1. Spirit Fanfics >
  2. Meu chefe >
  3. Aquela manhã...

História Meu chefe - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oi seus lindos, espero que gostem de histórias com essa pegada, pois ela é uma de minhas preferidas, espero que se torne a de vocês também. Boa leitura💕

Capítulo 1 - Aquela manhã...


Fanfic / Fanfiction Meu chefe - Capítulo 1 - Aquela manhã...

**********Sophia**********

   Aquele início de manhã estava maravilhoso, tanto que nem queria levantar, mas, precisava, as responsabilidades chamam. Ao abrir lentamente os olhos, e lhe dar com a fria escuridão de meu quarto, meu único desejo era afagar-me cada vez mais, em meus travesseiros, e esquecer que aquela manhã havia chegado. Porém ouço as batidas claras e suaves de mamãe na porta, e não pude evitar aquele barulho, que para mim, era irritante, mas, necessário. 

Oh céus!!! Eu mereço? 

-Já estou indo, só preciso de 15 minutinhos, mamãe! -Disse coçando os olhos, e bocejando de imediato, espreguicei-me ainda meio sonolenta, mas, meus olhos já pareciam colaborar. Calçei minhas pantufas e fui diretamente ao banheiro,tomei um banho relaxante, em seguida, prendi o cabelo  de qualquer jeito, e vesti uma saia cintura alta, pela qual tonificava minhas curvas, e uma fina camiseta, que seria ofuscada pelo meu blazzer. Desci para acompanhar mamãe a mesa.

-Achei que não fosse acordar nunca! -Sorri grande, enquanto bebericava seu café.-Você está atrasada!

Sério? Arregalei os olhos, e olhei apressadamente para meu pulso. Sem graça! A olhei em reprovação e tornei a beber meu café, que por sinal estava bem quente. 

-Desculpe filha, sei que está muito cedo do horário em comparação que queria acordar, mas, queria te pedir algo.-Me olha esperançosa  e pidona. 

-Pode dizer mamãe, eu estou uma hora adiantada de meu compromisso hoje, então posso atender seu pedido, nesse meio tempo. -Pus a xícara na mesa e a olhei atentamente.

-Quero que me compre alguns igredientes para uma receita que estou pensando em fazer, e não queria sair hoje de casa, e você sabe porque.-Ri ao ouví-la completar tais palavras, minha mãe odiava as visitas constantes de sua velha amiga, uma vez que a mesma só vinha para falar das vidas alheias, e não perdia a oportunidade de pará-la para uma conversa, quer onde fosse e a vesse.

-Tudo bem mamãe, mas, onde quer que eu vá?

-No Hiperios, lá as mercadorias são mais fresquinhas e de qualidade, você sabe que sua mãe é exigente quando se trata de igredientes para comidas, né?-Ri convencida.

-Tudo bem mãe, só tenho que dizer que irei demorar um pouco, já que fica há quatro quarteirões daqui!-A ironizei, e ela me deu um peteleco na testa.

-Por mais que tenha idade, nunca deixarei de te repreender quando possível, viu mocinha?!-Ri da minha cara, enquanto esfrego a testa resmungando.

Depois que finalizei o café, fui para o elevador, que por sorte, estava desocupado, esperei alguns minutos até ir de encontro a garagem, apertei um dos botões do carro e o mesmo respondeu, em meio aos outros. Entrei no carro e logo dei a partida. Chegando naquele extenso mercado, peguei o celular e conferi a pequena lista de igredientes de mamãe, coloquei todos na cesta, mas restava apenas um e o mesmo encontrava-se próximo ao café do mercado, olhei a hora, e restava um bom tempo para meu compromisso, mas, tinha que voltar logo, pois não havia terminado de me arrumar e odiava pensar na possibilidade de um possível atraso. Peguei o igrediente, que estava nas prateleiras de baixo, e ao levantar rápido, senti uma forte colisão. 

-Você é maluca ou o quê?-Olhei lentamente para trás, e vi um homem alto e extremamente irritado. -Se bem que, com o cabelo nesse estado, é provável que seja completamente maluca!-Percebo sarcasmo em sua voz, me irritando de imediato.

-Desculpa, senhor seja lá quem.-O ironizo. -Eu só estou comprando a porcaria de alguns igredientes, por acaso viu se tenho olhos na costas?-Mostro afronte enquanto encaro seus olhos. 

-Você é muito desrespeitosa, menina!-Altera o tom de sua voz. -Por acaso, sabe com quem está falando?-Fuzila-me. -Olha o que fez com a minha blusa. -Analiso sua blusa, e percebo uma pequena mancha de café. 

-Não está tão suja.-Indaguei e baixei a cabeça. 

-Não está porque não sou tão  desastrado como você. -Sai de imediato.

Maluco! Tão estressado, a essa hora da manhã?

Depois de uma longa fila de espera, finalmente consegui voltar para casa. Peguei o elevador e me dirigir ao meu apartamento, ao dar algumas passadas, vejo uma menina de uniforme escolar e parecia aguardar algo ou alguém.  Permaneci andando até meu apartamento quando a ouço me chamar.

-Oi!!!-Acena sorridente, sua aura era calma e gentil.

-Oi...-Sorri em resposta. -O que faz aí? -Pergunto curiosa e para complementar conversa. 

-Estou aguardando meu irmão, ele vai me deixar na escola, mas, ele teve um pequeno imprevisto ao voltar pra casa. -Se segura para não rir. -Ele está irritado, porque disse que uma menina descabelada e maluca, fez ele derramar café em si próprio. -Começa ri descontrolada.

Meu Deus, a maluca descontrolado sou eu! Arregalei os olhos e preparei-me para entrar.

-Espera! -Grita. -Você é a tal menina?

-Por aí...-Ri desconcertada. -Mas, não sou menina,  tenho 26 anos, não acho que deva me nomear assim. -Ri fraco.

-Vamos! -O vejo sair concentrado no celular. -Com quem estava conversando? -Olha para a garota e ela aponta para mim. -Ah, ela. -Fala com desprezo. -É melhor irmos logo, não quero que se atrase por jogar conversas fora.

-O único atrasado aqui é você! - Ela Rebate.

-E você sabe porque, né? -A olha irônico. Eu só preciso pegar minha carteira, que esqueci lá dentro. -Entra novamente.

A menina olhou para mim e sorriu, fiquei muito desconcertada com toda aquela situação. Eles sempre moraram ali, e eu nunca soube? Ah é mesmo, eu quem era a nova naquele bairro, e naquele prédio.

-Ei! -Novamente a menina me chama. - Me chamo Lília Kim, mas, pode me chamar de Lia, desculpa pelo meu irmão ele as vezes é muito chato. -Ri fofa.

-Ele é sempre assim? -Ela balança a cabeça. -Digo, estressado, chato e desprezível? -Tento me explicar.

-As vezes sou pior! -Responde ao trancar a porta. -E você, não deveria conversar com estranhos. -A puxa pelo braço, desprezando totalmente minha presença, enquanto ela sorri simpática para mim. 

Ele realmente me odiou!

Finalmente entrei, e deixei as compras de mamãe no balcão da cozinha e corri para meu quarto para terminar de me arrumar. Olhei para o relógio e só faltavam 20 minutos, novamente peguei o elevador e partir para meu compromisso.

************Jin***********

Aquela manhã já havia iniciado de forma embaraçosa, primeiro com as complicações no Hiperios, onde por lá mesmo, sou privilegiado com um banho de café, daquela menina desastrada e atrevida, agora minha empresa precisa de um novo recrutamento de funcionários, é demais pra minha cabeça, quando foi que deixei as coisas fugirem do controle, assim?mas, não reclamo, afinal eu sou Kim SeokJin, além de lindo, sou mundialmente poderoso. É isso aí, nada de se abalar com coisas que você sempre deu conta! Entrei na minha sala, e de imediato liguei para minha assistente externa Margô, que veio logo depois com um pilha de papéis e meu café.

-Desculpe senhor, mas, trabalho é trabalho!-Me olha risonha enquanto colocava a pilha de papéis em minha mesa.

Margô era minha funcionária favorita, talvez por sempre estar de bom humor, e demostrar gostar muito do trabalho, sempre mostrando eficácia e responsabilidade, não havia o que reclamar.

- Ah, Sr.SeokJin!-Me olha recordando de algo. -Um de seus colegas de departamento, marcou uma pequena reunião hoje, aqui na nossa empresa, ele dizia que tratava-se de negócios que lhe interessariam.

-E para que horas você agendou isso, Margô? -A olho curioso.

-Às 9:00 horas, de acordo com sua agenda.-Rir simpática. -O senhor deseja mais alguma coisa? -Me olha atenta. 

-Preciso! -Respondo de imediato. -Preciso de férias Margô.-Ela rir em resposta. -Brincadeira! Eu amo meu trabalho. -A olho enquanto ela permanecia parada atenta a algum pedido. -Muito brigado Margô! Mas, já pode ir. -Sento-me formalmente na cadeira, encarando a pilha de papéis a minha frente.

Lendo e relendo a grande pilha de papéis, acabei por esquecer totalmente o horário da pequena reunião, minha grande sorte, era Margô, que havia me ligado, informando a chegada de meu colega.

-Pode mandar entrar!-Desligo e ajeito-me em minha cadeira formalmente.

-Olá SeokJin, bom dia!- entra com um sorriso gentil no rosto.

-Bom dia, NamJoon! -Faço sinal para que sente. -Então, do que quer tratar? 

-Curioso e direto como sempre! -Ri e logo senta, vendo toda a papelada a minha frente. -Agora entendo a pressa! Bom, eu vim falar sobre nossa empresa de supermercados, a Hiperios, notei que estamos com algumas deficiências no setor de trabalho, e estou aqui para dizer que precisamos fazer algo quanto a isso, ou ela quebrará!

-Eu sei disso, visitei hoje cedo, e não me alegrou nada o que ouvi do gerente! Mas, como podemos fazer isso?-O olho curioso.

-Que tal lançarmos novas vagas de trabalho, só que voltada mais ao público jovem, assim teremos melhores resultados! -Sorri.

-Ficou maluco ou o quê? Jovens são irresponsáveis, e podem afundar de vez nossa empresa!

-Pense por outro lado, nós já fomos jovens um dia, e sabemos a dificuldade de se conseguir um trabalho por ser inexperiente, além do mais, nosso país está mudando, e muitos dos pais preocupam-se com a carreira profissional de seus filhos, a cada dez jovens, nove tem cursos técnicos aprovados, você sabia?-Me olha vitorioso com tal argumento, enquanto o observo. -E é por empresários como você, que não tivemos oportunidades, quando éramos jovens! 

-Tá, tá! Você me convenceu! Vamos agendar uma reunião pra depois de amanhã com todos os sócios e funcionários da Hiperios, tudo bem? -Dou-me por vencido.

-Ótimo! Nos vemos depois de amanhã. -Ele ri satisfeito e se despede com um aperto de mãos. -Ah, e só mais uma coisa, contrata um assistente de atendimento direto a você, garanto que terá menos trabalho, com toda essa papelada diária !

-Porque diz isso? -O olho curioso. -Acha que não consigo dar conta do meu trabalho? -Arqueio a sobrancelha.

-Não leve para o lado pessoal, você é um ótimo empresário, mas, acho que perde muito tempo lendo, relendo e organizando tudo isso. É só é uma dica!

-Você segue essa dica? -O olho tentando não parecer irritado.

-Claro que sim! Não estaria te sugerindo isso, se não fosse para seu bem. -Sorri. -Se cuida. -Retira-se da minha sala.

Sentei e fiquei meio pensativo com suas palavras, será que era uma boa mesmo? Só se sabe tentando! Liguei para Margô pedindo para que acrescentasse no recrutamento vaga para assitestente direto.

**********Sophia***********

Aquela espera já estava deixando-me impaciente. Como um chefe de empresa, pode atrasar tanto? Tornei a olhar no relógio já eram 09:10 da manhã, quando vejo uma figura bem vestida, entrar e pedir todos os compromissos diários a sua secretária externa. Mais alguns segundos e ela veio até mim, dizendo que seu chefe já aguardava-me em sua sala, não hesitei e a acompanhei até lá. Diante da grande porta, respirei fundo e entrei, a sala era bem organizada, com móveis modernos e bem arejados, olhei para a grande mesa a frente, e o vi sentado de costas em sua cadeira de couro luxuosa.

-Eu sou Sophia-Lee, sua nova assistente direta! - Fala de forma clara e autêntica, ele vira-se para mim, e observo seu olhar sobre meu corpo.

-Muito bem Sophia-Lee, eu sou Conna Will, seu novo chefe. -Ri malvado e logo levanta-se dirigindo-se até mim e parando em minha frente. -Você é mais bonita do que pensei e jovem também, acho que vamos nos dar super bem. -Ri pretencioso.

-Eu não entendi seus argumentos maldosos, por acaso, insinua algo a mais que trabalho? -O olho irritada.

-Isso vai depende de você! Se se comportar bem e coloborar, podemos nos beneficiar igualmente. -Aproxima-se de mim. -Se quer crescer dentro dessa empresa, é comum que tais coisas ocorram, não acha? -Toca em meu rosto.

-Tire suas mãos de mim! - Assustada rebato violentamente seu toque. -Eu vim a trabalho, e não para tal ato vergonhoso! -Minha voz falha.

-Muitas garotas como você já fizeram esse joguinho, vamos Sophia...-Caminha em minha direção me fazendo fastar até encostar na parede. -Você não irá se arrepender de fazer isso. -Passeia as mãos em meus quadris enquanto aproxima o rosto de meu pescoço. 

Comecei a chorar de imediato, pois, tais acontecimentos arremeteram ao meu trauma, porém, consegui reagir, lhe dando uma forte joelhada no estômago, o afastando de mim, e assim consegui correr para fora chorando assustada e acabando-me em lágrimas, a secretária ficou me olhando já sabendo do ocorrido, mas, nada fez, saí daquela empresa o mais rápido possível, chorava muito enquanto dirigia em alta velocidade. Chegando em casa, e ao ver mamãe, joguei-me em seus braços desabando em choro e medo, do que me ocorreria, caso não conseguisse fazer nada.

*****************Lília******************

*Com certeza aquela manhã, seria mais uma de todas as outras da semana, o bom daquilo, era que em breve estaríamos de férias, e só de pensar em tal fato, alegrava-me. As férias era uma das melhores coisas que me ocorriam no ano letivo, acho, que para outros adolescentes de minha idade, também, mas, elas nunca deixavam de ser tão boas, porque felizmente era a época em que visitávamos  nossos avós, tanto maternos, quanto paternos. Eu nunca cansara de ouvir o vovô falar de seus filhos, e principalmente de meu pai. Sentia uma saudade muito grande, tanto da mamãe quanto do papai, apesar de já haver anos, desde o último ocorrido. Também via essas férias como meu refúgio, já que estava perdidamente apaixonada pelo meu melhor amigo, e desconfiava que ele fosse gay, aquela possibilidade me entristecia por um lado, pois se ele de fato fosse, eu nunca teria chances com ele. Cheguei cabisbaixa e dirigi-me ao refeitório, Mel e Taehyung logo uniram-se a mim*.

MEL: Tá tudo bem com você, branquela?! -Brinca comigo.

*Mel me chamava assim desde que nos conhecemos no pré-colegial, e da pior maneira possível, para ser mais específica, nós acertamos nossas testas uma na outra, e desde tal dia, nos tornamos melhores amigas, ela namorava uma menina do 2º ano, e sempre mostrou-se muito aberta quando a isso*.

-Eu tô bem, só ando meio pensativa! -Abaixo a cabeça.

TAE: E Jimin é o motivo de seus pensamentos? -Ri malvado!

MEL: Tão venenoso!

TAE: Sempre, querida! 

-É, é ele sim. 

TAE: Você ainda está naquela maldita friendzone, por não saber se ele gosta de você? -Me olha atento.

-Um pouco, é que tenho medo de dizer a ele o que sinto e ele não poder corresponder!

MEL: Como assim não poder? Só porque vocês são melhores amigos?

TAE: Doooo! Ela tem medo dele ser gay, e sofrer mais ainda por conta disso.

-Quanta delicadeza Tae! -O ironizo. -Acho melhor fica quieta.

MEL: E morrer frustrada e angustiada? Nem pensar, você vai ter que fazer alguma coisa! e eu já sei o quê. -Olha para Tae e o mesmo sorri em resposta.


Notas Finais


E aí ? O que acharam?
Em breve retornarei, by 🤭


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...