História Meu destino, minha vida - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Yin Yang Yo!
Tags Ação, Drama, Luta, Tragedia, Violencia
Visualizações 0
Palavras 1.028
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Luta, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem

Capítulo 8 - Filho vs Pai


Daniel acordou com a som do micro-ondas apitando. Se levantou rapidamente e correu para a cozinha e viu Giovanna colocando panquecas num prato. Silenciosamente se dirigiu até e...

-BUHH. Gritou segurando a garota pela cintura e apertando-a contra o corpo dele.

-Aahh. Giovanna gritou, assustada.

De repente, Daniel abriu os olhos. Ele olhou para os lados e viu Giovanna caída no chão, com faca em seu peito. Daniel tentou se mover mas não conseguia. Na porta, um homem encapuzado dava risada. Daniel olhou furioso para a figura.

-Quem é você? Daniel gritou.

Então, o homem tirou o capuz. Era Michael. Novamente deu uma risada e saiu do quarto. Finalmente Daniel conseguiu se mover e correu para Giovanna. A garota cuspia sangue e ao vê-lo disse, com uma voz fraca:

-Porque você não me ajudou? Poderíamos ter ficado juntos. Então, a garota morreu.

Daniel acordou num pulo respirando ofegante, seu coração estava a mil por hora. Então a porta se abriu e Giovanna entrou. Rapidamente Daniel correu até ela e a abraçou. A garota não entendeu.

-Oque foi Dan? Ela perguntou surpresa.

-Eu não quero te perder também. Daniel respondeu, sua voz misturada com o choro.

-Calma, Dan. Calma. Giovanna disse abraçando o rapaz e fazendo carinho em seus cabelos.

Aos poucos, Daniel foi se acalmando. Giovanna olhou para ele e viu que ele estava assustado. Então, deu um selinho nos lábios do rapaz. Quando se virou para porta Daniel a agarrou e a beijou intensamente.

A garota pensou em afastá-lo mas não conseguiu. Estava rendida a aquele beijo. Quando pararam para respirar, Daniel caiu em si e disse:

-Me desculpe. Eu não devia ter feito isso. É melhor...

Antes que continuasse, a garota o beijou. Surpreso, passou os braços em volta da cintura dela e a garota envolveu seu pescoço com os braços dela. O beijo era calmo e acolhedor.

-Bom, vamos logo acabar com isso. Daniel falou, quando eles se separaram.

-Como assim? Giovanna questionou.

-Você quer namorar comigo? Daniel perguntou.

-SIIM. Giovanna gritou e pulou em cima de Daniel.

Então, eles ouviram batidas na porta. Ao abrirem, eles viram Miguel e Jéssica. Ao entrarem a garota se virou para os dois:

-Porque se esqueceram da gente? Perguntou.

-Da gente vírgula. Me deixa fora dessa. Miguel falou, bravo.

-Olha eu estava cuidando de uns assuntos. Daniel falou.

-Aé? Quais? Jéssica desafiou.

-Indo no enterro da minha vó. Daniel respondeu e um silêncio tomou o lugar.

Sem dizer nada, Jéssica saiu do apartamento. Miguel a seguiu e Daniel se sentou no sofá. Então, um homem e uma mulher entraram. Ele era alto, físico normal, cabelos pretos. Ela era alta, magra e seus cabelos estavam amarrados num coque. Daniel se levantou e os encarou.

-Achei que iam me visitar no fim do mês. Daniel falou.

-Queriamos vir mais cedo para tratarmos de uns assuntos com você. Jorge falou e com Cláudia sentou-se no sofá.

-Quê assuntos? Daniel perguntou.

-Primeiro: no que estava pensando quando quase quebrou o braço de um garoto na frente da escola? Jorge perguntou.

-Ele que provocou. Daniel se defendeu.

-E você foi criança o suficiente para bater nele? Você não tem mais 10 anos de idade. Jorge advertiu.

-Ok. Foi mal. Mas ele falou de mim da minha amiga. Daniel falou.

-Suponho que sejá você. Jorge falou, indicando Giovanna. A garota concordou com a cabeça, corando.

-Sim. Ela disse.

-Bom. Por sua causa meu filho quase foi expulso. Você é uma má influência para ele. Jorge falou, se levantando.

-Não fala assim com ela. Daniel gritou e se pôs a frente de seu pai.

-Você me respeite. Só está morando nesse apartamento porque eu te dou dinheiro. Eu que te sustento então quero que me respeite. Jorge gritou e Cláudia se levantou.

-Jorge pro favor. Não estamos em nossa casa. Ela disse.

-Claro. Esse menino burro quer morar aqui. Ele disse que poderia se virar, disse que poderia se comportar e agora bate em meninos por razões idiotas e trás projetos de garotas inúteis para esse lugar que eu pago. Jorge gritou.

-NÃO FALA ASSIM DA GIOVANNA. Daniel gritou.

Jorge o olhou e deu um soco em sua cara. Cláudia gritou quando viu sangue escorrendo do canto da bica de seu filho. Daniel se levantou e deu um soco em seu pai e o mesmo cambaleou pra o lado.

Daniel ergueu Jorge e bateu a cabeça dele 3 vezes contra a parede. Porém Jorge se lhe deu uma cotovelada no estômago e deu dois socos na cara de Daniel. O rapaz caiu no chão, limpando o sangue que saía da boca.

Giovanna correu para ele se ajoelhou ao lado dele. Daniel a olhou e viu que Giovanna estava chorando.

-Para de frescura. Jorge gritou e empurro ela.

Rapidamente Daniel se levantou e começou a golpear Jorge. Três socos na cara, duas joelhadas no estômago e um chute no queixo. Jorge caiu no chão, cuspindo sangue. Antes que Daniel avançasse, Cláudia entrou em sua frente.

-Daniel. Chega. Ele já teve oque merece. Ela disse e colocou um curativo na testa de seu marido. Pegou um pano e deu para ele limpar a boca.

Sem dizer nada, se retiraram. Com muita raiva, Daniel chutou a mesa que estava a frente do sofá. Então, Giovanna abraçou ele e toda raiva foi diminuindo.

Mais tarde

Daniel e Giovanna andavam pela pracinha no centro. O rapaz pegou uns sorvetes e eles sentaram num banco. Giovanna olhou para Daniel e viu ele olhando para ela.

Sem saberem oque estavam fazendo, se beijaram. Um beijo calmo e cheio de amor. Então, um grito os fez parar. Eram Miguel e Jéssica.

-Caramba. Querem nos matar do coração? Giovanna perguntou, com a mão no peito.

-O novo casal da cidade. Miguel falou.

Todos riram. Então, decidiram fazer o domingo com os amigos, já que o último que fizeram não deu certo. Eles passaram o resto da tarde andando pelo centro e quando anoiteceu, Daniel deixou Giovanna em sua casa.

-Durma bem amor. Daniel falou, após dar um beijo apaixonado nela.

-Até amanhã. Giovanna falou.

Daniel voltou para seu apartamento. Trancou a porta e deitou em sua cama. Pensando em seu namoro e a briga com seu pai, durmiu.


Notas Finais


Até o próximo capítulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...