1. Spirit Fanfics >
  2. Meu erro >
  3. Capítulo único

História Meu erro - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Faz tempo que eu não escrevia algo que eu gostasse. Então espero que vocês leiam com carinho e goste dessa história tanto quanto eu.
Boa leitura.

Capítulo 1 - Capítulo único


Lee Hoseok foi o típico garoto problema em sua adolescência. Nada pode justificar seus erros do passado, mas tudo que passou na vida foi fruto de problemas que surgiram em seu caminho.

 

Se perguntasse a Hoseok qual era a lembrança mais vivida que tinha de sua infância, a resposta com certeza seria as diversas brigas de seus progenitores. A infância do pequeno Lee foi toda em um lar onde os pais não tinha amor entre eles, e muito menos com os filhos. O mais velho Hoseok e o mais novo Kihyun. Quando o filho mais velho dos Lee chegou a adolescência as coisas só pioraram, o senhor Lee saiu um dia de casa e om sus coisas e nunca mais voltou, a ex senhora Lee se afundou mais no emprego que não pagava muito bem, e nas bebidas. Coisa só a levou a negligenciar mais sus filhos. Hoseok até tentou arrumar um emprego, mas estava difícil. Foi quando ele se envolveu com pessoas erradas, e em negócios. Porem era a forma a qual ele encontrou para sustentara a si, e a seu irmão mais novo. O único fio de esperança que Hoseok tinha de ter um futuro diferente daquilo que sua vida estava indo, era a escola. O Lee mais velho nunca deixou de frequenta-la, e sempre fez Kihyun também comparecer em todas as aulas e se esforçar.

Todos na escola sabiam da fama de Hoseok, mas como sempre as historias contadas eram realidades aumentadas daquilo que realmente era real. No entanto Hoseok em relação aos estudos era um garoto exemplar que sempre ficava em primeiro nos rankings.

No outro lado dessa historia temos Chae Hyungwon, um menino muito estudioso, divertido, engraçado, que arrancava suspiro das meninas da escola por ser alto, bonito, educado, inteligente... o menino obtinha consigo uma lista enorme de qualidades. Mas para decepção das meninas, Hyungwon era um dos poucos gays assumidos no colégio. Seus pais sabiam de sua opção sexual, e o apoia independente de tudo.

Logo que chegou ao colégio Hyungwon colocou seus olhos em Hoseok, e ele soube naquele momento que aquele garoto seria o amor de sua vida. Clichê, não? Mas quem se importa? Todavia as pessoas ao seu redor já o alertava sobre a fama do Lee, mas alguém acha que isso foi impedimento o suficiente para Hyungwon? O mais novo fez de tudo para se aproximar do “garoto problema”, mas Hoseok via o quão bom o Chae era, e não queria que ele se envolvesse consigo e sua vida errada.

Levou bastante tempo para que o Chae conseguisse se ter alguma relação com o mais velho, porem aos poucos Hyungwon conseguiu conquistar o coração do Lee. E foi pelo mais novo que Hoseok largou sua vida de delinquente, foi pelo Chae que Hoseok pagou pelas suas inflações. Foi com a ajuda de Hyungwon e seus pais que Hoseok conseguiu um trabalho, e nesse tempo todo foi com a ajuda deles que Hoseok conseguiu cuidar de seu irmão, da melhor forma. Hoseok se formou primeiro no colégio e por suas excelentes novas conseguiu bolsa integral na melhor faculdade do país, no curso de arquitetura, a qual descobriu ser sua paixão. Não muito tempo depois Hyungwon conseguiu entrar para faculdade pro tão sonhado curso de dança. No primeiro ano de Hoseok na faculdade ele recebeu a noticia da morte de sua mãe, foi um choque para Kihyun e ele, mas os dois já estavam acostumados a ausência da mais velha, então foi fácil de acostumarem.

A vida do casal seguia da melhor maneira possível, após alguns anos de namoro. Quando Hoseok tinha acabado de se formar, e tinha conseguido um ótimo emprego, e Hyungwon estava as portas de concluir a faculdade, eles se casaram. Foi um cerimonia pequena, mas não menos linda. No começo Kihyun morava com os dois, mas quando o Lee mais novo passou ara faculdade, onde iria cursar engenharia optou por morar no campus onde ficava mais perto, e onde tinha conseguido um emprego de meio período.

Com três anos de casados, e com suas vidas estáveis o casal decidiu que era a hora de adotar.

Era sonho dos dois ter filhos. E assim chegou pro lar deles, Minhyuk de 12 anos, e o pequeno Jooheon de 4 aninhos. Os quatro eram uma família digna de filmes. As crianças eram mais que mimadas pelos pais de Hyungwon, e por Kihyun e seu namorado Chankyun.

Tudo seguia na mais perfeita harmonia até o dia em que mandaram uma mensagem para Lee Hyungwon onde dizia que Hoseok estava o traindo. No começo ele não quis acreditar, mas lá estavam diversas fotos de encontros entre Hoseok e um cara musculoso. Fotos essas que exalavam intimidade entre os dois.

Hyungwon não podia acreditar naquilo, o SEU Hoseok estava o traindo. Na mesma noite pegou suas coisas, seus filhos e as coisas deles e sem qualquer explicação rumou-se a casa de seus pais. O único aviso ao Lee mais velho foi uma mensagem de texto que dizia: “Faça bom proveito da sua nova vida de solteiro, ou melhor, você já arrumou outra pessoa né? Nunca mais procure a mim e nem a meus filhos. O papel do divorcio chegara até você”. Hyungwon estava sendo infantil? Sim. Ele sabia, mas era o seu jeito de defender a si mesmo.

 

•••

 

Ao receber a mensagem Hoseok não estava acreditando no conteúdo da mesma. Como assim Hyungwon estava se divorciando dele? Por quê? E como ele não iria procurar os seus filhos?

Hoseok foi correndo para casa e a encontrou vazia, mandou mensagem para seu (ex?) marido, as percebeu que estava bloqueado, tentou ligar para o mesmo e estava desligado. Tentou ligar para seu filho mais velho, porem escutou o toque do mesmo dentro da casa. Correu até o barulho e o celular em cima da cama, do quarto que estava sem diversas coisas de seu menino. O Lee até tentou ligar para seus sogros, mas os mesmo não o atendiam. Hoseok entrou em desespero, estava sozinho, de novo. Não sabia o que fazer, seu mundo estava desabando e ele ao menos sabia o porque.

•••

 

As semanas foram passando, Hoseok continuava tentando ter contato com sua família porem nada conseguia. Seus amigos, os que tinham em comum com seu marido, os ignorava também. Os únicos que ainda mantinham contato consigo eram os amigos d trabalho, e seu irmão e cunhado. Mas os mesmo não sabiam o que havia acontecido e também estavam sendo ignorados tanto quanto Hoseok.

O Lee cada vez mais se afundava na sua tristeza e no mar de incerteza. Pediu ao seu chefe que fizesse seu trabalho de casa, e foi concedido a ele. Hoseok estava sobrevivendo, mas não existindo. E isso preocupava tanto a Kihyun, quanto a Changkyun que estavam sofrendo ao ver o estado do mais velho, e de saudade das crianças também.

Quando completou dois meses que estava nessa “rotina” o amigo, e advogado, da família Jeon Wonwoo bateu em sua porta, e ficou surpreso ao ver o estado de Hoseok. Pensou que o amigo não estaria nesse estado. Magro, abatido, com olheiras profundas. O Jeon ficou pasmado, mas logo entrou na casa para anunciar o motivo de sua visita. Depois de acomodados no sofá da sala de Hoseok, o advogado começou a falar.

– Hyung, eu acho que você já deve imaginar o porquê da minha vinda. Certo?

– Eu imagino que você tenha vindo falar o que Hyungwon não teve coragem de falar para mim. Ou o porquê de todos vocês me ignorarem nesses dois meses sem ao menos me falar o que eu fiz.

– Hoseok hyung não haja como se você fosse a vitima da historia. – Wonwoo falou com tom de indignação em sua voz, afinal como seu hyung, que conhecia a anos, conseguia ser tão sínico desta forma?

– Eu nunca disse que era ou não vitima, eu só queria entender o motivo de ser ignorado por todos. Por não conseguir ver meus filhos. E a única coisa que foi deixada para mim foi uma mensagem falando que eu estava solteiro, que eu tinha arrumado uma outra pessoa, que eu ao menos sei quem é, e que eu nunca mais procurasse os meus filhos. Mas fui ignorado por todos como se eu fosse o vilão de tudo, sem ninguém pelo menos alguém saber o meu lado.

– Pensasse nisso antes de trair o seu marido.

– Wonwoo, eu não trai ninguém.

– E como você explica as fotos de você e de um carinha que enviaram para o Hyungwoo?

– Eu não sei de onde surgiram essas tais fotos, mas eu não traí ninguém. – foram interrompidos pelo som da campainha, e quando Hoseok abriu a porta viu que era Son Hyunwoo, seu amigo e chefe.

Wonwoo ao ver a pessoa que adentrava o seu apartamento, logo se levantou e o sentimento de indignação estava estampado em seu rosto. ˗ E você ainda tem a coragem de falar que não traiu o Wonie hyung, mas seu amante esta aqui na casa que era de vocês.

– FICOU LOUCO? Wonwoo esse é o meu amigo e chefe, Hyunwoo. E nada mais que isso.

Da onde você tirou essa historia absurda?

Hyunwoo sem entender nada resolveu se pronunciar, em meio à discussão dos dois homens.

– É, Wonwoo(?). Eu não sei de onde você tirou essa historia, mas Hoseok e eu, somos apenas amigos. E ele é meu funcionário. Nós nunca tivemos nada, e eu sou comprometido. Alias, vim convidar Hoseok para ser padrinho do meu casamento, já que somos amigos e ele me ajudou bastante com o pedido de casamento.

Depois de toda a confusão Wonwoo conversou com mais calma,e contou sobre as fotos que o Chae recebeu, e até mostrou as fotos aos mais velhos. Que lhe contaram que naqueles dias eles tinham ido a reuniões com novos clientes, e que depois Hoseok tinha ajudado ao Son com os preparativos do pedido matrimonial.

Wonwoo pediu desculpa ao seu amigo, que mesmo chateado com a atitude do mais novo, as aceitou. Wonwoo também contou que Hyungwon estava morando junto aos filhos em uma casa próxima a dos pais. E que as crianças estavam bem, mas morrendo de saudades do pai mais velho, porém o outro pai não os deixa vê-lo. A pedido de Hoseok, Jeon iria entregar uma carta escrita pelo Lee. E que se Hyungwon não quiser ler, e saber o lado de Hoseok da historia que ao menos o deixasse ver os filhos, e se o mais novo se negasse ele iria recorrer à justiça.

•••

Nesses meses longe de Hoseok, o sentimento que mais se fazia presente em Hyungwon foia tristeza, junto da saudade.

Chae admitia que sua atitude foi deveras infantil, mas o que ele poderia fazer? Não ia aguentar olhar nos olhos de seu marido e saber que ele não era mais o único para ele. Enrolar seus filhos do motivo de não mais verem seu outro pai, tem sido cada dia mais difícil. Os meninos já estão cogitando a ideia de Hoseok ter os abandonado, ouviu as crianças falando sobre isso. Não queria que Hoseok se tornasse um vilão para os filhos, apesar de tudo, ele era um pai incrível. Chae só não se sentia confortável em ter que olhar para o Lee mais velho, não ainda. Por isso após esses dois meses deve coragem de pedir para Wonwoo levar os papeis do divórcio. Depois de contar e mostrar as fotos para seus pais e seus amigos, todos ficaram ao seu lado. E o ajudaram a alugar a casa, e eram visitas frequentes para ajudá-lo.

No meio disso tudo ficou mais próximo de sua amiga de infância Wendy que temo ajudado bastante a estabelecer uma nova vida, e tem ajudado bastante com as crianças. Foi ela também que encorajou a pedir para o Jeon levar o divórcio para Hoseok assinar. Para o Chae, Wendy tem sido um suporte muito necessário, seria eternamente grato a amiga.

•••

Hyungwon estava em casa sozinho, os filhos estavam na casa dos pais. Hoje erao dia que Wonwoo foi falar com o marido, ou ex, mas o amigo estava demorando a voltar. Já era um pouco tarde da noite quando ouviu o som da campainha soar mais barulhento do que o de costume, afinal a casa só com ele ficava silenciosa demais. Dada a sua ansiedade, não esperou por mais nenhum toque correu até a porta para abri-la.

 

– Wonwoo, demorou!

– Hyung, vamos conversar lá dentro? – Hyungwon percebeu que a cara que Wonwoo fazia não era uma das melhores por isso não demorou-se em dar passagem para o mais novo entrar em sua casa. Acomodaram-se no sofá.

– Hyung, antes de tudo eu queria dizer que você é uma anta cega, com todo respeito.

– WONWOO! É assim que você fala com seu Hyung? Mas por que você está falando isso? Hoseok se fez de vitima e você caiu?

– Primeiro de tudo, você acha que um discurso vitimizado iria convencer o advogado que sou eu?

– Não – disse Hyungwon, com um bico muito adulto nos lábios.

– Hoseok pediu pra te entregar está carta – Wonwoo falou enquanto tirava a carta de sua bolsa e entregava ao mais velho – Hyung, o Hoseok hyung escreveu essa carta para você saber o lado dele de tudo nessa historia, já que você não quis escuta-lo. Ele disse que se você não quiser ler, é sua escolha. Mas ele quer ver os filhos, e se você continuar não permitindo isso, ele vai ir pra justiça. – Wonwoo segurou nas mão de Hyungwon, que estava nervoso, e continuou sua fala – De coração, como seu amigo, se eu fosse você lia o que está ai, vou vai se arrepender pra sempre.

– E-eu não sei o que dizer, mas irei ler o que está aqui.

– Pode ter certeza que o que está nessa carta é real. Eu tive provas disso. Vou indo embora pra lhe dar privacidade.

Ao terminar de falar, o mais novo saiu deixando a Hyungwon sentado no sofá apreensivo com o que teria naquela carta. Com medo de descobrir algo que não gostaria. Confiava demais em Wonwoo, sabia que se ele achasse que Hoseok falou a verdade então Hoseok havia falado a verdade.

Pegou seus óculos de leitura, colou-o e se acomodou melhor no sofá e pôs-se a ler.

 

Querido, Hyungwon.

Eu de verdade gostaria de começar essa carta mostrando a você minha total indignação com você. Como você vai embora do nada, com nossos filhos, e a única coisa que me avisou sobre isso foi em uma mensagem de texto? Cadê a consideração com todos os anos que estivemos juntos? Enfiou no... (desculpa me exaltei) Mas entenda o meu lado, eu passei dois meses sem noticias da minha família, ao menos sabia como vocês estavam. TODOS nossos amigos me ignoraram. Ninguém ao menos escolheu saber o meu lado da historia. Eu nem sabia o que eu tinha feito de tão repugnante para ser tratado dessa forma. Eu me senti quando eu era mais novo e fui negligenciado por meus pais. U novamente só tinha Kihyun ao meu lado (com o acréscimo de um cunhado, e o pessoal do trabalho).

Quando o Wonwoo apareceu na minha porta com o papel do divórcio e uma cara de poucos amigos, meu mundo perdeu mais um pedaço (e olha que não resta muita coisa)ele me explicou o motivo de você ir dessa forma. Eu confesso que meu maior sentimento ao saber foi a decepção. HUNGWON alguma vez na vida eu te traí ou te dei motivos de tal coisa? Você ao menos lembra que o cara que está nas fotos comigo é o Hyunwoo o meu chefe, e amigo?

Aquele mesmo que eu preciso ir a jantares de negócios. E aquele que namora. Porra Wonie, na maioria daquelas fotos estávamos nos encontrando com novos clientes da empresa, e depois eu só fui ajudar o Hyunwoo com o pedido de casamento que ele fez para o noivo dele.

E VOCÊ SABIA QUE EU ESTAVA AJUDANDO UM AMIGO COM O PEDIDO! Mesmo com raiva de você, serio eu to bem triste contigo Hyungwon, eu te quero de volta. Eu não aguento mais ficar longe de você e das crianças. Pelo menos venha até a nossa casa e me conte sua decisão, mas olhando nos meus olhos.

Se você acredita em mim, e podemos ficar juntos como prometemos, ou se você acha que tudo é uma mentira e não quer mais me ver.

 

Com carinho, e indignação, do seu (ainda) marido Hoseok.

 

Ao terminar de ler a carta Hyungwon sse encontrava em lagrimas, como pode ser tão idiota e esquecido? Como duvidou assim de Hoseok sem ao menos saber direito dessa historia?

Como deixou seu Hoseok se sentir sozinho daquele jeito mais uma vez?

Não se importou com mais nada, foi correndo para o ponto de ônibus, entrou no primeiro que ia para sua casa, no meio do trajeto uma chuva forte começou a cair, quando sua vida havia se tornado a porcaria de um clichê adolescente? Quando chegou no seu antigo prédio, encharcado pela chuva que pegou do ônibus até o prédio, foi correndo em direção da antiga casa sem se importar com os olhares que estava recebendo. Perdeu as contas de quantas vezes pressionou a campainha mas quando Hoseok abriu a porta, seu mundo parecia ter parado.

Apenas se jogou nos braços daquele que era o seu porto seguro.

– Hyung, por favor me desculpa. – Hyungwon continuou repetindo o pedido de desculpa mesmo quando foi carregado para dentro, mesmo quando Hoseok o levou para o quarto, mesmo quando o mais velho o secou, trocou sua roupa, colou-o sentado na cama. A única coisa que conseguia fazer era se desculpar – Desculpa, eu te amo tanto. Me desculpa.

– Wonie, respira e olha pra mim. – quando o mais novo fez o que lhe foi pedido Hoseok continuou a falar – Eu confesso que fiquei muito triste contigo, mas é claro que eu vou perdoar você. Eu te amo muito, esses meses longe de ti foram os piores pra mim. Só me prometa que não fará mais coisas do tipo.

– Eu prometo, hyung. Como fui tão burro assim?

Hoseok não aguentava mais de saudades, e juntou os lábios com aquele que amava, que era seu lar. O beijo lento e cheio de saudades fez com que os dois percebessem que um era o abrigo do outro. Que por mais que coisas acontecessem para separá-los, a verdade sempre prevaleceria.

E também os ensinou que não importa quantos anos você esteja com a pessoa, a confiança naquele com quem você está junto deve ser renovada a cada segundo, da mesma forma que o amor se renova.

 

 

 

 

Naquela noite eles se amaram, como não faziam a tanto tempo. Trocaram juras de amor, e prometeram que dali para frente passariam a confiar no outro, e qualquer coisa que fugisse disso os dois iriam se resolver com conversas e não com fugas loucas. E Hoseok fez Hyungwon prometer que assim que acordassem, e fariam aquilo cedo, eles iriam até os filhos deles porque o Lee mais velho não aguentava mais ficar longe de seus meninos.


Notas Finais


Deixei umas brechas pra uma possível continuação, mas isso vai depender de vocês.
Se vocês quiserem um extra é só comentar por aqui.
Enfim, espero que tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...