História Meu destino - Taejin - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bangtan Boys (BTS), Jin, Taehyung, Taejin
Visualizações 13
Palavras 1.615
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção Adolescente, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - Aceitando a realidade


Fanfic / Fanfiction Meu destino - Taejin - Capítulo 5 - Aceitando a realidade

Abri meus olhos assim que acordei e pisquei algumas vezes.

-Não foi um sonho? - O quarto que me encontrava era belíssimo, era tradicional como tempos antigos. - Esse cara de novo… - Sussurrei para não acordar quem estava deitado do meu lado e tentei me levantar * Tenho que sair daqui.*

- Hum você acordou… - Ele agarrou minha mão. * Essa é a primeira vez desde que o encontrei que entendi algo.*- Você se sente melhor? - Eu me afastei dele e fui até a porta - Ei aonde pensa que vai? - Em um movimento rápido ele passou a minha frente me impedindo de sair.- Garoto você consegue me entender?

- Sim, por favor, não grite… - O olhei sem expressão alguma. * Eu não sei onde estou e parece que sou um prisioneiro.*

- Ufa, pensei que fosse mudo… - Ele me arrastou de volta para cama. - Você tem que descansar mais um pouco, sua energia foi drenada naquele ritual não seria bom para você sair andando por aí. - Eu fiquei muito confuso. * Que ritual? Esse lugar é alguma seita de ocultismo?*

- Onde eu estou?

- Ue no quarto e bom é aqui que você vai ficar até segunda ordem. - Ele foi logo saindo do quarto.

Alguns minutos depois de aquele cara estranho sair, eu também tentei fazer o mesmo, mas por algum motivo só consegui abrir a porta do quarto em que estava, pois assim que tentei atravessá-la, não consegui, era como se tivesse uma barreira me prendendo ali. * O que foi que aquele cara disse mesmo… Mas que merda, ele deu uma pedem e parece que preciso obedecer.* Acabei me sentando em frente a porta e convenci a mim mesmo de que era melhor me manter calmo como sempre. Escutei passos pouco tempo Depois e logo uma conversa vindo em minha direção.

-...Você viu? Ela era linda. - Tinha alguém se aproximando então me levantei, fingindo estar saindo. 

- Boa noite…- Os garotos falaram e já iam andando depois de uma pequena reverência.

- Eu esperem… - Eles me olharam. - Vocês sabem onde estamos? Eles me olharam confusos.

- Isso é alguma brincadeira?- Eu neguei.

- Sério que não sabe? - O outro perguntou preocupado e logo assenti.

- Bom, aqui é o clã kim e estamos aqui para aprender técnicas de magia, lutas com espadas ou corpo a corpo, arco e flecha, sabe essas coisas dependendo da classe, claro, além de estudar história também, os objetivos aqui são formar guerreiros, aventureiros e guardiões.

- Obrigado garotos, ajudaram muito… - Eu percebi que tinha ido ao passado ou outra dimensão nesse momento.

- Não precisa ser tão formal, está na cara que somos quase da mesma idade… - Eles vieram mais para perto. - Prazer, eu sou Jung Hoseok e ele Jeon Jungkook, somos novatos também.

- Ah sim, eu sou Kim Taehyung e…

- Kim, agora se entregou… - O Hoseok começou a rir. - Isso foi algum teste, certo?

- O que? Claro que não, eu cheguei aqui hoje, na verdade nem sei como vim parar aqui… - Olhei para os lados.

- Ah ok, a gente se ver por aí Tae Tae… - Os dois foram embora, pareciam com presa, pois nem esperaram minha resposta.

Eu voltei minha atenção ao quarto e logo observei alguns livros e materiais em cima de uma mesa. Abri um deles e como eu conseguia entender comecei a ler o que tinha tudo sobre magia. *Talvez encontre algo sobre como vim parar aqui.* Depois de começar a ler por alguns minutos o cara de mais cedo voltou, mas não dei muita atenção para ele, afinal foi ele quem e prendeu aqui, não havia necessidade alguma de olhar para ele. O cara tentava a todo custo falar comigo, enquanto eu tentava manter a calma e não mostrar expressão alguma, então foi aí que eu cheguei em uma parte do livro, onde falava sobre portais e seus fundamentos, mas não parecia que o qual eu tinha entrado era para viajar no tempo, pois não existiam. Então, dei um breve suspiro vendo que não tinha outro jeito encarei o cara por um pouco e logo comecei a falar.

-Porque estou sendo mantido aqui? - Quando perguntei ele ficou confuso.

- Bom não entendi bem o que quis dizer, mas…

- Apenas fale como vim parar aqui. - Eu o encarei tão sério que ele falou tudo.

- Bom eu tinha que invocar um familiar, mas quando procurei por ele no universo espiritual e o encontrei, você apareceu. - O cara parecia com medo e confuso com o que deveria dizer. - Você lembrou de alguma coisa? Por que estava lá? - Eu tinha lido sobre algo, mas o cara não me deixava pensar e logo o encarei mais sério. - Bom aqui tem comida, se quiser fique vontade. - Peguei a cesta e comecei a comer. * Preciso saber logo onde foi.* 

Finalmente quando encontrei a parte que havia lido, fui dar um pouco mais de atenção ao ritual que ele havia descrito.

"Para invocar um familiar com sucesso, seu indicador deve procurar pela luz espiritual que mais é compatível com o seu poder. Quanto maior for a classe do animal mítico/ mitológico ou comum a ser invocado, maior será o poder do invocador."

Quando li aquilo a primeira coisa que veio a minha cabeça, foi porque aquele cara me invocou se eu não sou nenhum animal mítico e muito menos irracional. Acabei voltando a ler o resto do livro para ver se achava um jeito de voltar, mas não consegui nada e já era noite quando terminei de ler. Como eu queria sair daquele quarto, tive que dar um jeito na ordem daquele idiota e ele não parecia dar a mínima para retirá-la então fui até ele.

-Ei, eu já estou me sentindo bem, será que não posso sair?

- Bom eu não vou te impedir… - Ele estava deitado quase dormindo. - A propósito, meu nome é Seokjin, pare de me chamar por "Ei" ok?

- Então isso é?

- Sim pode sair… - Ele se viu para o outro lado e logo sai do quarto.

- Esse idiota, se me der mais alguma ordem não vou ter mais nenhuma liberdade.-Comecei a andar pelos corredores enquanto pensava. * Estar preso a alguém de corpo e alma é irritante.*- Hum, como cheguei aqui?

Eu acabei indo parar no pátio do lugar e claro, comecei a andar por todo ele. O lugar é lindo, dá para ver muitas estrelas sem luzes atrapalhando, realmente uma beleza de outro mundo. A medida que eu andava, ia me aproximando de uma pedra enorme e assim que percebi, havia algo escrito nelas. * Regras do clã Kim.* Comecei a ler todas elas, pois segundo as mesmas precisam ser obedecidas por todos e familiares estavam incluídos. Olhei uma por uma atentamente para não esquecer nenhuma, porém quando terminei, percebi que já estava quebrando uma delas. Os sinos que estavam soando a alguns segundos indicava que todos deveriam estar em seus quartos, já que era o toque de recolher. * Como é que eu vou voltar para o quarto, eu não lembro onde é.* Eu acabei andando sem rumo tentando voltar por onde vim, mas parecia estar rodando em círculos. Enquanto eu caminhava sabe-se lá para onde, escutei uma voz falando comigo e logo me virei, então para minha surpresa vi o senhor que estava naquela sala quando acordei nesse mundo e um outro mais velho, me olhando seriamente.

-Você é o familiar daquele rapaz que chegou hoje…

- O que está fazendo aqui a essa hora criança? - O senhor mais velho interrompeu o outro.

- Senhores, peço-lhes desculpas por ter quebrado uma de suas regras, não sabia de de nenhuma delas até um momento atrás quando as li.

- Então se as leu, porque não voltou para o quarto? 

- Bom até tentei, mas não me lembro onde fica. - Falei envergonhado com a situação.

- Jovem, você é um familiar… - O senhor começou rir. - Você pode achar seu invocador com magia de rastro, se ele estiver no quarto, vai saber para onde tem que ir. - Naquele momento me concentrei um pouco e realmente consegui.

- Sinto muito pelo inconveniente… - Fiz uma reverência me despedindo e fui andando.

- Criança pare aí mesmo… -O mais velho pediu. - Preste atenção ao que iremos dizer…

- Sim senhor…

- Primeiro apesar de um familiar, você será tratado como um aluno do clã, pois apesar de ele não ter detectado quase poder em você de primeiro momento, o vendo agora tem bastante. - O mais velho falou olhando para o outro senhor.

- Sério? - Fiquei animado.

- Jovem aquele garoto te escolheu, você tem que melhorar por ele. 

- O que? Porque? - Fiquei confuso.

- Criança, ele pode ser mais novo que eu, mas ainda não entende os jovens de hoje… - O mais velho riu sem graça. *Eles estão escondendo algo.*- Ele quer dizer apenas que tem que melhorar seu poder para se proteger e proteger quem te chamou aqui.

- Ah entendo, eu me comprometo, a partir de agora, com meus deveres. - Falei agradecendo. * Apesar de não gostar de estar aqui, afinal essa é a realidade.*

- Mais uma coisa, assim que os sinos soarem pela manhã, esteja na pedra onde se encontram as regras, você deverá receber a devida punição por ter quebrado uma delas… Agora pode ir. - Segui para o quarto e logo fui dormir.


Notas Finais


Desculpem os erros ou outra coisa.
O que achou?
O que espera do próximo?
Alguma pergunta?
Pode comentar se quiser, ajuda muito.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...