1. Spirit Fanfics >
  2. Meu doce ômega - ABO >
  3. Interrupções - a guerra começa P1

História Meu doce ômega - ABO - Capítulo 19


Escrita por: Ana_Amijiki

Notas do Autor


Início da guerra Parte 1


Boa leitura sz

Capítulo 19 - Interrupções - a guerra começa P1


Fanfic / Fanfiction Meu doce ômega - ABO - Capítulo 19 - Interrupções - a guerra começa P1

Nós corredores em rumo a cerimônia de matrimônio....


Encarava seus pés com tristeza e pesar, se sentia fraco frágil e inútil por não ter coragem de ir contra os ideais do usurpador. Não queria esse casamento e nem o que Tomura faria com seu filhote 

Ao lado de Momo Izuku caminhava o mais devagar sem ânimo algum, abraçava sua barriga quando sentia algumas dores no pé de seu ventre, até certo momento conseguiu esconder sua dor da beta, mas não durou muito 

Parou de andar assim que sentiu um líquido molhar suas pernas e uma dor enorme em sua barriga, gruniu de dor o que fez a beta ir ao seu encontro rapidamente o pegando nos braços 

Seu filhote tinha escolhido a hora para vir ao mundo, exatamente no início da guerra e deste casamento que seria obrigado a unir com o Usurpador Shigaraki 

Momo correu o mais rápido que podia com o esmeralda em seus braços até um dia quartos, estava desesperada. Nunca presenciou um parto e agora seria responsável pelo parto de seu protegido esmeraldino, assim que entrou no cômodo colocou Izuku sobre a cama cuidadosamente enquanto isso, Midoria chorava e envolvia seus braços em sua barriga, a respiração descompassada lhe deixava ainda mais nervoso 

– c-calma meu filhote, não era pra você vir agora – dizia Izuku enquanto controlava sua respiração 

A beta pegou algumas toalhas e água quente para começar a fazer o parto de Izuku, ela estava nervosa e com medo de fazer alguma coisa que prejudique tanto Izuku como o bebê. Sua mão que estava trêmula parou quando sentiu um calor na mesma, era Izuku 

– m-momo você consegue, e-eu acredito em você – Midoria sorrio com sua expressão de dor 

– o-obrigado, agora vamos fazer esse bebê vir ao mundo 

A beta tirou a túnica de Midoria o deixando somente com uma roupa fina por cima, afastou ambas as pernas de Midoria e segurou a mão do mesmo, era agora 

– Izuku quando a próxima contração vier fassa muita força, pelo seu bebê – segurava a mão dele 

Izuku respirou fundo e quando a dor veio, ele fez força. A dor era escruciante, dois muito e Midoria esperava por isso, sabia que iria doer mas não tinha imaginado que seria tanto como está sendo agora 

– vamos lá Midoria fassa mais força, conte até três e fassa força – Momo falava enquanto usava o pano para limpar o excesso de sangue com o pano úmido 

– um... dois.... três – fez mais força, estava perdendo suas forças aos poucos e sua visão ficar turva – m-momo eu não consigo – falava entre lágrimas 


Enquanto isso nos portões do reino cremado.... 


Espadas se chocando, sangue derramado e dor...essa era a realidade em meio a batalha que se era travada naquele cenário de horror 

Os príncipes derrubavam seus inimigos facilmente e as baixas que seus exércitos estavam sofrendo eram poucas, todoroki acertava seus oponentes com movimentos leves e fatais

Eijiro já não lutava com tanta delicadeza como o bicolor, seus golpes eram precisos e feitos no coração dos guardas que o enfrentavam

Bakugou cortava os inimigos como se fossem papel de papiros, seus golpes eram violentos e sem dó nenhum, queria esses desgraçados sofrendo por tudo que já fizeram ou fariam ainda em vida

Logo o silêncio se fez quando o último inimigo caiu no meio do campo de batalha junto de barulho de espadas se chocando, sabiam que tinha mais soldados a caminho para a batalha que agora tinha dado início 

Eijiro liderava seus homem em direção aos portões sul, enquanto isso todoroki iria para o leste e bakugou norte, o plano seria cercar o palácio e matar o Usurpador Shigaraki. Sorrateiramente conseguiram entrar dentro dos muros de pedra do lar de Shigaraki vendo poucos soldados, para não levantar suspeitas e evitar barulho, se aproximavam de cada guarda com cuidado e com um punhal acertavam a garganta dos homem, uma morte rápida e silenciosa

Tomura se encontrava a beira de um ataque de nervos, além do esmeraldino não ter comparecido a cerimônia ainda tinha a batalha que era travada pelo lado de fora de suas paredes 

Teria que tomar alguma providência para garantir sua segurança própria, mas antes que pudesse formular algo a porta foi aberta bruscamente dando visão a um homem. Este era conhecido como o maior espadachim que o mundo tinha visto, Masaru Bakugou, o pai de Katsuki 

– VENHA USURPADOR, VENHA E LUTE COMIGO – masaru pronunciava apontando sua espada para o azulado 

– irá se arrepender por me desafiar Masaru, seu reino será meu quando arrancar sua cabeça fora como fiz com Toshinori Yagi – Tomura se aproximou pegando sua espada ficando em posição de batalha 

Aquilo foi o estopim para Masaru avançar contra o homem a sua frente empunhando sua espada com tamanha força descomunal, Tomura recuou dois passos com o impacto 

– se a cabeça de alguém vai rolar hoje....essa cabeça serás sua – rosnou o rei desferindo outro golpe contra o azulado que se afastou para se assegurar 

Parece que a história se repete agora....











Continua.....?




Notas Finais


Volteiii, preparem os lenços para o próximo capítulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...