1. Spirit Fanfics >
  2. Meu café favorito. - Imagine Kim Namjoon >
  3. Cappuccino.

História Meu café favorito. - Imagine Kim Namjoon - Capítulo 7


Escrita por: xyaseoky e yaseoky

Notas do Autor


Levantem as mãos ao céus e digam comigo: finalmente ela atualizou essa história! <br /> <br />Gente serio, se esse gif do banner não pegar eu vou ficar tristinha 😞...enfim, boa leitura! ❤️

Capítulo 7 - Cappuccino.


Fanfic / Fanfiction Meu café favorito. - Imagine Kim Namjoon - Capítulo 7 - Cappuccino.

(as imagens acima não me pertencem).

Seul, Seocho, Banpo-dong.

Certo tempo depois, enquanto a garota que eu gostava se encantava com pequenos sachês de cappuccino, Bang se aproxima de mim e toca em minhas costas, me pegando no exato momento de extremo devaneio pela garota. Ele não precisa dizer nada, através das linhas de expressões que marcava seu rosto em um sorriso, compreendia a satisfação que o mesmo transparecia ao ver um velho amigo apaixonado. 

Ele me chama para segui-lo, enquanto o mesmo ia para trás do balcão. Me aproximei e depositei os braços na batente da madeira polida.

– Eu estou esperando ela corresponder meus sentimentos, algum dia. – comento, meio cabisbaixo.

 Si Hyuk para de solver os grãos de café e ajeita os óculos antes de se aproximar.

– Como as pessoas vão saber se você está esperando um ônibus ou um táxi? – ele me pergunta e eu crispo meu cenho em dúvida. – Se você está parado na estrada sem fazer nada acha que algum deles vai simplesmente parar para você? 

Aceno negativamente com a cabeça.

– Portanto não fique parado e perca um táxi vazio, você precisa acenar para ele. – Bang continua. – Assim ó “Taxi!” “Taxi!” – Bang se empolga e começa a gritar na cafeteria, me fazendo queimar de vergonha com a aproximação curiosa da garota. 

– Sobre o que vocês estão conversando? – ela pergunta. 

– Estava ensinando o Namjoon pegar um táxi. – Bang responde com simplicidade e eu arregalo os olhos para o mesmo. 

Com uma expressão meio confusa a garota ri até perder o equilíbrio e ter que segurar em meus braços. Aquilo me fez acompanhar seu divertimento e me perder nas curvas levantadas dos seus lábios. Era incrível a maneira como só uma mulher conseguia me capturar só com o sonoro de suas risadas. Deveríamos ter uma conexão de almas passadas, não deve existir outra explicação. 

 

[...]

Alguns passos e já estávamos longe da cafeteria. Resolvemos caminhar pelo bairro e, não diria jogar conversa fora, porque falar com ela era adquirir conhecimento mútuo. Depois voltaríamos para a biblioteca, tentar comprar um livro que acabou nos interessando. Durante a caminhada, em algum momento nossa conversa se esvaeceu pelo ar e eu só conseguia sentir uma tensão corroendo meus músculos, trabalhando meu cérebro arduamente  para procurar algum vestígio de assunto ainda não contado. 

Mas eu não precisei de fazer mais nada a partir do momento que a palma de sua mão se encontrou à minha e seus dedos selaram juntos aos meus, harmonizando nosso pequeno balançar de mãos. Eu não consegui encará-la na hora, então apenas sorri e abaixei a cabeça, mostrando para ela o quão contente – e envergonhado – eu fiquei com esse simples gesto. Por incrível que pareça, não tive nenhuma aceleração cardíaca, acho que eu já sonhava acordado a tanto tempo com esse momento, que meu coração nem ao menos se protestou. 

Mas não era algo surreal, eu não estava sonhando, agora eu realmente podia sentir suas mãos nas minhas. 

E então ela parou seus passos, mas não desgrudou nossas mãos. Eu a olhei e ela me encarou, levantando um sorriso sem significado momentâneo. Procurou com sua única mão vazia, algo dentro do bolso do grande casaco que usava e tirou algo que eu pude ver como dois pacotinhos, mas tive que me aproximar um pouco e franzir o cenho para enxergar do que se tratava. Ah certo, eram pacotinhos de cappuccino solúvel, aqueles elaborado à base de café, leite, cacau, canela e pareciam dar uma textura aveludada e cremosa se forem bem preparados. 

– Bang Si Hyuk me deu, acho que ele percebeu o quanto eu fiquei admirada pelos pacotinhos...– ela riu. – Então...é...eu estava pensando, você quer ir tomar isso algum dia desses lá em casa? 

Meus olhos brilharam, mas eu não tive reação. Agora sim parecia algo surreal demais para mim, nunca ao menos sonhei com um momento desses.

– Fui rápida demais? - ela sorriu sem jeito. – Não me leve a mal eu só…

E ela se calou me encarando quando me aproximei a um passo para perto de seu corpo. Engoli seco. Eu irei me aproximar mais, devagar até que ela cedesse aos poucos e permitisse, é claro. Então, a medida que eu me aproximava de seu rosto ela fechava os olhos e entreabriu seu convidativos lábios. Aquilo sim parecia ser um sinal positivo, e que se não fosse, receberia um belo tapa na cara com razão. 

Mas não, ela fez questão de selar nossos lábios, subindo seus dígitos em minha nuca. Fez também nossas línguas dançarem com a melodia silenciosa mais linda que já ouvi, foi uma emoção escondia que finalmente floresceu em nossos peitos. Segurei em sua cintura e aproximei melhor o contato de nossos corpos. Céus, isso era incrível e eu não queria parar, seus lábios tinham a exata textura do jeito que sonhei, os toques eram singelos, meio tímidos, mas ainda assim poderiam me levar a poucos minutos em um delírio embriagante. 

Eu amava essa garota, com apenas um beijo.

Sorrisos foi tomados antes de finalizar o ósculo e fiz questão de dar um selinho em seus lábios no final. Pude ver que suas bochechas tomaram um tom avermelhado em sua pele e fiquei orgulhoso por saber que eu era realmente quem causou essa cor em seu rosto. Queria dizer tudo que senti por ela esse tempo todo e prolongar nossa conversa, mas era melhor não apressar sua mente, então apenas sorri e fiz um carinho em sua bochecha. 

Ela reagiu bem aquilo e desse modo segurou em minha mão novamente, para voltarmos a caminhada até a biblioteca.

 


Notas Finais


O gif pegou galera kkk <br /> <br />E aí, gostaram? Já estão prontos para o proximo capítulo? 😗


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...