História Meu detestável e lindo Diretor - Capítulo 81


Escrita por:

Postado
Categorias Ian Somerhalder
Tags Drama, Escola, Revelaçoes, Romance, Sensual, Sexo
Visualizações 338
Palavras 1.122
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Antepenúltimo capitulo amores!!!

Capítulo 81 - Tudo indo perfeitamente bem... Nem tudo.


— Eu te amo tanto Lana, me perdoa se eu deixei o ciúme falar mais alto. — Ele não me da tempo de resposta e me agarra me beijando intensamente, nosso beijo aos poucos vai se tornando urgente e quente, ele alisa todo o meu corpo como se precisasse de mim como nunca, ele tira minha roupa violentamente me empurrando para o sofá, me deixando apenas com minha pequena calcinha, e me beija, ele arranca sua roupa furiosamente, ficando apenas de boxer, estamos no nosso sofá sem preocupação, eu sento no colo de Damon, rebolando sensualmente meu quadril no seu, sinto seu membro endurecer roçando em minha intimidade me fazendo molhar intensamente, eu arfo de tesão por esse homem, ele agarra meu cabelo, beijando minha boca com vontade, estamos sedentos um pelo outro, ele pega meus seios colocando um deles em sua boca, chupando e mordiscando me fazendo tremer, ele desliza seus ágeis dedos para dentro da minha calcinha me fazendo gemer alto chamando seu nome.

— Preciso entrar em você agora Lana! — Ele diz praticamente em sussurros, e eu arqueio meu corpo, ele apenas expõe seu membro completamente duro para fora, e coloca minha calcinha de lado, se enterrando dentro de mim com vontade, me fazendo delirar ao sentir seu contato intimamente em mim, eu rebolo em seu colo com maestria e vejo ele murmurar, ele segura em meu quadril me impulsionando para cima e para baixo, ele também se movimenta por baixo, meu clitóris toca a sua pélvis, me deixando cada vez mais excitada, eu abro mais as pernas para sentir esse maravilhoso contato enquanto ele me invade deliciosamente com vontade. Nossas respirações estão completamente descontroladas, nossos corpos batendo um no outro emitindo um som altamente excitante, eu estou a ponto de gozar em cima dele, até que solto um grito libertador me liberando completamente em cima dele, sinto meu corpo amolecer em resposta, ele para meu quadril me socando com força por baixo, mais algumas estocadas e ele também se libera em mim, nos beijamos apaixonadamente.

— Te amo Lana! — Ele diz com dificuldade devido ao esforço físico, acariciando meus cabelos.

— Também te amo Damon! — Digo ofegantemente, tento sair do colo dele lentamente, e ele sorri para mim me abraçando.

— Damon!!! — Digo gargalhando por ele não querer me deixar sair de seu colo.

— Não quero te deixar minha baixinha. Tão gostoso sentir teu calor...

— Eu também amo sentir o seu, mas por favor, preciso beber uma agua. — Nos dois gargalhamos e fomos nus pela casa ate a cozinha tomar uma agua, voltamos para o quarto tomamos um banho, Damon acabou adormecendo novamente e eu fui ver meu bebe.

[...]

Damon acorda, lindamente sorrindo para nós dois, eu estou com nosso pequeno Dean em nossa cama, e ficamos os três brincando como uma família feliz...

— Damon, acho que ta na hora de trazer minha mãe de volta...

— Também acho que deva passar o tempo com ela, se quiser eu vou busca-la.

— Você faria isso? — Ele sorri carinhosamente para mim.

— Claro meu amor, o que eu não faria por você? — Eu sorrio de volta para ele e nosso bebe da um gritinho lindo nos chamando a atenção, nos olhamos com carinho e olhamos para ele brincando mais um pouco...

As horas passam, Damon foi buscar minha mãe, eu preciso passar esse restante de tempo com ela, assim que ela chega eu vou abraça-la, ela me abraça se emocionando bastante.

6 MESES DEPOIS...

Estamos sentadas eu, minha mãe e o pequeno Dean que já brinca com seus brinquedinhos no jardim, eu e minha mãe estamos tomando nosso chá matinal, Damon foi para a escola, ele voltou a sua rotina como diretor da escola.

— Minha filha, apesar de tudo eu te amo, você e meu neto é tudo que me importa nessa vida.

— Também te amo mãe, quero que saiba, o George ele morreu por mim.

Minha mãe me encara surpresa.

— Como assim filha?

— Ele se envolveu nesse sequestro, mas ele se arrependeu profundamente, de tudo que fez, ele me ajudou em tudo, inclusive foi ele que fez o parto de Dean. — Minha mãe se emociona e eu acaricio suas mãos.

— Eu sabia o George não era de todo uma má pessoa, sabia que no fundo um dia ele iria se arrepender.

— Sim mãe, estou viva e meu filho está vivo, graças a ele, ele me ajudou no ultimo minuto, por causa dele o Damon me achou, e eu claro já o perdoei por tudo que ele me fez, quero que sua alma descanse em paz aonde quer que esteja.

— Minha filha, você é uma joia sabia? Como seu pai, você puxou tudo dele, e eu me sinto orgulhosa disso, e envergonhada por tudo que te fiz passar.

— Mamãe, isso já foi perdoado, quero que saiba já passou... — Minha mãe sorri para mim com uma leveza em seu olhar, de repente somos interrompidas com a voz de Nath, Nath já estava completando seus 7 meses de gestação, eu e minha mãe olhamos para ela achando ela engraçadinha com seu enorme barrigão.

— Laninhaaaaa, cheguei... — Ela diz passando a mão em sua enorme barriga, se agachando com dificuldade para beijar Dean.

— Estou vendo Nath! E aí como vai meu sobrinho? — Nath faz uma careta, se sentando na cadeira.

— Esse moleque só me chuta! Desculpa tia pelo que vou dizer, mas nem transando mais to conseguindo, parece que o Charlie, já sabe que estou doida pra dá, e começa a chutar me causando dores. — Ela diz revirando os olhos e eu e minha mãe gargalhamos alto.

— Quer um chá? Quem sabe esse pequeno Charlie não se acalme?

— Queria mesmo era uma cerveja, mas como não posso, vai chá mesmo... — Eu sirvo o chá para ela sorrindo do seu jeito louco de ser.

— Sabe o que eu estou pensando? Se eu não to conseguindo dá para o Matt, será que ele me trai? Ahh se ele me trair e eu descobri, o Charlie vai ter um papai sem pinto.

— Amiga pare de dizer besteiras, aposto que o Matt não faz isso com você. Digo sorrindo a ela e minha mãe nos olha divertida com a conversa doida de Natt.

— Lana, eu não ponho a mão no fogo por homem nenhum, principalmente quando ele ta sem a dias. — A feição da minha mãe de repente muda, e eu percebo que ela não esta bem e eu pergunto a ela preocupada, Nath também se preocupa, mas ela faz com a cabeça e com as mãos dizendo que estava bem, e então voltamos a prosseguir a conversa.

— Me diga quando vamos comprar as roupinhas do meu sobrinho?

— Amanha amiga... — De repente ouvimos um barulho estranho e olhamos assustada, minha mãe caiu desmaiada no chão, eu vou em sua direção imediatamente preocupada e com desespero.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...