1. Spirit Fanfics >
  2. Meu doce Kurama >
  3. Dever De Casa

História Meu doce Kurama - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Eu confesso que estou sem ideias ultimamente, então vai demorar pra sair capítulos pfv n me matem T^T eu tava tendo uma crise inexistente

Capítulo 4 - Dever De Casa


Fanfic / Fanfiction Meu doce Kurama - Capítulo 4 - Dever De Casa

Após todo aquele turbilhão no mundo espiritual nós voltamos para a Terra, quando chegamos Kurama parou na minha frente e disse que iria pra minha casa pra adiantar o trabalho, bom não vi problema algum ja que não iria fazer nada, após nos despedimos da galera ele me seguio até em casa

Ao chegar proximo a grande mansão um tanto isolada do centro, sinto o olhar do sujeito brilhar admirado

Kurama: Uau... *assobio bajulador*

Izumi: Hm? Oque foi? - digo intrigada -

Kurama: Você mora nessa mansão?

Izumi: Moro sim, é muito exagerada?

Kurama: N-Não eu só achei que você era uma garota normal da região, mas vi que deve ser bem famosa pra conseguir morar num local como esse, sem onfensas claro... - diz a ultima frase tímido e sem graça -

Izumi: Tudo bem não foi, bom eu me mudei pra sua escola pra viver como uma garota normal mesmo, mas não sou famosa não *risos*, eu sou totalmente fora do socialismo, quem é que trabalha mesmo é meus pais, mas eles não ficam no Japão então nunca estão aqui, por outro lado meus mordomos e empregadas ficam de segunda a sexta aqui enquanto vou a escola, então não é muita coisa pra mim, digamos que só vou a escola e estudo em casa, porém eu arrumo meu quarto e se me der uma fome fora do horario de almoço e janta eu mesma faço - digo empolgada por compartilhar meu cotidiano -

Kurama: E de fim de semana não se sente isolada?

Izumi: Não, sinto é um pouco livre tendo apenas eu aqui, como eu disse socialismo não e comigo *risos*

Kurama: Entendo...

Izumi: Bem chega de lenga lenga, vamos entrar logo antes que escureça!

Ao passarmos pelo enorme portão, avistamos o jardim porém eu sempre ignorei o local, mas Kurama parecia bem atraido para o mesmo, ver ele encarando o jardim admirado igual uma criança que olha para um doce me fez rir, ele parecia ter percebido e desviou sua atenção do jardim e continuo a olhar em frente, mas parecia que algo o chamava para o jardim e eu estava curiosa sobre aquilo

Entramos dentro da mansão e estavamos a sós no hall, eu estranhei ja que normalmente quando tem visita quem recepciona é meus mordomos, então fiquei sem oque fazer

Izumi: Vamos aonde para estudar?

Kurama: Não sei, não conheço o ambiente, tem alguma sugestão?

Izumi: Podemos ir pro meu quarto que é aconchegante, para a biblioteca onde e mais acessível, e tem o jardim que é relaxante, oque me diz?

Kurama: Então vamos no jardim, eu realmente me senti atraido para ele assim que chegamos

Izumi: Eu percebi *risos*

Ambos sorrimos um para o outro então resolvi fazer um piquenique enquanto fazemos o trabalho, afinal comida é bom até em um velório hehe

Izumi: Eu vou fazer algumas coisas para comermos sera que você poderia ir na varanda  e pega uma toalha grande de mesa e trazer ela?

Kurama: Claro vai ser um prazer ajudar-la! - diz com um sorriso e um olhar sedutor -

GEEENTE!!!! Que homem!

Após eu ter pego tudo oque necessário estava indo hall de entrada até que alguém me chamou, de primeiro achei que era Kurama mas logo que me virei não vi nada, pensei ser coisa da minha cabeça foi ai que vi que o chamado não parou, ele continuava me chamar de longe parecia quase um sussurro, e vinha de todos os lados aquilo estava me dando arrepios!

Logo escutei Kurama me chamando e me virei pra ele que vinha com a toalha dobrada

Kurama: Tudo bem? Estava distraida 

Izumi: Nada, só tinha impressão de ter ouvido algo 

Kurama: E ouviu?

Izumi: Não - disse inocente -

Kurama: Pois bem vamos

Eu acenei com a cabeça e assim saimos e fomos em direção ao jardim, chegamos la e abrimos a toalha e arrumamos tudo, coloquei a cesta com comidas na ponta e sentei ao lado dele, fechei meus olhos e senti a leve brisa tocar meu rosto levando meus cabelos para trás, logo senti o ruivo me encarar com um sorriso sedutor um tanto encantador que me fez ficar ruborizada no mesmo instante

Izumi: Não deveria encarar as pessoas assim, é embaraçoso! - disse um tanto seria porém tímida -

Kurama: Me desculpe não foi minha intenção - o mesmo diz em um tom brincalhão tentando diminuir a tensão no ambiente -

Izumi: Bem como vamos começar?

Kurama: Eu estava pensando em fazermos um cartaz com uma bela frase enquanto ambos seguramos, e depois eu me ajoelho e te dou uma rosa, oque acha?

Eu olhei perplexa para ele, será que ele ficou a missão toda pensando nisso? Ou não? É meio que impossivel pensar tudo isso em pouco tempo, gente eu to confusa!

Izumi: Parece perfeito pra mim! - digo com um sorriso confiente nos lábios -

Kurama: Então mãos a obra! - o mesmo da o mesmo sorriso -

Começamos a fazer nosso trabalho e devo admitir que estava belíssimo nem parece que tem meu toque nele, ja que nunca fui muito delicada com essas coisas, ao terminamos enrolomos nosso cartaz sem amassar e concluimos ele

Kurama: Agora só falta a rosa!

Eu olhei em direção a ele que estava em pé, ele estendeu a mão e me levantou, e logo me deu um sorriso gentil e se ajoelhou diante mim

Kurama: Perante essas palavras eu entrego está rosa em nome do nosso amor - diz o mesmo me olhando profundamente nos olhos sem ao menos piscar -

Izumi: Nosso?

Kurama: Oque acha que está exagerado?

Izumi: N-Não! Está perfeito eu só quis ter certeza que ouvi direito hehe... - digo sem graça -

O mesmo parece perceber então ignora oque acabou de acontecer, então eu complemento

Izumi: Muito obrigada, eu acolherei está rosa com meu coração perante nosso amor - digo seria, mas... -

Izumi: Pff~

Kurama: Ora não rie ficou esplêndido!

Izumi: Eu nunca disse isso na minha vida é totalmente novo! - digo ainda rindo -

Minha série de risos é enterrompida quando escuto um trovão, logo olho para Kurama que parece perceber oque eu queria dizer, o mesmo se levanta as pressas e pega as coisas e eu o ajudo, e logo vamos rapidos para dentro da mansão, assim que piso dentro da mansão um chuva poderosa toca o chão no mesmo instante me deixando chocada com tudo aquilo

Izumi: E agora?

Kurama: ...


Notas Finais


Olha só esse foi curto comparado ao capítulo anterior, então espero ter agradados uwu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...