História Meu amor mora ao lado - Cellps - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


Demorei um pouquinho, pq tava na praia.
Ainda não desisti de vocês.

Se tiver qqrl erro ou dica pra me dar eu tô aceitando, pode me fizer que faço.

Boa leitura 💓

Capítulo 12 - Hoje a noite vai ser ótima


                        Felipe

O tempo parecia não passar, a aulas pareciam não acabar e a voz da professora de artes parecia cada vez mais distante.

Sexta feira chegou e vocês não tem o menor pingo de noção do quanto eu estava esperando pelo fim de semana, desde que Pk chegou as coisas ficaram mais caóticas, Quase todo fim de tarde os meninos passavam lá em casa e acabavamos virando a noite mais de uma vez, claro que não teria como não ter uma puxada de saco vinda de Tarik, ele não perde tempo.

Cellbit pelo contrário dos meninos nunca durava muito tempo nas conversas, sim ele por incrível que pareça tomou vergonha na cara e finalmente entrou no grupo de cabeça e começou a participar dos nossos encontros. Ele nunca durava muito nas conversas, além de conseguir minha ajuda pra colocar Adam pra dormir ele acabava dormindo encostado em algum canto da casa quando finalmente a criança dormia, e eu acabava sempre tendo de dar uma se segurança particular esse folgado e levar ele pra casa.

O sinal finalmente toca mostrando o fim das aulas.

— Eu pensei que nunca fosse acabar — Nem esperei o sinal parar de tocar pra suspirar aliviado.

— Eu pensei que você nunca fosse calar a boca, só sabia reclamar. — o loiro revirou os olhos.

— Olha quem fala, você tava fazendo a mesma coisa.

— Mas sua voz é irritante e a minha é linda.

— ATA — forcei uma risada — Não sei aonde né flor, só se for nos seus sonhos.

— Mano vocês não conseguem ficar pelo menos um minuto sem se xingar? Eu tô começando a ficar perturbado. — Pk levou a mão dos cabelos mostrando desespero.

— Ele que começou — apontei pro mais novo.

— Eu nada, você que se doeu. — mostrou a língua, mas não aguentou a risada logo em seguida. — Idiota! — Me deu um soquinho fraco no ombro.

— Vocês viram, né? Me agrediu e tem testemunhas, sabe que eu posso te processar?!

— Cala a boca os dois, vamos embora antes que eu que comece a ficar perturbado — colocou a mocinha nas costas e se levantou parando na minha frente, puxou minha mão e me fez levantar — Você tá se esquecendo de uma coisa.

— Oque? Mentira que eu esqueci a chave de casa — bati com as mãos no bolso procurando a chave. — Eu sei, tô brincando. Mas agora não, mais tarde.

— Iiiiiih vão ficar de segredinho agora? —guaxi

— Esse aí já até se esqueceu de mim. —Cellbit falou colocando a mochila nas costas fazendo um movimento proposital pra bater a mochila em mim, deu alguns passos e ficou na nossa frente possivelmente esperando a gente começar a andar.

— Ciúmes Cellbit? — Mike

— Sai fora, eu não tenho ciúmes.

— É ciúmes sim, te conheço — é óbvio que é ciúmes e só pra provocar, passei meu braço pela cintura de Pac arrancando uma revirada de olhos do menor.

— Vocês são tóxicos. — bufou andando na frente de todos segurando o riso.

— Vou lá acalmar a fera. — Pac riso da situação e me roubou um beijo na bochecha antes de sair saltitante atrás do amigo.

— Por essa eu não esperava. — Me virei e vi Mike com uma cara de surpresa.

— Que cara é essa Mike? Vai me dizer que não desconfiava que isso tava rolando. — Guaxi

— Parem de inventar moda, não tem nada rolando. — revirei os olhos já saindo da sala de aula pra ir embora.

— Ei Ei! Me espera. —Pk apareceu do meu lado — Você e o Tarik...Eu não esperava, se você você e o loirinho eu até imaginava, mas o Tarik é novidade.

— Não tá rolando nada, o Tarik até que tá tentando, mas eu não sei se é uma boa ideia, ele é melhor amigo de Cell e ontem mesmo que tá começando a me perdoar e se eu pisar na bola? — fui falando enquanto andávamos um pouco mais devagar, de onde estávamos podíamos ver os dois amigos de que falamos rindo na nossa frente, um pouco longe.

— Se eu não te conhecesse eu diria que não é com o Tarik que você está preocupado.

— Mas me conhece, então cala a boca.

— Isso é oque vamos ver hoje a noite, você vai né?

— Na festa da Sasa? Vou sim.

— Então a gente se vê lá, "tchauzinho sequestrador" — falou com uma voz fina na intenção de imitar o dono do apelido.

Saiu correndo na minha frente e abraços os dois amigos que estávamos falando.

.
.
.
.
.

— Pode demorar mais Cellbit, a gente não tá com pressa não pode ficar tranquilo. — Pk gritou do lado de fora do apartamento do mesmo.

Estamos todos prontos para ir na casa da Sasa, porém quase esquecemos que temos uma noiva que demora quase 1 fucking hora pra se arrumar só pra ir numa festinha.

Eu juro que não tem a possibilidade de eu entender uma coisa dessas.

— Tô pronto. — finalmente disse enquanto abria a porta de casa. — Eai?! Como eu tô? — disse enquanto deu uma voltinha rápida.

— Tá ótimo, mas também se eu falasse o contrário você ia voltar pra se arrumar e ninguém tá tendo esse tempo todo não.

— Ah Pk, nem foi tanto tempo assim, né sequestrador?

— Nossa senhora nunca vi ninguém demorar tanto pra ficar igual tava antes. — disse enquanto revirava os olhos — vamos antes que eu vá sozinho.

— Imbecil. — mostrou a língua e eu revidei em resposta.

Tá, eu confesso que ele não tava igual antes, mas eu ainda tô sóbrio o suficiente pra não falar esse tipo de merda.

— E o Adam? — perguntei enquanto nós três esperávamos o elevador.

— A Maria, a minha vizinha, pera, a nossa vizinha, não...foda-se, é a mulher que mora na minha frente. Ela vai ficar cuidando do Adam essa noite e possível madrugada enquanto eu estiver fora.

— E sua irmã não vai ficar puta por você ter saído e deixado a criança com uma mulher que tu nem conhece direito? —Pk entrou na conversa.

— Ela não é uma desconhecida, conheço ela desde que eu me mudei. Eu dividia apartamento com ela e quanto a Emma, ela não vai ficar puta se ela não descobrir.

O elevador se abre e seguimos conversando até a porta do elevador se abrir novamente. Caminhamos por alguns minutos e a conversa continuava a todo fervor até chegarmos na tal casa da Sasa.

Do lado de fora da casa já escutavamos música alta e muita falação, tinha algumas pessoas sentadas no meio fio com algumas latas de cerveja em mãos, pode ter certeza que hoje a noite vai ser boa.

Entramos na casa quase todos apertados para passar na porta agora estreia pela quantidade de pessoas.

Andamos pelos corredores da casa e depois de andarmos encontramos a ruiva em uma roda de amigos na cozinha.

Antes de falar com ela fui direto pra mesa onde haviam garrafas com bebidas de todas as marcas, peguei uma garrafinha de Skol beats e fui até aquela mesma roda de amigos de antes que agora estava maior e com todos do nosso grupo conversando.

Dei uma olhava em volta, a casa estava lotada, a música tava alta, a risada e a conversa preenchiam o lugar, a sala da garota era entupida de pessoas dançando e pessoas rindo pelo jogo de uno que parecia como uma guerra.

Dei o primeiro gole da minha garrafa, que desceu a seco.


hoje a noite vai ser ótima.











Notas Finais


Acham que vai dar merda?

Espero que tenham gostado, até o próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...