1. Spirit Fanfics >
  2. Meu encontro com a felicidade e o prazer. >
  3. O grande dia.

História Meu encontro com a felicidade e o prazer. - Capítulo 22


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura ♡

Capítulo 22 - O grande dia.


~ Carla on ♡˖

Passaram se três meses desde que conheci Hoseok. Nesse tempo nós nunca nos separamos, ficamos sempre juntinhos e ficando todos os dias. Passamos a sair somente de sexta a domingo, os outros dias deixavamos para estudar. 

Como saíamos há algum tempo, minha mãe estava louca pra conhecer ele, e bom, eu acho que já enrolei o suficiente pra isso acontecer. Estou aqui sentada na cama do Hoseok vendo ele se arrumar inteiro pra um simples jantar na minha casa. 

- Você tá ótimo, não precisa de tanta cerimônia. - disse impaciente. 

- Não é todo dia que eu conheço o pai da garota que eu amo. - ele me olhou. - Eu não vou ir igual um Zé ninguém, vou ir bonito. 

- Meus pais prezam inteligência. - fui até ele e dei lhe um selinho. - E você é inteligente demais. 

- Tá bom. - ele suspirou. - Então eu tô bem assim? 

Ele estava com uma calça jeans escura, uma blusa simples preta e all star. Pra mim ele estava perfeito e eu tiraria tudo ali mesmo e encheria o corpo dele de beijos, mas apenas assenti com a cabeça e puxei ele para fora do quarto. - Tá lindo, vamos! - falei.

Fomos andando até minha casa, eu estava com um vestido verde escuro de alça fina, nada muito sofisticado, era bem simples na verdade e em meus pés uma sapatilha branca, o que facilitou bastante a caminhada. 

- Olha, Carla. Eu sei que a gente não tá namorando oficialmente, quer dizer, eu não pedi pra você. - ele me parou na rua. - Mas eu sempre me senti seu namorado, totalmente tomado por ti. Desde o primeiro dia em que te vi eu fiquei encantado. Me desculpa por não ter pedido, é que eu sempre achei que fôssemos. 

- E nós somos. - eu sorri pra ele. - Não se preocupe com pedidos formais, o nosso sentimento que vale. Do que adianta pedidos elaborados se não tem amor? - acariciei o rosto dele e dei lhe um beijo na bochecha. - A gente tem o que muitos queriam ter. Eu fico feliz por nós e por tudo que temos. Tá tudo bem, não fique tão nervoso. 

Andamos mais algum minutos e chegamos em minha casa, meus pais estavam na cozinha preparando o jantar juntos, olhei para Hoseok e ele estava mais branco que palmito. 

- Tá tudo bem? - perguntei a ele, e ele assentiu com a cabeça. - O nome da minha mãe é Ângela e meu pai se chama Murilo. Pode chamar eles pelo nome mesmo, eles não se importam. Vem! - segurei a mão dele e fomos andando para cozinha. - Mãe, pai! Esse aqui é o Hoseok. Mas pode chamar ele de Hobi. - disse sorridente. 

- Oi, Hobi! - minha mãe foi cumprimenta lo com um abraço. 

- Olá, Hoseok. Bem vindo a nossa casa. - disse meu pai indo apertar a mão dele e eu ri porque sabia que não era a primeira vez dele lá. 

- Muito prazer, Ângela e Murilo. Eu fico feliz de estar conhecendo vocês. - Hoseok disse nervoso. 

- A gente também fica feliz. Foi muito difícil convencer a Carla a trazer você aqui. Vem aqui, pode se servir. Hoje é lasanha, você gosta? - Hoseok apenas assentiu.

Após pegarmos nossos pratos e sentarmos a mesa meus pais começaram a fazer perguntar do tipo " como são seus pais?" " quais são seus planos para o futuro?" 

- E então, há quanto tempo você namora minha filha? - meu pai perguntou sério, o que assustou Hoseok e eu. 

- Há três meses, senhor. 

- E nesses três meses vocês fizeram algo além de beijo? - ele olhava friamente para Hoseok. 

- Acho que alguém aqui tá passando dos limites, não é mesmo? - disse eu interrompendo a tensão. 

- Qual o problema em perguntar isso? Tá com medo de algo, Carla? - meu pai não desviava o olhar de Hoseok há nenhum momento. 

- Senhor, minhas intenções com a Carla são as melhores. Eu jamais magoaria ela. Ela é como uma rosa, ela é delicada e linda, mas também tem espinhos. Apesar de ser delicada ela sabe se defender. Eu nunca fiz nada com sua filha que ela não quisesse. Respeito muito ela e ela te respeita também. Não é da minha cultura ficar com alguém e decepcionar depois. Eu tenho princípios e objetivos, e nisso o principal é fazer ela feliz. - disse Hoseok firme sem gagejar, eu e minha mãe ficamos olhando uma para outra surpresa. Eu nunca tinha visto Hoseok falar assim, segurei a mão dele por baixo da mesa e apertei levemente.

- Ok.. - disse meu pai sorrindo. - Bem vindos a família. - ele estendeu a mão e apertou a mão de Hoseok. 



Já eram 22h15 quando o jantar terminou e o celular do Hoseok tocou, era o Suga perguntando se ele iria voltar pra casa e se fosse voltar pra ir logo pois a chuva estava ficando intensa. 

- Então gente, preciso ir. A chuva lá fora tá perigosa, apesar de eu morar perto a rua pode encher. - disse ele se levantando da mesa. 

- Não, que isso. Que tipo de sogro eu seria deixando meu genro ir pra casa andando nessa chuva? Pode ficar aqui em casa, dormi no quarto do meu filho. - meu pai disse sorrindo para Hoseok. 

- É sério? - eu e minha mãe dissemos ao mesmo tempo. 

- Que isso, gente? - ele disse rindo. - Até parece que sou um homem ranrinza. 

- E não é? - disse baixo. 

- O que? - ele me repreendeu.

- Nada, nada. - levantei. - Eu te levo até o quarto do Ruan. - segurei a mão do Hobi e levei ele até o quarto. 

- Gostei da sua família, Carla. Eu pensei que ia ser muito mais Intimidador, mas foi tranquilo. - ele sentou na cama. - Mas é uma pena que vou dormir separado de você hoje, seu vestido parece está tão fácil de tirar. 

- Uma pena mesmo. - me aproximei dele. - Mas quem sabe eu venha te fazer uma visitinha noturna. - dei um beijo de leve no pescoço dele. - Mas não fica me esperando, isso é um talvez. - ri.

- Não precisa vim. - ele acariciou meu rosto. - Pode dormir tranquila, vou ficar aqui batendo punheta e pensando em você. - eu soquei ele de leve e ele começou a rir. - Brincadeira, eu só vou dormir. 

- Tá bom. Você sabe onde ficam as coisas de dormir, é só pegar. Escova de dentes eu te do amanhã de manhã, meu telefone você já tem, pode me ligar a qualquer momento. - suspirei e coloquei a mão na cintura. - Mais alguma coisa? - ele negou com a cabeça. - Tá bom! Eu te amo. 

- Eu também te amo, linda. - ele levantou, colocou as mãos em minha cintura e me beijou devagar. Parei o beijo com selinhos rápidos antes que ele me convencesse a ficar. - Vai lá. - ele sorriu e eu fui para meu quarto. 

- Não é a primeira vez, né? - minha mãe estava sentada na minha cama olhando pra mim. 

- O que você tá falando, mãe? - sentei ao lado dela. 

- Não é a primeira vez que ele vem aqui. Eu fui jovem, eu sei que quando os pais saem a gente arruma pretexto pra trazer o namorado em casa. - abaixei a cabeça com vergonha, ela segurou meu queixo e me fez olhar pra ela de um jeito delicado. - Tá tudo bem. Só não deixa seu pai saber disso. - ela me deu um beijo no rosto.

- Ele não adivinharia, homens são burros. - ela riu e levantou. - Boa noite, mãe. 

- Boa noite, filha. - ela saiu do meu quarto.

Fiquei deitada na cama pensando no Hoseok e o quanto eu queria que ele tivesse deitado só meu lado. Ele estava só alguns metros de mim, mas eu queria estar com ele constantemente. Meu coração batia em um ritmo de saudade e alegria. Fiquei feliz em saber que meus pais gostaram dele, acho que estamos oficialmente namorando agora, o que me parece estranho. Ele é um sonho, consegue ser perfeito em tudo. Eu nunca ia imaginar encontrar alguém tão bom e encantador, parece que vamos durar... E eu espero que a vida inteira. 




Notas Finais


Desculpem os erros. Obrigada por lerem, beijossss ꒰⑅ᵕ༚ᵕ꒱˖♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...