1. Spirit Fanfics >
  2. Meu (Ex-) Namorado de Mentirinha >
  3. Capítulo Um

História Meu (Ex-) Namorado de Mentirinha - Capítulo 1


Escrita por: e xiuminscafe


Notas do Autor


Eu não sei o que falar além de agradecer e dar alguns avisos. Primeiramente vamos aos agradecimentos.
Muito obrigada ao @xiuminscafe por me dar a oportunidade de escrever, publicar minha primeira fanfic e não desistir de mim. Ao squad do ficfest no telegram, principalmente a vivi, gio, monique, rhaio e bia, se não fosse por esse grupo eu teria desistido de tudo e mais uma vez de escrever.
Agradeço a doadora do plot, a Kim, me perdoa se eu tiver estragado toda ideia do plot ou não agradar você.
E a todos que chegaram aqui para ler.
Deixo avisado que não deu tempo de betar, mas logo logo pretendo pedir betagem (vivi me salvar) então se houver erros peço desculpas e se quiserem podem avisar. É uma short fic, terá dois ou três capítulos (estou revisando e vendo se dar para dividir)
É minha primeira fanfic, eu ainda me sinto inexperiente em muitos assuntos mas espero passar o plot com emoção a vocês.
Perdoe pelos erros e boa leitura.

Capítulo 1 - Capítulo Um


Em um certo dia de primavera da sua adolescência tediosa, Minseok voltava para casa de ônibus que não estava lotado. Ele tinha embarcado em uma conversa sobre flores e plantas com uma doce senhora que nunca havia visto na vida e atualmente mal lembrava de seu nome. Ela apenas o marcou segurando firmemente sua mão e lhe dizendo

— Meu jovem, tome cuidado com a mentira, ela destrói corações quentes como uma grande bola de neve. No início você pensa que pode destruí-la apenas arrebentando mas quando mais enrolada e crescente, mais fria ela se torna para te atropelar e se desmanchar em uma verdade.

Minseok nunca entendeu porque aquela pobre senhora disse aquilo em uma conversa de flores e plantas. Nunca percebeu na sua vida que poderia inventar uma mentira tão grande até aquele momento na Ice 60 's Cream, a famosa sorveteria estilizada nos anos 60 de Seul.

Ele olhava para a irmã tagarelando sobre como sua vida estava logo após ele sumir por três meses da casa de seus pais. Procurando saber por onde ele andou, a saúde, muitas coisas que Minseok nem imaginava que sua irmã se ligava.

Por dentro rezava para que não perguntasse sobre sua vida amorosa. Que não falasse de Baekhyun.

Bem, ele não obteve resultado positivo.

Sua irmã estendeu um envelope não tão grande mas elegantemente charmoso com sorriso de rasgar o rosto.

Os olhinhos dela chegavam a apertar de tão alegres que estavam. Minseok gostaria que ninguém tirasse aquela expressão do rosto dela.

— Entregar para o Baekhyun, vou me casar na quinta-feira e quero os namoradinhos mais doces da família na primeira fileira do meu casamento — Ela sorriu ainda mais ao citar o casamento retirando com a outra mão a mecha de cabelo castanho do rosto.

A garota estava tão contente com seu casamento se aproximando que nem notou em qual palavra a pele de seu irmão mais velho se tornou vermelha como se houvesse ingerido algum alérgico. Minseok parecia que explodiria.

Tentava não observar a decoração marcante que a sorveteria possui, tentava ajeitar o no banco de couro que sentava e mexia agitadamente o canudo colorido . O barulho chamou a atenção de sua irmã, que acordou do sonho de ter três filhos que teria com o marido.

— Seokiki qual o problema? Estou apaixonada mas não cega. — Ela olhou para os lados assim como o irmão fazia para despistar do olhar questionador — É sobre o lugar que estamos? Eu só convidei você para vim aqui pois havia sumido e prometeu me fazer conhecer a famosa sorveteria que você e o Baek tanto comentavam. Aliás, perguntei como estava sua vida mas não perguntei a razão você sumiu. Perdeu a chance de ver Kyungsoo se ajoelhando e pedindo minha mão na frente do papai. Primeiro eu disse não e ele ficou maluco.

— Jongin — A garota o fuzilou com os olhos ao ouvir o nome — Digo Jong Hee, não é sobre a sorveteria, eu amo aqui - comentou observando os bancos vermelhos com fachadas de frentes de carros antigos — mas o Baekhyun está estudando. 

— Minseok, eu liguei para a universidade hoje de manhã e todos os cursos, inclusive o seu, estão em férias...Parou com a palhaçada agora. — Ela apertou os olhos com os finos dedos e abriu novamente se preparando para a conversa

— Ele está ocupado, sabia? — Continuou o garoto já aflito para se livrar da situação.

— O que é tão importante do que dia em Andong para o meu casamento? 

— Jong você está se achando o centro do mundo. Não é possível — Ele disse empurrando seus cabelos para trás.

— É só um dia, eu tenho certeza que ele não deve está ocupado na quinta, em um feriado.

— Que feriado é na quinta?

— O meu casamento é um feriado 

— Comentou revirando os olhos e gesticulando a palma da mão para cima como se fosse algo superior — Seguinte, você sabe da vida do seu namorado, ele não trabalha, eu sei bem pois liguei para Chanyeol — Minseok que encarava a rua movimentada encontrou o olhar rapidamente da irmã que cerrou os olhos para ele — que estranhou a ligação e a pergunta mas okay isso não vem a caso agora. É por um dia Seok, se ele não puder, quero ouvir dele mesmo, mesmo que seja por telefone — Disse firmemente e recolhendo sua bolsa e celular sorrindo ao ver o carro do noivo se aproximando.

— Onde você vai? 

— Kyungsoo está chegando — Se levantou — Vou deixar esse dinheiro aqui.

— Jonghee eu não terminei — O mais velho dos Kim's também se levantou olhando para o veículo preto recebendo um aceno de seu cunhado.

— Quero falar com Baekhyun por telefone se ele não puder comparecer. Se não vejo vocês em três dias para o meu casamento.

Ela entrou no carro.

— Jonghee não entra no carro — Ela entrou no carro que começou a andar, com Minseok batendo no vidro e andando com eles — Jonghee não...Volta aqui por favor… Ferrou.

Já era tarde, o carro começou a andar e ele estava agachado no meio da rua derrotado.

Minseok estava ferrado.

Quando achou que podia se tranquilizar ao não contar a sua família que havia terminado com seu ex namorado, Baekhyun. A vida lhe trás novos obstáculos fazendo o pensar que era um completo fracasso em relacionamentos.

E afinal, quem era Baekhyun?

Baekhyun não é abelha rainha, muito menos tem zagões atrás de si, apenas amigos que fofocavam sobre as pessoas da universidade nas horas vagas.

Inclusive Baekhyun não era ator da KBS, como seus amigos pediam que fosse e enviaram uma vez o seu currículo pois o achavam muito brilhante para ficar apenas em uma mesa qualquer reescrevendo matérias para o jornal da cidade.

Baekhyun era apenas Baekhyun.

Ele amava jogar, amava prática hapkido. Tocava pianos nas horas vagas e tinha coleção de camisas com estampas e frases motivacionais.

Ele amava sua família, tinha sua própria casa e fazia jornalismo na mesma universidade que Minseok cursava química.

Todavia para a família do Kim, o ruivo que amava ganhar partidas de Pubg e comer em fast foods de rua era a pessoa mais querida da família.

Eram conversas e beijinhos para lá, comidas e piadas internas para cá. Até a piada da Jonghee era para ter nascido um menino que se chamaria Jongin era bem vista pela irmã. 

Minseok sentia orgulho por finalmente acertar em alguém e sua família apoiar eles. E continuaria apoiando, mesmo que eles não soubessem que ambos não estavam mais juntos pois Minseok havia terminado tudo.

Sua madrasta perguntará — quando eles não estavam mais namorando — sobre eles. Os olhinhos dela brilhando para saber de como andava o casal que adotará como filhos. 

Ele não teve coragem de falar que tinha terminado, não tinha coragem em olhar para a mulher e vê ela manchar o sorriso e se entristece junto com seu pai e irmã.

Evitando mais perguntas como essa, ele decidiu se afastar da família enquanto resolvia sua vida sem lembrar do maior problema dela.

Enquanto apertava sua cabeça e bagunçava seus fios castanhos, Minseok tomou sua decisão e seguiu em direção ao seu carro.

{...}

A campainha da casa Baekhyun tocará diversas vezes, e batidas na porta eram ouvidas por toda casa, Baekhyun olhava apreensivo para o jardim dos fundos, para os lados verificando se nenhum vizinho estava ali para bisbilhotar se ele estava em casa ou não para dizer a pessoa lá fora.

— Vamos Baekhyun, se decide.

Ele novamente — em passos silenciosos — olhou para o olho mágico, observando um Minseok com cabelos encostados na cabeça e tremendo.

Quando Minseok estava prestes a tocar campainha de novo, Baekhyun abriu a porta.

A sensação de ver Minseok sempre seria curiosidade, como na primeira vez que o viu. Sentado, sozinho e distraído na Ice 60's Cream.

— Minseok? — Falou desacreditado, era mesmo Kim Minseok de um ano atrás? o cara que namorou e era totalmente arrumadinho. Não um descabelado e suado, talvez fedendo mais isso não importa para ele naquele momento.

— O-oi — Cumprimentou ainda sem acreditar que chegou até ali, pronto para fazer a proposta mais sem sentindo do mundo.

— O que está havendo? O que faz tocando desesperadamente minha campainha? 

Acho que demorou para sentir falta não? — Completou mentalmente.

— Eu estou completamente louco em desespero e só você pode me ajudar

— Vem, entra. Porta de casa não é lugar para conversar. 

— Então como você está? Sua família? Você sumiu, não te vejo mais na faculdade, pensei que continuaríamos sendo amigos. — Disse logo após entrarem, fitou o estado de Minseok. Dessa vez Minseok usava a estampa do Ursinho Pooh que estava suja.

Mas parece que você não me ama nem como amigo,

— Estou bem, minha família está indo bem, eu acho. E você? Baekbeom, a Tia.

— Todos bem.

— Sua casa não mudou nada. — O acastanhado observou mais a sala. Paredes em tons beges, um sofá de formato L marrom na sala, a qual ele se sentou na ponta e Baekhyun na outra.

Fotos do proprietário da casa eram vistas na estante, uma delas sua preferida: Baekhyun com Mongryong, o cachorro de seu irmão mais velho.

— Pode sentar, quer alguma coisa? — Questionou apenas recebendo em trocar um aceno — Você também mudou, então pode começar contar o que está pegando.

— Jonghee vai ser casar.

As orbes castanhas do Byun chegavam a brilhar ao ouvir o nome. Ele amava Jongin, ela era como uma irmã para ele.

— Com Kyungsoo? 

— Isso… em três dias — Era esperançoso saber que a resposta era positiva, eles eram o melhor casal.

— Muito legal, falar pra ela que estou mandando parabéns a ela. 

— Assim entramos no assunto que preciso de você. Ela quer você no casamento dela.

— Tranquilo, só preciso encontrar alguma pousada em Andong e limpar meu terno, sua família está de boa com o término?

— Ai não...Baek — Minseok respirou fundo, e limpou os olhos que começavam a lacrimejar.

Aquilo preocupava Baekhyun, mesmo que se sentisse estranho ao reencontrar o garoto de olhos de gatinhos, que ele tivesse desaparecido por meses, Baekhyun sempre se importaria com o garoto.

— Minseok, está me assuntando com essa cara .

— Demonstro muito o que sinto não é?

Enfim, vou dizer o que está rolando — Suspirou e encarou as mãos em seu colo — eunaoconteiaminhafamiliaquenosterminamos.

— Awn?

— Eu não contei à minha família que nós terminamos — Soletrou olhando nos olhos do ruivo que empreitou — pode me xingar, me bater, qualquer coisa.

— Estrangular, eu posso? 

Pensou encontrar sua ex-sogra e ela perguntar como estava seu relacionamento com filho dela? 

— Baek, só preciso que você seja meu namorado, mesmo não sendo mais, por três dias, só isso que peço. Depois disso eu deixo de enrolar.

— A gente terminou faz 6 meses e você não contou? — Amargurou, não gostava de mentiras.

— Não contei.

— Minseok, eu não posso, você sabe que isso é errado, você mesmo não gosta de mentiras e muito menos eu. Gosto demais dos seus pais e da Jongin pra fazer isso.

— Eu sei porém eles não precisam saber. Por favor Baek — Suplicou se ajoelhando em frente ao ruivo juntando as mãos — Eu faço tudo que você quiser seja lá o que você quer.

— Minseok, são sua família, você não fica mal?

— Lógico que fico mas não quero ser mais decepcionante para eles. — Respondeu cabisbaixo.

Encarou o chão de madeira se sentindo desesperançoso. Para ele seria doloroso revelar a verdade depois de meses inventando que estavam bem, que o levaria na casa deles só para se sentir melhor.

— Você não é decepcionante, nunca mais pense ou repita isso.— Suspirou e encarou Minseok se levantando e voltando para a outra ponta do sofá.

Os ombros e olhos caídos, um pequeno bico formado, Minseok fitava o chão e Baekhyun o encarava, e minutos se passaram assim.

Baekhyun nunca gostou de mentir, ele sempre se sentiu suas energias sendo sugadas quando não dizia a verdade. 

Você perguntaria a ele e podia ter confiança que sempre seria sincero menos com seus sentimentos. Porém ele sempre se sentiu machucado por ocultar seus sentimentos, como naquele momento.

Ele gostaria de falar para Minseok que não conseguiria, ele não se sentia confiante para estar ao lado dele pois sabia que mesmo com coração fechado, ele ainda doía pelo Kim.

Baekhyun mordiscou os lábios e perguntou:

— O casamento dela é na quinta certo? 

— Teríamos que sair hoje à noite.

— Olha eu não gosto dessa ideia

— O Kim assentiu — mas se for para fazer a Jonghee feliz, eu farei. Apenas por ela. Depois disso você vai dizer a verdade.

A postura do Kim mudou, ele abriu um sorriso gigantesco, digno de rasgar o rosto. De fazer Baekhyun sorrir de lado pela mudança dele e achar encantador.

— Ai meu Deus Baek — Se ajoelhou novamente, tocando nos dedos de Baekhyun, entretanto logo se lembrando o por quê estava sujo e soltando — Obrigado, obrigado, eu vou ter uma dívida eterna com você. E você não vai ser arrepender.

Assim que Minseok parou de pular de felicidades sem se importar com o que o outro acharia. Baekhyun o levou até a porta, se despediram e combinaram que em poucas horas Minseok passaria para o pegar e viajarem para Andong.

— Boa tarde senhor Jang — Baekhyun cumprimentou o velho vizinho barbudo e ajeitar os óculos para encarar Minseok indo embora com o carro com expressão indecifrável.

— Aquele menino é um maluco atrapalhado — Negando com a cabeça.

— Por que diz isso senhor Jang?

— Ele chegou aqui freiando o carro com tudo, atropeçando e caindo nos sacos de lixo. É cada maluco que eu vejo nessa Seul.

Baekhyun apenas negou, sorrindo ao imagina a cena. Aquele não era o seu Minseok.

{...}

Quando Minseok disse para ele que não se arrependeria por aceitar seu plano infalível de namorados de mentirinha, mesmo não sendo. A frase acabou falhando uma hora depois que Minseok foi para sua casa arrumar sua coisas porque Baekhyun já estava arrependido.

Enquanto retirava pela terceira vez o casaco azul com lantejoulas da pequena mala que levaria suas coisas, começará a ser perguntar como ele se portaria ao lado de Minseok? Precisariam se beijar? Se tocar?

Seus amigos sempre acharam um absurdo ele está na faculdade de jornalismo do que está tirando nota dez em artes cênicas ou ter o bico de treinador de hapkido ao invés do sucesso nos doramas da KBS. Baekhyun era um ator mas perto de Minseok ele erraria todas as notas só pela presença que outro exalava.

Ainda era saber o que se passava por dentro dele, uma parte da mente dizia que era errado e que deveria ligar para o Kim e dar o pé para trás. Enquanto outro pensamento era não demonstrar nada para ele nesses longos dias pois o garoto de olhos de gatinhos que usava roupas com estampas da Disney poderia estar mais uma vez brincando com seu coração. 

Reencontrar alguém que jurará amor eterno por si nunca seria fácil, agora está mais de 24 horas juntos era o sacrifício. 

Pois sim, Baekhyun não superará Minseok e talvez nunca superaria.

Agora restava saber se quando se beijassem, olhassem e tocassem, ficassem juntos seu pobre coração não abrissem a porta dos sentimentos ocultos.

{...}

Mesmo que ainda mais cedo, Minseok havia chegado na casa de Baekhyun desesperado e sem jeito, tropeçando até nos sacos de lixo e parecendo de forma desabitual na casa do Byun. Ele ainda continuava sem jeito encarando a fachada alaranjada e o jardim bem cuidado.

Era uma noite estrelada, a rua do Byun estava vazia mas de longe podia ouvir o barulho de carros da cidade.

Dessa vez ele não havia corrido com o carro e estava adequadamente arrumado.

Aspirou o ar, sentindo a jorrada de perfume que as flores daquela casa emanavam. 

Ele ajeitava o sueter com estampa de Rei leão quando ouviu o dono da casa abrir a porta novamente para si, dessa vez sem um grande ponto de interrogação.

Abriu um novo sorriso, Baekhyun trajava a camisa de a Princesa e o sapo que compraram quando tinham três vezes de namoro. Duas camisas, para formarem roupas de casais.

Baekhyun sorriu de ladinho e esse sorriso que Minseok pensou em tatuar naquele momento em sua pele. Ele terminou de fechar a casa e caminhando puxando sua pequena mala junto com o Kim.

— Hmmm...gostei do camisa — Minseok começo a falar tombando a cabeça para o lado para observar mais o trajes do outro, a calça azul dele combinavam perfeitamente com o belo corpo dele.

Minseok abriu a porta do carro, e colocou a mala do outro dentro, não seria necessário usar o porta malas. Eles sentiram cheiro do lavanda que o aromatizador soltava no carro quando entraram.

Baekhyun negou com a cabeça. Minseok continuava o mesmo perfeccionista em limpeza cheiros. Também conseguiu analisar a roupa do acastanhado.

— Obrigada, amei seu sueter, é nova na coleção? 

— É sim, e você gosta de a princesa e o sapo?

— Eu vi quando maratonei sabe… aquela coleção de filmes que você deixou para mim antes de terminamos — Confessou Baekhyun sorrindo para o outro, os olhos dele poderiam se comparados com céu estrelado daquela noite.

Brilhavam em alegria por vê o Byun, mas esse não precisava saber disso, ainda.

— Tudo? 

 — Tudo… Essa é a vida de quem não tem mais o que fazer.

— Essa frase também se destaca a mim?

— Minseok começa a dirigir pelo amor — E ele começou rindo da face que Baekhyun fazia.

O garoto de olhos de gatinho ligou o rádio de seu carro que estava conectado a sua playlist, e Want U Back começou a soar por todo carro.

Dando divertimento para Baekhyun ao observar os prédios e carros. Todo o cenário estrelado da cidade de Seul.

— Você continuar com o mesmo gosto musical — Disse para Minseok que sorriu e desviou os olhos rapidamente da avenida para Baekhyun, esse se mexia tentando relaxar o corpo nos bancos cinzentos.

— Um gosto musical bem animado, gostou?

— Amei.

— Baek, tem um travesseiro de pescoço ali atrás, pega pra você descansar um pouco, a viagem vai ser longa.

Ainda estavam na cidade quando Baekhyun quando viu que dava para relaxar com o travesseiro com estampa de nuvens sorrindo. Apenas descansou por uma hora quando foi acordado com resmungo de dor. 

— Aish 

Abriu os olhos e encontrou Minseok pálido esfregando a mão na barriga e tentando se concentrar na estrada. Nesse momento tinha diminuído a velocidade. 

Ele olhou para o redor, vendo apenas a estrada longa no meio de uma floresta.

— O que houve?

— Eu não estou me sentindo bem — Encontrou os olhos do ex, eles brilhavam por conta de está lacrimejando.

Baekhyun logo levantou seu corpo, se ajeitando como podia por conta do cinto. Retirou o travesseiro do pescoço e se aproximou melhor de Seok.

— O que você está sentindo? Vamos fazer uma parada, devemos já está perto de Andong — Tocou na testa do outro verificando se estava quente.

Pegou seu celular para saber as horas e encontrou o chip sem sinal de internet.

— Baek.

— Olha não to conseguindo vê, meus dados não pegam nessa área da Coreia… Minseok onde estamos? 

— Baek — Suplicou parando o carro, sem se importa que estavam no meio do nada. 

— Porque a última cidade que vi que passamos era…

— Baek, eu acho que errei o caminho — Disse interrompendo o outro que olhou preocupado para ele.

— O QUE? COMO ASSIM? NÃO não não — Ele encarou mais uma vez o acastanhado com a mão na barriga.

— Eu devo te entrado na via errada assim que estavamos saindo de Seul, por favor se acalma

— Minseok eu estou calmo....Minseok por favor troca de lugar comigo, você está mal para dirigir deixa que eu conduzo 

E assim fizeram, agora Minseok observava tentando aguentar a dor de barriga e enjoo que sentia. Conseguiram avistar um posto e assim chegaram lá, Minseok correu para o banheiro.

Se achava nojento pela segunda vez no dia por está em um banheiro de posto de abastecimento no meio do nada. Agradeceu por estar limpo quando entrou lá e vomitou com tudo que havia comido.

Ele odiava com todas as forças vomitar, acreditava que comeu algo estragado e agora estava ali a barriga dolorida.

Minseok se limpou o máximo que podia e trancou o banheiro, encontrando Baekhyun com sacola de compra.

— Toma esse remédio aqui, ele vai aliviar sua dor e come esse biscoito, isso vai aliviar sua fome e menos tóxico agora para sua barriga. — Ele pegou sorrindo fraco em agradecimento para o outro.

— Sabe onde estamos? — começou a caminha tomando o remédio com água.

— Perto de Busan.

— Um motorista péssimo. 

— Como você está agora? — Questionou passando a mão mais uma vez no cenho do outro assim que entraram no carro.

— Vamos para um hotelzinho aqui perto, além desse remédio vou ter dar remédio para vômito que está na minha mochila. E chegamos em Andong amanhã de manhã.

— Não está chateado por pegar o caminho errado? 

— Não posso culpar você por está sentindo dor e errar o caminho, me desculpa a exaltação naquela hora. — Baekhyun falou pegando na mão do Kim, a massageando.

Ele sentiu seu coração se aquecer com aquele ato, e Minseok também.

{...}

— É pelo menos os quartos têm duas camas — Minseok brincou se sentando em uma das camas, se sentindo muito melhor depois de comer o biscoito, tomar o medicamento e ainda tomar banho no chuveiro quente que o hotel fornecia.

Eles estavam em um hotel fazenda, não era grande mas tinha um restaurante com comidas feitas na hora com produtos que vinham da fazenda ao lado.

—  Enquanto você estava no banheiro aproveitei em pedir alguma comida pra gente, peguei coisa leve já que você sente enjoo e caganeira

— Não fala caganeira.

— Caganeira sim, você cagar e eu cago, todo mundo caga.

— Tomar esse comprimido aqui ele vai tirar você dessa situação e come sempre alguma coisa para você não ter uma intoxicação de remédios que nem dar última vez.

— Você lembra?

— Como não lembra, paramos no pronto socorro para você tomar soro. Você chorou e desmaiou no meu colo. — Baekhyun contou fazendo Minseok sorrir por lembrar daquele dia.

— Você também desmaiou me segurando para tomar injeção, foi assim ó.

O coração de Baek acelerou com a aproximação de Minseok se curvando e segurando seu pescoço. Baekhyun ficou intacto olhando para Minseok com curiosidade.

Minseok sorria e olhava para face do outro.

— Era melhor fazer isso em pé.

— Lembra de ficar em pé em um momento bom. Você ainda se recorda quando estavamos na cachoeira e a gente também ficou assim e...

Baekhyun perdeu a fala vendo novamente Minseok de perto. Era possível os narizes se tocarem, Minseok se afastou dele e Baekhyun pegou a refeição que tinha comprado entregando para o homem a sua frente.

— Obrigado Baek

— Consegue comer? — Pegou uma colher e não esperou o outro responder — Toma abre a boca.

Assim ficaram, as orbes sempre conectadas como a lua estava para a terra.

Ou como um ímã estava para metal.

— Baek — Minseok se aproximou dele novamente e segurou sua mão — Ninguém nunca cuidou tão bem de mim como você.

Minseok chegou novamente e tocou a bochecha. A forma que os pequenos dedos acariciam o ruivo, o deixava sem ação.

Paralisava o corpo, e talvez Baekhyun esperava por um beijo.

— Você continua lindo.

Baekhyun fechou os olhos quando viu Minseok se aproximar mais de si, deixando os narizes se tocarem. 

Entretanto não houve ao menos um selar nos lábios. Minseok apenas observou Baekhyun.

Eles passaram minutos assim.

— Acho melhor eu me afastar… vai que eu passo alguma coisa pra você — Minseok disse e Baekhyun acordou para a realidade e se afastou dele.

Decepcionado, ele poderia definir isso para aquele momento. 

Ele se levantou, deixando a Minseok comer sozinho e indo em direção ao banheiro para tomar banho. Porém antes que entrasse, ele se virou para o Kim que o encarava triste, parecia que sabia que tinha feito merda:

— Não precisava se afastar se é apenas um enjoo, não tem como você passar isso para mim.

 


Notas Finais


Se você chegou até aqui, muito obrigada.
Mais tarde irei postar a outra parte.
A fanfic tem uma mini-playlist, caso queiram ouvir:
https://open.spotify.com/playlist/0OGIyi6nN2ahROC8JlAQdm?si=d5976321a72446f6


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...