1. Spirit Fanfics >
  2. Meu babá perfeito - (Kim Seokjin) >
  3. Orgasmo no cinema

História Meu babá perfeito - (Kim Seokjin) - Capítulo 5


Escrita por: leekah_04

Notas do Autor


🌼🗯️

Espero que gostem, yay!! 🖤🍃🗯️

Capítulo 5 - Orgasmo no cinema


Fanfic / Fanfiction Meu babá perfeito - (Kim Seokjin) - Capítulo 5 - Orgasmo no cinema


Depois de tudo que rolou comigo e o Jimin no provador daquela loja, sem que o resto soubesse, fomos todos para a praça de alimentação. Jin pagou o fast food de todo mundo, até mesmo o lanche vegetariano do Jimin. Comemos bastante enquanto conversávamos de bobeira, incluindo as trocas de olhares que eu tinha com Jimin, que não esboçava muita expressão para mim, era arriscado. 

Assim que terminamos de encher nosso bucho, decidimos ir ao cinema pegar uma sessão de terror, depois de Erika insistir o caminho inteiro. Como ninguém tinha planos ou compromissos para o resto do dia, resolvemos saciar a vontade da louca. Dessa vez, quem pagou foi o Jimin. 

Compramos um saco gigante de pipoca e alguns refrigerantes e algumas sodas. Esperamos pouquinhos minutos na fila da sala, e lá vejo o Jimin puxando a mão da Cris para entrar com ele, provavelmente querendo se sentar ao lado dela. Franzi a testa vendo aquela cena, não por ciúmes, e sim por indignação! Ele acabou de transar comigo e já está se engraçando pra cima da minha amiga? Que tipo de cafajeste ele é? Um dos melhores diplomados. 

Deixei isso totalmente de lado quando pude sentir a mão macia do Jin passar carinhosamente pelas minhas costas expostas pela blusinha. Larguei meus desvaneios e percebi que ele só estava me esperando para entrar, só estávamos nós dois alí. Abri um sorriso amigável para o mais velho, que retribuiu genuinamente. 

— O que está esperando? 

— Nada. Só estou com um pouco de sono, sabe? — Disfarcei. — Vamos? 

— Claro. 

Caminhamos pelo pequeno caminho escurecido até a sala da nossa sessão, que ainda estava bem vazia. Subimos até nossos acentos marcados e me sentei ao lado do Jin, deixando ele na ponta da fileira. 

Enquanto o trailer passava no telão, abri minha soda bem gelada e dei alguns goles, encarando discretamente a Cris e o Jimin, que estavam um pouco longe de mim. Eles conversavam entre risadas abobalhadas e soquinhos descontraídos, me deixando desconfiada do caráter cafajeste do Jimin. Tentei não ligar mais para isso e tentei focar mais no outro gatilho... eu estava em um cinema, com Seokjin ao meu lado... COM O SEOKJIN DO MEU LADO. Mesmo tento Tessa ao meu lado também, esse momento não deixava de ser magnífico. 

Assim que o filme começou, as luzes da sala se apagaram e tudo ficou completamente escuro. Só pude enxergar as silhuetas das pessoas que estavam ao me redor, prestando atenção no filme de terror que passava no telão. Falando nesse filme, eu nem estava ligando pra ele, queria mesmo é curtir aquele momento com o Jin. É, mas me parece que ele estava mais focado no filme idiota do que em qualquer outra coisa. O menino não falava nem um "a" e muito menos desviava seu olhar para mim... tá, eu sei que no cinema não é lugar de falar, mas poxa, sabe? 

[...]


Passaram-se alguns minutos e o filme estava caminhando para a metade, até eu estava prestando atenção naquele momento. Senti Seokjin se aproximando de mim, sendo mais específica, se aproximando do meu ouvido. Mergulhei em nervosismo e me encolhi de leve no banco, mordiscando o lábio levemente. 

— Você transou com o Jimin? — Sussurrou em meu ouvido, depositando seu tom de voz rouco e atraente, me deixando incrivelmente arrepiada. 

Estranhei sua pergunta direta e completamente intimidadora. Foi algo tão do nada, nem esperava por isso alí, naquele exato momento. 

— Hm? — Engoli em seco, olhando para frente envergonhada... Como assim ele sabia? — Como assim? 

— O provador. — Respondeu bem baixinho em meu ouvido, pude sentir seus lábios macios tocarem minha orelha gélida por causa do ar-condicionado da sala. Sua voz era tão baixinha, que chegava me excitar um pouco, então por pura genuidade, virei um pouco meu rosto para ele, ficando cara a cara com o mais velho. 

— Como sabe? — Sussurrei de volta. 

— Você cheira a sexo puro. — Seu hálito veio de encontro ao meu rosto, que por trás de toda escuridão, revelava meu puro desespero. — Agora me responde. — Pôs sua mão em meu joelho, apertando-o firmemente. 

Meu coração parecia que iria explodir. 

— Eu t-transei, sim. — Suspirei e senti meu coração "parar" quando Jin aproximou seu rosto ao meu. — O que vai fazer a respeito? — Ainda sussurrando. 

Ele suspirou de volta antes de me responder. 

— Nada. — Passou os dedos indicadores da destra em meu rosto, fazendo um carinho reconfortante. — Ele pegou sua calcinha também? 

— Sim, Jin. — Entrei em uma espécie de hipinose. Apenas apreciava seu toque carinhoso, incapaz de mentir ou desviar de suas perguntas. 

Ele levantou o porta-copos que nos separava, tudo em movimentos calmos e cautelosos para não chamar a atenção da Tessa, que estava do meu outro lado. Me pus mais parto dele, deixando minha perna encostar na dele, que agora estava com uma de suas mãos em minha perna. 

— Por que não me contou? Eu pegava de volta pra você. — Sussurrou pertinho do meu ouvido, levando sua mão carinhosa e curiosa até minha coxa, invadindo com os dedos o espaço entre minhas pernas, me causando um arrepio do caralho e me deixando excitada. 

Bom, eu não tinha resposta. Talvez, deixei com ele porque gosto da ideia do Jimin ter algo que me guarde em suas recordações... é gostoso de se pensar. 

— Eu não liguei. — Respondi no mesmo tom a sua pergunta depois de alguns segundos, escondendo um suspiro de pura excitação. 

— Hm, imagino bem. — Disse irônico, deixando escapar uma risadinha baixinha e sacana. — Mas, não querendo te deixar triste, ele pega a calcinha de todas no final do ato. — Suspirou novamente em meu ouvido. — E, provavelmente, irá pegar a da sua amiga Cris também. 

Como eu já imaginava. Jimin fez comigo, algo que já tinha feito com várias outras e que ainda irá fazer com outras por aí. Bom, pelo menos eu não fui tão tola em acreditar muito no contrário... acho que saio no lucro. Ou não. 

Fechei um pouco meus olhos para pensar, e cheguei na conclusão de que, eu tinha que tirar essa minha visão de iludida que o Seokjin impôs sobre mim. 

— Eu já sabia. — Sorri levemente, por um segundo esquecendo que provavelmente ele nem iria conseguir enxergar, então logo desfiz. 

— Então por que deixou ele pegar? — Rebateu imediatamente, ainda com sua mão repousando em minha coxa. 

— Foi rápido demais, não pude opinar muito. — Querendo ou não, isso foi verdade. 

— Mas disse que não ligava. — Rebateu novamente, ainda mais rápido que a outra vez. 

— Porque eu não ligo mesmo. Inclusive... — Olho para os lados, só para garantir que estava falando baixo o suficiente pra não perturbar a atenção de alguém. — Gosto de saber que Jimin lembrará do nosso sexo quando ver minha calcinha. — Respondi sem demora, ganhando alguns segundos do silêncio de Jin. Considerei isso uma vitória. 

Mas perdi assim que ele apertou minha coxa com certa uma firmeza incompreensível. Travei os pulmões por alguns segundinhos, eu estava mais nervosa que o normal, até porquê, não era Jimin, era Seokjin, um cara boa pinta, gostoso, sexy e interessante pra cacete. 

— Então você gosta? — Passou seu dedo em uma mecha do meu cabelo, colocando-a para trás do meu ombro. Logo desceu levemente aquele mesmo dígito até meu busto exposto pela blusinha tomara que caia. Senti um puta arrepio e obviamente ele percebeu ao tocar minha pele arrepiada. — Aposto que ele vai lembrar de você até quando não estiver com sua calcinha nas mãos. — Levou a mão que estava em minha coxa pra cima da minha saia fina e fez um carinho, permitindo que minha peça subisse aos poucos. Pude sentir o ar gelado bater contra meu íntimo levemente lubrificado por tanta provocação. 

— Ah é? Por quê? — Sussurrei nervosa, tentando ao máximo não demonstrar o nervosismo em minha voz. Não pude repudiar alí, então abri um pouco minhas pernas e deixei Seokjin fazer o que bem entendesse alí. 

— Hm... por nada. Ele é assim, Eloh. — Respondeu, fazendo eu me sentir nada especial, mas ainda era provocante. — Agora, vamos fazer um acordo? — Sussurrou bem pertinho do meu ouvido, depositando um selar alí mesmo e me fazendo ter o primeiro espasmo muscular. 

Sinto que esse acordo vai me custar muito sofrimento, hm. 

— A-cordo? — Engoli em seco e baixei um pouco o banco, repousando melhor minhas costas na poltrona bem acolchoada, me tirando um pouco de tanta proximidade facial que estava com Jin. — Aceito. — Respondi um pouquinho mais alto, mas ainda sim, estávamos aos sussurros e ninguém alí tinha percebido. 

— É o seguinte: eu vou provar um pouquinho do que meu amigo provou hoje e, se você gemer ou deixar alguém escutar alguma coisa, eu deixo você sem sua recompensa. — Ditou cuidadoso e permitiu seu tocar levemente meus lábios vaginais com seu polegar, me causando o segundo espasmo espontâneo. 

— Que recompensa? — Me inclinei devagar, para poder ouvir bem de pertinho. 

— Orgasmo. — Respondeu simplista, invadindo meu íntimo com seus dígitos, acariciando a extensão dos meus lábios vaginais, que se agitaram imediatamente, pulsando de tesão e prazer. Pôde sentir o leve balançar da minha poltrona assim que encostei nela com minhas costas um pouquinho pesadas. Jin virou-se para frente sem tirar sua mão da minha bocetinha. Ele massageou com cuidado o meu clitóris que já estava inchadinho, espremendo ele entre seus dígitos grossos e focados em me dar o puro prazer. Mordi meus lábios internos e fechei meus olhos com força, pedindo aos anjos que eu não gemesse bem alí, na sala de cinema. Estava me parecendo uma missão um pouco impossível, confesso. 

Seokjin afastou meus lábios com os dedos, foi quando pude sentir minha lubrificação melando toda minha vagina pulsante. Seus dedos recolheram um pouco do líquido viscoso e levaram até meu pontinho sensível, espalhando-o todinho por aquela região. Eu estava tendo duas grandes dificuldades, sendo elas: a tentativa dolorosa de não gemer e a respiração em puro caos.  Me permiti segurar o porta-copos que separava eu e Tessa, onde depositei meu único refúgio de alívio com leves apertadas. 

Antes que eu pudesse acostumar com o movimento da masturbação, fui pega de surpresa, sendo penetrada pela segunda vez no dia. Jin enfiou o primeiro dedo, me causando mais um espasmo e uma vontade mortal de gemer o nome dele. Foram uma, duas ou até três estocadas lentas e gostosas, até ele já me penetrar com o segundo dedo, me deixando completamente sem estruturas. Me deixou aproveitar as estocadas lentas e prazerosas por um pequeno período de tempo, logo apressando o ato, estocando mais forte e ainda mais fundo, explorando cada cantinho de mim, que já tinha sido explorado antes por seu amigo Jimin. Aquele era meu dia de sorte. 

Mais alguns minutos e consegui cumprir meu dever com sucesso, mesmo estando acabada no final. Pude gozar em seus três dedos que já estavam dentro de mim e tentei me segurar um pouco para não sujar tanto a poltrona do cinema com meu orgasmo, mas acho que foi impossível. Jin pegou o máximo que pôde com os dedos e levou até a boca, aproveitando meu sabor, no qual era novo para ele. Nem pude ver sua carinha ao provar meu melzinho, já que estava tudo escuro.

Abri minha bolsa e peguei um dos meus lencinhos que levo comigo pra todo canto e me sequei, já que estava sem calcinha e não poderia sair andando enquanto escorria loucamente por um repleto gostoso que era o Seokjin. 

[...]

Depois daquela sessão fabulosa, já havíamos saído da sala e já estávamos caminhando para o estacionamento. O dia já estava escurecendo, então decidimos ir embora. Andávamos em direção ao estacionamento enquanto conversávamos empolgadas, Jimin e Jin estavam logo atrás da gente. 

Meu humor estava perfeitamente bem. Claramente, o passeio foi bem melhor do que eu imaginei. Tessa havia estranhado aquela minha alegria repentina, provavelmente desconfiava de algo, mas dúvido que seja um "algo" do nível do que aconteceu hoje. Quando eu chegasse em casa, iria contar tudo para ela, até porquê, não escondemos nada uma da outra. 

Durante o trajeto até em casa, Jin dirigia calado e Jin puxava assunto o tempo inteiro comigo ou principalmente com a Cris, que sempre respondia com alegria. Recebi alguns encaros de Seokjin pelo retrovisor, onde me intimidava um pouco, mas ao mesmo tempo, me enchia de satisfação, claro. E um pouco antes dele chegar na casa de Cris para entregá-la em segurança, recebi uma mensagem da mesma. Estranhei, já que ela estava ao meu lado, mas abri mesmo assim. 

Arregalei um pouco os olhos assim que vi a mensagem e nem sequer me dei o trabalho de esconder o quanto fiquei surpresa. 


“eu chupei o Jimin no cinema!” — Cris. 













Notas Finais


Estou animada para dar continuidade, afe! 🤗☁️🗯️💖🌼


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...