1. Spirit Fanfics >
  2. Meu doce Magnata >
  3. Estigma

História Meu doce Magnata - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Desculpem qualquer erro e boa leitura! 💜

Capítulo 7 - Estigma


______'s pov

Acordei com uma agitação em minha cama. Olhei para o lado e vi que Hoseok estava inquieto. Algo o atormentava em seu sonho.

Olhei o relógio na mesinha de cabeceira e eram cinco da manhã. Sentei-me na cama puxando o lençol junto ao peito para me cobrir e tentei o acordar.

- Hoseok? - levei a mão lentamente ao seu ombro. Gotículas de suor deixavam seu corpo. - Hoseok? Acorda. É um pesadelo. - disse em tom suave, mas ele ainda estava preso em sua mente. - Hoseok.

Ele despertou elevando seu tronco.

- O quê?

- Shuu. - me aproximei dele e beijei seu ombro. - Está tudo bem. Foi só um pesadelo.

A respiração dele era descompassada.

- Que horas são? - ele se virou para me encarar.

- Cinco da manhã.

- Eu não devia ter dormido aqui. - ele levou uma mão ao rosto e esfregou os olhos.

- Tudo bem. - depositei mais um beijo no ombro dele e o abracei. - Nos exercitamos muito até metade da madrugada. Não tem problema você ter dormido aqui.

Ele se virou para mim e colocou uma mecha do meu cabelo atrás da orelha.

- Você sempre acorda assim? - arqueei uma sobrancelha. - Tão linda.

Ri simplista.

- Você provavelmente não está me vendo direito por estamos na penumbra ainda. - ele sorriu. - Quer conversar? - seu sorriso se desfez. - Sobre seu pesadelo?

- Não. - ele se virou para frente. - Eu nunca me lembro do que sonhei.

Não acreditei nele, mas não quis insistir.

- Tudo bem. - beijei seu ombro novamente e ele virou o rosto para o meu lado.

Suas mãos foram em meu rosto e ele selou nossos lábios em um beijo calmo que foi se intensificando. Ele puxou o meu lençol para baixo e me puxou para seu colo.

- Esse é o seu melhor vestido.

Sorri e ele correu as mãos pela minha bunda e sua boca se ocupou dos meus seios.

- Ahh... - segurei firme seus cabelos. - Você é um garotão insaciável, não é?

- Pode apostar que eu sou. - sorri. - E você vai adorar descobrir o quanto posso lhe dar prazer.

Ele me virou debruço sobre a cama e puxou o meu quadril para cima. Hoseok me invadiu com seu pau enrijecido estocando até o fundo.

- Aaaawnnn... aaaaaawnnnn. - ele me puxava de encontro ao seu corpo pelo quadril e o som das estocadas era o único som entre nossos gemidos de prazer. - Awnnn. Me come Hoseok. - disse com desejo. - Me come gostoso. Awnnn....

Hoseok metia com força e eu segurei firme os lençóis fechando meus dedos com força ao atingir o meu ápice.

(...)

Hoseok gentilmente esfregava as minhas costas na banheira. Estava sentada entre as pernas dele.

Ele me puxou para si, e eu encostei a cabeça em seu ombro. Suas mãos suaves correram pelos meus seios, massageando-os.

- Como você conseguiu essa cicatriz? - ele se referiu a cicatriz na lombar que tinha.

- Eu me cortei há alguns anos com louça. - disse triste. - Era a base de um abajur antigo e eu caí bem encima dele.

- Posso perguntar como caiu em cima de um abajur?

- Digamos que foi um acidente.

Aquela marca eu levaria em minha pele para sempre. Ela me fazia lembrar do pior momento da minha vida.

- Humm.

Travei o maxilar e segurei a lateral da banheira. Puxei meu corpo para frente e me levantei. Virei-me para Hoseok e me sentei novamente.

- Eu quero te contar uma coisa. - disse reunido coragem. - Um motivo por eu não ter aceitado ser sua escrava sexual. - contei a ele sobre Yuta, e Hoseok ficou tenso segurando firme a borda da banheira. - ... Eu ainda preciso saber que você me deseja.

- Meu Deus. - Hoseok suspirou. - Você foi estuprada. - ele olhou para um ponto fora da banheira.

- Hoseok. - me aproximei dele e ele me encarou. - Preciso saber que ainda me deseja.

- Desejo. - ele levou uma mão ao meu rosto e me acariciou. - Eu só não podia imaginar que você passou por uma coisa dessas.

- Você ficou pensativo de repente. - disse triste. - No que estava pensando?

- Em como eu poderia ter perdido você antes mesmo de a ter. - estreitei os olhos. - A maneira como eu abordei você.

- Ah. - sorri. - Eu achei super sexy. Fiquei um pouco assustada, admito. - suspirei. - Eu te contei isso porque não sei o quanto você precisa de controle e talvez eu não possa te dar. Tipo, não quero que você me amarre e sei lá. - dei de ombros.

- Quantas vezes?

- O estupro foi só uma vez. - disse triste. - Quando ele tentou a segunda, eu o acertei com vaso de porcelana e ele apagou. Achei que ele tinha morrido, mas ele respirava. Então foi o momento que eu decidi ir embora. Ah, e... Mais uma coisa que você precisa saber... Meu sobrenome não é Park. É Yan. - ele nada disse e eu continuei. - Vou entender se você não quiser associar a mim pela sua imagem pública. - revirei os olhos. - Eu sou cheia de problemas.

- Por isso você conhecia a fundação, não é? - afirmei com a cabeça. - Eu criei a fundação na tentativa de dar para minha mãe algo que ela pudesse fazer... Além de ajudar as crianças que sofrem abusos de qualquer tipo como... - ele se deteve. - Minha mãe é traumática. Ela bebia demais depois que perdeu sua mãe.

- Ela é alcoólatra?

- Uma realidade difícil para ela admitir. - disse ele pensativo. - Eu era uma criança raivosa e ela me levou a um terapeuta. - disse ele pensativo e depois sorriu sem humor. Engoli em seco. - Seu passado me assustou ______. - ele mudou de assunto.

Talvez não estivesse pronto para compartilhar seus traumas comigo. Me aproximei dele segurando a borda da banheira e o beijei com ternura.

- Vou entender se você não quiser me comer mais.

- Está brincando? - disse ele com um leve sorriso. - Eu penso em comer você de várias maneiras desde que te conheci. - sorri e nos beijamos novamente. - Come comigo hoje? - o encarei prendendo um sorriso. - Tenho vinte minutos na hora do almoço. Vou fazer um lanche no meu escritório mesmo.

- Eu vou adorar comer com você.

O beijei novamente.

- Eu falei sério. - disse ele prendendo um sorriso. - Quem está com a mente pervertida aqui, ______?

Gargalhei e joguei água nele.

(...)

Na hora do almoço, só comemos um sanduíche. Hoseok disse que tinha uma reunião com um grupo japonês. Foi bom só conversar e comer alguma coisa. Sintia-me conectando-me com Hoseok sem ser pelo sexo.

Ele era tão fofo, doce e gentil às vezes. Outras era mandão e sexy. E eu gostava de todas as suas versões.

Minha cabeça doeu na parte da tarde e eu tomei um remédio. Logo ela foi embora me deixando com a cabeça um pouco oca. A hora de sair do trabalho se aproximava e pensei que ia relaxar em casa, mas quando pequei o elevador, lá estava Hoseok exalando sexo.

- Senhorita Park. - disse ele com um sorriso.

- Senhor Jung. - sorri e entrei no elevador.

As portas se fecharam logo em seguida.

- Já disse que você está muito gostosa nesse vestido azul marinho.

Sorri e olhei para o meu vestido. Ele disse que eu estava bonita quando me ajudou a fechar o zíper do vestido de manhã. O vestido era justo e descia até os joelhos. Tinha um rasgo na parte de trás para auxiliar o meu andar, nada indecente, mas aquele vestido era sexy, e não foi escolhido à toa.

- Acho que não.

- Ah, que vacilo o meu. - Hoseok sussurrou no meu ouvido e eu quase desmontei sobre ele de tão excitada pela sua voz ao pé do meu ouvido.

- A gente está no elevador.

- Acho que seria uma boa primeira vez também. - rapidamente Hoseok apertou um botão e o elevador parou.

- Você é louco?

- Talvez. - ele me beijou.

Sua língua me deixou completamente desnorteada.

- Você me beijou? - disse quase sem fôlego quando ele se afastou.

- Sim. - ele se dedicou ao meu pescoço e suas mãos percorreram pela lateral do meu corpo. - Você me deixa louco. - ele me prensou contra a parede do elevador. - Eu quero você agora! - suas mãos ágeis subiram a saia do meu vestido.

- Assim você me deixa encabulada. - disse com um sorriso. - Esse é o meu local de trabalho. - olhei para cima, nada de câmeras. - O local de trabalho de muita gente.

- E daí? - resmungou ele entre um beijo ou outro no meu pescoço.

- Não tem câmeras aqui?

- Não. - ele se voltou para me encarar. - Você acha que eu ia deixar alguém ver você gozar?

Ri, e cobri a mão com a boca. Hoseok se abaixou puxando a minha calcinha consigo. Ele colou a minha perna esquerda sobre seu ombro direito e começou a me masturbar com a língua.

- Aaawwnnn...

- Quando eu acho que preciso preparar você, você já está pronta, não é? - disse ele olhando para mim.

- Eu sempre estou pronta. - puxei o ar para os meus pulmões e ele segurou a minha perna e se levantou.

- Que bom. - Hoseok abriu a calça e tirou seu membro para fora. - Porque eu quero meter nessa sua bocetinha gostosa.

Ele roçou seu membro na minha entrada e rapidamente me penetrou.

- Awnnn.... 

E esse seria o início de uma relação muito, mais muito complicada. 


Notas Finais


Acompanhem minhas outras fics @Kathy95

Então?
O que acharam??? Digam para eu saber. Amo saber o que pensam e o que querem.
Até o próximo capítulo.
Vejo vocês em breve!
XX Kathy


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...