História Meu anjo, e demônio - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Super Junior
Personagens Cho Kyuhyun, Choi Siwon, Henry Lau, Kim Heechul, Kim Jongwoon, Kim Ryeowook, Kim Youngwoon, Lee Donghae, Lee Hyukjae "Eunhyuk", Lee Sungmin, Park Jungsu, Shin Donghee, Zhou Mi
Tags Eunhae, Kangteuk, Kyumin, Sichul, Super Junior, Yewook
Visualizações 90
Palavras 1.642
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Lemon, Luta, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa tardeeee!

Boa leitura.... e.... não pode me matar! Vocês precisam de mim viva! ~parei

Capítulo 26 - Novo amigo?


Fanfic / Fanfiction Meu anjo, e demônio - Capítulo 26 - Novo amigo?

 

- Prazer, sou Jeshung!

- Seu nome é bonito – comentou o moreno

- Não tanto quanto o seu... mar do leste – Donghae sorriu tímido

- Eu amo o mar, ele é tão revigorante – respondeu sorridente

- Vamos à sorveteria? – perguntou o maior

- Eu deixei tudo para trás... – respondeu sem graça

- Eu pago...

- Não, eu não quero dar trabalho...

- Por favor, vamos nos conhecer melhor – pediu o maior e Donghae aceitou

Os dois levantaram e foram até o quarteirão seguinte, entrando na sorveteria que ali tinha, de início Hae reclamou pelo preço, mas seu acompanhante disse que não se importava desde que o menor o acompanhasse, e Hae corou pelo seu comentário.

Jeshung pediu uma banana split enquanto que Hae pediu uma taça simples de morango e chocolate com calda de nutela e brigadeiro, o maior sorriu e logo começaram a conversar, a química entre os dois era forte e isso assustava o moreno.

- Diga-me Hae, qual sua idade?

- Dezesseis anos, e você?

- Vinte e dois, você é meu dongsaeng – brincou

- E você meu hyung – respondeu Hae sorridente

- Saiba que eu não me importo com isso, pode me chamar diretamente, na realidade me sinto velho quando me chamam de hyung – comentou com um bico fofo

- Ok, vou te chamar de JeJe! – falou sorridente e o maior gargalhou

- Vou te chamar de Haezinho, ok?

- Fechado! – respondeu sorridente

A atendente acabou cortando o assunto dos dois por míseros segundos, mas não suficientes para quebrar a química que os envolvia.

- Diga-me Haezinho, o que aconteceu com seu lindo rosto?

- Apanhei na escola... – respondeu triste

- Então meu Haezinho é o nerd da sala?

- Antes fosse, eu só sou o azarado que sofre marcação de uma gangue toda...

- Não acredito! – falou incrédulo

- Sim... acredite... isso não é nada comparado a minha primeira surra...

- O que eles fizeram? – perguntou curioso

- Apanhei com uma barra de aço! – respondeu tentando sorrir

- Ah! Mas são uns animais mesmo! Não gosto que toquem nos meus amigos! – brigou o mais velho

- Amigos? – perguntou Hae enquanto chupava uma colher de sorvete e a cena não podia ser mais engraçada, todo o sorvete escorreu por seu queixo

- Vejo que tenho uma criança a minha frente – brincou o maior

- Eu sou desastrado, acostume-se – sorriu

- E sim, eu acho que já o considero como amigo... – comentou o maior

- Como pode me considerar um amigo se nos conhecemos a meia hora?

- Sei lá, sente essa química entre nós?

- Sinto...

- Nunca senti algo assim, acho que é obra do destino sabe? Você poderia trombar com qualquer um, mas foi trombar comigo – respondeu sorridente

- Um anjo disfarçado – comentou o moreno e o maior corou

- Não é pra tanto...

- Claro que é! – falou Donghae

Os dois continuaram a conversar animadamente, quanto mais conversaram mais descobriam partilhar de gostos, idéias e comidas iguais, os dois pareciam almas gêmeas, e a cada “tic tac" do relógio mais eles se aproximavam.

Donghae não se sentia feliz assim há dias, era estranho saber que a causa de sua felicidade não era Eunhyuk, mas também era reconfortante saber que tinha mais uma pessoa ao seu lado.

- Com o que trabalha? – perguntou o moreno

- Estou tentando arrumar os negócios da família...

- Com o que sua família trabalha?

- Digamos que não é nada lícito...

- Máfia? – perguntou o moreno e o maior sorriu

- Não tem medo?

- Até o momento não...

- Meu bebê é corajoso! – brincou o maior

- O que exatamente?

- Meus pais lavam dinheiro através de empresas fantasmas, e depois transferem esse dinheiro para paraísos fiscais – comentou

- Entendo... – comentou o moreno enquanto terminava seu sorvete

- Você me instiga Haezinho... – comentou o outro

- Por quê?

- Eu acabo de dizer que sou de família mafiosa e você parece não se importar com o risco de aparecer morto amanhã em uma vala – comentou sério

- Eu tenho um dom... sabe qual é?

- Qual? – perguntou curioso

- Eu consigo ler o olhar dos outros... e o seu olhar transmite paz e serenidade, não vejo maldade, bem, eu vejo, mas ela está no passado e existe remorso em seus orbes, você se arrepende de atos já feitos e por isso procura hoje ser alguém melhor, e mesmo estando a frente dos negócios, você prefere não se envolver  diretamente com os meios mais agressivos de resolução dos problemas... – terminou o moreno e o maior estava de boca aberta

- Nossa, a cada minuto que se passa mais eu me surpreendo com você! – falou o outro maravilhado

- Obrigado... – o moreno respondeu corado

- Podemos trocar nossos números? Não quero que essa amizade morra aqui... – pediu sorridente

- Claro, dê-me seu celular – pediu o moreno

O maior passou seu celular ao menor e este gravou seu número na lista de contatos, ligando em seguida para si próprio para que o número do maior ficasse gravado em seu histórico de chamadas.

- Nem acredito que já são 20:00 horas – falou Donghae sorridente

- Pois é, o dia passou rápido com sua companhia... – comentou o outro

- Espero vê-lo mais vezes – ditou Donghae

- Nos veremos – respondeu Jeshung sorridente

- Um abraço?

O maior se levantou e abriu os braços, o menor aproximou-se e o abraçou, passando seu braços pelo tronco do outro enquanto que o Jeshung passava seus braços por seu pescoço, Donghae apoiou o rosto na curva do pescoço do maior e aspirou seu cheiro, sentindo o perfume doce e suave.

Em um ato de loucura Donghae ergueu-se nas pontas dos pés e beijou delicadamente os lábios do maior, que correspondeu ao ato insano.

- Até mais JeJe...

- Até mais meu Haezinho...

 

~~~~~~/////~~~~~~

 

~Um mês Depois, Escola

 

Donghae nunca imaginou que um dia teria força para ignorar Eunhyuk, mas ele estava conseguindo, já fazia semanas que o moreno não trocava uma única palavra com o rebelde, e isso deixava o menor cada vez mais melancólico.

Leeteuk tentava proteger o menor a todo custo, assim como todos os garotos do grupo, mas o grupo de Heechul sempre encontrava uma brecha. Donghae estava extremamente machucado, não só fisicamente, mas psicologicamente também, era difícil para o moreno aceitar que seu grande amor o odiava e sentia prazer em lhe machucar.

Neste período Donghae faltou várias vezes da aula, Leeteuk sempre o visitava preocupado, tentando deixar o moreno um pouco menos infeliz. Nessas semanas a companhia de Jeshung foi crucial para que o moreno não colapsasse de vez, pois sempre que o menor faltava da escola ele ligava para o maior e os dois saiam, para ir ao cinema, a sorveteria, ao lanche, pizzaria, parque, ou simplesmente só para respirar ar puro.

Donghae começou a se apegar ao maior, e um sentimento mais caloroso começava a surgir no peito do moreno, sempre que o outro estava ao seu lado ele se sentia protegido e confiante.

Com o passar dos dias os selinhos se tornaram beijos mais íntimos e quentes, o corpo de Donghae pedia pelo do maior assim como o do Jeshung pedia pelo de Donghae, o clima entre o “casal” esquentava sempre que estavam sozinhos, mas Donghae, tomado pela esperança, ainda não tinha se entregado, ele ainda acreditava ter chances com o seu moreno.

O maior além de amigo e amante era seu confidente, ele ouvia suas dores e o ajudava como podia, com conselhos e apoio, Leeteuk também ajudava Donghae, e como o moreno gostava de repetir, ele ainda era seu anjo. O mais velho teimava com o menor dizendo que ele deveria dar uma chance a Jeshung, pois Eunhyuk era um caso perdido.

Donghae sempre esperava o mais velho sair para poder chorar, ele sabia que Leeteuk estava desistindo de Eunhyuk, assim como todos os meninos do grupo. Até mesmo Donghae já tinha uma parte de si desistindo do moreno, ainda mais com o comportamento agressivo que ele vinha demonstrando.

No fundo Donghae sabia que tudo aquilo era influência dos outros garotos da gangue, Eunhyuk sempre aparecia machucado, e o que dava forças a Donghae para continuar acreditando que o salvaria era a preocupação estampada no rosto de seus amigos, por mais que eles estivessem desistindo do moreno todos ainda se importavam.

Durante esse tempo de “quarentena” o moreno descobriu muitas coisas relacionadas ao seu bad boy, no fundo Eunhyuk tinha motivos para odiá-los, eles erraram feio com ele, e nada conseguiria corrigir o buraco feito em sua alma.

Donghae decidiu que não ouviria mais Leeteuk, ele precisava salvar seu amor, e ficar sempre rodeado por seus amigos, num tipo de quarentena social não ajudaria em nada nos planos de Donghae. Agora era definitivo, Donghae atacaria Eunhyuk.

 

~~~~~~///////~~~~~~

 

~Mansão Kim

 

Jeshung andava a passos calmos até o escritório de seu pai, ele sabia que essa reunião seria crucial para o retorno dos The Wey e como o futuro líder da mesma ele não poderia faltar. Assim que entrou no escritório viu todos os companheiros da gangue, cumprimentou a todos e sentou ao lado do seu primo e pai na ponta da enorme mesa.

- Boa noite meus amigos, como sabem meu filho assumirá o meu posto diante da The Wey no tráfico, logo passem a procurá-lo sempre que houver problema, comigo só serão discutidos problemas relacionados aos crimes fiscais, estamos entendidos?

- Sim – responderam todos

- Boa noite – cumprimentou Jeshung

- Boa noite – responderam todos

- Jeshung, como conquistaremos a área de novo? – perguntou um dos líderes

- Kangin e Heechul, nós vamos dar um susto neles...

- Quando? – perguntou outro

- Amanhã, depois do colégio eles irão para a academia dançar, uma equipe nossa irá sequestrá-los!

- Só uma surra e uma ameaça galera – comentou Chingo, primo de Jeshung  

- Sim, só uma surra, por enquanto... – finalizou o líder

 


Notas Finais


Até amanhã!!! Bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...