História Meu coração gelado. - Capítulo 35


Escrita por:

Postado
Categorias A Origem dos Guardiões, Como Treinar o seu Dragão, Enrolados, Frozen - Uma Aventura Congelante, Valente
Personagens A Fada dos Dentes, Anna, Astrid, Bafo e Arroto, Banguela, Batatão, Bicho-papão (Pitch Black), Cabeçaquente Thorston, Coelhão, Dente-de-Anzol, Elsa, Flynn Rider, Hans, Jack Frost, Jamie Bennett, Lorde MacGuffin, Lorde Macintosh, Mérida, Norte, Oaken, Olaf, Pascal, Perna-de-Peixe, Personagens Originais, Rainha Elinor, Rapunzel, Rei Fergus, Soluço
Tags Hiccelsa, Janna
Visualizações 49
Palavras 1.370
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Famí­lia, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Romance e Novela, Violência
Avisos: Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 35 - Pai...


Fanfic / Fanfiction Meu coração gelado. - Capítulo 35 - Pai...

Na manhã seguinte o castelo estava muito quieto até demais, a fada dos dentes não tinha voltado para sua casa e as fadinhas estavam muito ocupadas com seus trabalhos de armazenamento de lembranças infantis, elas nem repararam nas crianças que corriam animadas apostando corrida até a sala da fada dos dentes onde eles faziam as refeições

- ganhei! – disse Jamie animado chegando primeiro.

- ah, fala serio. – Alex deu um empurrão no irmão que comemorava.

Jamie parou a dança da vitória e encarou a frente sem graça e perplexo.

- o que foi?

Alex olhou e logo abriu um enorme sorriso. Agora era Alex comemorando e Jamie entristecido e sem a menor animação. Jack e Anna estavam sentados em um sofá um do lado do outro, sorrindo e bem na hora que Jamie avia se virado eles se beijaram, nada serio só um selinho, mas bastou para o menino ficar totalmente constrangido e sua irmã começar a preparar o casamento.

- oi, crianças. – disse Jack se voltando para eles.

Alex pulou no meio deles mostrando que ela ainda era o centro de tudo o que estava acontecendo, enquanto Anna e Jack olhavam preocupados para o menino chocado de olhos arregalados que não mostrava felicidade e nem tristeza só parecia existir, como se fosse um fantasma parado para assombrar o casal feliz. 

- você está bem? – perguntou Anna se aproximando do menino.

Ao sentir a mão de sua mãe em seu ombro, ele recuou alguns passos para trás mantendo a distancia que preocupou ainda mais os dois adultos que não entendiam bem como deveriam agir.

- eu ajudei a Alex... – olhando para o chão. - Mas eu achei que era brincadeira, eu não achei que era serio.

O menino saiu rapidamente sem dar tempo para Anna ou Jack gritarem o nome dele ou agarra-lo na fuga. Alex parecia não ligar para o irmão, ela ainda sorria e brincava com a sua perna que balançava no sofá.

 - eu vou atrás dele. – disse Jack pronto para sobrevoar o castelo atrás do menino.

Mas antes que ele pudesse ir atrás do menino, umas 5 fadinhas se infiltraram no campo de visão dele o impossibilitando de voar. Elas não pararam de se mexer e chacoalhar os braços na frente do rosto como se algo muito ruim estivesse para acontecer.

- o que foi? – ele tentava tirar elas da frente dele. – vocês estão me atrapalhando e (interrompido).

- PITCH, ESTÁ VINDO! – gritou a fada a plenos pulmões. – vocês precisam ir!

As fadinhas se afastaram de Jack, deixando-o a fada dos dentes apresarem os três para o salão principal, onde Norte os esperava com o portal aberto e do outro lado a fabrica do papai Noel pronto para a família de Arendelle.

- NÃO, JACK O JAMIE! – gritou Anna que fora emburrada para o outro lado do portal junto com Alex.

A fada e Papai Noel olhou para Jack esperando o que ele ia fazer, mesmo que eles já tivessem uma ideia do que o garoto mais imprudente iria fazer.

- vou atrás do Jamie. – disse firme.

- eu sabia que você diria isso. – papai Noel deu um empurrão de leve no ombro dele, Jack deu um passo para frente se equilibrando. – certo coelhão!

Coelhão da pascoa saiu de um buraco no chão com os bumerangues na mão.

- onde está Pitch? – perguntou zangado.

Enquanto os três coelhão, fada dos dentes e Papai Noel iriam segurar Pitch, Jack teria que achar Jamie o mais rápido possível antes que Pitch achasse Jamie, e como da ultima vez Jamie desafiou Pitch, os guardiões sabiam que isso iria ter volta com toda certeza.

Pitch não parecia ter a menor pressa para chegar até o castelo, ele andava pela floresta abaixo do castelo da fada e examina o local com calma, mas seu pequeno momento de precisão fora interrompida por uma criança que soluçava alto e para o bicho papão nada é mais convidativo que lagrimas de uma criança assustada.

Ele então, se esgueirou até onde ouvia a criança e se escondeu atrás das arvores para ver que plaquinha chorava. Ao ver a criança um suspiro pesado de aflição seguido por uma revirada de olhos e a mão massageando a testa. Só de ver “ele” as lembranças do ultimo encontro voltará à tona. “Ele” o desafiando, os olhos marrons cheios da valentia de Anna e a mistura asquerosa do caráter rebelde e sem o menor medo de seu próprio pesadelo que era típico de Jack.

Aquela criaturinha é um ser que deveria morrer sem duvida. Mas quando Pitch ia atacar era o momento perfeito, onde a criança estava tão assustada que até um pequeno pesadelo derrubaria essa criança a sua frente e seria muito prazeroso, mas Jack apareceu na frente de Jamie que estava com a cabeça baixa entre os joelhos, encostado em uma pedra no meio da floresta e soluçava.

- Jamie, precisamos ir. – dizia Jack encostando-se ao seu ombro.

O menino se desencilhou da mão que estava em seu ombro e murmurou algo que ninguém entendeu e Jack continuou a tentar convencer o menino a ir com ele. Pitch parecia contente em ver Jack Frost bancando o papai cuidadoso e sendo rechaçado por uma criança.

- é serio Jamie! – Jack gritou por fim.

O menino parecia não se importar e continuava a olhar para baixo.

- tudo bem, - ele levantou Jamie contra a sua vontade. – e para de me bater.

- não, me deixa no chão! – berrava o menino se debatendo.

Para Pitch isso era um show de terror. Essa criança era um pesadelo e muito mimado, ele já estava fazendo o gesto da cruz para a cena a sua frente.

- que deplorável Jack – Pitch continuava a observar Jack com o rosto de extrema pena. – isso é tão trágico...

Jack em fim desistiu e o abaixou.

- pronto. –  deixou Jamie no chão.

Jamie voltou a se sentar com as pernas formando um triangulo, mas dessa vez não abaixou a cabeça e continuava desconfortável com algo.

- o que você tem? – olhando para Jamie. – não minta. – com a maior seriedade no rosto.

- Pai... – Jack e Pitch arregalaram os olhos e com a boca deles quase chegando no chão do susto. – Eu... Eu posso te chamar assim? – ele estava muito vermelho.

Jack não respondeu na hora, e a espera por uma resposta pareceu uma eternidade para Jamie que não parava quieto tentando se fixar os olhos no horizonte.

- sim. – respondeu Jack.

 - é serio? – perguntou com os olhinhos brilhando.

- só tem um porém aqui. – falou firme deixando Jamie quase sem esperança. – só vai valer se eu te chamar de filho, pode?

- pode, pode, pode. – se jogando nos braços de Jack.

Jack se levantou com o pequeno nos seus braços e voltou voando para o castelo onde todos os esperavam ansiosamente.

- interessante... Pai e filho?! – se virando para ir embora. – por essa eu não esperava... – ele sumiu com o pó negro.

Jack voltou para o salão principal, Fada dos dentes, Coelhão e Papai Noel não tinham se movido nem um centímetro se quer, com toda certeza Pitch não avia passado por ali e isso preocupava Jack.

- E Pitch? – perguntou Jack a os outros.

- nada. – respondeu a Fada um pouco triste.

Norte avia fechado o portal para se Pitch aparecesse e como ele não apareceu, então os 5 decidiram entrar pelo portal.

- até que em fim. – se virou Anna para o portal aberto.

- chegamos. –sorria Jack.

Anna foi correndo até eles. Jack abriu seus braços para receber o seu premio como herói, mas ela passou reto e foi direto para Jamie, seu filho.

- e eu? – perguntou Jack fazendo carinha de cachorro abandonado.

- está bem. – sorriu Anna e o abrasou.

- mamãe eu tenho um pai. – Jamie sorrindo.

Depois de Jamie disser isso todos os olharam surpresos com a atitude dele.

- ouviu seu filho. – disse Jack com um sorriso divertido no rosto. – Ele tem um pai.

- Eu já sabia disso. – dando um selinho na bochecha fria de Jack.

Eles se beijaram e para a alegria de Alex todo o seu plano deu certo. Os duendes e os homens de neve que trabalham na fabrica comemoraram com casal feliz.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...