1. Spirit Fanfics >
  2. Meu doce Magnata >
  3. Quem está tentando seduzir quem? - Parte II

História Meu doce Magnata - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Desculpem qualquer erro e bos leitura! 💜

Capítulo 5 - Quem está tentando seduzir quem? - Parte II


_____’ s pov

 

Entrei na limusine e logo Hoseok estava ao meu lado. Não tínhamos acesso ao motorista. Era tudo tão elegante e bonito. Tinha um bar, o banco era em L e forrado de couro preto. Sorri e me aproximei de Hoseok escorregando do acento para seu lado.

- Pena que seu assistente interrompeu a gente.

- Eu tenho tudo preparado para depois do evento. – disse ele e eu coloquei a mão sobre sua coxa. – Você toma pílula?

Neguei com a cabeça.

- Não me dou muito bem com anticoncepcionais. – disse virando a cabeça de lado. Hoseok parecia frustrado. – Eles não fazem bem para o meu organismo e minha médica achou melhor eu não tomar.

- Tudo bem. – disse ele e eu subi a minha mão pela sua coxa. – O que está fazendo?

- Você não quer brincar?

- Depois.

- Ah, por quê? – rapidamente subi em cima de seu colo.

- Você está tentando me seduzir, _____? – ele levou suas mãos ao meu quadril.

- Quem está tentando seduzir quem aqui? – aproximei meu tronco do corpo dele, dando ampla visão para o meu colo. Beijei sua boca de leve e aproximei a minha boca de sua orelha. – Você não quer me comer agora?

Senti um volume crescer entre as minhas.

- Não faz isso. – disse ele segurando um sorriso. – Eu não tenho preservativo aqui.

- Não seja por isso. – peguei a minha bolsa de mão e tirei de lá a camisinha.

Mordi o lábio inferior e Hoseok puxou um telefone que estava pendurado ao lado da porta pela qual entramos. Franzi o cenho, mas nada disse.

- Choi, continua andando até eu mandar você seguir para o local do evento. – disse e desligou se voltando para mim.

Sorri.

- Isso foi muito sexy. – segui minhas mãos pelo peito coberto de Hoseok e desci para sua calça.

- Você já fez sexo em carros? – disse ele e depositou um beijo em meu pescoço me fazendo arrepiar.

- Não, mas sempre tem uma primeira vez, não é? – ri simplista e ele sorriu. – Você já?

- Não, mas concordo que tudo tem uma primeira fez. – ele puxou a alça do meu vestido vermelho para baixo e beijou o meu ombro.

- Ah. – joguei a cabeça para trás brevemente. Depois me concentrei em o libertar abrindo sua calça. As mãos de Hoseok foram em meus peitos cobertos com o tecido do vestido e o apertou de leve. – Ahh... – gemi.

- Como é que você está para mim? – ele rapidamente levou a mão entre as minhas pernas e puxou a minha calcinha para o lado. Fechei os olhos ao sentir seus dedos em minha intimidade enquanto eu o estimulava com movimentos suaves em seu membro. – Ah, molhadinha.

Mordi o lábio inferior.

- Alguma dúvida de que estou ávida para ter você dentro de mim?

Ele me puxou para si e abocanhou a minha boca com a sua em um beijo ardente. Hoseok, pegou o preservativo e depois de o abrir, vestiu seu membro. Ergui um pouco meu corpo e o posicionei na minha entrada. Nossos olhos estavam conectados e lentamente fui descendo ao redor de seu membro pulsante por mim.

- Awnnn. – soltei um gemido quando todo ele estava dentro de mim.

Hoseok me puxou para ele. Nossos troncos ficaram colados e a respiração quente e desejosa dele batia no vale de meu ombro onde ele depositou um beijo quente. Suas mãos foram em meu quadril e iniciamos um movimento ritmado.

- Awnnn. – ele gemeu. – Você é toda apertadinha. – segurei no encosto atrás dele.

O ritmo era rápido. Cavalgava no colo dele com o auxílio de suas mãos que me puxavam com força para baixo.

- Awnnn. – joguei a cabeça para trás e ele beijou a minha garganta.

- Awnnn, _____, goza para mim. – gemeu ele no meu ouvido.

Mantivemos o ritmo forte e quente e logo senti meu corpo ser invadido pelo ápice. Hoseok gozou logo depois de mim e ele me ajudou a sair de cima dele. Hoseok pegou um lenço umedecido e passou entre as minhas pernas. Ajeitei a calcinha e me sentei ao lado dele. Hoseok tirou o preservativo, o amarrou e jogou fora junto com o lenço. Colocou seu membro para dentro da calça social e correu a mão pelo cabelo.

Apertei as minhas coxas enquanto ele pegou o telefone e disse para que o motorista nos levasse para o local do evento. Logo em seguida ele abriu o bar e pegou uma bebida.

- Uísque? – disse ele sem me encarar.

- Não, obrigada. – disse a meia voz.

Por alguma razão estava me sentindo um lixo.

Ele bebeu seu uísque e não olhou para mim nenhuma vez até o carro parar, quando ele terminou sua bebida e me olhou brevemente me chamando para irmos.

Tinha fotógrafos e com certeza eles nos fotografariam juntos. Vou confiar em Jimin que diz que estou muito diferente de seis anos atrás. Hoseok agia com graça e me puxou para algumas fotos. Sorri. Mas estava em conflito comigo mesma. Ele mal falou comigo depois que transamos e eu estava ao seu lado como um enfeite.

Essa realmente não era eu.

Ele conversava com alguns senhores, mas não me apresentou, mas também me segurava pela cintura. Claro que ele não ia apresentar a trepada da vez.

- Oi. – disse uma jovem com um sorriso igual ao de Hoseok, que vi de relance apenas. – Não acredito que meu irmão trouxe alguém. – ela me abraçou. – Eu sou Jung Li Na e você?

- Park _____.

Ela alargou o sorriso.

- Prazer em conhecer você.

- Olá irmã. – Hoseok deixou de falar com os senhores e deu um beijo na bochecha da irmã.

- Que bom que veio. – disse Li Na.

- Onde mais eu estaria. – disse ele com desdém.

- Você devia ir falar com nossa mãe. – ela entrelaçou seu braço ao meu. – Enquanto isso vou dar uma volta com ____ pelo salão.

- Li Na.

Hoseok parecia irritado com a irmã, mas ela me puxou para longe dele.

- De nada. – disse ela e eu sorri. – Meu irmão sabe ser bem chato quando quer. – paramos e ela me encarou. – Você é muito bonita.

- Obrigada. – disse sem graça. – Você também é muito bonita Li Na.

- Estou feliz de conhecer você.

- Somos... amigos. – ela estreitou os olhos. – Seu irmão e eu.

- É claro que são. – Li Na riu simplista. – Meu irmão não tem um relacionamento sério há mais de um ano. Quando a noiva dele deu-lhe um pé na bunda. – elevei ambas as sobrancelhas.

Ele não disse: “Eu não mantenho relacionamentos com ninguém.”

Será que ele se fechou por causa dessa mulher?

- Noiva?

- Ai, acho que falei demais. – disse ela entre dentes. – Enfim... Meu irmão é insuportável desde sempre. – ela tentou amenizar a situação. – Desde criança. Ninguém aguentava ele. Mas eu o amo muito, queria que ele soubesse disso.

- Tenho certeza de que ele sabe. – sorri simplista.

- Li Na, você vai fazer o discurso hoje? – indagou um homem se aproximando.

- Sim. – ela sorriu animada e se voltou para mim. – Desculpa, eu tenho que me preparar.

- Claro, vai lá.

Li Na se afastou. Ela usava um vestido azul, parecia uma princesa.

- Então... – olhei para o rapaz, alto e com um sorriso gentil. – você e meu irmão?

- Ah, somos amigos. – disse.

Não é como se tivéssemos uma relação de verdade.

- Tem certeza?

- É claro.

Ele sorriu galante. E aqueles olhos negros diziam de forma implícita: “Bom para mim”

- Eu sou Jung Ji Woon. – ele estendeu sua mão para mim.

- Park _____. – aceitei sua mão e Ji Woon levou-a até seus lábios e depositou um beijo.

- Prazer em conhecê-la.

- Igualmente. – puxei a minha mão de volta discretamente da melhor forma possível.

- Ji Woon, sua mãe está a sua procura. – disse uma mulher alta, magra e com os cabelos negros presos em um coque. – Olá. – ela sorriu para mim. – Vai logo, não deixa ela esperando.

- Já vou, Kya Jim Hee.

Ele se foi e ela se voltou para mim.

- Você é? – sua sobrancelha se arqueou sutilmente.

- Park _____.

- Eu vi você com o meu Hoseok.

Elevei ambas as sobrancelhas.

- Seu?

- Somos amigos.

- Ah.

- Ele deixou você sozinha, não é? – comprimi os lábios para a cobra, eu logo vi. – Ele sempre faz isso. Nunca consegue manter uma conversa decente com as vadias que come. – engoli em seco. – Ele vai usar você e a jogar fora como todas as outas vadias.

Prendi um sorriso cínico.

- Está dizendo que o “seu” Hoseok não comeu você ainda? – retruquei.

- Somos amigos, mas quando ele cansar e buscar estabilidade... Eu serei a mulher esperando por ele.

Sorri.

- Entendi.

Um garçom passou com champanhe e eu peguei uma taça e me afastei de Kya Jim Hee. A noite estava sendo muito, mais muito pesada para mim.

 

(...)

 

Sai do evento sozinha. Hoseok não apareceu mais para me ver e eu também não o vi pelo salão.

- Senhorita? – disse um rapaz de uniforme. – Quer que eu chame um táxi?

- Não, ela está comigo. – fechei os olhos ao ouvir aquela voz atrás de mim.

- Desculpe, senhor Jung.

Virei-me para o encarar.

- Aonde vai?

- Embora. – disse firme. – Você já teve o que queria e não precisamos prolongar a decepção.

- Olha, me desculpe. Eu estraguei tudo, não foi? – Hoseok suspirou.

Olhei em volta, não tinha como ele ter vindo de dentro do hotel.

- Aonde você estava?

- Eu tive que dar uma saída rápida. – revirei os olhos e me afastei dele seguindo pela calçada. – Desculpe, eu não queria ter te deixado daquele jeito. – Hoseok me segurou pelo braço e me soltou quando eu virei para o encarar.

 - Eu não preciso disso. – disse firme. – Não preciso ser chamada de vadia e ser tratada da forma como me tratou depois do que aconteceu no carro. Olha, Hoseok, você já teve o que queria. O que mais quer de mim?

- Eu não chamei você de vadia.

- Você não, sua amiguinha que espera se casar com você.

- O quê? – ele parecia confuso.

- E você disse que não se relacionava com ninguém. E aí descubro que você foi noivo e que ela te chutou, e que você não mantem conversas decente com quem come. Quer dizer... O que você quer que eu pense de você?

- Nós acabamos de nos conhecer e você espera que eu conte a minha vida toda?

Sorri sem humor e neguei com a cabeça.

- Não sei se gosto do que eu conheci de você.

- Mas você é a única que me viu. – estreitei os olhos. – Você sabe mais de mim do que a minha família. Desculpe por não saber o que dizer depois do sexo. Eu não sou romântico. Já disse isso.

- O que eu sei de você que a sua família não sabe? – estava mais do que confusa.

- Achei que você tinha entendido.

- Bom, às vezes as pessoas precisam ouvir com todas as letras.

- Eu trouxe você nesse evento comigo. – engoli em seco. – Você conheceu parte da minha família. Por alguma razão você me desarma. Eu sinto que você vê além de mim. Vê quem eu sou de verdade.


Notas Finais


Acompanhem minhas outras fics @Kathy95

Então??
O que acharam?? Digam para eu saber.
Amo saber o que pensam e o que querem.
Até o próximo capítulo.
Vejo vocês em breve!!
XX Kathy


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...