História Meu chefe e eu - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 15
Palavras 1.277
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, LGBT, Lírica, Literatura Feminina, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Emma Griffin

Capítulo 3 - Mentiras


Fanfic / Fanfiction Meu chefe e eu - Capítulo 3 - Mentiras

Estava indo a um jantar com os sócios, Watson era o mais chato de todos, mas também o maior sócio.

-Dylan!- Watson sorriu.- Como está?

-Bem, e você senhor Watson?- sorri.

-Bem, só ficaria melhor se o filho do meu melhor amigo mostrasse uma relação palpável.- ele apertou meu ombro.

-Ah, com certeza você quer isso.- eu ri.

-Sabemos que seu pai deu um prazo para você se casar, se não a empresa iria....

-Para você.- eu encarei ele.- Eu sei, e trouxe a possivelmente futura felizarda.

-Onde ela está?- ele procurou.

-Emma.- eu chamei.

Nem sei por que tinha trazido ela, mas estava carinhoso hoje, ela estava com um vestido dourado que realçava o cabele loiro dela.

-Sim, senhor...

-Dylan.- eu encarei ela.

-O que?- ela franziu as sobrancelhas.

-Emma está comigo.- eu passei a mão pela cintura dela.

-Estou?- eu bati de leve no ombro dela.- Estou sim.

-E como anda a relação?- Watson achou estranho.

-Ah, fantástica.- ela entrou no teatro, eu sorri de nervoso.

-Se não for pedir muito....- ele me encarou sorrindo.- Se a relação de vocês é de verdade, podem se beijar?

Eu não tinha problema, olhei para ela e estava vermelha, depois me acertava com ela, segurei seu maxilar com uma mão e a beijei, já que estava a beijando eu aproveitei e enfiei a língua, ela respondeu também.

O beijo dela era doce, mordi o lábio a dela e ela chupou minha língua, apertei a mão na cintura dela e passeia língua pelos dentes dela.

-Ah, ok, já entendi.- Watson  interrompeu e nos separamos.

-Bom.- ela falou ser ar.- Eu vou ao toalete.

Ela saiu e vi que tinham várias pessoas me encarando, algumas mulheres, sorri para elas.

-Parece sério.- Watson sorriu.

-Claro que é.- sorri.

-Vamos ver por quanto tempo.- ele saiu.

De acordo com o testamento do meu pai, se eu não me casasse até completar vinte oito anos a empresa e todos os meus bens seriam dados a Watson.

Fui até o corredor dos banheiros e quando Emma abriu a porta rua coloquei de volta no banheiro e entrei, então tranquei a porta.

-O que foi aquilo?- ela cruzou os braços.

-Watson insiste que eu me torne responsável.- eu menti.- Quer que eu tenha um relacionamento sério.

-E o que eu tenho haver com isso?- ela me encarou.

-Você está morando comigo, ele pensou logo que fosse um relacionamento sério.- mentiras.

-Sim, mas não vou me envolver nisso.- ela se afastou.

-Você já se envolveu.- tinha que fazer ela concordar.

-Não vou participar disso, me demi...

-Não.- eu segurei os ombros dela.- Por favor, dou a você o que quiser.

-Obviamente que não.- ela riu.- Não mesmo.

-Qualquer coisa.- eu a sacudi.- Por favor, vou me ajoelhar.- e me ajoelhei.

-Dylan.- ela tentou me levantar.- Certo, certo.- ela concordou.

-Obrigada.- me levantei, segurei seu rosto.- Obrigada.- beijei a bochecha dela.

-Certo.- ela se afastou.- Agora é melhor sair daqui.

Eu assenti e abrimos a porta, assim que eu saí com ela algumas das senhoras ficaram nós olhando, coloquei a mão nas costas dela a festa toda para Watson não dizer o que isso era na verdade, uma enganação, tanto para Watson quando para Emma.

🔘

Não entendia o por que dele querer demostrar tanto para um senhor que tinha um relacionamento sólido.

Mas aceitei sabendo que ele ia estar me devendo algo, voltamos para casa em silêncio.

Tinha bebido um pouco, mas um pouco para mim já era muito, por ter bebido algo muito forte naquela festa.

Ele abriu a porta para mim e eu saí do carro meio que cambaleando, ele foi na minha frente e abriu a porta.

Assim que passei por ele decidi ir dormir, subi as escadas e fui até meu quarto, coloquei um short pequeno e uma blusa de conjunto com o short.

Depois de passar um tempo e eu não conseguir dormi me levantei e sai andando pelos corredores, a luz de um quarto estava acesa, me aproximei e era um escritório.

-Ainda bem que está acordada.- Dylan notou eu ali.- Consegue resolver isso?

Me aproximei para saber o que era e vi um problema no computador, me inclinei para resolver o problema do computador e algo aconteceu.

🔘

A bunda dela estava bem na minha frente e eu já tinha bebido muito, na festa e em casa mesmo.

Não me importava mais com nada, me levantei e coloquei ela contra e mesa, Emma soltou um gemido.

Me abaixei e abaixei o short dela, passei a mão pela bunda macia dela, e então dei vários tapas.

-Dylan.- eu gemeu.

-Quer que eu pare?- minha voz estava rouca.

-Não.- ela empinou a bunda.

Eu agradeci e dei mais alguns tapas, me abaixei e dei vários chupões na bunda dela, desci a calcinha de renda e ela empinou mais os quadris.

Eu me ajoelhei e abri mais as pernas dela, passei a língua pelos lábios dela, encontrei o ponto G dela e apertei sua bunda.

Ela estava tremendo contra a minha boca, e gemia feito uma maluca, eu adorava isso, bati mais uma vez naquela bunda.

Emma gozou e eu sorri me levantando, a virei e coloquei ela em cima da escrivaninha e abri mais as suas pernas.

Ela levou as mãos até minhas calças e abriu o zíper, então saiu da escrivaninha e se ajoelhou na minha frente.

O meu pau saltou da cueca, eu estava excitado demais e ela só aumentava tudo o que eu sentia.

Ela me colocou na mão e começou a fazer movimentos leves e devagar, coloquei a cabeça para trás, mas tinha uma coisa que eu tinha que fazer, e tinha que ser agora.

Eu coloquei ela de novo na escrivaninha e a penetrei com tudo, ela soltou um gemido muito sexy e agarrou minha bunda com as mão, me ajudando nos movimentos.

Tirei a blusa dela e depois a minha, me inclinei até estar na frente dos seios dela, lambi entre eles e coloquei um na minha boca, e chupei com força, ela inclinou o corpo.

-Com força.- ela pediu.

-Você quem manda.- eu sorri metendo com mais força.

Ela agarrou as ponta de mesa e  mordeu os lábios, eu estava chegando lá, e ela também já estava.

Assim que ela parou de tremer do orgasmo dela eu tive o meu, despejei tudo dentro dela, me apoiei na mesa.

Ficamos só respirando enquanto nossas forças voltavam, estava pronto para mais uma quando ela saiu de baixo de mim e pegou as roupas.

-Pra onde vai?- eu perguntei.

-Pro meu quarto.- ela sorriu para mim.

-Nós nem terminamos.- eu sorri.

-Não?- levantou uma sobrancelha.

-Não mesmo.- me sentei na cadeira.

-Só mais uma então.

Ela sorriu caminhando até eu, então sentou em cima de mim e encaixou meu membro dentro dela.

-Vai devagar.- eu sussurei segurando os cabelos dela.

-Vai me dizer como ir?- ela me encarou.

-Não senhora.- apalpei os seios dela.

-Ótimo.

Ela ia com delicadeza, tão devagar que eu estava muito excitado, eu queria muito meter dentro dela.

Segurei os quadris de Emma e estoquei dentro dela, Emma colocou a cabeça para trás e se apoiou nos braços da cadeira.

Os peitos dela pulavam a cada vez que eu penetrava ela com força, gozamos de novo e dessa vez ela foi embora.

Tinha que tomar cuidado com aquela menina, ela podia me prender só com o sexo gostoso dela.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...