História Meu Amor Imensurável - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Hermione Granger, Severo Snape
Tags Amor, Bruxo, Casamento, Harry Potter, Hermione Granger, Hogwarts, Magia, Meu Amor Imensurável, Pos Hogwarts, Romance, Severo Snape, Severus, Snamione, Snanger, Ss/hg
Visualizações 160
Palavras 1.413
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura ♥
Espero que gostem!

Capítulo 8 - Vulnera Sanentur


Fanfic / Fanfiction Meu Amor Imensurável - Capítulo 8 - Vulnera Sanentur

Povs Autora

– E agora o que faremos? – Gina perguntou preocupada olhando ao seu redor.

– Agora, duelamos! – Snape respondeu.

– Mas são muitos! – Hermione afirmou.

– Já duelei com grupos piores, este não será difícil. – René se gabou.
E o duelo começou, apesar de estarem em desvantagem, sendo apenas cinco, estavam se saindo muito bem, afinal todos ali eram bruxos muito poderosos.
Hermione queria ajudar de alguma forma, mas nada podia fazer sem sua varinha. Vez ou outra lançava feitiços sem varinha, para se defender ou defender os seus, porém quanto mais feitiços lançava, mais se sentia fraca.

– Ora, ora. – Bellatrix apareceu vendo o duelo. – Não teremos o trabalho de sequestrar o Potter e a sangue-ruim. Capturem-nos!
Os comensais atacavam mais forte, dessa vez lançando os ataques diretamente para Harry e Hermione.

– Fique atrás de mim! – Severo ordenou.

– Mas eu... – Hermione protestou, mas foi interrompida.

– Fique atrás de mim, já disse.
Ela posicionou-se atrás dele, mas não deixando de lançar alguns feitiços sem varinha contra os comensais.
Enquanto isso Gina e René ajudavam Harry.

– Creio que a fama tenha seu lado ruim Sr. Potter. – René disse a Harry enquanto duelavam juntos com alguns comensais.

– Não imagina o quanto. – Harry respondeu sem desviar a atenção do duelo.
Por um descuido, um dos comensais conseguiu acertar Gina a deixando inconsciente, porém nenhum feitiço fatal.

– Gina! – Hermione tentou correr até ela, mas foi impedida por alguns comensais que ameaçaram a atacar.
Severo percebendo que Hermione estava longe dele aproximou-se dela para defendê-la dos ataques.

– Ahhhhhh! – Harry deu um grito de dor após ser acertado por um feitiço, mesmo sendo de raspão, o mesmo o deixou ferido, fazendo-o cair a uma pequena distância de Gina. Ele se arrastava com muita dificuldade para aproximar-se da ruiva.
Hermione então percebeu que dois comensais apontavam suas varinhas para o casal Potter.
René tentou defende-los, mas outros comensais o atacaram de outro canto do salão, o fazendo mudar a posição de ataque.

– Severo defenda Gina!

– Potter já está cuidando disso e o foco deles é você e não ela. – Severo ainda não havia visto que Harry havia sido atingido, ele duelava com mais de cinco comensais ao mesmo tempo.

– Severo defenda Gina! Ela está grávida! – Hermione gritou desesperada.
Harry olhou apavorado de Hermione para sua esposa. Ficando completamente desesperado, arrastava-se com mais velocidade para chegar até a ruiva.
Tudo aconteceu muito rápido, Hermione vendo que o casal Potter seria atingido, posicionou-se a frente deles. Ela tentou lançar um feitiço de defesa sem varinha, mas estava tão fraca que não conseguia lançar mais nada.

– Hermione, não! – Snape vendo que o feitiço já havia sido lançado da varinha e ia em direção a Hermione sem tempo de revida-lo correu em direção a ela recebendo o feitiço em seu lugar.
Assim que caiu ao chão, cortes profundos surgiam por todo o corpo do sonserino, o fazendo perder muito sangue. Ele não gritava ou reclamava de dor, apesar de estar sentindo, apenas olhava para Hermione para certificar-se de que ela estava bem.
Ela aproximou-se dele, mas não sabia o que fazer.
René percebendo que não conseguiriam mais duelar por conta dos feridos, aproximou-se de Harry e Gina para tira-los dali. Antes olhou para Hermione e disse:

– Hermione, saia daqui! – Ele havia percebido que alguns comensais aparataram ali, então deduziu que seria possível desaparatar daquele local. – Desaparate! – Em seguida ele desaparatou com o casal Potter.

Hermione deveria tomar uma rápida decisão, se desaparatasse com Severo, ele poderia estrunchar, resultando na piora de seu estado, deixando seus ferimentos mais profundos, mas se ficasse ali, poderiam os matar.
Snape segurou a mão de Hermione e dali desaparataram.


René aparatou com Harry e Gina no St. Mungus. Pediu urgência  no atendimento do casal e informou  o estado da ruiva para que examinassem também o bebê. Após, mandou um patrono a Dumbledore pedindo para que todos que ainda estivessem no castelo saíssem de lá.

Povs Hermione.
Aparatamos nos aposentos de Severo em Hogwarts. O coloquei rapidamente deitado em sua cama.
Ele não poderia ter feito isso, ele nos aparatou! Fez muito esforço e realmente seu estado piorou pela aparatação.
Mas o que eu realmente não entendia é por que ele não aparatou no St. Mungus? Por que quis voltar para seus aposentos? Seu estado era grave.

– Her... mi... one – Ele me chamou com a voz muito fraca. - Vulnera Sanentur. – Após ele dizer aquelas palavras ele perdeu a consciência.
Desesperei-me. Então minha sanidade retornou e me lembrei daquela palavra. Harry havia me contado quando atingiu Malfoy com Sectumsempra, e Snape o salvou com Vulnera Sanentur.
Por instinto tateei a procura de minha varinha em meu bolso, em seguida lembrei-me que a deixei com Rony.
Revistei as vestes de Severo à procura de sua varinha. Após encontra-la, o medo tomou conta de mim, eu estava magicamente fraca, com uma varinha que não é a minha, prestes a executar um feitiço que nunca tentei lançar e que caso não desse certo poderia resultar a morte do amor da minha vida.

– Vulnera Sanentur. – Após o feitiço ele parou de perder sangue. Lembrei-me de que o feitiço deveria ser repetido mais duas vezes. Após repetir o feitiço, o sangue foi limpo, as feridas iam se curando.
Agora ele estava sem ferimentos, mas sua respiração estava fraca e não havia recobrado os sentidos.

– Severo, por favor, reaja! Não me deixe! Eu preciso de você! – Eu não conseguia mais me controlar eu estava extremamente desesperada. Lágrimas em abundância percorriam por minha face.
Após aquela súplica ele abriu seus olhos e me olhou de uma forma indecifrável.
Fui imediatamente até seu estoque de poções a procura de poções cicatrizantes, revigorantes, o que fosse para que ele melhorasse.
Quando voltei com todas aquelas poções ele parecia estar mais fraco, porém estava furioso.

– Eu sei que prometi não mexer em nenhuma de suas coisas, mas não posso te deixar assim.
Após eu dizer aquelas palavras sua feição ficou mais calma, no entanto seu estado físico parecia piorar novamente a cada segundo, começou a lhe dar tremores e suor escorria de seu rosto.
Imediatamente ministrei as poções mais fortes e colocava panos úmidos em sua testa.

– Severo. Não sei como, mas vou leva-lo ao St. Mungus. Não há mais nada que eu possa fazer.

– Não... Não quero... – Ele dizia com muita dificuldade.

– Você quer morrer não é? Quer entregar-se a morte. E assim encontrar-se com a...

– Não! – Ele me interrompeu segurando em minha mão. Pronunciava-se com muito esforço, mas convicto. – Eu quero... viver.

– Então vamos ao St. Mungus, lá ficará bom logo. – Eu já não conseguia mais disfarçar o desespero em minha voz.

– Não! Quero que... você cuide de mim.
Nossos olhares se conectaram de tal forma que por um momento esqueci quem eu era e onde estava, apenas prestava atenção naquele par de ônix. Ao mesmo tempo distribuía carícias em seus cabelos negros.

Povs Snape
Eu não estava entendendo, ninguém nunca cuidou de mim dessa forma, ninguém nunca me olhou dessa forma, ninguém nunca sofreu por mim dessa forma.
Ela disse que precisa de mim, aquelas palavras mexeram comigo, não sei por que isso não sai dos meus pensamentos. Era para eu estar furioso por ela ter mexido em minhas coisas, mas sinto-me bem na presença dela, é como se eu quisesse estar aqui com ela e em mais lugar nenhum. Isso que estou sentindo, nem mesmo quando eu passava minhas tardes com Lilian sentia, mas não pode ser, eu amo Lilian e mais ninguém. Ela também tem o Weasley, isso seria incorreto. Eu nem deveria pensar nesta possibilidade. Ela me olha com tanta doçura que não consigo desprender meu olhar ao dela.

Povs Hermione

– Parece que está melhorando. – Sorri para ele enquanto continuava a acarinhar seus cabelos. Ele em resposta deu uma pequena curva em seus lábios. A alegria tomou conta de mim com aquele gesto de quase sorriso.
Ele então foi adormecendo lentamente e dando traços de melhora, me senti menos preocupada, mas não o deixaria sozinho, passaria a noite velando seu sono para me certificar de que estava bem.

– Eu quero viver... por você Hermione! – Após ele dizer essas palavras, adormeceu.
Voltei a chorar, mas dessa vez era de emoção. Jamais em minha vida imaginaria ele me dizendo uma coisa dessas, meu coração quase saiu do peito de tanta felicidade ao ouvi-lo.
O que não pude deixar de notar é que ele ainda segurava minha mão enquanto dormia, me aqueceu o coração de tal forma por aquele simples gesto.
Agora eu estava tranquila, salvei o amor da minha vida.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...