1. Spirit Fanfics >
  2. Meu Cowboy >
  3. Cap 27

História Meu Cowboy - Capítulo 27


Escrita por: Mya_Sully

Notas do Autor


Antes de tudo, esse capítulo é especial por dois motivos

1- aniversário de uma seguidora no wattpad

2- é uma colab com uma amiga, alguns dos personagens dela estaram aqui

Quem quiser ler a história é só pesquisar "um amor enraizado em um coração"

E por último, "The Heroin" já foi postada, só entrar no meu perfil e vocês veram ela

Dito isso, boa leitura

Capítulo 27 - Cap 27


Levi ainda dormia confortavelmente em sua cama quando batidas frenéticas na porta foram ouvidas

- Levi a porcaria do telefone do seu escritório tá tocando tem quase uma hora, vai atender aquela merda que já tá irritando_ Jaqueline esbravejava do outro lado da porta

Levi senta em sua cama se espreguiçando lentamente, nem lembrava a hora que tinha ido dormir, ficou boa parte da noite revisando alguns papéis que ficaram pendentes

- já vou atender Jaqueline_ grita alto suficiente pra ser ouvido pela prima raivosa atrás da porta

Jaqueline apenas resmunga um palavrão e volta pro seu quarto que pra sua desgraça ficava em cima do escritório do primo

Após sua higiene Levi desceu as escadas indo atender o telefone

- fazenda Castanhõn, quem deseja?_ pergunta ao atender o telefone

- aqui é Leonardo Vasconcelos, dono da fazenda Vasconcelos, desejo falar com o senhor Castanhõn

- sou eu mesmo, a que se deve a ligação senhor Vasconcelos?_ pergunta se sentando em sua mesa olhando pra janela

- estava conferindo alguns documentos da fazenda e encontrei um contrato de parceria entre nossas fazendas, presumo que o senhor o fez o contrato quando meu pai ainda estava vivo

- contrato? Bom, eu também sou o novo proprietário da fazenda, provavelmente nossos pais teriam feito esse acordo

- então posso ir a sua fazenda para decidirmos se anulamos ou não o contrato? Estarei com minha namorada e uns dos meus peões já que cheguei a poucos dias

- claro, ficarei feliz em recebê-los aqui_ responde enquanto girava levemente em sua cadeira_ meu advogado vai analisar o contrato e afirmar se realmente é original e de interesse de ambas as partes, que dia o senhor gostaria de vir?

- amanhã mesmo seria ótimo

- então nos vemos amanhã

E desligaram a chamada, Levi se levantou e foi a sala de jantar tomar seu café da manhã e contar a sua família que teriam visitas amanhã na primeira hora

No dia seguinte, o café da manhã já havia sido servido e estavam todos comentando sobre os visitantes, Guilherme e Tailler perguntavam se o tal Leonardo traria alguém da idade deles para se distraírem juntos enquanto Levi esclarecida algumas coisas com sua tia Amélia

Jaqueline se quer havia tocado em sua comida, estava pensando em como usar José Miguel pra atingir Levi antes de tirá-lo do seu caminho, claro que ela contava com a ajuda de Alonso pra separar os dois, ou até mesmo de Rodrigo, aquele homem abominável poderia ser útil em seus planos

Logo após o café da manhã ter se encerrado, Levi e Amélia estavam na frente da casa grande apenas esperando a chegada de Leonardo Vasconcelos e sua namorada, enquanto Jaqueline apenas observava da janela de seu quarto com sua típica cara de tédio, até que uma picape prata pode ser vista na entrada da fazenda, um dos homens montados em um corcel negro desce da cela correndo pra abrir o portão que apenas estava encostado, já que de dia não havia necessidade de deixá-lo trancado

Após esse ato a picape entra em terras Castanhõn e o mesmo peão de antes fecha o portão de madeira novamente, montando em seu corcel voltando a galopar ao lado do carro

O homem montado no corcel branco aparentava ter seus quarenta anos ou mais, sua barba por fazer continha alguns fios brancos assim como seus cabelos, já o que vinha montado no cavalo de pelagem negra não aparentava ter mais que vinte e sete anos, seus cabelos pretos eram cobertos por seu chapéu dalas também preto com uma medalha da santa os peões presa no chapéu

Antes mesmo de chegarem a frente da casa grande Levi olhou em direção a Jaqueline que observava a movimentação, com um olhar e um gesto sinalizando "se comporte" viu sua prima revirar os olhos e sair das vistas da janela

O carro parou em frente a casa e os peões em seus cavalos um pouco atrás da máquina sem descerem dos animais

As três pessoas que estavam dentro da picape desceram da mesma, uma senhora que já aparentava estar em seus setenta e cinco anos, seus cabelos eram grisalhos e a senhorinha sustentava um sorriso em seus lábios, sorriu mais ainda ao ver Amélia ao lado do sobrinho

As outras duas pessoas eram um rapaz de pele alva, olhos verdes como duas esmeraldas e seus cabelos loiros quase brancos, não aparentava ter mais que vinte e cinco anos, ele usava um par de óculos escuros e por cima de sua blusa social branca usava um colete jeans com seus botões abertos

Já a moça ao seu lado não teria mais que vinte e três ou vinte e dois, isso com certeza, seus cabelos eram em um tom de castanho escuro assim como seus olhos, lábios bem desenhados em coloração vermelha destacando em sua pele perfeitamente bronzeada

Levi olhou pro lado ao sentir mais uma presença, Jaqueline olhava descaradamente em direção ao peão mais novo, franzindo a testa apenas negou com a cabeça, dando uma pequena cutucada na prima disse:

- Jaqueline por favor se comporte como uma dama_ sussurrou pra morena ao seu lado que apenas lhe ignorou, suspirando olhou pra seus convidados e sorriu_ bem vindos a os caracóis



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...