo acabar,duas aulas seguidas de coreano,é um saco. A voz da professora da sono.

Após acabar,Shicheng e os outros meninos se despediram de mim, e eu o mesmo. Menos o Yuta ele tava quieto até é um pouco estranho pois pelo pouco que conheço ele é agitado.

O mesmo foi andando até a porta da sala .

— Yuta - o chamei - espera - fui até a S/n - Tchau S/n - acenei pra mesma que fez o mesmo.

— Até amanhã Taeyong até amanhã Yuta - Ela sorriu.

— Mas amanhã é sábado S/n - ri da mesma .

— Ah é mesmo - Ela riu sem graça - bom...tchau...vamos Yuqi - arrastou a ruiva pra fora.

Yuta se aproximou de mim.

— Você mandou esperar,aconteceu algo? - Ele perguntou.

— Na verdade não,mas...Eu queria te convidar para ir na minha casa hoje,você quer? Se puder óbvio - o mesmo assentiu.

— Posso sim,me manda mensagem e fala seu endereço que vou hoje mesmo,vou pegar minhas roupas e tals - concordei

— Beleza,vamos? - Ele concordou - andamos até o portão vi meu pai dentro do carro mexendo no celular. - você vai com quem?

— Meu padrasto veio me buscar - apontou pra um homem que parecia ter 38 anos, que estava acenando para Yuta e eu assenti.

— Até mais tarde - nos despedimos, fui até o carro de meu pai e adentrei. - Oi

— Quem era aquele? - Ele parecia com um ponto de interrogação.

— Ah o Yuta,ele é meu amigo...japonês, chamei ele pra ir em casa hoje,ele pode? - me virei para o mesmo.

— Claro que pode - Deu partida no carro.

Após chegar em casa fui direto pro meu quarto, joguei minha mochila pra qualquer canto e me joguei na cama,logo lembrando que tinha que mandar mensagem ao Yuta.

`Chat on`

T:Yutaa
T: está pronto?

Y:estou sim
Y:manda a localização delícia
T: tá bom gatom
○Localização em tempo real ○

Y:vlww :^

`Chat off`

Fui direto ao banheiro, tomei um banho rápido,me troquei e fui pra sala e me sentei no sofá na espera de Yuta.

— Senhor Lee? - Uma das empregadas da casa apareceu, a Tia Chuul

— Tia Chuul,me chama de Taeyong,você cuidou de mim des de quando minha mãe morreu,e me chamando de senhor...me sinto velho. - Ela riu.

— Desculpa senh... Taeyong, tem um rapaz chamado Yuta,ele disse que é seu amigo.

— Ele vai passar o fim de semana aqui,manda entrar ele é meu amigo - Ela assentiu e se retirou, logo apareceu Yuta

— Eai gado - fizemos um toque.

— Eai Yutinha - Ele riu do apelido,meu pai apareceu na sala com um avental de cozinha. - Ah esse é meu pai Jaejoong - eles se reverenciaram

— Taeyong me ajuda,eu tentei cozinhar sushi e entre outras coisas da comida tradicional japonesa e eu acho que fiz errado - Ele juntou as mãos logo o cheiro de queimado se espalhou pela casa, corremos até a cozinha,o cake fish estava queimado, Yuta pegou a panela e levou a pia e deixou a água correr e uma fumaça subiu por conta do queimado,mas logo passou.

— Caralho... - Falei com a mão no peito - a sujeira paai - comecei a limpar tudo o que eu via sujo.

— Ele não tá preocupado com casa e sim c a sujeira - meu pai falou revirando os olhos e Yuta riu.

—Appa...pra que você ia fazer comida japonesa? - olhei pro mesmo que apontou pra Yuta - então concordei

— É difícil fazer comida japonesa,principalmente tradicional -Yuta disse sentando-se no balcão junto com meu pai


Logo Chuul chegou na cozinha

— Jaejoong! Por que você não me pediu pra cozinhar? Você não muda em homem - Falou puxando a orelha do mesmo Eu e Nayu ria.

— Chuul...sabe fazer comida japonesa? - A mesma assentiu - ótimo,Chuul faz por favor - fiz um biquinho.

— Hai - Falou algo que não entendi.

— Oque? - Perguntei confuso pra mesma que riu e olhou pro Yuta

— Ela disse 'sim' em japonês - ele riu

— Aah - entreabri a boca assentindo

— Enquanto a Chuul faz a comida...vamos jogar videogame? - meu pai perguntou eu e Nayu nos entreolhamos e assentimos indo a sala onde estava o aparelho de videogame.

| Park ____ on |

Estava eu ouvindo uma música calma,quando me lembrei de Taeyong,ele é atencioso e gentil,até comprou um sanduíche pra mim,ele tem um sorriso tão lindo, sorri boba

— Eu devo estar louca - comentei comigo mesma.

— Deve estar mesmo - me assustei ao ouvir a voz de Chanyeol no meu quarto

— Que susto dumbo - coloquei a mão no peito - Deis de quando tá aqui?.

— Faz alguns segundos,mas a mãe tá te chamando pra jantar

— Ah, tô com fome não - o mesmo ficou me observando

— Quem é o boy? - ri da sua fala

— Que boy o que,tem boy nenhum eu em - Falei rindo

— Uhum sei - foi saindo de meu quarto - tô de olho viu baixinha

Assim que ele saiu me deitei de barriga pra baixo e adormeci após ficar pensando demais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...