1. Spirit Fanfics >
  2. Meu Bem >
  3. Único - Você só me chama de meu bem quando quer...

História Meu Bem - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


É o primeiro Lemon hétero que eu escrevo, sejam gentis kkkkk

(Sim, temos uma menção honrosa à Ino Alfa x Chouji Ômega porquê eu quero)

Capítulo 1 - Único - Você só me chama de meu bem quando quer...


Ainda eram quatro da manhã e a loura já estava acordada, olhando para o teto e pensando em qualquer coisa que pudesse ser feita para passar seu tédio. Não chegou em nenhuma conclusão. Bufando irritada, se moveu na cama, ouvindo o corpo ao seu lado resmungar enquanto dormia pelo movimento repentino. Tal barulho abriu um sorriso no rosto da Alfa.

Se aproximando do corpo ao seu lado, roçou o nariz levemente pelo pescoço alheio, fazendo uma careta quando sentiu um cheiro de outra Alfa, Ino. Ela não tinha nada contra a outra loira, apreciava sua amizade, até, mas Temari era possessiva. Não tanto quanto Ino, embora. Se lembrava da veia pulsante na testa da outra quando sentiu o cheiro de um alfa estranho no pescoço de Chouji - Que no final, era de um ninja qualquer que o ruivo tinha lutado contra.

Dando uma pequena mordidinha, testando as reações do outro. O moreno se contorceu, sensível naquele local, e Temari continuava brincando com seu pescoço, feliz quando via o braço alheio se arrepiar. - Temari... - A voz manhosa resmungou, ainda sonolento.

- Bom dia, meu bem...

- Você só me chama de meu bem quando quer me foder. - Ele resmungou, ficando cara a cara com a Alfa, que nem se deu o trabalho de disfarçar o sorriso.

- Você é esperto. - Sorriu ladino, se aproximando e beijando o ômega, que suspirou na boca alheia. Desceu suas mãos até a cintura alheia, apertando levemente. Movendo os corpos, se pôs sentada, levando Shikamaru com ela. Abriu as pernas para acomodar o ômega, que a empurrou devagarinho e colocou a próxima a virilha. Abaixou os shorts de pijama juntamente da roupa íntima, deixando a Alfa nua da cintura para baixo.

Moveu a cabeça devagar, beijando os lábios e movendo a língua devagar, adentrando a intimidade da esposa. Temari apoiou-se em seus cotovelos, observando o trabalho alheio, com um suspiro sastifeito. Na primeira noite de núpcias dos dois, Shikamaru era quase inexperiente, levando Temari a o ensinar direitinho o que lhe agradava, onde ele deveria pressionar, que não gostava de ser penetrada, então que ele não precisava se preocupar em tais pontos. Jogou a cabeça para trás e gemeu alto quando Shikamaru começou a chupar seu clitóris, sentindo pelo vínculo o outro se sentir feliz. Sorriu preguiçosamente, levando uma mão até os cabelos alheios e os puxando carinhosamente. - Tão bom, meu ômega. Você é tão bom para mim...

O lado ômega de Shikamaruquase ronronou ao ser elogiado dessa forma pela alfa, que movia devagar os quadris, mostrando que estava gostando. - Use os dedos, Shika. Eu deixo. - A mais velha mandou, sentindo-se confortável o suficiente para isso, e meio desesperada pelo orgasmo.

Levou dois dedos até a intimidade alheia, que os aceitou sem dificuldades. A alfa gemeu com força, movendo os quadris e puxando com força os cabelos alheios. Shikamaru afastou as pernas e arqueou as costas por instinto, fazendo a Loura rir. Seu ômega já estava produzindo lubrificante natural, mesmo sem ela nem mesmo ter o tocado. Ela sentiu uma leve vergonha vendo sobre o vínculo, e puxou-lhe carinhosamente os cabelos. - Não precisa ter vergonha, eu gosto de te ver todo submisso assim. - O outro parou por um momento provavelmente para resmungar ou a chamar de problemática, mas ela o impediu antes. - Não te dei permissão para falar. Não tente minha paciência, querido. - E, com isso,o ômega voltou ao seu trabalho.

Em pouco tempo, a respiração de Temari se tornou um pouco frenética, movendo os quadris quase desesperada, jogando a cabeça para trás e gemendo de forma audível. Chegando ao seu ápice, jorrou inteiramente na boca de Shikamaru, que engoliu rapidamente, fazendo uma careta com o gosto agridoce. Ela se inclinou e beijou o marido, sentindo seu gosto na sua boca, sorrindo ao sentir o cheiro do lubrificante natural e ao sentir a ereção do outro cutucando sua coxa. - Eu nem toquei você...

O Moreno apenas gemeu, sabendo que não tinha permissão para falar, e se ele quisesse gozar, teria de ser bom para a esposa. Temari sorriu libidinosamente. Deitando o marido na cama e se pondo no meio de suas pernas. Tirou a calça de pijama, o deixando logo nu, visto a falta de roupas que o outro usava para dormir. O lubrificante natural já escorria pelas suas nadegas, dando ideias nada inocentes à Temari, mas a iria as realizar em outro momento. Levando dois dedos até a intimidade alheia, o penetrou rapidamente, sabendo o quanto Shikamaru poderia ficar chato e manhoso se ela se demorasse naquela parte. O moreno, por sua vez, arqueou as costas, suspirando contente.

A alfa moveu os dedos dentro do outro, sentindo o interior quente do outro ao redor de seus dedos. Acrescentando um terceiro dedo, passou a brincar um pouco, vez ou outra passando a mão pela cabeça do pênis róseo. Em determinado momento, Shikamaru abriu um pouco mais as pernas, mostrando que já estava pronto e queria mais. Temari não lhe deu ouvidos, continuando o fodendo com os dedos, recebendo um olhar irritado em troca. - Você é tão manhoso... - Ela resmungou, retirando os dedos e observando a entrada do outro pingar lubrificante enquanto pulsava, a procura de algo para o preencher. - Tão devasso, meu bem. Tão ganancioso...

Shikamaru escondeu o rosto nos travesseiros, vendo que a alfa olhava atentamente para seu ânus.

Sorrindo, a loira esticou a mão para a gavetinha que ficava no criado mudo, pegando uma cinta. Normalmente ela usaria um vibrador, colocaria Shikamaru deitado à sua frente, com as pernas abertas e com o controle na mão, aumentando a potência e o vendo gozar, mas naquele dia ela se sentia especialmente animada, querendo diferenciar um pouco.

Deitou -se na cama, o pênis de borracha preso pela liga não era nem muito longo e nem muito grosso, ideal para seu ômega, que logo soube que ele deveria montar os quadris alheios. Alinhando sua entrada no brinquedo a descenso devagar, sentindo o interior queimar um pouco. Quando estava totalmente sentado, permitiu se espalhar um leve gemido, que acariciou o lado alfa de Temari. Moveu-se devagar, com pequenas reboladas e pequenos movimentos de vai e vem, brincando com sua entrada. Temari, que não gostava de lentidão, parou e observou o marido se divertir um pouco, massageando sua próstata com o brinquedo, subindo as mãos até os mamilos inchados e os acariciando, jogando a cabeça para trás e suspirando fundo. Temari sorriu ao ver o pênis pingando pré gozo em seu estômago. Sentiu Shikamaru se acomodar melhor em seu colo, apoiando as mãos no ombro da esposa e subindo e descendo devagar, aproveitando cada momento. Embora a loira amasse ver seu ômega tão perdido em prazer, ela estava excitada, e ficar parada olhando Shikamaru se divertindo sozinho a irritava. Moveu os quadris para cima, rindo quando o moreno soltou um gemido surpresa. - Temari! Vo... - Sua frase foi entrecortada por um gemido quando a alfa apertou seu pênis, não a ponto de machucar, mas para o alertar que não a irritasse.

- Como eu estou me sentindo de um ótimo humor hoje, meu bem, eu não vou punir você. - Disse trocando as posições, ficando entre as pernas se Shikamaru. - Mas vou assumir o controle a partir daqui, ouviu, amor?

Não que ela estivesse esperando resposta, Shikamaru estava muito ocupado perdido em pensamentos, provavelmente resmungando. Ela sorriu nasalado, movendo os quadris e acertando em cheio a próstata do ômega, que gemeu alto.

Com certo tempo, Shikamaru se tornou ofegante, mordendo os lençóis e jogando a cabeça para trás. Fazia muito tempo que Temari não o fodia assim, depois que Shikadai nasceu, eles dois tiveram menos tempo um para o outro. Então, ele aproveitaria ao máximo enquanto podia.

A alfa não diminuía ou mudava o ritmo, sempre rápida e precisa, sabendo exatamente como fazer seu ômega revirar os olhos, onde o tocar e como o tocar. No primeiro cio de Shikamaru, ela pensou que seria um pouco frustrante, apenas estar lá sem receber o prazer, mas ela descobriu que não existia nada mais gostoso que ver Shikamaru completamente perdido, com os cabelos grudados na testa e a boca aberta, gemendo contido.

Viu o ômega arquear as costas e apertar os lençóis da cama com uma força que indicava que seu ápice estava perto, então a mulher se inclinou, abrindo mais ainda as pernas morenas, tentando ir cada vez mais fundo. Em um momento, Shikamaru gozou com força, gemendo alto, as pernas tremendo o os dedos dos pés de contorcendo.

Temari sorriu levemente se retirando de dentro do ômega e retirando a cinta, observando o outro preso em sua névoa pós orgasmo. - Se divertiu?

- Hm... - Foi a única coisa que o moreno resmungou, mas o sorriso nos lábios deixava claro o que tinha acontecido.

A Mulher revirou os olhos, se sentando e abrindo as pernas, levando a mão até a vagina, ainda excitada. - Ninfomaníaca. - Shikamaru resmungou, rindo um pouco.

- Calado, homem problemático. - respondeu, rindo quando Shikamaru vez careta ao ver sua própria frase ser usada contra ele.


Notas Finais


Amém Shikatema 🙌


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...