História Meu Doce Psicopata - (Vkook - Taekook - Kookv - KookTae) - Capítulo 19


Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Kooktae, Kookv, Namjin, Psicopatia, Taekook, Vkook, Yoonminseok
Visualizações 556
Palavras 1.710
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Mistério, Romance e Novela, Slash, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 19 - Capítulo 19


Fanfic / Fanfiction Meu Doce Psicopata - (Vkook - Taekook - Kookv - KookTae) - Capítulo 19 - Capítulo 19

Baekhyun on

Você ainda tem de sofrer mais antes de morrer, ao ouvir isso acordei assustado.

Olhei para meu lado e vi uma máquina com fios ligados a mim. Me sentei na cama rapidamente e gemi de dor.

- Argh! Mas, o quê?

- Óh, senhor Byun? Que bom que acordou. - o médico adentrou junto de uma enfermeira. E que enfermeira.

- Por quanto tempo estou aqui?

- Três dias. - a enfermeira sorriu e eu retribui.

- Senhor Byun, podemos falar sobre seu estado?

- Claro.

- Você chegou aqui com ferimentos graves de bala, certo? - assenti. - Conseguimos que você não morresse, mais um pouco e não estaríamos tendo esta conversa. Acho que seja pura sorte.

- Mas, e então? Eu estou bem?

- Sim, na medida do possível. Você terá alta em dias, no mínimo cinco e no máximo dez.

- Podemos te fazer uma última pergunta? - a enfermeira se pronunciou e eu assenti. - Suspeitamos que isso seja tentativa de homicídio, suspeita de alguém?

- Ninguém. Eu não lembro de nada que aconteceu naquele dia. - disse sério.

- Precisamos que tente se lembrar, ok? Isso é comum, a mente tenta bloquear um momento não tão esperado por nós ou como este, desejado. Precisamos que tente se lembrar, assim iremos atrás do responsável por isso, uh? Iremos te deixar sozinho, até mais tarde Senhor Byun.

- Espera. Quando poderei ver meu namorado?

- Quem seria seu namorado?

- Taehyung. Kim Taehyung.

- Infelizmente não apareceu ninguém com este nome por aqui. Mas, podemos tentar entrar em contato.

- Não, não! Tudo bem... Eu resolvo isso quando sair daqui. - eles se curvaram e saíram.

Assim que vi que eles deveriam ter se afastado me levantei e desconectei os aparelhos de mei corpo.

Fui com dificuldade até o banheiro e escorei na pia me encarando no espelho.

- Você será meu Kim Taehyung, somente meu. - suspirei e passei a mão pelos cabelos. - E você Jeon Jungkook, não deixarei que saibam que você fez isso, eu mesmo irei resolver. Eu irei te matar Jeon Jungkook e Taehyung será meu novo brinquedo, pode apostar.


Taehyung on

Dias depois

- Tchau Hoseok, Luhan, Sehun! - acenei para os três e sai do mercado. - Oi amor! - dei um selinho em Jungkook que estava escorado no carro.

- Oi bebê, como está?

- Ótimo, e você oppa? Parou de doer? - adentrei com minha mão por baixo de sua blusa e acariciei o curativo.

- Sim Taehyung-ah, parou de doer. Tenho um bom enfermeiro.

Sorri e lhe dei mais um selinho. Ele abriu a porta do carro e eu adentrei o mesmo.


>>>

Jungkook me jogou em sua cama e subiu em cima de mim. Com ambos já desprovidos de roupas.

- Aaaah, tão gostoso. - prendeu meus pulsos acima da minha cabeça e passou a língua pelo meu pescoço. - Diz para mim... O que você quer, uh?

- Me fode, por favor Kookie oppa... Me fode!

- Seu pedido é uma ordem.

Ele passou a deixar beijos desde minha boca até minhas coxas e ao chegar na mesma distribuiu chupões e tapas na mesma.

- Ãhn Jungkookie oppa... - gemi ao que sua língua passou pela minha entrada "lubrificando" a mesma.

- Você quer, uh?

- Sim, eu... ãhn... Eu quero~

- Então trate de gemer meu nome para que todos ouçam.

- Ãhn Jungkookie... - sua língua fui de encontro minha entrada e adentrou a mesma. - Ãhn...

Sua língua remexia em meu interior e eu me arqueava gemendo de prazer.

Assim que minha entrada estava devidamente lubrificada ele parou com os movimentos e chegou próximo ao meu ouvido.

- Agora eu vou... Te foder. - ele me penetrou sem aviso e eu gemi alto cravando minhas unhas em sua costa.

Ele me estocava violentamente e eu não fazia outra coisa a gemer e arranhar sua costa desnuda.

- Ãhn T-Taehyung... Tão aper-tadinho...

- Então... ãhn... Me arrombe, o-oppa...

Suas estocadas ficaram mais fortes e os gemidos mais altos até que ele encontrou meu ponto G.

- ÃHN OPPA... D-de novo...

E ele passou a me estocar apenas ali e a deixar chupões - fortes até - pelo meu pescoço, como sempre fazia quando estava chegando ao ápice.

Senti seu membro pulsar em meu interior e seu líquido me preencher fazendo-nos soltar gemidos altos em uníssono.

- Aish! - ele caiu ao meu lado.

- Oppa... - chamei manhoso e recebi apenas um "hm" como resposta. - O que acha de segundo round?

- O quê? - subi em seu colo e suas mãos foram de encontro minha cintura.

- Vamos aproveitar a noite, uh? - passei a língua pelo seu pescoço e sem me importar com seu suor deixei chupões naquela região.

- Se você quer. - guiei seu membro até minha entrada e sentei no mesmo soltando um gemido. - Cavalgue em seu daddy, ok minha putinha?

- Como quiser daddy.

Será uma longa noite.


>>>

- Junggukie oppa, 'tá doendo. - choraminguei ao adentrar a cozinha.

- Onde meu bebê?

- Aqui! - alisei meu bumbum e fiz careta de dor.

- Desculpa o oppa, uh? - o abracei por trás enquanto ele mexia as panquecas típicas da Coréia.

- Tudo bem oppa, eu amei! Na verdade amo qualquer momento junto com você. - sorri e beijei seu pescoço.

- Vamos comer, uh? Irei te levar no mercado hoje, ok?

- Ok Junggukie oppa. - sorri mais uma vez.


>>>

- Oppa, não precisa me trazer até dentro do mercado. - falei tímido ao ver que ele me seguia.

- E por quê? Tenho que comprar algumas coisas para a casa e você me ajuda, uh? - passou o braço pelos meus ombros.

- Tudo bem oppa. - sorri e passei o braço por sua cintura.

Entramos no mercado e eu cumprimentei o funcionários ali presentes.

- O que falta na casa?

- Alguns alimentos e produtos de higiene pessoal. - pegou um carrinho do mercado para colocar todas a compras ali.

- Annyeong Taehyung-ah. - Sehun se aproximou sorrindo e eu fiz o mesmo. - Como vai pequeno?

Sehun acariciou meus cabelos do modo que sempre faz e vi Jeongguk fechar a cara e começar as compras, mas sem tirar os olhos de nós dois. Atento a tudo.

- Vou bem hyung e você?

- Levando. - sorriu. - Queria avisar que não vai precisar cobrir o turno do Baehyun.

- O quê? Por quê?

- Ele volta hoje. Recebeu alta do hospital. Acredita que ele foi baleado na própria casa? Tanta violência nas ruas de Seul hoje em dia, tome cuidado pequeno. - acariciou novamente meus cabelos e saiu.

- Mal sabe ele que namoro um psicopata. - sussurrei e ri anasalado, até que vi Jeongguk com a expressão fechada. - O que foi amor?

- Quem esse projeto de gigante pensa que é?

- O quê? Aaah, o Sehun hyung?

- Não decoro nome de seres inúteis.

- Ele não é inútil, não se levar em conta que muitas vezes ele quem faz parte do meu trabalho e me cobre quando quero dormir sem ser pertubado ou sair com você.

- A troco de quê?

- Uma noite comigo. - dei de ombros.

- O QUÊ? KIM TAEHYUNG, VOCÊ... Aish! Seu idiota e pensar que eu te amo. - ele estava visivelmente irritado. - Quantas vezes foram isso?

- Guk, nã-

- Kim Taehyung, eu não acredito! - ele ia virando a costa e saindo mas entrei na frente. - Sai da minha frente, não quero te ver nunca mais.

- Oppa... - cruzei os braços com um bico irritado. - Eu estava apenas brincando, acha mesmo que faria algo assim com o Sehun? Nós somos bons amigos, uh?

- Você já se olhou no espelho? Você é um puta de gostoso, qualquer ser humano iria querer ficar com você. - corei.

- Desculpa oppa, mas você tinha quer ver sua cara. - ri e ele apenas respondeu com um "ha ha ha" forçado.

- Aish! Vamos logo às compras, quero ir embora dormir. - me puxou para o "atender" com as mercadorias.


>>>

Estávamos terminando de comprar as coisas e estávamos na prateleira de bebidas, próxima ao depósito.

- Mais alguma coisa op-

Ouvi a porta do depósito sendo fechada e olhei para o dono do som, já que eu e Luhan éramos os únicos a entrar lá e hoje Luhan não havia comparecido.

- Olá Taehyung. - sorriu. - Jungkook. - seu sorriso se tornou como de um verdadeiro psicopata.

- Annyeong Baekhyun. - acenei tímido e ele se aproximou de nós dois.

No súbito Jungkook entrou em minha frente e bloqueou qualquer proximidade dele comigo.

- Fiquei muito triste naquele hospital, Tae. Você ao menos me visitou.

- Baek-

- Sabe... Como namorado deveria ser mais atencioso, não?

- Ele não é seu namorado, ele é meu namorado. Apenas meu e de mais ninguém, ouviu bem?

- Hã... Eu acho que está havendo um engano. Eu e Kim Taehyung somos sim namorados e não negue isso Taehyung. Não se lembra daquela noite no escritório.

- O-o quê?

- Você estava um delícia com aquelas roupas, imagina sem? - mordeu os lábios e me fitou de cima a baixo.

- Você não toque mais um dedo em Taehyung, ouviu? Não hesitarei em te matar.

- Ah Jeongguk, nossa história também não acabou uh? Temos assuntos pendentes. Aliás, não diga isso, você já tentou me matar tantas vezes e eu continuo vivo.

- Como você está vivo? - minha pergunta saiu em tom de sussurro. Porém, eles ouviram.

- Você ainda tem que sofrer e eu também antes de morrer. - disse olhando para Jeongguk e eu senti meus olhos lacrimejarem. - Bom, eu vou indo! Queria apenas ver meu namorado, até amanhã amor! - sorriu cínico e saiu deixando Jeongguk tremendo de raiva.

- Eu vou matar esse desgraçado agora mesmo. - ele agachou no chão e eu sabia que ele iria tirar suas adagas do sapatom

- Guk oppa... Por favor, não... - segurei em seu ombro e senti lágrimas rolarem pelo meu rosto. - Por favor...

- Aish! - ele se levantou e me abraçou.

- Eu 'tô com medo Guk... Tenho medo de ele fazer algo contra nós.

- Ele não vai amor, ele não irá fazer nada. - selou meus lábios. - Eu vou te proteger, ok? Eu mato quem for preciso, uh?

- Não Guk, você não pode me proteger sempre. E se ele tentar me matar, você não poderá fazer nada.

- Eu vou te proteger, ok? - limpou minhas lágrimas.

- Não se preocupe Guk, eu morreria por você. - selei novamente seus lábios.

Enquanto nos beijávamos a angústia que estava sentindo apenas aumentou.

Tenho impressão que algo ruim pode acontecer a qualquer momento. Ele mataria por mim, mas... Eu morreria por ele, sem sombra de dúvida



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...