História Meu Amor Em Um Quadro - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, V
Tags Jeongguk, Jungkook, Meu Amor Em Um Quadro, Taegukxs, Taehyung, Taekook, Vkook
Visualizações 42
Palavras 2.480
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


olá, bombons que estão fora da caixa 💛
estou aqui postando minha primeira OS aqui no Spirit ^~^
eu espero que gostem, rs

eu escrevi de um jeito diferente d que costumo escrever, mas confesso que até que gostei, rs.

perdoe-me qualquer erro.

beijinhos com gosto de morango e menta 🍓

boa leitura!

Capítulo 1 - Eles estavam lá e tudo era real; capítulo único


Fanfic / Fanfiction Meu Amor Em Um Quadro - Capítulo 1 - Eles estavam lá e tudo era real; capítulo único

Jeongguk terminava de dar os toques finais em sua pintura, na qual ele nomeou de "Perfeição". A pintura continha um rosto que o rapaz havia sonhado outrora.


O homem da pintura tinha as orbes dos olhos em um tom de lilás claro; seus cabelos loiros entravam em contraste com o que o homem da pintura trajava: uma camisa da cor branca, meio transparente e uma calça larga preta. 


Jeon sorriu ao, finalmente, terminar a pintura. Parecia ter ficado ali por décadas, pois havia dificuldade em pôr todos os traços perfeitos do homem que sonhou. O mais estranho - para o Jeon - era que nunca o tinha visto, ou, apenas, não se lembrava mesmo. Pensara até que o tinha visto em uma das festas que fora, contra a sua vontade, arrastado pelo amigo baixo de cabelos esverdeados, Min Yoongi.


Deixou a paleta que tinha em mãos repousada na mesa, pondo-se a andar até o banheiro para tomar um banho quente e que o fizesse relaxar.


Após ter terminado o banho, andou até o quarto, com a toalha na cintura e outra secando os fios negros de seu cabelo, e logo pegou uma muda de roupa limpa e vestiu. Ouviu seu estômago clamar por comida e foi até a cozinha, preparando um Lamen, que devorou sem cerimônia. 


No trajeto que precisava fazer para chegar ao banheiro e fazer sua higiene pessoal, precisava passar pela sala e por um - não tão longo - corredor, mas não passou da sala. Fitou a pintura que havia feito recentemente. A pintura esbanjava uma beleza irreal aos olhos do Jeon, que cruzou os braços e sorriu para a pintura. 


Balançou a cabeça espantando alguns pensamentos e voltou a fazer seu trajeto até o banheiro. Escovou os dentes e fora para o quarto. Deitou-se e não demorou muito para que caísse no sono. 


"Jeon andava pelos os corredores de paredes brancas - que chegavam a doer a vista de quem ousasse encará-la por alguns segundos. Havia uma porta de madeira clara no final do corredor, parecendo estar entreaberta. O moreno andou mais rápido e, ao tocar na maçaneta prateada da porta, a mesma desapareceu, se transformando em uma fumaça que tinha a coloração colorida. Sentiu as paredes se encolherem para si, fazendo-o ficar ofegante e desesperado. Prensou os olhos com força e ao ouvir uma voz rouca chamandoo por seu nome, abriu os olhos e se viu em um espaço colorido, com várias pinturas espalhadas pela extensa parede. 


Olhara em volta, completamente tomado pela confusão que seus olhos viam. Sentiu passos atrás de si e não hesitou em se virar, vendo a figura do homem que tomava seus sonhos jazia um tempo. Não ficou com medo, pelo contrário. O homem sorria e seu sorriso era um tanto peculiar aos olhos do jovem Jeongguk. Seus olhos eram um lilás claro e brilhante, o que o deixava mais belo. Trajava uma calça larga preta - com algumas linhas violetas - e uma blusa branca, meio transparente. Seus cabelos eram loiros e longos - mas especificamente, até os ombros. 


- Sempre que eu te vejo, lhe pergunto seu nome, mas nunca recebo a resposta que quero. - Jeon murmurou, pegando na mão estendida à sua frente e se levantando com a ajuda do homem. - Onde estamos? 


- Minha casa, Jeon. - o loiro respondeu, sorridente. 


O jovem riu soprado e olhou em volta, vendo as paredes tomarem um tom de vermelho vinho e as pinturas se derreterem, formando linhas paralelas de cores claras brilhosas. 


- Por que eu não posso ter um sonho normal como todos os outros seres? Aish. - cruzou os braços e umideceu os lábios, secando o loiro de cima a baixo.


- Não gosta de sonhar comigo, Gukkie? - se aproximou do rapaz, fazendo-o descruzar os braços e franzir o cenho. Deu um passo para trás, por puro reflexo. - Não gosta da minha presença? - sorriu melancólico. 


- Eu não te conheço, mas gosto de tê-lo em meus sonhos, apesar deles serem demasiadamente estranhos e coloridos. - sorriu terno. - E como sabes meu nome? - olhou nos olhos lilás claros do loiro, que sorriu com o ato. 


- Você me disse. Lembra? - aproximou-se mais. Dessa vez Jeongguk permaneceu imóvel e pensativo, sem quebrar o contato visual. - Está ficando confuso, Gukkie?


Jeon tentara se lembrar do momento em que havia dito seu nome para o loiro. Não conseguia se concentrar direito, pois a oscilação de algo atrás do loiro o tirava de qualquer momento pensativo. Parecia uma asa grande e de pelos negros. Chegou ao ápice de sua curiosidade e não hesitou em perguntar:


- O que é isso aí? - apontou para a oscilação calma atrás das costas do loiro. - Uma asa?


O loiro sorriu e virou-se de costas para que o outro visse suas longas asas negras - que atingia ao chão. Fez uma oscilação leve com as asas e as levantou, as abrindo e exibindo a beldade da mesma. 

   

Os olhos do rapaz Jeon brilhavam ao ver a beldade daquelas longas asas. 


- Posso tocá-las? - perguntou o Jeon, já aproximando seus dedos das asas longas do loiro. 


- Não. - Jeon parou os dedos e os recolheu para si. 


- Por que?! - perguntou manhoso. 


O loiro riu e fez suas asas se transformarem em pózinhos coloridos, o que resultou num Jeon boquiaberto e confuso. Aquele, definitivamente, era o sonho mais estranho que já tivera, porém, belo - colorido também. 


Os outros sonhos que continham o mesmo rapaz, só que com colorações de cabelo e demasiadas peças de roupas diferentes, faziam mais "sentido". Às vezes no sonho se via como o melhor amigo do loiro, que no sonho, seus cabelos eram em um tom de pêssego muito lindo e brilhoso. Já em outro, se via lutando lado a lado com o loiro, que perdiam alguns homens, mas não se rendiam de jeito nenhum. Lutavam por uma comunidade justa e segura - não 100% segura, pois isso seria impossível, ou não. Já em outro, apenas sonhara que era um policial e o loiro, era seu parceiro, um detetive; eram felizes e não ligavam para nada a não ser a felicidade um do outro, eram namorados e tinham planos de se casarem - esse era o seu favorito. E no mais recente, era um lobo e o loiro um vampiro, ambos apaixonados. Mas havia aquela regra de que um lobo e um vampiro não poderiam ter qualquer tipo de contato/relação. O loiro vestia os trajes que o Jeon havia o desenhado antes de dormir e sonhar com tudo isso e os cabelos vermelhos, como os da pintura. 


O jovem Jeon tinha diversos sonhos com o loiro, o que o deixava louco. Talvez o Jeon já estivesse na do loiro jazia tempo e não se ligara - talvez fosse as influências dos sonhos e fizesse o Jeon se sentir obrigado a ter sentimentos pelo o loiro, ou se permitira a sentir algo pelo o garoto que reinava em seus sonhos estranhos e bagunçados. Talvez ele já sentisse algo afetivo pelo loiro - ou sua mente só lhe pregava peças. 


Jeon ficou a observar os lábios bem desenhados e vermelhinhos do loiro e uma imensa vontade de prová-los se fez presente, assustando o próprio Jeon. 


O que acontecia consigo?


Por que estava tendo esses pensamentos? 


Era apenas um sonho, sim? 


Poderia fazer isso sem medo que não aconteceria nada... Ele estava num sonho, sim? 


- O que tanto encara, Jeon? - o loiro perguntou e se aproximou do Jeon, fazendo suas respirações se chocarem. 


O loiro estava tão perto. 


A vontade de agarrá-lo se intensificou e o Jeon começou a suar frio quando o loiro segurou seu queixo delicadamente com seus dedos longos, sorrindo. 


- V-você está tão perto... - Jeon sussurrou contra o rosto do loiro, que ainda continuava com aquele sorriso retangular lindo. 


Jeon e o loiro se olhavam tão profundamente. 


- Não será a primeira vez, Jeon. - roçou o lábio inferior nos lábios do Jeon, que ainda permanecia imóvel. - Se lembra do policial e o detetive? - sorriu, recebendo um acenar de cabeça positivo do rapaz de cabelos negros. - Fora tão mágico, Gukkie... 


- Mágico e muito viciante. - repousou ambas as mãos na cintura do loiro. 


- Cadê aquele policial pervertido, hum? - o loiro sorriu, fazendo o Jeon ficar levemente vermelho. 


Jeongguk não hesitou e deixou um selinho demorado nos lábios vermelhos do loiro. O loiro o puxou novamente, pondo a segurar sua nuca, intensificando o simples selinho que recebera. 


As mãos de Jeongguk permanecia na cintura do loiro, firme. O loiro puxou leve os cabelos negros que se entrelaçavam seus longos dedos. A língua quente de TaeHyung pediu passagem para aprofundar ainda mais aquele beijo, logo fazendo o Jeon ceder ao seu pedido. Ambas as línguas passeavam na boca um do outro. Se movimentavam em perfeita sincronia.


Pareciam estar com saudades. Muita saudade.


Uma das mãos do loiro agarraram uma de suas coxas, fazendo Jeon arfar surpreso. A falta de ar já se fazia presente, mas não queriam parar aquilo por nem um segundo sequer.


Com muita dificuldade, encerraram o ósculo, ofegantes e com selinhos demorados. Ambos estavam sorrindo. As testas com alguns resquícios de suor estavam coladas uma na outra. 


Por um momento o Jeon até se esquecera de que tudo aquilo lhe era um sonho, mas não demorou muito e a realidade o atacou, fazendo uma lágrima involuntária e silenciosa rolar por suas bochechas. Pobre Jeon... 


- O que houve, Gukkie? Por que choras? - o loiro ergueu sua cabeça delicadamente, fazendo o rapaz olhar em seus olhos. Secou mais uma lágrima que escorreu dos olhos negros do Jeon, fazendo seu coração apertar. 


Jeongguk não hesitou em guardar o choro para si ao ver os olhos lilás do loiro, transbordando preocupação e delicadeza. 


Jeon chorava feito uma criança que acabara de ralar o joelho e tivera uma água caindo sobre a ferida, fazendo-a arder. 


O loiro o envolveu em um abraço apertado e aconchegante, o que só fez o moreno chorar mais ainda, molhando seu ombro com suas lágrimas. 


- Jeongguk, eu tô ficando preocupado! Me diz o que está acontecendo, sim? - Jeongguk ainda continuava naquele abraço que só lhe fazia chorar ainda mais, mas só queria os braços de seu amado. 


- E-eu não aguento mais... - soluçou. - Q-quase todos os dias e-eu tenho sonhos... E-e sempre com v-você! - o abraçou mais forte. 


- Você não gosta de sonhar comigo, Gukkie? - um líquido de cor esverdeado escuro saiu de seus olhos. O loiro estava chorando. - Por que, Jeon? - sua voz saiu fraca. 


Jeon afastou-se do abraço, pondo-se a encarar o loiro, que ainda tinha o líquido esverdeado escorrendo de seus olhos lilás. Jeon enxugou, com a manga de seu moletom, as lágrimas peculiares do loiro, que sorriu melancólico. 


O rosto do loiro continuava belo mesmo com algumas trilhas fracas verdes - anunciando que o loiro havia chorado -, que iam de seus olhos à suas bochechas. 


Jeongguk respirou fundo e enxugou as próprias lágrimas e voltou seu olhar para o loiro. Pousou suas mãos sobre a cintura do loiro. 


- Praticamente, todos os dias, eu sonho com você e sabes disso. - começou. - Meus sonhos são confusos, divertidos, coloridos e assustadores, mas de um jeito bom. E estamos sempre juntos, lado a lado... - sorriu soprado. - Venho há alguns dias pensando comigo mesmo se isso duraria para sempre, sabe? Venho tendo sentimentos estranhos e que eu nunca senti em toda minha vida e, isso, para mim, é tão apavorante e novo... Desde o nosso terceiro sonho, um sentimento cresceu dentro de mim com o seu "nome" tatuado nele... Sei que tudo o que vivemos até aqui, não passou de um sonho que eu desejei muito que fosse verdade... - uma lágrima teimosa escorreu de seus olhos. - Eu tô apaixonado por você, loirinho... - chorou desesperadamente. 


O loiro o abraçou e beijou sua testa. Jeon desejava ficar naquele abraço por um bom tempo. Talvez para sempre. 


Só precisava do loiro. 


Só queria o loiro. 


Amava o loiro. 


Talvez odiasse amá-lo. 


Odiava que tudo era apenas um sonho! 


E odiava mais ainda que seus sentimentos pelo o loiro não eram falsos e que não os tinha apenas dentro dos sonhos... Nos sonhos eles só se intensificavam. 


- Ah, Jeonggukkie... - o abraçou mais forte e deixou que as lágrimas saíssem, manchando sua pele. - Não diga que foram apenas sonhos, querido! Isso dói. - beijou a cabeça do Jeon. - Jeongguk-ssi, e-eu também estou perdidamente apaixonado por você, meu amor... Sabe o sentimento de ser rejeitado? O sentia há minutos atrás... - afastou-se do abraço. - Jeongguk, olhe para mim... - o Jeon acatou e o olhou, com os olhos meio inchados por causa do choro. - Meu amor, não pense que tudo isso é apenas um sonho, sim? Nossos sentimentos são tão reais e lindos demais para se estar em sonhos... - afagou as bochechas rosadas do moreno. - Sou Kim Taehyung, meu amor. - sorriu.


Por que o Kim demorara tanto para lhe dizer seu nome? Por que logo agora? Por que não quando se conheceram? 


A parede que antes estava pintada em um vermelho vinho, se encontrava com água que se moviam, mas não caíam. As linhas paralelas coloridas transformaram-se em seus nomes: Kim Taehyung e Jeon Jeongguk. Estavam brilhantes e entrelaçados. 


- Eu te amo, Kim Taehyung. - sussurrou no ouvido do Kim, fazendo seu lindo sorriso destacar-se em seu rosto. 


- Eu te amo, Jeon Jeongguk! - levou as mãos na cintura de Jeon e colou seus corpos. 


- Seus lábios... eles tem gosto de morango e menta. Quero senti-los nos meus lábios outra vez. - olhou nos olhos lilás do Kim e umideceu seus lábios. - Permita-me beijá-los? - sorriu sapeca. 


- Fique à vontade! Eles são todos seus. - sorriu. 


Os lábios de cor de pêssego do Jeon encontrou os lábios com sabor de morango do Kim, em um beijo afoito e invejável aos olhos de quem visse aquele beijo. Umas das mãos do loiro rodeou a cintura do Jeon, e a antes livre, fora até a nuca de Jeon, intensificando ainda mais aquele beijo. 


Estava tudo tão gostoso e saboroso.


Por que caralhos as pessoas ficavam sem falta de ar?! 


Jeon xingava mentalmente a maldita falta de ar que já se fazia presente em ambos os pulmões. 


Separaram-se com dificuldade e selinhos. 


Estavam felizes. 


Tinham, finalmente, se declarado um para o outro.


Disseram tudo que estava entalado em suas gargantas. 


Tudo o que sentiam um pelo o outro. 


Ficaram mais um tempo juntos, até Jeongguk acordar e acabar com aquilo. Jeon acordou sorrindo, abobalhado... Não, pera... Abobalhado não! Apaixonado! Ficou encarando o quadro, ainda sorrindo. 


Levantou-se e se aproximou do quadro, dando um beijo nos lábios de tinta seca do Kim. 


- Nos vemos mais tarde, amor. 


Notas Finais


gostaram? espero muito que SIM!
até uma próxima 💛🍓


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...