História Meu Chofer Sexy - Capítulo 5


Escrita por: ~ e ~Binhow2

Postado
Categorias Alfredo Flores, Ariana Grande, Ashley Benson, Camila Cabello, Hailey Rhode Baldwin, Justin Bieber
Personagens Alfredo Flores, Ariana Grande, Ashley Benson, Camila Cabello, Hailey Baldwin, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Amor, Ariana Grande, Ashley Benson, Chaz Somers, Dinheiro, Jailey, Jariana, Justin Bieber, Ryan Butler, Sexo
Visualizações 207
Palavras 3.091
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Luta, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem, capítulo grande. Demorei muito pra fazer.

Boa Lietira!!!

Capítulo 5 - Chapter : 04 - Sabe oque você tem? Tem sorte que beija bem


Fanfic / Fanfiction Meu Chofer Sexy - Capítulo 5 - Chapter : 04 - Sabe oque você tem? Tem sorte que beija bem


Pov's Ariana

Que diabos esse cara está fazendo no meu carro, pensava que ele era o primo do Harry Styles, porque ele estaria vestido desse jeito. Ele se chamou de Chofer? Não acredito nisso, justo na hora que eu tinha arranjado uma coisa pra melhorar meus problemas, esse cara vem e destrói tudo, eu realmente achava que ele era um Styles, ele é bonito, atraente, não tem cara de ser um simples chofer.

- Não acredito nisso, tinha mesmo que ser você a mulher do Senhor Alfredo? - Ele pergunta me fazendo franzi o cenho.

- Como é que é, você que mentiu pra mim, dizendo que era um dos Styles, que é rico e tal - Mentiroso filho de uma puta, esse cara.

- Você que não se dar o respeito, aceitou meu beijo, sendo que você é casada. E ainda deu em cima de mim, depois  que eu disse que era bem sucedido, não venha me julgar - Esse cara quer se fazer de santinho.

- Primeiro lugar, se você não quisesse que eu desce em cima de você, você diria a verdade. Segundo, eu disse que era casada, só não disse com quem. E Terceiro, você quem me beijou, eu so fiquei parada - Me defendi e ele deu uma risada Sacarstica.

- Eu só te beijei por culpa do calor do momento, eu tenho namorada. Outra coisa, eu só te beijei também porque você não me disse que era casada com o Senhor Flores - Esse cara é um otário, na moral.

- Então, se eu fosse casada com outro alguém sem ser o seu patrão, não iria ser problema, como que o Alfredo contrata um mentiroso desse, só pode ser brincadeira - Digo impaciente, ele nem começou a dirigir, se ele mentiu pra mim dizendo que era rico, mas na verdade era um pobre chofer, pelo ao menos faz o trabalho que tem que ser feito num é.

- Não to dizendo isso, não me interprete mal. Agora chega desse assunto. Desculpa por ter mentido pra você, só queria mostrar uma boa impressão. Agora vamos seguir o caminho calado - Ele diz ligando o carro.

- Meu querido, eu falo quando quiser, o carro é meu eu faço oque quero. Sua obrigação é me levar para o meu destino sem questionar PORRA nenhuma - Digo "PORRA" alto e ele revira os olhos - Não revire os olhos pra mim não tá, ou você quer que eu fale para meu marido que o novo empregadinho dele me agarrou a força no elevador, e me acediou, em quem ele acreditaria? Na sua linda mulher ou em seu chofer? - Digo e ele me olha com os olhos arregalados.

- Oque, você não faria isso - Ele diz balançando a cabeça em forma de negação.

- Você dúvida? Você não me conhece, bebê - Digo pegando meu celular e o mesmo puxa o celular da minha mão e coloca no bolso de sua calça - Devolve - Disse.

- Vamos esquecer esse assunto, tá - Você mentiu pra mim, eu mentir pra você, estou pedindo desculpas, agora por favor não conta para o Senhor Flores, preciso muito desse emprego. Aquilo não vai acontecer novamente, Agor que nos conhecemos e cada um sabe sua etnia - Reviro os olhos e assinto.

- Tá, agora faz o favor de me dar o meu celular e andar esse carro - Digo pegando meu celular e ele começa a andar com carro.

- Pra onde a senhorita deseja ir? - Ele me pergunta me olhando pelo o retrovisor do carro, já que eu me encontrava no banco de trás.

- Olha, eu não conheço direito às ruas de Nova iorque, o senhor? - Me lembro o nome dele, como não lembraria apesar de otário ele é um gato. Só fingir que esqueci pra ele não pensar que eu me importei com aquele beijo, mas na verdade eu me importei.

- Justin Bieber - Ele diz e eu desvio meu olhar para o retrovisor visando seus olhos castanhos cor de Mel, porque esse cara não nasceu rico, em? Pegaria ele sem problemas.

- Ahh, você sabe onde fica a empresa, Love is Everything? - Pergunto e ele assenti.

- Sei muito bem, você trabalha lá? Disseram que lá é uma das melhores lojas de modas do país.

- Eu Sou dona daquele lugar, bebê - Digo sorrindo e ele faz cara de surpreso.

- Parabens, sua loja tem as melhores marcas de roupas - Ele diz me dando parabéns, mas eu nao preciso disso, eu sei que minha loja é perfeita.

- Obrigado, sei disso - Digo me gabando e ele rir - Não vi graça, do que está rindo.

- Do seu jeito, você é muito perfeccionistas, anda sempre se gabando e isso combina com você - Ele sorrir de um jeito diferente pra mim e eu dou um sorriso fraco, o Justin parece ser um daqueles caras legais, que sempre aceita os gostos das pessoas, que todo mundo quer por perto. Diferente de mim. Saio dos meus d esvaneios quando o carro para em frente da empresa. Pelo ao menos ele é um bom motorista, e a empresa não é tão longe do apartamento. Justin vem até minha porta e abre pra mim, saio sem olhar para sua face e vou direto ao portão da empresa. Olho para trás por poucos segundo e vejo o Justin olhando pra mim encostado no carro sorrindo, vejo e volto a olhar para frente quando sinto mãos em meus ombros, olho para trás novamente.

- É pra vir te buscar que horas Senhora Flores? - Justin pergunta sorrindo e eu fico um pouco parada vendo o mesmo - Senhora Flores? - Ele diz me tirando de meus pensamentos.

- Ao meio dia, por favor - Digo tirando suas mãos de meus ombros e entrando na empresa. Passo sem dar bom dia para os empregados, eles não merecem minha voz. Entro no elevador mas tomo um susto quando vejo a Camila entrar do nada no mesmo com alguns papéis.

- Mais problemas pra você Ariana, e dessa vez não vai ser fácil - Ela diz e eu suspiro - La em cima conversamos - Assinto. Assim que o elevador chega no último andar, entramos na minha sala, e vou de encontro com uma janela gigante, mostrando a cidade de Nova Iorque.

- Oque for pra me falar, fala logo Camila - Camila era uma das minha secretarias, e minha melhor amiga ela era a única que eu confiava, a única que eu contava meus podres.

- Sua empresa está falindo, e o dinheiro que você está dando pra resolver esse problema, não está servindo de nada, precisamos de muito mais - Ela diz e eu Bufo.

- Calma Camila, meu marido é o maior dono das empresas de ferraris, eu vou arranjar o necessário pra acabar logo com essa situação - vou tentar.

- Oque vai fazer? O dinheiro de todos os seus ex maridos, você investiu aqui, e agora você está falida, só tem o dimehiro do Alfrredo. O que pretende fazer, mata-lo? - essa garota não é certa.

- Você está louca, eu sou lá alguma assassina? - Digo com um tom baixo.

- Você num matou alguns de seus ex? - Ela pergunta.

- Não, eles só estavam doentes, e a vida fez o favor de fazer oque ela tinha que fazê. Porque que você acha que eu casei com o Alfredo? Porque ele é um velho rico, que provavelmente esta começando a ter sintomas de câncer, ele nem sabe disso. Eu so sei por que antes de casar com ele, investiguei sua vida.

- Você é má, mas não burra - Ela diz rindo - Eai, mudando um pouco de assunto, como é seu novo chofer? - Ela pergunta e eu me lembro do Justin, aqueles lindos olhos e sorriso. Ariana, para.

- Você não sabe, menina, quase esqueci desse detalhe - Digo empolgada - Sabe aquele cara que eu disse que conheci, que ele era bonitão e era um dos Styles?

- Sei, o tal do Justin, oque é que tem ele? - Ele pergunta curiosa sentando na cadeira.

- Ele é o meu Chofer - falo e ela fica confusa - Ele mentiu pra mim, disse que era um homem rico so pra me mostrar uma boa impressão. Mas na verdade ele era o chofer que o Alfredo tinha contratado e não tinha me dito - Falo e ela se surpreende.

- Não acredito nisso mulher, vocês se beijaram de novo, Eai, vocês vão ficar? - Ela pergunta e eu sorrio.

- Claro que não, eu sou casada - Digo e nós duas rimos por causa do meu sacarsmo. Rio tanto que meusnomhos se enchem de lágrima - Mas... Não, não vou pegar ele - Digo tentando parar de rir enquanto a Camila faz o mesmo.

- Até parece que você é fiel com algum de seus maridos, você sempre arranjava um amante pra compessar, e esse veio mais rápido do que as ferraris do seu marido - Ela diz e eu rio mais.

- Mas não, não vou pegar ele. Ele tem namorada. E Pelo o visto é um pobre qualquer que não tem nem aonde cair morto - Digo rindo - Agora chega deixa eu trabalhar por favor, hoje eu vou sair mais cedo, o Alfredo quer conversar um pouco comigo, deve ser sobre esse assunto da doença dele, o coitado veio descobrir isso agora - Digo e Camila sai rindo indo pra sua mesa que ficava na minha sala. Fiquei um pouco resolvendo algumas papeladas até que o relógio bateu 12:18, o coitado do Justin deve estar lá esperando. Peguei minha bolsa e sair, mas ou interrompida por Camila.

- Parece que está fazendo um calor da porra la fora, disse a garota do tempo do jornal, acho melhor tirar esse blazer- Ela diz e eu tiro meu blazer Preto me encontrando com um vestido apertado em meu corpo vermelho com um decote em meus seios.

- Ok, tchau - Digo colocando o blazer dentro da bolsa é descendo de elevador até o térreo, passo novamente sem desejar Boa tarde. Saio do portão encontrando o Justin encostado no carro sério, ele dar um sorriso malicioso quando me ver vindo - Porque desde de manhã você está soltando esses sorriosnpra mim - Digo seria e ele abre a porta pra eu entrar, so que dessa vez eu vou sentar no banco da frente - Responde - Digo sentando ele fecha a porta e dar a volta no carro sentando no seu lugar ligando o carro e saindo.

- Ora pois, eu sou seu empregado, tenho que mostrar uma boa reação a te ver, você gostaria que eu te avisasse e ficasse com uma reação de tristesa no rosto? Acho que não, então é melhor sorrir, a vida é bela - Ele diz sorrindo, e eu reviro os olhos e olho para a janela.

- Sei - Digo curta e vejo uma expressao estranha em seu rosto olhando para frente, olho pro local. Não acredito nisso, engarrafamento de novo, so poderia ser em Nova Iorque mesmo.

- Parece que vamos ficar um bom tempo aqui, se acostuma - Ela diz tirando seu blazer ficando apenas com aquela camisa branca até os punhos e eu levanto uma sobrancelha.

- Já pode isso é ? - Digo olhando pra frente.

- Esta fazendo um calor da zorra aqui, e o ar condicionado não está resolvendo nada - Ele diz tirando seu chapéu.

- Ótimo funcionario você - Digo com sarcasmo, sou muito sarcástica.

- Sou mesmo, mas também sou um ser humano, sinto calor, não vou ficar aqui parado suando - Ele desbotua alguns botões de sua camisa deixando mostrar um pouco seu peitoral, avisto uma cruz linda coberta de suor.

- Bela tatuagem - Digo curta olhando para a frente e o memso rir assentindo.

- Obrigado, tenho varias, meu amigo Chaz é tatuador, ele fez algumas pra mim, cada uma tem um significado pra mim, não vivo sem nenhuma delas. Tenho essa escrita Purpose - Ele diz desabotuando por total sua camisa deixando a vista seu físico nem tão forte nem tão fraco. Ele tinha um tanquinho formando e seus peitoral era grande. Olho para tatuagem - Tenho essa aqui também - Ele diz mostrando uma na Beira de sua calça e parece que o calor aumentou aqui no carro - Tenho essa - Ele diz mostrando uma que se encontrava atrás de seu pescoço - Tenho várias - Ele diz e eu avisto várias tatuagens em seu corpo e o calor fica mais insuportável ainda.

- Que bom, todas são lindas - Esse cara está provocando, só pode.

- Já que já está aberto minha camisa eu vou tirar ela, se importa - Nego com a cabeça e ele retira sua camisa branca. Agora chega, se é pra provocar eu também sei. Meus cabelos estavam soltos jogados por cima de meus seios, não dava pra ele enxergar meu decote, mas como ele está provocando, eu também vou. Amarro meu cabelo em um coque deixando meus seios destacados no meu decote. Vejo seus olhares indo em direção aos meus seios e lá ficando. Até que o carro em nossa frente começa a andar e trânsito volta ao normal.

- Você pode fazer o favor de prestar atenção na estrada - Digo fazendo ele sair dos seus desvaneios, quando ouço sons de buzinas fazendo sinal para que o nosso carro se mova. Justin liga o carro novamente e dirige o mesmo. Sorrio de lado olhando na janela escondendo meu sorriso.

- Tá rindo do que - Ele diz rindo junto comigo.

- Você sabe bem - dessa vez sorrio alto e ele balança a cabeça sorrindo. Ele entendeu finalmente.

- Não teve graça - Ele rir e eu rio mais ainda.

- Claro que teve, você estava ocupado de mais olhando pra lugares que não deverei nem sequer pensar neles.

- É  que eles são tão simétricos, tão redondos aparentemente duros - Me surpreendo com sua resposta e sorriso. Nossa faz dias que eu não fico feliz desse jeito.

- Que desrespeito - Digo seria, tentando esconder meus risos e ele também.

- Desculpa senhora, me empolguei.

- Ah bom - Sorrio e ele também mas ele disfarça, eu não. Chegamos no apartamento, ele veste sua camisa dar a volta no carro e abre a minha porta - Obrigadan digo saindo do carro ele assenti mas eu paro em sua frente - Faz tempo que eu não ria desse jeito, se considere sortudo por me fazer rir.

- Ok senhora, você também é  uma comédia, já vi que esse trabalho vai ser um dos melhores, gostei de você - Nossos corpos estavam próximos, sentia sua respiração em mim, olhei para seus olhos castanhos e fiquei um pouco lhe observando enquanto ele fazia o mesmo. Ele se aproximava mais perto e eu sentia sua respiração quente em e meu rosto. Quando seus lábios iam tocar os meus dei lhe um empurro.

- Você iria me beijar? - Pergunto confusa.

- Awn...Não... Eu só ia....  - Ele fala gaguejando e eu reviro os olhos.

- Poupe suas palavras, tchau, você pode ter o resto do dia de folga, tchau.

- Tchau senhora tenha um bom dia - Ele diz entrando no carro e eu sigo meu caminho, mas paro e me viro de volta pra trás. Dou um grito dizendo pra ele parar e o mesmo para o carro. Abro a porta do carro fecho e ele me olha estranho.

- Calado - Seguro sua nuca selando seus lábios e pedindo entrada com minha língua, ele aceita e vasculha cada centímetro da minha boca, o beijo vai ficando mais quente, ele coloca suas mãos e minha cintura me colocando em seu colo. Dou uma mordida no lóbulo de sua orelha e começo a dar chupões em seu pescoço ouço um gemido de sua boca e beijo o mesmo novamente. Acabo um beijo com uma mordida em seus lábios.

- Isso vai ficar só entre a gente né  - Ele pergunta assustado com medo do Alfredo saber.

- Sabe oque você tem Justin? - Ele faz cara de confuso - tem sorte que cê beija bem, senão -Digo saindo de seu colo e em seguida abrindo a porta do carro e saindo, olho para seu rosto e o mesmo se encontra confuso e sorrindo.  Subo o apartamento encontrando o Alfredo sentado numa poltrona, hora da conversa. Tenho pena por ele não saber que acabou de ser traído. Não sei oque me deu, mas eu me sentir na obrigação de beijar o Justin, ele me provocou foi tudo culpa dele.

- Oi amor - Digo sentando em sua frente.

- Oi meu bem - Ele me dá um selinho e se senta ao meu lado no sofá branco enorme.

- Oque foi, oque você queria conversar comigo, oque era tão importante assim? - Digo fingindo preocupação.

- Amor, eu estou doente - Novidade - Parece que eu estou com câncer e a doença ja estava começando a um tempo, mas eu nao estava me preocupando muito. Agora eu to sofrendo as consequências. Fui ao médico e o mesmo me disse que eu precisava começar a fazer a quimioterapia e rápido - Esse cara é  muito idota, tá vendo que tá doente invés de ir logo procurar um médico, não. Fica ai gastando o dinheiro que tem pra dar e vender.

- E  Agora amor, não quero que vlce morra - Digo abraçando o mesmo e chorando, quer dizer... fingindo.

- Parece que vamos u vou ter que fazer as operacoes e depois saber se u tenho chance ou não. Provavelmente não. Mas não era só isso que eu queria conversar com você. É  que se acontecer alguma coisa comigo eu preciso de alguém pra organizar a empresa. Eu escolheria você - Claro que ele me escolheria - mas eu Tenho um filho, dei ele pra doação quando ele era pequeno e não quero morrer sem ao menos conhecê-lo melhor. Então preciso encontrar ele, ele quem vai ficar com minha herança - Oque esse velho está pensando? Mas ele não vai mesmo entregar sua herança pra seu filho, eu quero é prova - Você vai me ajudar?  - Ele pergunta triste.

- Claro, com todo o prazer - Esse velho vai morrer, mas esse filho ele não vai reencontrar. Eu sou Ariana Grande Butera consigo sempre tudo oque quero


Notas Finais


Até o próximo capitulo pessoal. Comentem se gostarem, isso ajuda muito.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...