1. Spirit Fanfics >
  2. Meu encontro com a felicidade e o prazer. >
  3. Oi. Posso entrar?

História Meu encontro com a felicidade e o prazer. - Capítulo 19


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura ♡

Capítulo 19 - Oi. Posso entrar?


~ Suga on ๑

- Vocês não podiam esperar eu tomar banho pra gente sair? - falei grosseiro com Jungkook e J Hope. 

- Cara, relaxa. Você escovou os dentes, foi o suficiente. E pra que tomar banho? Ninguém vai te cheirar. - Hope falou e JK riu alto. 

- Tanto faz, cara. - fechei o rosto e cruzei os braços. 

- Que foi, Suga? Você tá meio irritado. - perguntou Hope em um tom preocupado. - Desculpa a brincadeira, não queria ofender. Quando chegar você toma um banho. 

- Não é isso cara. - falei baixo. - Depois a gente conversa. 

Chegamos ao mercado e começamos a compras as coisas para cozinhamos. 

- Tá, a Carla disse ontem a noite que ia fazer Strogonoff. Pesquisei na internet e vi todos os ingredientes, só pegar as coisas e ajudar as meninas a fazer. - Hope falou e assentimos com a cabeça. 

Depois de comprar todos os ingredientes chamamos o Uber para ir pra casa, estava ficando próximo de 12h e estávamos com fome, não queríamos ir andando. 

- Chegamos, garotas. - Disse JK colocando algumas sacolas em cima da mesa da cozinha. - Oi, linda. - ele chegou perto de vivi e deu um selinho demorado nela. 

- Onde está a Carla e o Luan? - Hobi deixou as outras sacolas em cima da mesa. 

- Eles saíram agorinha, foram comprar limão pra fazer suco, estavam cansados de refrigerante depois de ontem. - respondeu vivi e foi mexer nas sacolas. - O que vocês compraram? 

- Hope disse que a Carla queria comer Strogonoff. - respondeu Jungkook. 

- Nossa, que incrível. Ela cozinha super bem, o tempero dela é sensacional. - disse Viviane sorrindo. 

- Bom, eu vou tomar meu banho. Se vocês me derem licença, eu tô com cheiro de baba dormida. - eles riram e eu saí da cozinha. 

Fui para o quarto, peguei a toalha na mochila e entrei no banheiro para tomar banho. Depois do banho sai com a toalha enrolada na cintura, arrumei meu cabelo no espelho do quarto e fui pegar uma roupa dentro da mochila. Vesti uma bermuda simples e uma blusa de manga comprida verde escuro. Quando terminei de pôr a blusa o Luan entrou no quarto. 

- Nossa, desculpa. - ele fechou os olhos eu ri. 

- Tá tudo bem, eu tô vestido. Pode abrir os olhos. - ele abriu e olhou pra mim envergonhado. - Relaxa, você não viu nada. 

Sai do quarto e fui para a sala, sentei ao lado de JK e Hope. Eles estavam com um semblante triste e abatido. 

- O que aconteceu? - perguntei a eles. 

- A gente tem que ir pra casa depois do almoçar, não esquece que combinamos de conversar com os garotos. - disse JK. 

- Nós vamos, relaxa. Eles não vão embora sem falar conosco. - respondi Jungkook e mexi em seu cabelo.

- Eai, Hope, como foi sua noite? Sexy de novo? - ri baixo. 

- Não. - ele balançou a cabeça e sorriu. - Minha noite foi romântica. Eu dormir abraçado com a Carla a noite inteira, ela ronca um pouco, é engraçado, parece que vai se engasgar. 

- Eu também dormi com a Vi assim. Ela é muito princesa pra eu querer atacar. - disse JK. 

- Vocês quase transaram aquele dia. - respondi olhando sério pra ele.

- É.. mas a gente tava bêbado, agora tô conhecimento ela melhor. Parece um sonho essa mulher. - ele sorriu apaixonado. 

- Eu não aguento mais vocês apaixonados. Ficam chatos e melosos demais. - disse jogando meu corpo pra trás. 

- Sabe o que é isso, Suga? Dor de cotovelo! Vai arrumar uma boca pra beijar. - disse JK rindo e ele levantou no sofá saindo da sala. 

- Idiota. - falei baixo. 

- Cara.. - Hope tocou na minha perna. - me diz, o que tá havendo? Você tá estranho há um tempo. 

- Preciso conversar, Hobi. - disse olhando pra ele com olhar de culpa. 

- Tô aqui pra isso, irmão. - ele se aproximou de mim e sorriu. 

- Tá.. você já se sentiu confuso com a sua sexualidade? - perguntei. 

- Acho que todo homem já se sentiu um pouco assim. É normal. 

- Mas você já tentou atiçar essa curiosidade? 

- O que aconteceu, Suga? - e me perguntou preocupado, eu suspirei. 

- Naquele dia em que eu fui no bar, o dia em que sai com você e a Carla. - ele assentiu com a cabeça. - Eu fiquei muito bêbado, muito bêbado, fora de mim e .. - olhei para os lados pra certificar de que não havia ninguém e sussurrei. - eu beijei o Luan. 

- Não brinca, Suga. - ele me olhou surpreso. - E o que você sentiu? 

- Eu não lembro. - coloquei as mãos no rosto e logo tirei  - Eu não lembro de nada. Não lembro do beijo, não lembro do sentimento. A única coisa que eu sei é o que ele me falou. Ele disse que me deu um beijo curto e eu o puxei para beijar mais.

- Eu não sei muito bem o que dizer, eu nunca imaginei que você seria... 

- Eu não sou! - cortei ele. - Eu não sou. 

- Olha, Suga. Se você for, não tem problema. Isso é normal e eu não vou mudar com você por causa disso. Ser bissexual é normal. 

- Mas eu não sou, eu estava bêbado, então não conta como bissexualidade. - retruquei ele. 

- A dúvida tá te matando, né cara? - eu Assenti. - Você precisa beijar ele sóbrio pra saber o que você vai sentir. Ele ou qualquer outro garoto. Você precisa tirar essa dúvida de você. Mas se for fazer isso, deixa bem claro que não quer ter um romance, só quer ter certeza do que sente em relação a sua sexualidade. 

- GENTE, TA PRONTO!!! - Carla gritou na cozinha.

- Vamos? - ele levantou e estendeu a mão pra mim, eu levantei e dei um abraço forte nele.

- O que seria de mim sem você, irmão? - disse a ele e depois fomos almoçar. Fiquei em um canto da cozinha e o Luan em outro, nós ficávamos trocando olhares sem querer toda hora e eu não conseguia controlar, era automático. Peguei um prato e fui me servir nas panelas, sentei na mesa entre JK e Hobi. 

- Nossa, tá muito bom, Cacau. - Hope disse e Carla sorriu. 

- Puxa saco pra cacete. - disse e todos riram. - Brincadeira, Carla, tá realmente muito bom.

- Obrigada, gente. Eu fiz com muito carinho pra vocês. - ela olhou para o Hobi e perguntou. - Vai pra aula de dança direto daqui? 

- Hoje.. - ele olhou para mim e para o JK. - Hoje não vai dá, princesa. Depois do almoço temos que ir embora, precisamos resolver uma coisa lá em casa. Mas prometo que semana que vem eu estarei lá contigo. 

- Tá bom, Hobi. - ela sorriu e voltou a comer.

Depois de comermos pegamos nossas mochilas e fomos andando pra casa. Ficamos em silêncio durante o caminho todo, o clima estava pesado e eu aproveitei pra pensar no Luan. Em como o cabelo ruivo dele brilhava, como os olhos azuis dele me deixavam fissurado e como aquele mar de pintas que ele tinha no rosto fazia ele ficar ainda mais bonito. Eu não sei de onde esses pensamentos estão vindo, mas agora eu tô gostando deles. E o jeito dele meio tímido de ser deixado tudo ainda mais gostoso de se viver.

Chegamos em casa e Namjoon, Taehyung, Jin, Jimin e Aurora estavam com malas prontas na sala. 

- Aurora? - perguntei. - O que você está fazendo aqui? 

- Eu vou pra Coréia com o Jimin. Eu não vou deixar meu namorado ir embora sem mim, meus pais vão pagar minha escola lá, então eu estou bem feliz com essa situação. - ela não parava de sorrir e o Jimin não sabia se sorria de felicidade por eles ou chorava de tristeza por nós. 

- Decidimos ontem, meninos. Nós vamos ir pra Coréia. Avisamos nossos pais, eles compraram as passagens ontem mesmo. Avisamos que vocês não vão, que estão bem por aqui. - disse Namjoon. 

- Tudo bem, cara. As coisas vão ficar bem por aqui, mesmo você não estando. Acredite em nós. - ele riu alto. 

- Me liguem daqui a dois dias, eu vou resolver o problema de vocês, podem deixar.

Nos abraçamos todos e nos despedimos individualmente. Era como se um pedaço de mim tivesse indo embora. Não bastava eu estar todo confuso com minha sexualidade e meus sentimentos com o Luan, eu ainda tinha que enfrentar meus melhores amigos indo embora. Parecia que eu estava dentro de um filme de drama horrível onde não tinha um final feliz. 

- A gente leva vocês no aeroporto. Pode ser? - disse Hope enxugando as lágrimas que escorria em seu rosto. 

- Claro que pode. Não chore, vamos nos ver no verão. - Jin abraçou j Hope como eu nunca havia visto, era como se ele tivesse dando uma parte de si para ele. 

Chamei dois Ubers e fomos em direção ao aeroporto. No carro eu mandei uma mensagem para o Luan. 

Eu: Oi.. 
Luan: hey. 
Eu: Podemos nos ver hoje?
Luan: claro. Onde?
Eu: Um lugar onde ninguém possa nos ver. 
Luan: Pode vir a minha casa. Moro só com minha mãe e ela não se importa de vim amigos aqui. Se você quiser, claro.
Eu: apareço aí as 19h30.
Luan: ok. 

Guardei o celular e percebi que já estavamos perto do aeroporto. Chegamos lá e saímos do carro, levamos eles até a sessão de embarque, nos despedimos novamente. Dessa vez com um abraço mais forte, choramos todos e eles se foram. Minha família se foi e eu não consigo dizer o quanto meu coração apertava nesse momento. 

- Tá tudo bem, cara. Eles não morreram. - Hope tentava acalmar JK que chorava feito criança. 

-  Vamos ver eles no verão. Tenta se concentrar na escola e na Viviane. Você vai ficar bem. - disse a ele e dei lhe um beijo na testa. 

Pedimos outro Uber e fomos embora pra casa. JK ainda estava muito mal, pedi pra Viviane ir até lá em casa cuidar dele. 

Chegamos em casa depois de um tempo no trânsito e já eram 18h da tarde. Liguei para Viviane e ela disse que já estava indo. Eu e Hope colocando JK no quarto, ele caiu no sono em questão de minutos. Ouvimos a campainha e fomos lá atender.

- Oi, vi. Entra. - Hope deixou ela entrar. - Ele tá no quarto dele, dormindo, pode ir lá. 

- Obrigada, Hope. - ela entrou direito pelo quarto dele e fechou a porta. Eu e Hope ficamos na sala. 

- Eu vou beijar ele hoje, Hobi. - disse.

- Boa sorte, Suga. Espero que consiga encontrar o que procura. - ele tocou em meu ombro e sorriu. - Eu vou deitar um pouco, ainda preciso digerir que ia meninos foram embora. 

Me arrumei inteiro para ir a casa de Luan. Eu nunca me preocupei tanto com a minha aparência como hoje. Coloquei uma calça preta apertada, uma blusa preta pro baixo da calça, cinto preto, sapato de couro preto e uma jaqueta de couro preta. Passei perfume em todas as minhas roupas e em meus pescoço, arrumei meu cabelo 10 vezes até ele ficar perfeito. Respirei fundo e fui para a casa de Luan. 

Andei por 20min até chegar, achei que se fosse andando eu desistiria no caminho, mas a distância só meu deixou mais ansioso e com mais vontade de beijar ele. Cheguei em sua casa e toquei a campainha, mas não tive resposta, toquei a campainha novamente. 

- Pois não? - uma mulher, que parecia ter mais de 30 anos, abriu a porta. 

- Oi.. meu nome é Suga. 

- A, claro! Entre, entre. - disse ela sorrindo e eu entrei. - O Luan disse que você viria, ele tá lá no quarto, pode ir lá.

Sorri para ela e fui até o quarto de Luan. Ele estava com a porta fechada, respirei fundo antes de bater. Pensei em sair correndo, em deixar isso pra lá, pensei que isso só poderia ser coisa da minha cabeça..as agora já era tarde demais, eu já estava ali bem em frente a porta dele e a única coisa que eu poderia fazer naquele momento era bater. Então eu bati na porta e abri levemente. 

- Oi. Posso entrar? 










Notas Finais


Desculpem os erros. Espero que gostem, beijokassss ꒰⑅ᵕ༚ᵕ꒱˖♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...