1. Spirit Fanfics >
  2. Meu doce vampiro. >
  3. Capítulo dois:

História Meu doce vampiro. - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Capítulo dois:


Fanfic / Fanfiction Meu doce vampiro. - Capítulo 2 - Capítulo dois:

As mãos frias de Bucky afagaram a pele da cintura de Steve, fazendo os pêlos do corpo do loiro ficarem eriçados.

O Rogers tinha os olhos fechados, a respiração ofegante. O coração batia com força enquanto os lábios de James pareciam devorar os seus.

As línguas dos homens se enroscavam. Seus hálitos se cruzavam. A respiração do humano estava rápida. O vampiro afagou os cabelos do menor, enroscando os dedos nas madeixas macias do mais jovem.

Bucky apenas se separou da boca do Rogers para poder tirar sua jaqueta e sua blusa, a jogando em um canto qualquer. O vampiro sorriu de modo malicioso ao ver os lábios vermelhos e inchados de Ste, molhados pelo próprio sangue e pelo beijo.

O homem lambeu a boca do humano com cuidado e lhe deu um olhar carregado de luxúria, que transmitia tudo que sentia.

- Você é o Diabo? - Steve riu, excitado como uma criança descobrindo os prazeres da vida.

- Não. Sou apenas um velho vampiro. E você é a minha doce presa, baby boy.

- Você me enfeitiçou por acaso? Por que quero você. Agora. Dentro de mim.

- E você terá. E não precisa ter medo, pois irei bem devagar.

- Eu não quero que vá devagar... Eu quero que me foda com força, como nunca fodeu alguém antes. Eu quero que goze dentro de mim.

Bucky até poderia ficar assustado. Mas, aquelas palavras sujas soavam maravilhosas vindas do loiro. O moreno tirou a própria camisa e a calça, juntamente da cueca, ficando totalmente nu e exposto.

Steve arfou ao ver o corpo sarado e bem feito do maior. James tinha braços fortes, um peitoral largo, ombros grandes e um tanquinho que parecia ter sido esculpido por algum artista.

O Rogers ergueu as mãos e tocou no peitoral do mais velho, beijando sua pele, sentindo seu sabor, instigando o outro. Bucky soltou um ruído leve de prazer, cerrando as pálpebras, aproveitando o momento.

Ste lambeu um mamilo avermelhado do vampiro, brincando com a auréola bem devagar, fazendo o outro enfiar os dedos no cabelo do menor. O loiro fechou os dentes com cuidado naquela área sensível do britânico, sugando com vontade, o deixando duro.

- Porra... - James deixou escapar por entre os dentes cerrados.

Steve beijou a barriga do maior, distribuindo pequenas mordidas, arrancando suspiros do sobrenatural. James nunca havia ficado com um humano tão intenso quanto o Rogers.

O loiro lambeu o abdômen do moreno, deixando um pequeno rastro de saliva em sua pele, a demarcando. O americano foi baixando os lábios, chegando à virilha do maior.

Bucky possuía pêlos negros e espessos naquela área e Steve gostou daquilo. Achou másculo e viril. O mais jovem sentiu a boca salivar ao ver o pau do imortal.

Era grosso, de tamanho consideravelmente grande, com veias saltadas e a glande rosada estava inchada e molhada de pré-gozo. Ste não se decepcionou nem um pouco com aquela parte. Bucky era mesmo enorme em todos os sentidos.

O loiro segurou a base do membro do mais velho e usou a língua na glande, a lambendo como se provasse um pirulito saboroso, levando o vampiro a ver estrelas de tanto prazer que sentiu.

Bucky abriu os olhos e ficou observando o humano com atenção enquanto ele distribuía beijos por todo seu sexo, o deixando úmido. O vampiro sentia que poderia explodir apenas com aqueles leves toques.

Steve colocou a língua para fora e bateu o pau do imortal contra ela, fazendo o Barnes perder a cabeça. O loiro abriu bem a boca então, engolindo todo o membro de James, o abrigando em sua cavidade úmida.

O humano relaxou bem a garganta, gemendo baixo, sentindo o sexo de Bucky atingir quase que o fundo. O Rogers tossiu um pouco, engasgando e seus olhos ficaram marejados, porém, não se afastou do maior.

Steve começou a usar tanto a língua quanto os lábios, fazendo movimentos precisos de sucção, chupando Bucky com vontade, produzindo sons eróticos e altos, que ecoavam pelo quarto do vampiro.

Bucky começou a mover os quadris, estocando com força na boca de Steve, apertando os lençóis de cetim com tanta força que quase rasgou o tecido negro.

- Que boca deliciosa. - O vampiro rosnou de novo, olhando seu pau sumir e aparecer da boca do humano.

Steve se afastou devagar do membro do vampiro, fazendo um pequeno fio de saliva escapar por seus lábios, se ligando a glande do Barnes. O Rogers abocanhou as bolas do imortal, as lambendo e masturbou o moreno, o fazendo gritar e rolar os olhos, contorcendo os dedos dos pés.

O loiro masturbava o britânico de modo hábil, gostando do pau dele contra a palma de sua mão. E Bucky sabia que acabaria gozando se o humano continuasse com aquilo.

O vampiro fez o menor se erguer e o deitou na cama espaçosa, separando bem suas pernas, olhando a entrada rosada do mais jovem.

O homem se ajoelhou e passou a língua no botãozinho apertado do humano, o fazendo gemer como uma vadia. Bucky foi fundo com a língua, lambendo Steve com vontade, o deixando úmido.

- Caralho! - O Rogers mordeu o lábio.

Bucky sorriu malicioso e se ergueu, olhando o menor. Ele desferiu tapas no traseiro do menor, fazendo a pele dele arder e ficar avermelhada.

- Você gosta disso, não gosta? - James afagou o rosto do loiro com carinho.

- Sim. Eu te quero dentro de mim, por favor. - Steve estava com as pupilas dilatadas e corado.

Bucky gostava da submissão daquele humano. Era tentador como o pecado da luxúria. O vampiro beijou as pernas do menor com carinho, subindo os lábios de modo devagar por suas coxas e deu leves mordidas, deixando marcas vermelhas.

- Você é meu. - James disse como um bom dominador, lambendo a virilha do Rogers. - A partir de hoje, só se deitará comigo. Não quero outros homens te tocando a menos que eu permita. E você será meu passivo. Só eu poderei estar dentro de você.

- Só seu. - Steve concordou em meio a gemidos. - Quando e onde mais desejar.

Bucky gostou de ouvir aquilo. O moreno ficou esfregando o pau na entrada molhada e pulsante do menor, que rebolava em busca de mais contato.

O vampiro entendeu o recado e começou a penetrar em Steve, indo bem fundo e se enterrou por completo. O Rogers berrou de prazer, gostando da sensação de preenchimento.

Bucky se deitou por cima do corpo de Steve, colando a testa na dele e segurou seus pulsos acima da cabeça, sentindo o membro do menor roçar em seu abdômen.

O vampiro começou a estocar no loiro, indo com força, fazendo o traseiro do menor colidir com sua pélvis. Steve passou as pernas ao redor da cintura do mais velho, gemendo baixo e ofegante, de olhos fechados e lábios entre abertos.

Bucky mordeu o lóbulo da orelha do menor, chupando com cuidado enquanto aumentava a força das estocadas, fodendo Steve como um animal selvagem, fazendo o americano arquear as costas e tombar a cabeça para trás.

A cama rangia e os lençóis já estavam ficando bagunçados. Steve suava, os cabelos se grudando a sua testa. Ele estava ofegante e Bucky o olhava o tempo todo, surrando a próstata do menor sem nenhuma piedade, fazendo o Rogers ir ao céu.

Eles ficaram ali, juntos por muito tempo, trocando de posições. Steve já sentia a entrada arder. E quando Bucky o colocou de quatro, saindo dele apenas para entrar com mais força, foi aí que Ste chegou ao ápice.

O loiro jorrou com força, sentindo todo o corpo tremer. Seu sêmen sujou os lençóis. E Bucky preencheu o humano em seguida, gritando seu nome enquanto se desfazia dentro dele.

Steve, se sentindo totalmente exausto, caiu para o lado. Ele sentiu o gozo de Bucky escorrer lentamente por entre suas pernas e gemeu baixo. O vampiro sorriu e se deitou a seu lado, o puxando para perto de si.

- Você é incrível. - O loiro sorriu sonolento.

- Digo o mesmo. - O moreno ficou de conchinha com o menor, passando os braços ao redor de sua cintura, beijando seu pescoço.

- Você tem que dormir daqui a pouco, não é? Está perto do amanhecer.

- Sim. Prometo que irei vê-lo assim que acordar.

- E eu estarei te esperando ansiosamente, meu doce vampiro.

Bucky riu e as cortinas e janelas foram fechadas de modo automático. O Sol estava nascendo. O vampiro se acomodou na cama, ainda nu e fechou os olhos, adormecendo de modo instantâneo.

Steve cobriu James com cuidado. E afagou seus cabelos, o admirando. O loiro beijou a testa do maior e se vestiu, pegando o livro "Romeu e Julieta".

Sorrindo, o Rogers deixou um bilhete para o vampiro, avisando que havia pegado o livro emprestado e que quando James o quisesse de volta, bastava aparecer na janela de seu quarto.

E aquilo aconteceu. Bucky foi até seu humano durante a madrugada, para pegar o objeto emprestado de volta. E também para ver seu amado e falar com ele e tocá-lo, tomar de seu sangue.

E depois daquilo, Steve passou a pegar mais livros emprestados, apenas para que seu doce vampiro pudesse ir até ele. E ele passou a deixar a janela aberta.

E nada mais importava. Os dois se amavam e dariam um jeito de passarem pelo obstáculo que era a mortalidade de Ste. Por isso, após quatro anos de relacionamento sério, Bucky decidiu atender o pedido de seu Rogers.

- É isso mesmo que quer? - James afagou o rosto do humano, o olhando no fundo dos olhos, como se quisesse ler sua alma.

- Tudo que mais quero é poder ficar ao seu lado pela eternidade. Sendo seu. Só seu.

Os dois estavam no quarto do vampiro, nus após terem feito amor e conversado. Steve tomara a decisão de ser como Bucky e não voltaria atrás mesmo sabendo das consequências.

- Tudo bem. Feche os olhos e confie em mim. - O Barnes sorriu suave.

Steve fez o que lhe foi mandado. Cerrou as pálpebras e esperou até sentir os lábios macios de Bucky em seu pescoço.

E então, de repente, veio a dor. Depois, a escuridão que pareceu durar anos. Porém, o Rogers despertou. Acordou para sua nova vida. Tudo parecendo muito mais brilhante e nítido que nunca.

O loiro olhou para seu parceiro. As íris do Rogers estavam vermelhas como rubis. A pele, alva como mármore e o corpo mais musculoso. Ele estava perfeito aos olhos de Bucky.

James sorriu, ajudando Steve a se levantar e segurou seu rosto entre suas mãos. Agora, ambos tinham a mesma temperatura corporal.

- Você está lindo. - O moreno sussurrou satisfeito.

Steve sorriu e puxou Bucky para um beijo breve. Depois, o britânico segurou a mão do namorado, o conduzindo para fora de sua casa.

- Pronto para sua primeira caçada? - James olhou o menor como se o desafiasse.

- Muito mais do que pronto. - Ste piscou de modo sapeca. - Aliás, eu já sei de quem quero tomar um pouco de sangue.

- Mesmo, meu amor? De quem?

Steve não disse nada. Apenas sorriu de modo misterioso e conduziu o mais velho pelas ruas escuras...

-X-

Tony Stark dormia profundamente.

O empresário parecia um anjo e Steve e Bucky ficaram o olhando. E não podiam negar que aquele humano era belo e delicioso. E tinha um cheiro maravilhoso.

- Você o quer, meu amor? - James riu malicioso.

- Sim. Eu quero o Tony... Não vai sentir ciúme? - Steve mordeu o lábio devagar.

- Podemos dividir seu amigo apenas por essa noite. Mas... Ele tem que ser o passivo. Afinal, só eu posso estar dentro de você, como combinamos antes. - O moreno parecia amar aquela ideia pervertido.

Anthony se mexeu devagar na cama, se virando e abriu os olhos aos poucos, sem nem fazer ideia de que horas eram. Meio grogue, o homem viu Steve e James e se assustou um pouco. Não os esperava.

- O que aconteceu? - O milionário perguntou com a voz rouca, sentando devagar, seus cabelos estavam ligeiramente bagunçados.

Os vampiros riram e se sentaram na cama, deixando Tony entre seus corpos. Bucky cheirou o pescoço do Stark, fazendo com que ele se arrepiasse.

- Estamos aqui por você. - Steve encarou o melhor amigo, que notou a vermelhidão em seus olhos e abriu a boca para falar algo, mas foi interrompido. - Eu e o Bucky queremos te ter por uma noite.

- Isso mesmo. E não precisa temer. Vamos tomar cuidado, gatinho. - Bucky lambeu o pescoço de Tony.

Anthony gemeu baixo, dando sinal verde. E então, os vampiros sabiam que podiam avançar e deitaram o humano na cama, acariciando seu corpo, o deixando arrepiado e duro.

Steve olhou Bucky enquanto tocava no membro de Tony por cima de sua calça. O Barnes apenas assentiu devagar e também tocou no pau do Stark.

O Rogers sorriu. A imortalidade com certeza seria bem divertida...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...