História Meu desejo é você. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Noragami
Personagens Bishamonten, Daikoku, Iki Hiyori, Kazuma, Kofuku, Nora, Nora, Personagens Originais, Rabou, Yato, Yukine
Tags Alternativo, Amizade, Amor, Comedia, Hiyori, Noragami, Romance, Yato, Yatori, Yukine
Visualizações 14
Palavras 1.270
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Opaaa, como vão???
Enfim, espero que bem!
Esse é só um projeto que eu queria fazer há um tempo. Só não tinha coragem para escrever, muito menos postar. Com alguns incentivos, decidi fazer...
Noragami é um dos meus animes preferidos, apesar de eu ser nova nesse ramo jsjdjdjdjdjd
Yato eu te amo demais, por favor entenda!
Para quem gosta do anime, espero que gostem dessa história, que vai ser mais uma comédia romântica.
Por que comédia romântica? Rapaz, não consigo imaginar esses dois de maneira diferente KKKKKK
Mas é isso, até as notas finais!
Boa leitura *3*

Capítulo 1 - Prólogo


 Mais uma manhã se levanta em Tokyo. O som dos carros preenche um certo quarto, despertando a garota de cabelos longos e castanhos, olhos de um castanho tão profundo que, se observar por muito tempo, obterão um tom rosado.   


 Acordando poucos minutos antes do despertador, pensou por alguns segundos nos últimos quatro dias. "Um belo caos", foi o que pensou. Porém, como uma pessoa decidida que era, não deixaria que tal problema atrapalhasse sua rotina. 


 Levantou, fez sua higiene matinal e seguiu descendo as escadas para o primeiro andar, rumo à cozinha. 


 —Ohayo mãe! 


 —Ohayo Hiyori! Está mais alegre hoje… Algum motivo especial? - disse dona Iki Sayuri, com uma certa malícia em seus olhos, quase idênticos aos da garota. 


 —Meus "problemas" finalmente terminaram… Qual outro motivo teria além desse? Estou mais do que satisfeita. - tentou desconversar, sabia que sua mãe não deixaria de lado, contudo decidiu dar um fim no assunto.


—Oh, tudo bem querida, não está aqui quem falou… - disse em meio aos risos que deixavam a menina vermelha de raiva. 


—Bom… Se a senhora me permite, tomarei meu café o mais rápido possível e sairei para aula. 


—Mas já querida? Está cedo. Aonde pensa que vai? - olhara o relógio, e realmente estava cedo demais para sair assim.


—Só queria caminhar um pouco, mãe. O estresse desses dias tem me deixado louca! Teria problema? 


—Ah, Hiyori... Só não fique perambulando por aí e tenha cuidado. 


—Pode deixar, dona Sayuri! - já dizia um pouco mais alegre, afinal apreciava essa "superproteção" de sua mãe - Só mais uma coisa: onde está o papai? Não o vi. 


—Ah, querida, seu pai foi ao hospital mais cedo. Aliás, estou saindo agora também. Deixarei a chave com você. Não temos horário para voltar, o hospital está um caos! Então não nos espere para o jantar. 


—Tudo bem… 


 Hiyori sabia que realmente estaria sozinha esta noite, já que seus pais mal ficavam em casa e estavam sempre trabalhando. Era o motivo de sempre estar acordando mais cedo, para pelo menos ver sua mãe sair e lhe dar um bom dia.


Após o café da manhã, caminhou pelas ruas de Tokyo. A cidade era um pouco agitada, mas adorava toda essa bagunça. Ver as árvores de Sakura balançando em algumas ruas; o Sol da manhã, aquecendo seu rosto, era a sensação que mais adorava. 


 Pegou-se pensando nos últimos dias novamente. "Por que estou tão abalada assim? Ora, esses dias já passaram! Por que…?", era o que mais martelava em sua mente. 


—Ah, claro… Meus dias estão assim por sua culpa. - disse para si mesma, em tom baixo, receosa de que alguém possa escutá-la. 


—Vamos Hiyori, perderemos a primeira aula! - tomou um susto leve, de onde Kofuku e Bishamon saíram? Suas amigas eram mais sorrateiras do que imaginava. Ou estaria ela, tão absorta em pensamentos, que não notara a chegada? 


—O QUE?! - Por Kami! Havia notado agora. Estava atrasada. Com um certo desespero, pôs-se a caminhar mais depressa - Mas então meninas, já sabem quem é o aluno novo? - seu tom foi irônico. 


—Não sabemos, estamos tão ansiosas quanto você… - Disse Kofuku em tom sarcástico, pois sabia que Hiyori não estava tão interessada - Vamos logo, estou quase morrendo de curiosidade!


Assim foram, em direção ao colégio. Os alunos eram um tanto despreocupados com tudo, mas ela não. Hiyori era dedicada aos estudos, e ai de quem a atrapalhasse! 


Foram tão rápidas, sem nem ao menos verem quem estava à sua frente. Não entendia o que suas amigas tanto esperavam, pois era só um aluno novo. "O que tem de tão empolgante nisso?" era o que pensava. Mas seus pensamentos foram cortados ao chegar na porta do colégio e deparar-se com aqueles olhos azuis que tanto a fascinava. 


—VOCÊ?!

  

QUATRO DIAS ATRÁS:

Primeiro dia: 


—Oh, querida, mas é claro que podem passar uns dias aqui. Fique o tempo que desejar! - afirmou Sayuri. 


—Ah, você sabe… Há muito tempo ele está rebelde, não sei mais o que fazer. Só me arranja problema atrás de problema. Sabe, desde aquele dia eu… 


—Querida, não pense mais nisso. Foi há muito tempo. Sei que ainda é difícil, tanto para ele quanto para você. Mas já deveria seguir em frente. Seu filho já é quase um homem e continuar agindo como criança não o ajudará. - Sayuri era decidida no que dizia. Ver sua amiga de tantos anos sofrendo pela perda de alguém tão querido, a fazia sentir uma leve pontada em seu peito, pois colocava-se em seu lugar. 


Está certa. Sairemos de Yokohoma ainda hoje. Ah, eu estava com saudades! Como está Hiyori? Já deve estar uma moça… - Naomi já estava com um pequeno brilho nos olhos. 


—Sim, está bem crescida, e linda, por sinal. - disse rindo - E como está Yukine? Ainda nem o conheci e já estou ansiosa…


Ele está muito bem. Ele e seu irmão brigam as vezes, mas cinco minutos depois já estão se amando. - ria como criança. Amava seus filhos, nunca imaginaria perdê-los, não depois do ocorrido que, às vezes, a assombrava - Sabe, ele tem estado muito calado esses dias… Quase não conversa. Pergunto se é alguma namorada e ele fica tão vermelho quanto um tomate!


—Adolescentes, Naomi. São assim mesmo. Tenho certeza que ele adorará conhecer Hiyori. Ele tem quantos anos? Quatorze? 


Assim espero… Não, ainda tem treze. Acho que ele está ansioso para conhecer Tokyo.


—Deve estar. Mas diga-me, Fujisaki virá também? - já meio receosa, questiona. 


—Oh, não… Ele mal mal está em casa. Ele e Yaboku não se dão muito bem, sabe? Achou melhor ficar aqui cuidando de tudo enquanto procuramos uma casa em Tokyo.


—Sim, entendo… - é interrompida pelo grito de Hiyori - Querida, preciso ir. Esperaremos ansiosos por vocês! - assim, após uma breve despedida, desligou sua ligação.  


—Mãe, com quem conversava? 


—Com uma amiga de muitos anos! Ela e seus filhos virão para Tokyo em mudança e passarão alguns dias em nossa casa. Perdoe-me não ter dito antes, minha filha. Foi algo de imediato. - despejou suas desculpas, com um certo medo da reação de sua filha. 


—Ah, mamãe… Mas é claro que está tudo bem! Eles devem ser pessoas legais. Espero conhecê-los logo. - para o seu alívio, ela não se opôs.  


—E conhecerá. Eles chegam amanhã a tarde…


—O quê?! Mas mãe, não deu tempo para arrumar as coisas aqui. Será corrido agora…


—Não se preocupe, filha. - acalmou-a - Dará tudo certo. Enquanto a casa? Boba! Terá espaço para todos. 


—Está certo então. Estou indo para aula, janee! 


—Janee!!


EM YOKOHOMA... 


—Hahaue? Com quem falava? - Yato perguntou, fingindo-se despreocupado. Em verdade, estava apenas curioso, pois era difícil sua mãe receber ligações.  


—Oi meu filho! Como está? Onde estava? 


—Ah… Só estava dando uma volta. Mas a senhora não me respondeu. - fingiu irritar-se. 


—Estava conversando com uma amiga de Tokyo. Estávamos falando sobre nossa viagem até lá. - seus olhos brilhavam. 


—Ah, aquilo… Tem certeza que precisamos ir? Quero dizer, não sei… 

—Mais do que eu, você precisa disso. Vai ser bom! 


—Tudo bem… 


—Você vai adorar conhecer Hiyori. Bom, faz muito tempo desde que a vi, mas tenho certeza que ela está uma bela moça! - tentava animá-lo, com certa malícia. 


—Humff! Tenho certeza que ela não é isso tudo. - sua birra de sempre estava prestes a voltar, mas foi interrompido. 


—Tudo bem, não está aqui quem falou. - por mais que estivesse ouvindo isso dele, algo em seu coração dizia que Yato mudaria de opinião rápido... - Vá chamar Yukine para o almoço, ande! 


—Seu desejo foi ouvido em alto e bom som. 



Notas Finais


Me PERDOEM pelo capítulo pequeno...
Esse é só para dar um gostinho do que vai acontecer no próximo.
Vou falar logo sobre as postagens. Não pretendo demorar (apenas se houver algum imprevisto), mas também não vou postar tooooda semana. Os primeiros capítulos, talvez, de duas em duas semanas. Depois, direi o dia específico em que irei postar.
Enquanto isso, espero que tenham gostado desse... Como posso dizer??? Errr "iníciozinho"? Ah, enfim, até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...