História Meu anjo caído - KTH (Cap único) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


A fic será +18 por conter uma parte hot.

Fic de não total AUTORIA minha.



Boa leitura ♥️

Capítulo 1 - A primeira vez e o fim.


E lá estava mais uma vez de frente para o mar, a observar o céu em busca de qualquer pista daquele que já foi o meu lar, sentia saudade de casa, mas a minha maior saudade era dela. Ser exilado ali e viver dentre os humanos para mim não foi nenhum sacrifício, para tê-la qualquer sacrifício valia, inclusive perder as minhas asas. Ah, minhas asas, sentia falta delas, sentia falta de voar, o vento leve no rosto, o ar puro e a liberdade, mas nada se comparava a falta que ela me fazia.


_______, a minha Angel, o meu amor, aquela que me fez largar tudo e largaria tudo novamente, mesmo sabendo que no fim, eu estaria aqui sozinho, cada segundo com ela valeu a pena. A amava mais que a mim mesmo, mais do que quem era e sou, não me importaria onde estava se estava com ela, mas éramos diferentes, sua vida era tão frágil e curta comparada a vastidão da minha, agora vejo que estou condenado e foi assim desde que caí.


Antes quando tinha sua companhia não via tristeza nem dor, mas agora que estou sozinho a solidão me aflige a cada dia. Sempre que abro os olhos e vejo o espaço vazio ao meu lado, a tristeza me consome, mas eu preciso seguir em frente, preciso viver por nós dois, como ela desejava, as lembranças com ela na verdade são o que me mantém vivo, lembrar de seu sorriso, de seu jeito doce e cheio de energia.


Me lembro como se fosse ontem, quando a vi pela primeira vez, estava em casa observando os humanos quando a vi colhendo tulipas no jardim de sua casa.


FLASHBACK

Era mais um dia comum no paraíso, todos estavam cuidando de suas funções, enquanto eu como sempre estava bisbilhotando a vida dos humanos, eles eram seres tão estranhos, riam sem motivo, choravam por nada e tinham sentimentos estranhos, eles amavam um ao outro, mas não era como nós.


Nós podemos amar somente a ele, o todo poderoso e criador do universo, nosso amor deve e é devotado a ele ,mas para os humanos, aqueles seres insignificantes, o amor era algo diferente, eles também amavam o criador, porém se amavam entre eles, era estranho. Eu os assistia todos os dias, via suas brigas, seus afetos e tinha algo que me deixou curioso, beijo, um casal discutia sobre isso, ele a pedia um beijo enquanto ela sorria sem graça, beijo, mas o que seria isso? Diversas vezes ouvi falar também sobre sexo, mas o que seria também não sei. Perguntei a muitos irmãos, cheguei até mesmo a perguntar ao arcanjo supremo, mas eles nunca me davam uma resposta concreta.


•••

Ela era linda, tinha cabelos curtos e escuros, seus olhos eram tão verdes que pareciam esmeraldas e seu sorriso era o mais doce e angelical que já vira. Mas como? Como uma simples mortal, um ser inferior, pode ter tamanha perfeição? Ela estava colhendo tulipas brancas enquanto sorria e cantava algo que não compreendia, sua voz era mais perfeita que a de muitos anjos. Se passaram semanas e não tirava aquela garota da minha mente, aquele sorriso, aquela voz, aquele olhar, ah aquela garota.


- O que houve Taehyung? – Namjoon perguntou percebendo minha inquietação.


- Uma mortal Hyung, não paro de pensar nela. – ele me olhou aflito e sorriu.


- Taehyung, pare de tolices. - seu sorriso era divertido, mas seus olhos expressavam preocupação.


- Não são tolices Namjoon, é a verdade, ela não sai da minha mente. - de fato aqueles olhos esmeraldas ficavam vindo e indo em minha cabeça.


- Como uma simples e inferior mortal, pode te deixar assim? – o Anjo agora parecia irritado.


- Eu não sei. – eu não sabia o que estava sentindo, estava sentindo algo? Seria isso o amor que os humanos compartilham? Impossível, não era humano e só poderia compartilhar amor com o criador.


- Esqueça ela que é o melhor para você. – Namjoon aconselhou, se retirando.


•••

Meses se passaram e continuava a observá-la, já sabia tudo sobre ela, se chamava _______, morava com os pais, estudava em uma escola pública e tinha uma melhor amiga chamada Jihyo, gostava de algo chamado hip-hop e nunca tinha dado um beijo, seja lá o que isso seja.


- Preciso conhecê-la. – afirmei a Namjoon enquanto voávamos.


- Você ficou maluco. - ele afirmou assustado.


- Eu não sei Hyung, mas acho que a amo. - confessei e vi o mais velho parar bruscamente de voar.


- O caso é mais sério do que pensei. – falou preocupado.


- Hyung, me ajude. – clamei por sua ajuda, precisava conhecê-la de perto.


- Kim, o criador nunca vai aceitar isso. - mesmo sendo contra as regras eu ainda desejava a ver de perto mesmo que por um momento.


- Eu sei. – sei muito bem que nós anjos não podemos simplesmente descer a terra,  tínhamos leis, como disse, somos seres feitos para amar o criador, mas por que eu sinto que a amo?


•••

Namjoon falou com o criador e após um longo tempo, foi tomada uma decisão, estávamos todos reunidos diante dele, o criador, não sabia qual sua decisão, mas seja qual for ela estou disposto a aceitar.


- Taehyung, é verdade o que Namjoon me contou? – em nenhum momento ele alterou a voz ou pareceu irritado.


- Sim, senhor. – respondi com convicção.


- Você tem certeza do que está prestes a fazer? - ele parecia calmo como sempre, mesmo diante de uma situação como essa.


- Sim senhor. - voltei a repetir com certeza, mesmo que no fundo estivesse com medo as consequências.


- Kim Taehyung, eu não vou forçá-lo a ficar, essa decisão é unicamente sua ,você tem duas escolhas meu filho, ficar e continuar como anjo ou cair e perder suas asas. – a decisão não era fácil, minhas asas eram uma das coisas mais importantes para mim, mas estava disposto a perdê-las por ela.


- Eu escolho cair, senhor. – todos me olharam com pena e dor.


- Que assim seja, meu filho, de hoje em diante você viverá, o resto de sua eternidade dentre os humanos e estará vivendo por sua conta.


FLASHBACK OFF

A minha queda foi um momento muito difícil, a dor rasgava dentro de mim enquanto eu caía, nas minhas costas onde costumavam estar minhas asas queimava como fogo, para amenizar a dor pensei nela, seu sorriso e sua voz doce. Não demoraria muito para estar perto dela, ver aqueles lindos olhos esmeraldas de perto.


FLASHBACK 

Depois de algum tempo caindo e sofrendo, acabei desmaiando enquanto pensava em _______ e ao abrir os olhos pela primeira vez no mundo humano, estava nu sobre um lindo jardim de tulipas brancas, olhei em volta e lá estava ela, pasma me encarando, esse não era bem o primeiro encontro que tinha em mente.


- Oh minha nossa. – gritou exaltada. - Quem é você?


- Eu... – ótimo, o primeiro encontro e não sei o que fazer ou dizer, para completar ainda estou sem roupas. - Kim Taehyung.


- Oh Taehyung, quem é você? - aqueles olhos esmeraldas a me fitar daquela forma me deixaram um pouco nervoso.


- Eu vim de muito longe. - falei quase que em um sussurro desviando o olhar tentando me cobrir com minhas mãos, isso era tão estranho.


- Meu deus, você foi sequestrado? – perguntou assustada gritando pelo pai em seguida, enquanto eu tentava me cobrir ao mesmo tempo que pensar em uma boa explicação para estar caído ali. - Pai, tem um garoto pelado no jardim, acho que ele foi vítima de um sequestro.


- Não eu... - tentei dizer algo, mas ela não deixou, tirou um casaco de listras brancas e pretas que estava usando e me entregou.


- Se cubra Taehyung, não é muito decente ficar pelado na frente de uma garota. – sorriu com seus olhos fixos em mim e senti minhas bochechas de certo modo esquentarem, era tudo tão estranho.


- O que houve filha? – o pai dela logo apareceu.


- Pai, este é Kim Taehyung, eu acho que ele foi vítima de um sequestro. - eu nem mesmo sabia o que era um sequestro, mas dizer que eu caí do céu seria mais difícil de acreditar, certo?


- Oh minha nossa. – o pai dela veio até mim e me ajudou a levantar. - Venha vamos entrar.


- Eu... – não sabia o que dizer, ele me guiou até sua casa e me ajeitou em um sofá, é acho que é esse o nome.


- De onde você é Taehyung. – e agora o que dizer? Não posso dizer que vim do céu, eles achariam loucura.


- Eu... – o que digo? Oh céus, e agora? - Não sei.


 - Ele perdeu a memória, pai. - voltei a encará-la totalmente confuso, ela acha que não me lembro de onde vim? É isso? Talvez isso seja bom certo?


- Acho que sim filha, Taehyung, você pode ficar aqui enquanto não lembrar. - eu podia? Eles não iam chamar aquele negócio, como se chama mesmo? Polícia?


- Obrigada. – é assim que os humanos agradecem? Acho que sim, eu espero que sim.


FLASHBACK OFF

O pai de _______ me deu abrigo, cuidou de mim e dos meus ferimentos que se curavam mais lentamente ali, a única marca que ficou foi nas costa, onde minha asas costumavam ficar, havia ficado uma enorme cicatriz.


Se passaram meses e nós nos dávamos cada vez melhor, passei a frequentar o mesmo colégio de _______, mas não me enturmei com os garotos de lá, todos eram idiotas pecaminosos.


Me lembro como se fosse ontem a primeira festa que fui, estava lá por ela que insistiu que queria ir e que queria que eu fosse, estávamos cada vez mais próximos e foi nessa festa que tudo mudou. Foi nessa festa que declaramos nossos sentimentos um para com o outro.


FLASHBACK 

—Vamos Tae, eu quero ir. – Tae, era assim que ela me chamava, adorava quando ela me chamava assim e fazia biquinho.


- Angel, eu não gosto muito de festas. – na verdade nunca tinha ido em uma, já tinha visto os humanos festejando, mas ir é outra coisa.


- Vai Tae, por mim. - ela fez biquinho e como sempre não resisti aqueles lindos olhos esmeraldas.


- Ok, nós vamos. – ela me abraçou forte e sorriu.


Mais tarde, chegamos a tal festa, haviam luzes, muita música, bebidas estranhas e pessoas se agarrando. Era um ambiente um tanto estranho para um anjo, estava acostumado a ver essas coisas de longe, observando lá de cima curiosamente, nunca imaginei que iria estar aqui um dia, no meio deles.


- Vem, vamos pegar algo para beber. – ela falou beber? Não, ela não vai beber, ela não pode.


- Angel, você não pode beber. - geralmente as pessoas fazem coisas erradas quando bebem, não queria que ela fizesse nada errado.


- Tae, deixa de ser antiquado, vem. – me puxou até um balcão, onde havia um homem mal encarado. - Duas doses de tequila por favor.


- Angel... – tentei dizer que não era uma boa, mas a pequena não me deixou terminar.


- Vem, vamos dançar. – dançar? Como assim dançar? Eu não sei fazer isso.


Ela me arrastou até o meio da festa e começou a mexer o corpo de uma forma estranha, fiz o mesmo e ela sorriu, a música agitada cessou e deu lugar a uma lenta, ela se aproximou de mim colocando suas mãos em meu pescoço e pouso as minhas em sua cintura. Começamos a nos mover lentamente de um lado para o outro, isso era dançar. Estava perdido em seu olhar quando ela se aproximou e juntou sua boca a minha, seus lábios eram doces e saborosos, nunca tinha sentido algo tão bom nem mesmo quando voava me sentia assim.


- O que foi isso? – perguntei surpreso.


- Desculpa, eu não devia ter te beijado. – beijo, então isso era um beijo. Ela saiu dos meus braços e uma lágrima rolou dos seus olhos.


- Angel, eu gostei. – me aproximei dela e selei novamente nossos lábios, voltando a repousar minhas mãos em sua cintura a apertando contra mim.


FLASHBACK OFF

Foi aí que tudo começou, começamos um relacionamento, sempre íamos em festas e encontros românticos, até mesmo fizemos piqueniques com a família, no caso o pai dela que como sempre me aceitava como um filho, foram momentos tão felizes, ela era tudo em minha vida, meu sol, minha lua, minha noite e meu dia, sem ela eu me sentia perdido, tivemos algumas brigas ao longos dos anos, mas eu sempre voltava atrás e lhe pedia perdão, um minuto sem ela ao meu lado era uma tortura.


Nosso primeiro beijo, algo que jamais vou esquecer, jamais vou esquecer qualquer momento com ela, desde a primeira vez que a vi a última. Me lembro quando fizemos amor pela primeira vez, estávamos namorando há 3 anos, estávamos sozinhos em casa e acabou acontecendo, ma verdade ela havia planejado tudo.


FLASHBACK

Era uma noite de primavera, os pais de _______ haviam saído e só voltariam no dia seguinte, ela estava trancada em seu quarto e havia me pedido que não saísse do meu, não sabia porque, não tinha a mínima ideia do que ela estava planejando, mas havia como sempre lhe obedecido e estava deitado na cama quando ela abriu a porta.


- Taetae. – sua voz estava diferente, manhosa, me levantei da cama a olhando e quase meu coração para, ela estava em uma lingerie sexy preta e com rendas vermelhas.


- Angel, o que... – tentei perguntar algo, mas não deu tempo, correndo ela se atirou em meus braços e ambos caímos na cama, por cima de mim a mesma me beijou lentamente.


Logo seus beijos ficaram mais quente, minhas mãos percorriam seu corpo inteiro e logo me livrei do que a cobria, ela era linda nua, beijei seu corpo todo até chegar ao seu ponto fraco, passei a língua lentamente enquanto ela gemia e se flexionava de prazer. O mesmo aconteceu comigo quando ela chegou ao meu ponto fraco, seus lábios macios me causavam ardor.


Suas unhas arranhavam minhas costas enquanto minha boca percorria seu pescoço, nossos corpos estavam unidos de uma forma inimaginável, a parti daí eu era dela, assim como ela era minha, a penetrei e a ouvi gemer alto e foi com movimentos precisos que possuímos um ao outro.


- Eu te amo, Tae. – sua voz soou rouca e ofegante.


- Também te amo, Angel, desde o primeiro momento. – logo ela adormeceu em meus braços, ali deitada sobre meu peito.


FLASHBACK OFF

Angel, minha _______, que falta eu sinto dela, nós nos casamos 4 anos depois, em uma cerimônia simples na praia, eu não entrava em igrejas. Infelizmente não tivemos filhos, sou estéril, creio que por ser um anjo. Lembro-me da última vez que a vi, ela já sabia que não era humano, com o tempo fui obrigado a lhe contar, afinal ela envelhecia e eu não.


FLASHBACK 

O lugar era barulhento, mesmo devendo ser um lugar silencioso, enfermeiras passavam o tempo todo com equipamentos e remédios, às vezes passavam empurrando macas com pacientes em emergência, era um lugar triste e que tinha cheiro de desinfetante, detestava aquele lugar, mas aguentaria firme ali naquela recepção a espera de notícias dela, ela estava internada há duas semanas, havia tido uma parada cardíaca e estava em coma, mesmo sabendo que esse dia chegaria, foi tão de repente.


- Senhor, Taehyung? – O médico me chamou, me levantei e caminhei até ele esperando o pior. - Sua mãe acordou.


- Posso vê-la? – havia mentido dizendo que era seu filho, afinal seria estranho dizer que sou seu marido, já que tenho 19 anos e ela 89.


- Claro, sala 08. – segui pelo corredor, até encontrar a sala em que ela estava.


- Tae. – quase sussurrou, sua voz estava muito fraca, senti meu peito arder ao vê-la daquele jeito.


- Angel, eu estou aqui. – cheguei perto de sua cama e lhe segurei forte a mão.


- Tae, eu sinto que está na hora. – não, não pode ser.


- Angel, não… - ainda não estou pronto para dizer adeus.


- Tae, seja forte, viva feliz, se apaixone novamente, a ame e seja feliz. - já havíamos tido essa conversa milhares de vezes, e minha resposta sempre seria a mesma, não amaria mais ninguém além dela, ela é e sempre será o meu único amor.


 - Angel, eu jamais vou amar outra se não for você. - afirmei pela milésima vez encarando seus olhos esmeraldas.


- Tae, dividir uma vida com você foi a mais repleta felicidade para mim, no dia em que você caiu, eu soube que mudaria minha vida e mudou, não sinto por estar partindo, sinto por te deixar, mas já sabia que essa hora ia chegar, você foi a minha vida inteira, Tae, mas sou apenas um capítulo da sua vida, depois que eu me for, continue vivendo e amando por mim, viva por nós dois, meu amor. - ela sempre foi tão doce e cheia de vida, a ideia de viver sem ela era o meu maior tormento.


- Angel, eu te amo mais que tudo, larguei meu lar por você e largaria mil vezes. – deixei uma lágrima rolar enquanto a abraçava.


- Tae, eu também te amo e sempre vou... – senti sua voz afracar. – Amar,  seja onde for.


- Angel... – a chamei, mas não obtive resposta, beijei seu lábio docemente, pela última vez e suspirei fundo. - Eu te amo.


•••

Aquela noite foi a pior da minha existência, mas me mantive de pé, tinha que viver, viver por nós dois, pelo nosso amor, ______ foi a melhor parte da minha eternidade. Depois que ela se foi não amei mais ninguém, gastava meu dias e noites fazendo shows, agora tenho até mesmo um grupo, um  de Hip-Hop, seu tipo de música favorito, todas as músicas que compus foram para ela, toda vez que canto é para ela, minha eterna paixão, meu primeiro e único amor.


Eu sou um anjo caído que caiu por amor, um amor que se foi há muito tempo, mas que ainda está em minhas lembranças e em meu coração, estou condenado a viver eternamente amando alguém que já se foi. Minha companhia são as lembranças de tudo que já foi um dia, agora só me restou saudades.


- Eu te amo, _______. – sussurrei para a lua que se deitava no mar, na esperança de que onde quer que minha Angel esteja, ela esteja me vendo, e ouvindo cada palavra que digo em sussurros para o dia que está nascendo.


O amor é um sentimento que nunca acaba, vai além das diferenças, do tempo e até mesmo da morte...


 End...         


      


Notas Finais


Chorei lendo e chorei escrevendo 🥺

Espero q tenham gostado. Até a próxima 💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...