História Meu Estranho Editor - Capítulo 24


Escrita por: e Fuyu_Derek777

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Eijirou Kirishima, Midoriya Izuku (Deku)
Tags Eijiro Kirishima, Izuku Midoriya, Kirideku, Kirishima X Midoriya, Problemas Psicológicos
Visualizações 736
Palavras 2.135
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Lari--- >Gente não é pq tem outros casais, que vamos mudar o foco, ou fazer interações amorosas desses casais. O Shoto ta com a Momo, num vai mudar em nada, então pra quem não gosta do casal, relaxa pq não vamo enfia um Hentai deles aqui ou algo do gênero :v

Fuyu - Oi gente!
Mais uma quinta com a gente aq, td bom?

Tão prontos pras tretas? Não, então se preparem

Tenham uma boa leitura! 🧡

Capítulo 24 - Mangaká


Midoriya desligou a chamada e se sentou em sua cama. Ele achou que ainda demoraria mais para essa história de adaptação pro mangá se resolver, mas agora já está tudo planejado e conseguiram logo um dos melhores mangákas do Japão para adaptar uma de suas novels.

 

Izuku não se sente preparado para isso, pois se tornaria uma convivência diária com alguém que nem conhece, afinal ele teria que participar de todo o progresso do mangá para deixar cada detalhe como deseja. Não seria como o anime que ele só faria suas exigências e esperaria ficar pronto em sua amada residência. Para Izuku, já havia sido um avanço muito grande ter participado da reunião para a produção do anime, ele já se sentia muito bem com seu progresso e também havia participado do casamento dos seus amigos sem surtar ou se sentir mal, mas isso o deixa totalmente apreensivo.

 

O novelista não quer um estranho em sua casa, mas também não quer ir frequentar a residência ou estúdio de trabalho do mangáka, a editora também não é um lugar viável pois detesta passar muito tempo lá por conta das lembranças de seus castigos pelas vezes que quebrou os prazos de entrega das novels.

 

Por fim, Izuku decidiu que no dia seguinte irá dar um jeito de recusar.

 

[...]

 

Izuku foi acordado pelo cheiro de bolo vindo da cozinha, como havia dormido com a porta entreaberta o cheiro acabou invadindo seu quarto por completo. Midoriya se levantou preguiçosamente e se espreguiçou, depois foi andando em direção a saída de seu quarto. O esverdeado andou até a cozinha, onde viu Kirishima arrumando a mesa para o café enquanto cantarolava.

 

— Acordou animado hoje. — Disse o esverdeado se aproximando.

 

Kirishima se virou para ele e sorriu apaixonadamente. Obviamente ele queria ir até Izuku e lhe dar um beijo de bom dia, mas visivelmente não pode fazer isso, então se manteve a frente da mesa com uma travessa com um bolo de morango nas mãos.

 

— Bom dia, amor. Dormiu bem? — Perguntou gentilmente.

 

— Bom dia. Aham… Dormi sim. — Respondeu o esverdeado se sentando em uma das cadeiras enquanto encara os diversos doces em cima da mesa. — Por que tantos doces?

 

Kirishima colocou o bolo em cima da mesa e se sentou ao lado de Izuku.

 

— Para comemorar! A Uraraka-san me ligou me contando da novidade! Nem acredito que o grande Yo Shindo vai adaptar sua novel! Os traços dele são incríveis! — Kirishima falou com tanta empolgação que fez o peito de Izuku doer, afinal a primeira coisa que ele queria fazer hoje era cancelar tudo, mas agora não sabe o que fazer.

 

— Ah… E você está feliz com isso, tipo… Você quer muito essa adaptação? — Perguntou pegando um pedaço de bolo.

 

— Claro! Ler qualquer light novel sua é incrível! Mas light novel é um livro com algumas ilustrações e tem tantas cenas que eu queria ver desenhadas por um mangáka famoso… Tantas que não consigo nem contar. — Disse Kirishima. — Ter um anime da sua novel já foi incrível! Agora um mangá que pode adaptar outra e eu poderei ver tudo ilustrado? Nossa, acho que não conseguirei nem dormir de tanta ansiedade.

 

Izuku pode ver claramente que Kirishima está muito feliz com a ideia da adaptação. O esverdeado já viu milhares de fanarts de suas obras, mas nunca algo com traços semelhantes aos de Yo Shindo… O mangáka é realmente o melhor em adaptação de light novel para mangás, com certeza fará um trabalho glorioso. A última coisa que Midoriya quer é deixar seu namorado triste.

 

Mesmo que Kirishima fale para Izuku parar de pensar nessas coisas, o esverdeado não consegue tirar da cabeça de que nunca fará Kirishima feliz por completo, nem poderá dar ao ruivo tudo que ele merece por conta de seus problemas. Esses pensamentos invadem sua mente de tempos em tempos, mas ele se esforça para não dar forças a eles se agarrando em seus sentimentos por Eijiro Kirishima.

 

— Izuku? Você está bem? — Perguntou o ruivo.

 

A mão e Kirishima pousou na coxa de Izuku, que por conta da calça grossa de moletom ele não se sentiu desconfortável. O toque suave do ruivo ajudou a colocar seus pensamentos no lugar. 

 

Izuku sorriu para Kirishima, o homem que ele ama e que já fez tantos sacrifício por si. O esverdeado quer fazer Kirishima feliz, quer poder retribuir tudo, então ele pode fazer esse sacrifício e se forçar a trabalhar com Yo Shindo se isso fizer Eijiro Kirishima continuar sorrindo para si.

 

— Estou, só estava pensando na reunião que vamos ter futuramente… Para decidir tudo do mangá.

 

Mais um largo sorriso se formou nos lábios de Kirishima, o deixando ainda mais belo. 

 

— Vai dar tudo certo, vou estar ao seu lado o tempo todo! — Garantiu o ruivo. — Eu te amo, Izuku.

 

— É só disso que eu preciso. — Respondeu sorrindo deixando o ruivo ainda mais feliz por ver o sorriso do seu amado logo cedo. — Eu também te amo, Eiji.

 

Depois de ficarem se encarando por alguns segundos, contendo sua vontade de tentar se beijar, pois sabem que provavelmente o resultado atrapalharia seu dia e depois começaram a comer juntos, enquanto aguardam as informações da reunião que terão com o Mangáka.

 

No carro, Izuku tentava ao máximo não transparecer que estava  nervoso com tudo aquilo, não pelo fato de  conhecer uma pessoa nova como ele sempre fazia, mas pelo fato de estar indo ao encontro de algo na qual ele não deseja, só que caso recusasse a oferta de Shindo, certamente o mesmo não voltaria atrás.

 

Kirishima parecia tão feliz, não podia estragar tudo, já estava fazendo tantas coisas, que ao menos tinha que fazer algo para compensar todos seus defeitos. O ruivo tinha notado seu nervosismo, mas achara que era pelo fato de conhecer uma pessoa nova, então tentou acalmar o menor como pode.

 

Midoriya achava incrível como o ruivo tinha poder sobre si, como o mesmo conseguia lhe acalmar bem mais do que os outros, talvez fosse o amor lhe ajudando ou era o simples fato que Kirishima tinha se tornado um de seus pilares mais importantes em sua vida, de fato o amor mudava as pessoas.

 

Se pudesse queria andar de mãos dadas até o escritório da morena, só que acabariam sendo vistos pelos funcionários e no momento Izuku não queria deixar o relacionamento deles a público, então segurava com força a camisa do mesmo, como já fez muitas vezes quando andava em público.

 

Kirishima queria poder acalmar o menor, segurar sua mão naquele momento seria de grande ajuda, só que o mesmo entendia muito bem que caso o fizesse, poderia piorar o estado do menor. Afinal o tanto de pessoas que se aproximariam fazendo perguntas e querendo saber mais sobre sua vida amorosa acabariam por atrapalhar os avanços do menor.

 

Ainda mais agora que Izuku já estava se habituando a andar na rua, perder tudo isso seria o mesmo que voltar pra estaca zero, então tinha que ser paciente e esperar o momento certo. Só que Kirishima não se importava dos outros saberem, tendo Izuku lhe amando já estava de grande tamanho.

 

Assim que chegaram no local marcado para a reunião, no caso o escritório de Uraraka, na qual Izuku agradecia mentalmente ser em um local onde as pessoas de fora não ficariam olhando para si e para o convidado. Deram de cara com uma Uraraka super animada, conversando com um rapaz moreno, que ao ver o casal entrando rapidamente se levantou com um sorriso.

 

Alto, fora a primeira coisa que passara na cabeça do menor quando viu o moreno se levantar. O mesmo  possuía cabelos morenos em um corte arrepiado, olhos castanhos e um belo sorriso no rosto. Usava roupas formais, na qual não era possível ver se o mesmo era ou não muito musculoso.

 

─ É um prazer enorme lhe conhecer, senhor Midoriya, ou deveria chamá-lo de Deku? ─ Disse o moreno com um sorriso, se aproximando dos dois.

 

Izuku sentia algo estranho perto daquele homem, aquele sorriso lhe parecia tão falso e ele não conseguia engolir que aquele moreno a sua frente era uma boa pessoa.

 

─ O prazer é meu. ─ Falou o pequeno um tanto recuado, não tinha gostado de Shindo, o mesmo estava invadindo seu espaço com aquele sorriso falso.

 

─ É uma honra conhecê-lo, sou grande fã do seu trabalho. ─ O ruivo se manifestou com um sorriso enorme. ─ Sou Eijiro Kirishima, sou editor do Deku.

 

─ Mas vejam só, um fã. ─ Disse com um sorriso, o mesmo sorriso falso que já estava incomodando o esverdeado.

 

Izuku podia não se dar bem com muitas pessoas, a ponto de conhecê-las, mas olhando para aquele moreno. Ele sentia algo, como se seus instintos estivessem lhe dizendo que o mesmo não era alguém de confiança.

 

Muitos poderiam achar doido o que o menor sentia, mas ele não estava de todo errado. De fato Shindo não era a melhor pessoa, ele podia sim ser simpático e ser bem educado com as pessoas, só que  pelas costas ele não era a mesma pessoa.

 

O mesmo achava tudo frescura os problemas de Deku, pra ele não havia motivos para tal, achava que tudo não passava de uma grande desculpa para que ninguém bombardeasse o esverdeado pela demora por aparecer, para Shindo as doenças na qual Izuku alegava possuir, nada mais eram que mentiras.

 

Ele achava que o menor era falso, que havia feito aquele papel de coitado para que ninguém pudesse lhe machucar. Sabia que devia ser tudo um jogo de marketing, que ao olhar dele, estava indo muitíssimo bem. A ponto dele se interessar, a mídia estava completamente voltada a Deku, então era o momento ideal de conseguir mais prestígio usando o mesmo.

 

Afinal, se o escritor estava fantasiando problemas, na qual não tinha motivos nenhum para ocorrerem, já que Shindo achava ridículo alguém passar mal ao ser tocado ou simplesmente estar em um ambiente com muitas pessoas. Só que ele tinha que admitir que Deku era um escritor fantástico e completamente engenhoso, não podia deixar aquela oportunidade passar, mesmo não gostando dele como pessoa.

 

Shindo, assim como varias pessoas pelo país, tinham uma mente ignorante para pessoas com problemas psicológicos. Para ele, tudo não passava de pessoas querendo atenção, fantasiando problemas na quais não existiam, se fazendo de vítimas para a sociedade, mas ele não caia na ladaia que todos falavam, ele sabia que no fundo tudo era mentira. No fundo, quando ele chegou na editora, achou que Uraraka lhe contaria tudo, mas a mesma contou novamente a mentira sobre os problemas de Izuku.

 

Ele queria rir de tudo aquilo, era tão patético o quanto eles queriam criar uma imagem do pequeno. Só que ele não ligava, ele só queria crescer ainda mais em cima de Deku, se para isso ele precisava acreditar em toda aquela babaquisse, então que seja.

 

 

Shindo tinha conversado o mínimo com Kirishima, já que o mesmo era um fã e ele sempre tratava seus fãs muito bem, o cumprimentou com um aperto de mão firme. Encarou o menor que ainda estava encolhido  um tanto desconfortável, aquilo o irritou muito, afinal na mente do moreno aquilo não passava de um personagem criado.

 

Então sem pensar muito, Shindo se aproximou e simplesmente puxou a mão de Izuku para o cumprimentá-lo,  ele queria ver  a cara do impostor quando provasse que tudo aquilo não passava de um ótimo teatro, então foi aí que ele viu. Um olhar cheio de pavor, pânico e medo. Ele mesmo havia ficado surpreso com aquele olhar.

 

Um empurrão veio logo em seguida, foi tudo muito rápido, ele só conseguiu ver o menor se abraçar e chorar a ponto de soluçar, enquanto o ruivo se aproximava um tanto nervoso, tentando lhe acalmar. Uraraka lhe puxou com certa força, na qual nem mesmo ela devia saber que possuía, então com um olhar feroz ela lhe fala.

 

─ Achei que havia sido clara sobre os problemas dele. Se você é mais um dos ignorantes filho de uma puta, que acha que o Deku só ta querendo atenção, saia desse prédio imediatamente e nunca mais olhe na minha cara! ─ Disse raivosa encarando o moreno que ainda estava em choque. ─ Eu vou chamar uma ambulância, puta que pariu!

 

Shindo nada respondeu, ele apenas encarava Midoriya, tendo uma das crises de pânico, devido ao contato forçado e indesejado que o moreno havia feito fez com que ele lembrasse de seu trauma, resultando em uma crise forte de ansiedade junto a todo estresse emocional que ele tinha passado no dia.

 

─ Eu sinto muito… ─ Falou baixo, sem desviar o olhar do menor a sua frente, que parecia tentar se acalmar junto ao ruivo que segurava suas mãos enquanto o menor encarava o chão em pânico soltando gruídos e balançando a cabeça em negação. Pelo jeito Shindo, estava errado sobre Deku.


Notas Finais


Lari--->Gente, o Shindo é parecido com muita gente por ai, que acredita que é frescura ou até mesmo falso esse tipo de comportamento. Só que ele ta vendo que não é isso que ele imaginou / pensou. Então nada de julgar ele antes, a menos é claro que mesmo depois de presenciar esse tipo de crise ele ainda continue sendo um babaca.

Acho sim que as pessoas podem ter seus olhos abertos em relação a doenças psicológicas, aqui em casa era assim... Pra falar a verdade ainda é ,só que devido a acontecimentos meus, alguns perceberam e deixaram de ser Shindo q. Não é pq ele não acredito e julgo no começo, que ele não possa se redimir. Só que ele foi cuzão agora sim q ,mas nada de ódio eterno ainda por ele :v

Fuyu - Shindo chegou abalado, doi fazer ele merda aq mas fazer oq né.

Aiai, choremos

E agora, o que vocês acham que vai acontecer com o Deku?


Obbg por lerem, até a próxima quinta


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...