1. Spirit Fanfics >
  2. Meu eterno rival >
  3. Caixa apertada

História Meu eterno rival - Capítulo 15


Escrita por:


Notas do Autor


Boa Leitura ♥️

Capítulo 15 - Caixa apertada



Izuku On :


Acho que já faz uns vinte minutos que eu tô nesse inferno, eu nunca odiei tanto a minha altura como agora, pois eu estou praticante sentado no colo desse infeliz, Droga por que essa caixa tem que ser tão apertada? Se eu não morrer agora eu não morro nunca mais, viro meu rosto pro lado evitando senti a respiração dessa coisa, que tá praticante me esmagando com seu corpo enorme, eu realmente pensei em aperta esse botão, bom ainda tô pensando.

- O seu silêncio é ensurdecedor -

O ouço dizer baixo e sinto o calor do ventos de suas palavras contra a minha pele, por conta de nossos corpos únidos, mas continuo olhando pro lado o ignorando.

- Oque você tem? Não vai me xigar  e nem tentar nada? você tá muito estranho desde ontem -

Suas palavras me fazem sorrir forçado e olho pra frente o encarando com os olhos fanzidos, por conta da aproximação sinto sua respiração bater contra a minha.

- Eu não falo com pessoas que tentam me matar -

digo sério o vendo levantar uma sobrancelha pelo o comentário.

- É isso? -

- Como assim é isso? Você quase me matou congelado ontem, como você me diz que é só isso? Idiota - bufo fazendo bico o ouvindo rir.

- Hahaha Você não acha que se eu quisesse "te matar" eu já não teria feito isso? -

- Não sei, eu não conheço a mente de um assassino - Digo envergonhado desviando o olhar de si.

- Para com isso, esse personagem assustado não combina com você, que dizer... só quando você fica com medo dos meus toques ai é perfeito - o vejo sorrir de lado.

- NÃO COMEÇA, a gente tá na escola dá um tempo com essa guerra - o olho irritado.

- Sabe Baby desde aquele dia que você me enganou, eu tô pensado em um jeito de me vingar de você e que hora melhor anão ser agora? - arregalo os olhos o vendo sorrir safado.

- Se você tentar alguma coisa, eu juro que aperto esse botão -

- E vai fugir como uma criancinha? Achei que tivesse falado que ia me seduzir primeiro - Seu sorriso aumenta.

- Que sabe... tudo que você fizer eu vou fazer pior, seu Tomate podre - o encaro sério.

- Olha ai o anãozinho que eu conheço -  sorri convencido - mas eu não vou fazer nada sê... você me beijar -

O olho incrédulo.

- Haha Vai sonhando -

- Tá bom, então não diga que eu não avisei -

Após suas palavras eu começo a sentir a caixa esquentando, mais que o normal, me fazendo começar a soar enquanto o Tomate me olhava pleno sem nenhuma gota de suor no corpo, espera ele tá fazendo isso?

- Para com essa Porra - Digo irritado começando a sentir o suor escorrer na minha testa.

- Você sabe oque faze para eu parar - Diz sorrindo sinico.

- Há... é assim? Tá bom então -

Me levanto com um pouco de dificuldade por conta do aperto e começo a abrir minha jaqueta a tirando, depôs a blusa do uniforme, ficando apenas com a parte baixa da roupa.

- OQUE VOCÊ TÁ FAZENDO? - me olha assustado.

- É que tá muito calor -

Mordo o lábio, tentando fazer uma cara safada, acho que deu certo pois ele não para de me olhar vidrado, principalmente pros meus mamilos.

- Eles são rosinhas demais, você não acha? -

Digo manhoso passando a mão por cima dos bicos, que até brilham por conta do suor, o vendo lamber os lábios em desejo, Eu não acredito que tô conseguindo, não se desconcentra Izuku continua na pose.

- Hahaha - gargalha alto - Você não é o Único que têm o corpo bonito Baby -

Ele se levanta com um pouco de dificuldade e... não pera ele tira a blusa também que droga, volta a sua posição inicial colandos nossos corpos e por estarmos sem camisa, molho o seu peitoral com meu suor sentindo o calor que ele emana direto da pele, Merda, senti-lo assim tão perto, tão quente, com esses olhos me encarando, vai ficar difícil resistir, eu preciso pensar em alguma coisa, antes que eu caia em seu truque ou desmaie de calor, ele aproxima sua cabeça de meu ouvido e sussurra, me fazendo arrepiar da cabeça aos pés.

- Você sabe oque faze para eu parar Baby -

Engulo em seco encarando a sua boca, talvez não vai ser tão ruim assim, é só um beijo, na melhor das idéias ele pode se apaixonar no meu beijo, nunca se sabe.

- Ok, você venceu, mas só por que eu tô morrendo de calor - Digo baixo e ele sorri vitorioso.

Coloco ambos os braços suados ao redor de seu pescoço, e ele lambe os lábios os preparando, me aproximo devagar fechando os olhos e selo os lábios devagar aos seus, em um toque leve mas intenso o suficiente para me fazer sentir o calor dos seus lábios macios com um pouco de frio, o sinto abrir a boca para aprofundar o beijo e me separo bruscamente o olhando corado e sem graça.

- Pr on to, Desliga isso -  gaguejo baixinho olhando pro lado evitando olha lo nos olhos, com vergonha.

- Esse beijo não valeu Baby...você parou na melhor parte -

Diz rouco contra meu ouvido me fazendo gemer baixinho, Assim que ele me ouve gemer, me prende ainda mais contra o seu corpo e agarra os meus cabelos,virando meu rosto de uma forma brusca, me fazendo encará-lo, o vejo sorrir safado e aproximar o rosto próximo ao meu, quando os nossos rostos então a sentimentos de distância e já estamos de olhos fechados, a porta se abre.

- Muito bem meninos já podem sair o tempo acab... Mas oque é isso? -

Aizawa nos olha assustado acompanhado do resto da turma atrás de si, com alguns alunos lutando para conseguirem vê oque o professor olhava.

Na mesma hora que a porta se abriu eu me desgrudei do bicolor e ele fez o mesmo, me vestindo o mais rápido que conseguia, eu já estava morrendo de vergonha, mas só piorou quando o kiri apareceu gritando.

- POR QUE VOCÊ TAVA SEM CAMISA IZUKU? - grita me olhando sério.

Saio da caixa já vestido e vermelho da cabeça aos pés sem conseguir encara lo e sem saber oque dizer.

- Alguém pode me dar uma explicação? Por favor - Aizawa nos olha com preguiça.

- Foi por minha causa -

Arregalo os olhos na hora, olhando o bicolor, oque ele vai fala?

- OQUE VOCÊ FEZ SEU MALDITO? - Kiri encara furioso o Todoroki.

- Calma Kirishima, deixa ele falar - Aizawa comenta.

- Por conta da pressão psicológica, a minha individualidade ficou desregulada e eu liberei muito calor, por isso estávamos sem camisa -

- Por que você tava sem camisa? Se você não sente calor? - Kiri aponta desconfiado.

- Como eu Disse, a minha Individualidade ficou desregulada - revira os olhos - e eu tava liberando calor mas o meu corpo estáva gelado, então eu estáva tentando esfriar o Midoriya pra ele não morrer de calor -

- É isso Midoriya? -

Aizawa me pergunta e apenas balanço a cabeça freneticamente concordando.

- Bom - Suspira - Se é só isso vocês concluíram o teste com sucesso, pois não sairão nem mesmo com as dificuldades do local, Todos podem ir trocar de roupa e irem pra casa, menos você Todoroki, você passa na enfermaria pra vê oque aconteceu com seu organismo, depôs pode ir embora -

Saio da área de treinamento andando freneticamente rumo ao vestiário, até ser parado bruscamente por Ochako no corredor.

- Pode ir abrindo o bico, Individialidade desregulada seiii - Diz com os braços cruzados.

Olho para os dois lados me certificando se não avia ninguém e suspiro falando baixinho.

- Eu não sei oque teria acontecido se aquela porta não fosse aberta amiga -

- Meu Deus, pelo visto o negócio foi sério, conta tudo -


Autora On:


Depois de meia hora contando em detalhes oque havia acontecido na caixa para sua amiga e também de receber alguns conselhos, Izuku avia ido pro vestiário trocar de roupa, encontrando seu amigo Kirishima que não o olhava nos olhos, deixando o pequeno incomodado.

- Kiri oque foi? Por que você tá me tratando assim? - pergunta choroso.

- Eu tô normal Izuku -

- Não tá não, você não tá nem me chamando de Deku - faz um bico.

- Tá bom... eu vou falar, mas só por que eu não gosto de manter segredos entre a gente - Suspira - Mas me prometa que não vai surta ok? - o olha apreensivo.

- Tá, prometo fala - Diz impaciente.

- Eu Beijei o Bakugou -

- VOCÊ BEIJOU O BAKUGOU!! - grita incrédulo.

- Shiuuu Fala baixo, Eu falei pra não surta -

- Foi mal, mas ele, como? -

- Com a boca né - Diz zombateiro recebendo um tapa na cabeça do pequeno.

- Idiota - revira os olhos - mas ele kiri o bakugou sério? - Diz fazendo careta.

- Foi só um beijo no calor do momento, nada sério, não é como se eu fosse namora com ele, Entende? -

- Não entendo não - faz graça.

- Bobo, mas não é pra você me azucrinar com isso em e nem contar pra ninguém, não quero que ninguém saiba que eu fiquei com ele -

- Tá bom, Tá bom, mas o Bakugou? - Diz zombateieo.

- Cala a boca Deku -

                         《》

Do outro lado da porta estáva Bakugou, ouvindo toda conversa e chorando baixinho, ouvindo os passos se aproximando o fazendo correr dali, antes que fosse pego nessa situação constrangedora, enquanto deixava alguns fios de lágrimas escaparem, das lembranças dele e Kirishima dentro da caixa.


Flashback On:


- PARA DE ME ENCOSTAR DENTE DE TUBARÃO - Bakugou grita fazendo Kirishima fazer uma careta em desgosto.

- NÃO GRITA NO MEU OUVIDO - grita irritado - Que merda não tá vendo que  é impossível não encostar - Revira os olhos.

- Então não se mexe merda - o loiro Bufa olhando pro lado.

- Ok - Diz simplista.

Kirishima estava em pé com as Duas perta flexionadas, para caber na caixa, fazendo Bagukou sentar de lado em seu colo. O silêncio no local não durou nem cinco minutos para bakugou começar a resmungar de novo.

- Oque foi? -

Kirishima pergunta fazendo o loiro olhar pra si, com cara emburrada.

- Você não podia usar um perfume menos enjoativo merda? -

- É sério? Hahaha - gargalhar alto - Você vai reclamar até do meu perfume agora? -

- VOU RECLAMAR SIM PORRA - O olha raivoso - Por que fica aqui com você é uma tortura -

- Eu também não queria está aqui com você... Mas se você está tão incomodado eu posso apertar o botão - Diz levantando a mão para aperta mas é impedido por Bakugou.

- Nem pense em Fazer isso -

Voltam a fica em silêncio novamente, esperando o tempo passar, Bom até Bagukou resolver fazer uma pergunta.

- Ei Dente de tubarão - Diz baixo chamando a atenção do ruivo que o olha sem interesse.

- Oque? -

- Você realmente odeia ficar aqui comigo? - pergunta sem graça.

- Não - responde simples recebendo um - Hum - em resposta.

- E você? - pergunta fingindo não ter interesse.

- Também não - responde sem olha lo, com o rosto corado.

- Hahaha - Kirishima ri fazendo Bakugou olha lo curioso.

- Que merda foi agora? -

- Você é Fofo com vergonha - Kirishima diz sorridente fazendo o loiro corar ainda mais.

- EU NÃO SOU FOFO, EU SOU TUDO MENOS FOFO - grita indignado.

- Ei calma, não foi uma ofensa - o ruivo diz ainda sorrindo.

- NÃO EU NÃO VOU FICAR CALMO, MERDA NENHUMA, VOCÊ FICA AI COM SEU SORRISINHO CONVENCIDO ME CHAMANDO DE FOFO QUEM VOCÊ PENSA QUE É... -

Bakugou começa a ter um ataque e antes que ele explodisse os tímpanos de Kirishima de tanto gritar o ruivo o cala com um beijo, e por ele está com a boca aberta, a língua do ruivo invade a boca do loiro, em um beijo possesivo e sem coordenação pois o loiro estava assustado com o ato e o ruivo só queria o cala-lo, oque deu certo, pois quando o ruivo se separou, Bakugou respirava com a boca entre aberta, com o rosto todo corado e olhos arregalados, olhando o ruivo que o olhava pensativo.

- Bagukou esse foi o seu primeiro beijo? -

Pergunta com uma sombracelha levantada fazendo o loiro corar mais ainda, se for possível.

- Por que idiota, fo i tã o ru im ass im? -

Gagueja desviando o olhar do ruivo que sorri de lado.

- Não... só foi um pouco sem ritmo, Mas se você quiser - morde o lábio o fitando - Eu posso te ensinar -

Bagukou fica sem reação com a proposta, não sabendo se aceitava ou simplesmente explodia a cara do ruivo, resolveu optar pela a primeira opção, fechando os olhos sentindo uma mão em sua nuca o fazendo tremer de medo e ansiedade, logo ele sentiu um sussurro em seu ouvido o fazendo se acalmar um pouco.

- Imite os meus movimentos Ok? -

Balançou a cabeça positivamente, logo após sentindo um toque calmo em seus lábios, um selinho simples se transformando em uma chupada, em seguida uma mordida, que puxou o lábio inferior do loiro o fazendo abrir a boca, sendo invadida calmamente pela a língua do ruivo, Kirishima fazia movimentos calmos e sensuais, comandando o beijo e o loiro imitava seus movimentos, com um pouco de dificuldade no começo, mas pegando o jeito depôs de alguns segundos, ao Kirishima perceber que o loiro já estava mais acostumado com os toques ele prensa o corpo alheio contra o seu com mais força, intensificando o beijo e segurando com mais força os fios do loiro, o fazendo soltar gemidos baixo contra sua boca, ao ouvi lo gemer, Kirishima  desce uma das mãos para a cintura do loiro a apertando com força, enquanto ambos rolavam os rostos de um lado pro outro, com bakugou o puxando mais perto de si, se é que fosse possível e Kirishima praticamente engolindo o loiro, mandando a merda a ideia de ir com calma.

Depôs de muitos barulhos de estalos do beijo molhado e gemidos que Bakugou deixava escapar, eles finamente se separam, ambons muito ofegantes e conectados pelo olhar, por mais que o loiro estivesse vermelho da cabeça aos pés ele não conseguia parar de olha lo, observando um ruivo com um meio sorriso, esse que o deixava incrivelmente lindo e Kirishima não pensava diferente, vendo como o loiro além de lindo era fofo envergonhado.

- É assim que se beija -

O ruivo diz convencido, fazendo Bagukou o fuzilar com os olhos, antes que o loiro pudesse xingá-lo a porta é aberta por Aizawa, Fazendo ambos se assustarrem. Depôis de toda aquela emoção dentro da caixa e de um ruivo gritando furioso com uma dupla sem camisa, Bakugou finalmente toma coragem para ir até Kirishima, que ainda estava sala de treinamento, arrumando alguns objetos.

- Ei Dente de tubarão - chama a atenção do ruivo que o olha com sua expressão tranquila de sempre.

- Fala - Diz simplista.

- Você gostou do meu Beijo? -

Diz baixo quase que inaudível, para que apenas o ruivo escutasse, esse que sorri abertamente pela a pergunta.

- É foi legalzinho -

Diz zombateiro fazendo o loiro olha-lo incrédulo.

- OQUE? - grita irritado.

- Brincadeira Hahaha... Foi bom, Muito bom... - sorri de lado fazendo o loiro corar - E você? -

- Foi bom também seu merda - Diz envergonhado.

- Bom eu tenho que levar essas coisas - pega os objetos - Mas sê você quiser aprender mais coisas é só me falar gracinha - Diz com cara safada e pisca para o loiro.

Kirishima sai do local com um sorriso convencido no rosto, enquanto ouvia alguns xingamentos atrás de si, Bakugou gastou todos os seus palavrões que conhecia, xingando o ruivo que nem o deu moral, saindo do local deixando um loiro irritado e sorridente ao mesmo tempo, como ele conseguia deixá-lo assim?


Flashback Off:

Com raiva, enganado e triste é como Bakugou se senti, depois de ouvir a conversa de Kirishima, não é como se ele quisesse que o ruivo se declarasse pra si, mas o fato de que ele não quer que ninguém saiba oque aconteceu, faz seu coração doer, tudo bem que ele não é a melhor pessoa do mundo, mas não precisava humilhá-lo desta maneira.




Notas Finais


Vocês não sabem o tanto que eu amei escrever esse cap e vocês também gostaram?

Espero que sim Bjs até a próxima ♥️♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...