História Meu escravo real - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Park Jimin (Jimin)
Tags Jikook
Visualizações 119
Palavras 933
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, LGBT, Luta, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey, desculpa a demora, meu notebook está com probleminhas TT
Boa leitura!

Capítulo 14 - Fourteen


A dor nos músculos era tanta que ficaram dormentes após um tempo, minha boca estava rachada, não me deram água nem comida, achei ter conhecido o sofrimento nos dias de trabalho duro e em algumas chicotadas que recebi por um único descuido no jardim, mas nada se compara a isso, eu sabia que “ Falhar “ justo com o filho do patrão traria castigos maiores do que apenas recolher uma folha murcha para levar para a mesa, mas nunca imaginei tamanha crueldade. Fechei os olhos tentando não pensar na dor e apenas me concentrando nos momentos felizes para assim ter um consolo.

No entanto senti um grande impulso nos meus braços que me fez gritar pelo movimento forçado, me vi caindo sentindo mãos tentando me segurar, eu estava tão tonto e dolorido que não enxerguei nada, permaneci no chão frio passando as mãos pelos braços tentando em vão aliviar a cãibra que queimava minha pele.

- Kookie-ah – Me forcei a olhar para frente reconhecendo o dono da voz, pensei ser uma miragem ou um sonho bom. Mas não era, ele estava ali.

- C-Como entrou aqui?– Perguntei ainda desacreditando do que eu via, talvez eu estivesse louco – Você estava trancado, eu sempre verifico.

- Não totalmente – Proferiu mostrando um pedaço de madeira velha esculpida em formato de chave, tentei processar aquela informação já que minha cabeça latejava.

- Podia sair esse tempo todo? Por que ainda está aqui? – Indaguei ainda mais confuso.

- Não quero que matem você – Falou com a voz falha – Eu tentei me manter distante mas não consegui, não queria me afastar de você...E olha o que eu te fiz – Disse se rendendo ao choro. Mesmo sem forças e com dores por todo corpo, forcei meu braço a se mover para afagar seus cabelos.

- Você não fez isso comigo Jimin-shi, nos não estamos fazendo nada de errado, pare de se culpar por algo que não conseguimos impedir – Pedi levantando seu queixo vendo seus olhos marejados.

- Eu poderia, se tivesse evitado me aproximar tanto, deveria permanecer um boneco de porcelana, morto, que nem eu sempre fiz com os todos os outros seguranças, mas com você...Foi diferente – Confessou.

- Você não me forçou a nada, todas as coisas que eu fiz foi porque eu queria, também não consegui ignorar o que eu sinto, mas nenhum dos dois teve culpa.

- Se eu soubesse que iria sofrer tanto, desejaria que nunca tivesse ganhado esse cargo, que eu pudesse continuar apenas te admirando pela janela do quarto.

- Então...Você me observava mesmo?

- Todos os dias – Proclamou beijando meus lábios, pude sentir o gosto salgado de suas lágrimas – Não tem noção do quanto meu coração doeu quando vi que era você entrando pela porta do quarto , no fundo eu sabia o que iria acontecer.

Ficamos em silencio por alguns segundos, eu tentava digerir a confissão do pequeno a minha frente, de alguma forma desde a primeira vez que o vi, também senti que algo estava prestes a mudar. Mas não podia prolongar nossa conversa, estávamos nos arriscando, ele estava correndo perigo.

- Me põem de volta – Sussurrei. Ele me olhou assustado com a fala.

- O-O que disse? - Perguntou.

- Sua mãe vai chegar e saber que alguém me libertou, vai acabar sobrando pra alguém inocente, é arriscado pra você também – Disse com seu olhar incrédulo sobre mim.

- Não posso fazer isso, não vou te machucar, o que está me pedindo é monstruoso – Exclamou horrorizado.

- Por favor, eu aguento, você tem que fazer isso, ou eles vão saber que sai e me machucariam mais ainda – Tentei ser perspicaz para convence-lo, mas infelizmente não era uma mentira o que eu disse . Ele pareceu pensar a respeito, respirando fundo.

- Esta bem, me deixa ao menos aliviar um pouco a dor – Falou indo para trás do meu corpo começando uma massagem nos músculos que já estavam roxo, suas mãos eram leves como uma pena, apesar da força que ele usava para tentar amenizar a tensão muscular, de fato ajudou a parar de latejar um pouco.

- Antes beba isso – Colocou uma garrafa próximo dos lábios me ajudando a beber a água, eu estava engasgando pela rapidez que usava para saciar a sede – Desculpe não trazer comida, nunca tem nada no meu quarto e tive medo de ser pego na cozinha antes de vim te ver – Lamentou.

- Já tivemos essa conversa de não se culpar Jimin-shi – Ele interrompeu a massagem voltando a sentar a minha frente, ainda movimentando os músculos do meu braço.

- Eu te amo – Soltou as palavras em um sussurro quase inaudível fazendo meu corpo inteiro paralisar, era a primeira vez que ele dizia tal coisa, conseguindo me deixar sem palavras – Não era bem essa a situação que eu sonhava te dizer isso, mas achei que você deveria saber.

- Eu também te amo – Falei após um tempo em silencio – Também não era aqui que eu queria confessar isso, queria que estivéssemos em um belo jardim, em um piquenique farto e após nos beijarmos eu te diria, que nem nos romances dos livros que você me conta, você merecia algo grandioso –

Ele sorriu

- Estar com você já é algo grandioso senhor Jeon – Disse selando meus lábios ainda sorridente.

Ouvimos um range de correntes e aquela foi a deixa para que nos apressássemos, ele com muito receio me subiu de volta tentei segurar um gemido de dor para não assusta-lo, o olhei uma ultima vez vendo seus olhos novamente marejados, e antes de sair ele disse.

- Eu irei nos libertar daqui...Não importa a qual custo.


Notas Finais


Espero que tenham gostado <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...