História Meu detestável e lindo Diretor - Capítulo 80


Escrita por:

Postado
Categorias Ian Somerhalder
Tags Drama, Escola, Revelaçoes, Romance, Sensual, Sexo
Visualizações 325
Palavras 813
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 80 - É tudo ou nada.


— Tem certeza que quer ir lá Lana? — Nath pergunta dirigindo em direção a casa de Damon.

— Claro Nath! Damon é um tremendo idiota em acreditar mesmo que eu deixei ser beijada por Lian.

— Confesso que achei ele um imbecil também, mas acontece que o ciúme cega Lana, você mesmo de inicio estava confusa pelo que sentia pelos dois.

— Mas Nath eu e Damon nos acertamos da melhor forma possível, e ele devia confiar em mim e não em suposição, única coisa que ele não pode tirar de mim é meu filho, não mesmo. — Digo bufando de raiva, Nath segue até a casa de Damon, assim que chegamos nem espero ela desligar o carro e já saio entrando e apertando repetidamente a campainha, Damon abre a porta cheirando a Bourbon puro.

— Vim ver meu filho. — Digo pronta pra enfrentar ele.

— Com que direito sua traíra... — Ele diz embolando as palavras e eu o encaro surpresa pelo seu estado físico.

— O filho é meu também Damon! Me deixe entrar! — Ele gargalha para mim, indo em direção a sala me deixando na porta, a porta totalmente aberta, um relâmpago cai me assustando, e eu corro até o carro de Nath.

— Pode ir Nath, avise a minha mãe que mais tarde eu vou lá vê-la, não posso deixar Damon nesse estado em casa sozinho com meu bebe.

— Tem certeza amiga? — Nath pergunta preocupada e eu sorrio para ela e sinto a chuva apertar e corro pra dentro, ouvindo Nath saindo com o carro.

Adentro pela sala vendo Damon jogado no sofá roncando já, ele estava completamente bêbado, eu tiro seus sapatos e limpando toda sua bagunça de álcool pela sala. Vou em direção ao quarto do nosso bebe e vejo nosso pequeno anjinho dormindo, eu olho para ele admirada e mais apaixonada que nunca, me certifico que esteja tudo bem com nosso filho e acabo adormecendo ali mesmo na cadeira de balanço, acordando novamente apenas com o choro do meu pequeno, eu me levanto pegando ele no colo e acalentando, ele se acalma um pouco ainda resmungando, vou até a cozinha com ele no colo e esquento uma mamadeira no micro-ondas e dou-lhe em seguida, ele suga totalmente esfomeado e eu sorrio vendo ele agarrar a minha mão em cima da mamadeira. Ele termina de mamar e eu o coloco pra arrotar e troco sua fralda, eu não imaginava como era gostoso ser mãe de um ser tão dependente e indefeso, em quanto isso Damon ainda dormia no sofá, eu vou com Dean para o quarto brincando com ele o tempo todo, até que nos cansamos e dei-lhe um banho e coloquei para dormir, assim que abro a porta do quarto, dou de cara com Damon me olhando seriamente, e eu o encaro fechando a porta lentamente para não acordar nosso pequeno Dean.

— O que faz aqui ainda? — Ele pergunta pra mim categórico, e eu ando em direção a sala e ele me segue, parando um pouco distante de mim.

— Vim ficar com meu filho e vigiar você. — Ele gargalha andando de um lado pro outro.

— Me vigiar? Você ta doida, eu tenho juízo.

— Você tem tanto juízo que enquanto você roncava naquela porra de sofá, nosso bebe acordou faminto, eu o alimentei, brinquei com ele até ele cansar e dei-lhe um banho, imagina se eu não estivesse aqui, já que pelo visto dispensou Gwen hoje. — Ele me olha desconsertado coçando a cabeça.

— Olha Lana, você já fez sua escolha, não devia estar aqui. — Ele olha pra baixo visivelmente chateado e eu o olho com raiva.

— Escolha? Você é um imbecil sabia? Como pode pensar que eu deixei mesmo Lian me beijar Damon? Logo você?

— Eu vi você e ele se beij...

— Você não viu nada disso, seu ciúme te cegou e viu o que quis ver, Lian me agarrou, me jogou contra o sofá e me beijou a força, no mesmo instante que você abriu a porra da porta. — Nos olhamos com certa intensidade, não sei se de paixão ou de raiva, por longos segundos até que eu quebro o silencio novamente, bufando antes.

— Damon eu lembrei de tudo, de cada instante da minha vida que perdi a memória, lembrei dos piores dias da minha vida naquele cativeiro, lembrei da louca da Karen querendo me matar e o George me protegendo, enfim lembrei de tudo. — Damon me encara surpreso, mas sua postura endurece novamente.

— É? Que bom. — Ele pega sua garrafa de Bourbon bebendo no gargalo e eu tiro da mão dele o deixando surpreso.

— Damon olha só, é tudo ou nada. Ou você confia em mim e vamos retomar nossas vidas, ou então vou embora da sua vida agora pra sempre, estou cansada desses altos e baixos, dessa vida assim bagunçada, quero instabilidade emocional principalmente agora com meu filho. Você decide. — Ele me encara por longos minutos com os braços cruzados sem nada dizer impassível.

 


Notas Finais


E aí meus amores, o que vocês acham que Damon vai escolher? Ele está meio relutante ainda, sem razão.... Vamos ver ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...