História Meu chefe insuportável- Kim NamJoon - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), VAV
Personagens Personagens Originais, Rap Monster, St.Van, Ziu
Tags Namjoon
Visualizações 26
Palavras 1.066
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey yo bolinhos de arroz♡♡
Sinto muito tenho um amor eterno pelo Ziu, mas ele virou vilão kagalagaka

Capítulo 4 - Você não devia estar aqui


Fanfic / Fanfiction Meu chefe insuportável- Kim NamJoon - Capítulo 4 - Você não devia estar aqui

Alguns mêses antes

-Tem certeza de que você quer ir nessa festa?- Cherry me perguntava pela terceira vez.

-Tenho, estou cansada de ficar nesse apartamento o dia todo- disse enquanto passava um batom.

-Depois não vá ficar reclamando!

Quebra de tempo

Cherry tinha razão, esse lugar não era para mim, era uma festa na calçada mesmo. Muitos universitários encostados nos carros estacionados e na parede que na verdade era uma rampa para o letreiro de uma empresa.

Ela me deixou sentada na rampa e sumiu para cumprimentar "os mais chegados", o único problema é que os mais chegados da Cherry é Seul inteira.

-Hey, você é nova aqui não é?- um rapaz alto e loiro se aproximou.

-Sou sim, vim com a Cherry.

-Eu vi, é ela que está dançando naquele poste?- ele me deu a garrafa que estava em sua mão.

-A própria- dei um gole no líquido da garrafa que desceu queimando.

-Vai com calma ai novata- um outro rapaz se aproximou.

-Eai cara- O loiro o cumprimentou.

-Prazer sou St.Van- ele estendeu a mão para mim.

-Sou (s/n), prazer.

-Você não está um pouco deslocada não?- St.Van pegou a garrafa de minha mão e bebeu como se fosse água.

-Sim, eu devia ter ficado em casa lendo os meus livros.- Falei um pouco mais alto por causa da disputa de sons que ocorria na calsada.

Um terceiro se aproximou de nós, cochichou algo para St Van, o levando para outro lado da rua.

-Mas então moço, qual seu nome?- bebi mais um pouco.

-Prazer, sou o...

-ZIU, SAÍ DAQUI- Cherry chegou grirando- NÃO POSSO NEM DEIXAR MINHA AMIGA UM SEGUNDO QUE TU JÁ VEM PRA CIMA, SAI EMBUSTE.

O loiro atravessou a rua com cara de poucos amigos.

-Não fala com eles, por favor- ela segurou minhas mãos.

-Por que? Nós estavamos só conversando.

-(S/n), eu não tô brincando! FICA LONGE DESSES MENINOS. Do St.Van, do Ziu e qualquer outro do grupinho deles. São encrenca!

-Tá bom omma!- disse puxando minhas mãos.

-Onde você vai?

-Ao banheiro, quer secar minha piriquita?- revirei os olhos para ela.

Caminhei até um banheiro químico nojento que havia próximo dali. Fui pensando sobre minha conversa com a Cherry, eu não a entendia, sempre me mantendo longe de quem ela diz ser ruim, mas anda com um bando de noia com três passagens na polícia, no mínimo.

Saio do banheiro bem feliz da vida, me sentindo até mais leve. Ouço vozes vindas do estacionamento e acabou ouvindo um pouco da conversa.

Já ouviram falar em "a curiosidade matou o gato"? Pois é, a única diferença é que de gata não tenho nada.

-Me dá mais uma semana, eu juro que vou pag...- Um rapaz leva um soco no estômago e "cospe" o ar para fora.

-Você disse isso semana passada, já chega- Dois caras seguraram o menor que logo em seguida levou um tiro de um mais alto.

Não consegui conter o grito, quando percebi já estava sendo segurada por dois caras.

-O que você está fazendo aqui?- Era Ziu. Ele limpou o sangue que espirrou em seu rosto com um lencinho e depois o guardou no bolso.

-ME SOLTA. CHERRY, SOCORRO.

-CALA A PORRA DA BOCA- Ziu segurou minha garganta, me enforcando- Vocês dois, levem ela pro carro- Você não devia estar aqui, devia ter ficado com os seus livros- o ouvi dizer ao entrar no carro.

Fui arrastada até um carro preto que estava estacionado logo em frente.

Quebra de tempo

Algum tempo depois o carro entrou na garagem de um condomínio, só haviam carros caros lá, acho que nem meu apartamento mobiliado custa o preço de um daqueles carros.

Subimos de elevador até o décimo terceiro andar. Me colocaram em um quarto e trancaram a porta.

Apesar de tudo, era um quarto bonito. Móveis brancos combinando, uma cama enorme que sequer caberia no meu quarto e um tapete tão macio que poderia se esconder dentro dele.

Procurei uma maneira de sair dali, pela janela seria impossivel, a menos que eu vire a Barbie butterfly e saia voando do último andar. O jeito era tentar sair quando destrancassem a porta.

Logo isso ocorreu. Ziu entrou, mas a trancou novamente guardando a chave em seu bolso.

-Você devia estar morta. Mas eu gostei de você, tem um rostinho bonito- Ele acariciou meu rosto- daria uma ótima prostituta de luxo, mas não estou muito interessado agora- dei um tapa em sua mão, o afastando- Eu tenho uma proposta a te fazer. Sabe o cara que você nos viu matar?- fiz que sim com a cabeça- Ele nos devia muita grana, você pode continuar viva se nos pagar o que ele devia.

-E quanto é que ele devia?- eu não sabia o que fazer, qualquer coisa que prolongasse minha vida já me deixava feliz.

-Digamos que suficiente para comprar duas coberturas como essa.

-Você está louco? Eu mal ganho um salário mínimo! como vou pagar isso tudo?

-Aí já é um problema seu. Aceita ou não?

-Aceito!

-Você tem sete mêses para pagar a dívida- ele já ia saindo do quarto.

-EM SETE MÊSES EU NÃO ARRUMO NEM METADE DA GRANA!

-Então vou dar um jeito de cobrar apenas a metade da dívida- Ele se aproximou de novo, dessa vez me empurrou contra a parede.

Por mais que eu estivesse com medo de tudo o que estava acontecendo, não conseguia me afastar dele. Uma de suas mãos foi de encontro com a minha nuca enquanto a outra me trazia para mais perto dele, pela cintura. Seus lábios eram rosados e macios, seu beijo era calmo. A mão que estava em minha cintura logo desceu para minha bunda, ele deu um tapa forte e com uma mordida em meu lábio inferior se afastou.

-Agora você só deve metade do dinheiro- Ele arrumou o colarinho da camisa e tirou a chave do bolso.

-E se eu não conseguir em sete mêses?- Perguntei com medo da resposta.

-Eu ia te matar, mas acho desperdício. Então se não conseguir pagar, você vira minha prostituta de luxo. O que acha? Mas se contar qualquer coisa pra alguém, você morre. Que jogo interessante!- ele disse batendo palmas.

-Você precisa de um médico! 

-Eu sei, quer ser a enfermeira ou quer sair logo da minha frente?

Ele destrancou a porta e eu saí, tive que pagar um táxi.

Cheguei em casa, menti um pouco para Cherry.

Amiga, você sumiu e eu fiquei cansada, peguei um táxi e vim para casa.

Tomei banho e tentei dormir.

Teria que deixar a faculdade para sobrar dinheiro e mais tempo para trabalhar, amanhã sairia para procurar um emprego extra, só com o meu atual nunca ia conseguir. Amanhã penso nisso, só quero dormir e sumir do mundo por algumas poucas horas.


Notas Finais


Annyng Annyong♡♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...