1. Spirit Fanfics >
  2. Meu coração ao seu ritmo - Kiribaku >
  3. Capítulo 10: Antes do tempo

História Meu coração ao seu ritmo - Kiribaku - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


Espero que gostem

Capítulo 10 - Capítulo 10: Antes do tempo


Fanfic / Fanfiction Meu coração ao seu ritmo - Kiribaku - Capítulo 10 - Capítulo 10: Antes do tempo

 Nada mudou entre mim e o ruivo idiota, ele continuava a me vizitar de vez em quando, um pouco mais de frequência depois que a Maya veio buscar o Yusuke, ele continuava a se um imbecil, continuava fazendo suas brincadeiras bobas para me fazer rir, a única diferença que agora essas brincadeiras incluíam beijos roubados, o filho da puta continuava a toca suas músicas idiotas para mim em seu restaurante, só que agora as músicas poderiam carregar um sentimento de amor em suas notas

 Não estou reclamando, a única coisa que me impediu de começar algo com o ruivo foi o medo da mudança, eu não queria estragar uma relação de tantos anos. Kirishima não tinha nada para descobrir sobre mim, ele me conhecia melhor do que ninguém e ainda gostava de mim mesmo assim

 Mas os anos que passaram em nossa vida não diminuio a vontade de ter momentos bobos, tanto que agora dançavamos em minha pequena cozinha, uma música lenta e doce, só eu e ele 

 Repousei minha cabeça em seu ombro, fechando meus olhos para absorver todos os aspectos daquele dia, senti o ruivo em mim, dançando como se o tempo não passasse e esquecendo o que aconteceu nesses últimos 11 anos separados 

 Por que diabos passei 11 anos longe deste homem? E por que agora parecia que eu não tinha passado nem dois minutos?

 — Eu já disse que gosto de você? — Kirishima pergunta com um grande sorriso no rosto

 — Se você repetir essa mesma ladainha de novo eu vou quebrar todos os seus dentes — ele fecha a boca como se tentasse se proteger de minha possível atitude violenta

 — Justo — ele me deu um pequeno selinho e voltou sua expressão feliz 

 A música parou de repente, mas nem eu e nem ele se afastamos, era bom está ao seu lado

 — Eu te amo, Bakubro

 — Lhe digo o mesmo, Cabelo de Merda










 Kirishima me ajuda a abrir a floricultura, agora estava com 8 meses de gravidez e está ficando um pouco mais complicado de cuidar do estabelecimento, as coisas são ou muito altas ou muito pesadas, pelo menos a parte das vendas é fácil e numerosa. Com o Natal se aproximando muitos alfas vem para minha loja comprar flores para seus ômegas (a muito pouco betas fazendo o mesmo), as lojas também ficaram mais interessadas em enfeites floridos nessa época do ano (o que é muito bom para mim) e os velhos senhores vem comprar buquês para os túmulos de familiares já falecidos (esse último é sempre bem triste) 

 Suspirei um pouco abatido, tinha muitas rosas em minha loja, eu odiava cheiro de rosas, ainda bem que eu não consigo sentir o cheiro hormonal das demais pessoas, eu odiaria imediatamente a pessoa que cheirasse a rosas 

 Pensando bem, como será o cheiro de meu parceiro, ou o meu cheiro, como era complicado ser assexual em um mundo que era movido a odores naturais 

 — Filho da puta — o ruivo olha para mim depois que o chamo — qual é o meu cheiro? — ele me olha um pouco confuso 

 — Como assim? Você está com um problema no nariz? — o idiota por acaso esqueceu

 — Você não lembra? Eu disse que sou assexual, então não consigo senti o cheiro característico para o acasalamento, então não sei como eu me cheiro — falo como se fosse óbvio

 — Assexual? Eu acho que já estudei isso na escola… — lá vamos nós de novo — espera, isso quer dizer que você não tem pinto 

 — EU TENHO PINTO! — gritei para minha total vergonha — são tipos diferentes de assexualidade, eu só não sinto atração sexual e por isso não tenho nenhum interesse em relações sexuais, eu te contei isso no dia que você apareceu bebo na minha casa 

 — Eu não lembro de nada daquele dia — ele coça a cabeça um pouco confuso — então você não sabe que você cheira a Caramelo? — nego com cabeça

 Por algum motivo o Kirishima fica totalmente vermelho, foi fofo ver ele tentando esconder seu rosto entre suas mãos 

 — Eu amo o seu cheiro — diz depois de uma longa pausa — o que me deixa constrangido é como eu fui um completo idiota algumas vezes — a vermelhidão em sua fase aumenta

 — Como assim? — pergunto

 — Eu fui algumas vezes para sua casa quando eu estava no cio, para tentar você, eu me sinto muito aliviado e envergonhado agora — fico surpreso com essa nova informação 

 — Como assim "aliviado"? — me aproximo um pouco mais dele

 — Eu pensei que você não reagia a minhas investidas porque não estava interessado em mim, mas agora eu sei que você só não conseguia e não sabia — segurei suas mãos e pude sentir como elas tremiam

 — Você ainda me quer? 

 — Sempre!













 O ruivo não apareceu hoje de novo, o serviço no restaurante estava puxado, então era complicado escapar um pouco para me ver, mas já fazia dois dias desde o nossa pequena conversa na floricultura e não tocamos mais no assunto 

 Me sentei no balanço do quintal e tentei pensar em algo, ou melhor, em alguém

 Minha pequena Aika não me deixou em paz hoje, as dores estavam um pouco intensas, era algo normal, as dores vinham juntos dos enjoos e das noites mal dormidas, mas a cada hora ficava mais constante, até que as horas se transformam em minutos 

 6 minutos para cada dor

 Eu suspeitava de algo, mas eu estava com apenas 8 meses de gravidez então não estava na hora, não podia está na hora 

 Peguei meu telefone e liguei para o ruivo idiota, eu não queria está sozinho se minhas suspeitas estivessem certas 

 — Oi, Bakubro — a voz do outro lado da linha me acalmou um pouco

 — Venha pra cá agora! — então desliguei

 Respirei e suspirei várias vezes, tentando acalmar ou diminuir as dores insuportáveis

 Estava com apenas 8 meses, não estava na hora

 Respira

 Suspirar

 Respirar

 Suspirar

 Não pirar

 Respirar

 Suspirar

 Respirar

 Não pirar

 Fiquei nesse mantra por mais tempo que meu cérebro poderia contar, o tempo de pausa entre as contrações estavam ficando cada vez menores e a dor mais aguda. Onde estava o ruivo idiota? É só 6 minutos de carro, espero que ele tenha pegado o carro

 — Calma, Aika — tento focar em algo além da dor, mas estava ficando cada vez mais complicado — não precisa ter pressa para chegar nesse mundo de merda, quando você chegar na sua adolescência emo você vai odiar cada segundo

 Me levando do balanço e vou andando até a sala, cada passo sendo dado com um xingamento de acompanhamento. Por que as pessoas querem ter mais de um filho? Dói demais, um chute no saco nem se compara com essa merda 

 Me equilibrei na bancada da cozinha, acho que não vou conseguir ir até a sala 

 — Que droga!

 O chão abaixo de mim fica encharcado, minha bolsa havia estourado

 — Bakubro! — vejo o ruivo me olhar assustado — você mijou?! 

 — NÃO SEU IMBECIL! A AIKA VAI NASCER! — grito pela dor ou pelo ódio

 — Mas ainda está cedo, bebês só nascem com 9 meses 

 — Diz isso para ela daqui algumas horas, agora cala essa boca e me leva para o hospital 

 — Certo Baku…

 — EU MANDEI VOCÊ CALAR A BOCA!


Notas Finais


Próximo capítulo vocês iram conhecer a Aika


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...