1. Spirit Fanfics >
  2. Meu (ex)melhor amigo - Imagine Jackson Wang. >
  3. Capítulo III.

História Meu (ex)melhor amigo - Imagine Jackson Wang. - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - Capítulo III.


Fanfic / Fanfiction Meu (ex)melhor amigo - Imagine Jackson Wang. - Capítulo 3 - Capítulo III.

 Saindo de casa me deparo com Jackson sentado em minha calçada. Ele me olha e se levanta no mesmo momento.

—  Senti falta de ficar sentado aqui. Como antigamente — ele sorri. — Me desculpe.

—  Não precisa se desculpar. Fique a vontade.

Pego meu livro e me sento na cadeira de balanço da varanda. Espio Jackson por cima das paginas. Ele tinha uma expressão bem-humorada com seu rosto virado para o sol.

Tento me concentrar na leitura, no entanto algo tira meu foco, a maldita sensação de estar sendo observada. Abaixo meu livro e olho em volta, meus olhos se encontram com o dele.

— Você mudou bastante – disse, apontando para meu livro. — Você detestava ler.

—  Durante um tempo os livros foram a única companhia que eu tive.

—  Entendo. — Foi só então que pela expressão sem graça de Jackson que eu me toquei o que tinha dito. Não queria ter jogado na cara dele o fato de ele ter me deixado no passado, assim como o banho de sol na calçada, só saiu. — Eu sei que não é o melhor momento agora, mas eu poderia conversar com você sobre uma coisa?

— Sobre o trabalho?

—  Não. — Mancando ele se aproxima da varanda. Ele respira fundo e olha diretamente para meus olhos. — Sobre nós.

Sinto um choque pelo meu corpo. Subitamente fico tensa.

—  E o que seria? —  temendo, pergunto.

—  Ultimamente eu fiquei pensando muito em... — Jackson para de falar no mesmo instante em que o carro da sua mãe entra na garagem. – Preciso ir. Depois a gente se fala.

Fico curiosa para saber como iria terminar aquela frase, o que me deixa mais nervosa do que antes.

Impressionante como com menos de dez palavras Jackson me tirou totalmente do eixo. Fiquei a manhã toda pensando no que poderia ser aquilo que ele tinha para me dizer.

Perguntei-me se eu deveria mandar uma mensagem para ele. Porém o medo de estar pressionando um assunto que não era nada demais é maior do que minha curiosidade. Acho que estou pirando mais do que deveria. Talvez seja impossível que eu não transpareça que a presença dele ainda mexe muito comigo. Eu ainda gosto dele como um amigo. Eu o aceitaria de volta mesmo com a pior desculpa que ele me desse. Mas eu não sei se ele faria o mesmo por mim, sempre foi tão orgulhoso.

Eu tinha todos os motivos para dizer para mim mesma que ele não era a pessoa certa na minha vida, no entanto eu tenho todos os motivos que ainda me fazem o querer por perto. Eu só não sei qual desses motivos eu deveria escolher. Eu o odeio por ter me deixado, mas o amo por toda nossa história de amizade.

Mando uma mensagem para Yug. Fazia alguns dias que nós não conversamos o que não é algo estranho, pois ele realmente estuda muito assim como eu. Mas confesso que depois daquele dia eu ando estranha em relação a ele. Não sei se foi um súbito sentimento de desespero por conta dos hormônios da adolescência ou se realmente sinto algo por ele. Eu não podia ter um coração partido, não agora que o ensino médio está prestes a acabar. E também não podia confundi-lo ou afasta-lo de mim com algo que eu nem tenho certeza do que é. Mesmo assim o chamo para assistir um filme. Hoje era sexta-feira e geralmente combinamos algo pra esquecermo-nos da escola. Talvez ficar perto dele me ajude a entender se é real ou não.

Não demorou muito para que Yug chegasse. E com ele, uma sacola cheia de guloseimas.

—  Você me mima demais, sabia? — Dou espaço para que ele entre.

—  Espera – ele hesita. — Não estou vendo o carro dos seus pais.

—  Ah é. Eles foram jantar com o chefe do meu pai. Algum problema? — Percebo que ele está nervoso.

—  Talvez seja melhor eu voltar amanhã. — Ele recua, mas eu seguro seu braço.

—  Amanhã nós iremos fazer o trabalho com Jackson. Esqueceu? Combinamos no grupo não faz nem dois dias. É bem provável que fiquemos o dia inteiro fazendo. — O puxo para dentro. — Deixa de ser bobo. Até parece que nós vamos fazer algo proibido.

Jogo-me no sofá e pego o controle. Vejo que Yug ainda está de pé ao lado da porta.

—  Vem! — Dou tapinhas no sofá. — Está com medo que eu te morda?

—  Eu só acho um pouco inapropriado ficarmos sozinhos.

—  Ah... – reviro os olhos. — Que papo chato. Estamos no século XXI, relaxa ai, vai. — Ele se senta, mas do outro lado do sofá. — O que está acontecendo? Estou cheirando mal?

—  Não.

—  Então o que diabos está fazendo ai? — Levanto-me e o puxo para perto. — Pronto. Agora está melhor. Vamos assistir o que?

—  Você pode decidir.

—  Ótima escolha, pois eu estava louca pra assistir Para Todos Os Garotos Que Já Amei.

Eu sou do tipo de pessoa que gosta de assistir o filme antes de ler os livros. Acho que assim como minha vida amorosa tenho medo de me decepcionar com as expectativas.

Durante o filme aquela estranha excitação ficou entalada em meu peito. Comecei a ficar nervosa sobre como agir ao lado dele. Eu nunca tinha me importado se minha roupa estava desleixada demais ou indecente demais e se meu cabelo estava desgrenhado de mais, porém agora me sinto desconfortável com toda essa dúvida na cabeça. Esses são os tipos de dúvidas que você tem quando quer que alguém tenha boas impressões de você, mesmo que ela tenha te visto como um zumbi como Yug já me viu varias vezes na escola na educação física. Isso acontece quando você quer atrair alguém que gosta. Então eu gosto dele ou só é bobagem da minha cabeça?

—  Josh é mil vezes melhor que aquele outro. Como ela não pode ficar com ele? — falou nervoso. — Kavinsky é um babaca!

—  Verdade. Mas ele não deixa de ser charmoso. — Olhando de canto vejo sua expressão indignada pra mim.

—  Mas ele é um idiota! Você o escolheria?

—  Eu não sei. É complicado. Se não existisse a Margot, provavelmente sim.

—  Então você ficaria com o Peter? — arqueou o cenho.

—  Não me faça pergunta difícil, okay? É confuso pra mim.

Ficamos um tempo em silencio até que Yug diz:

—  Preciso te contar uma coisa. — Ele se ajeita no sofá coma postura ereta.

—  Pode falar. — Encho minha mão de pipoca e enfio tudo na boca.

—  Faz algum tempo que eu não consigo parar de pensar na garota que eu gosto. E isso está me enlouquecendo.

Sinto meu coração ficar apertado. A pipoca desce rasgando pela minha garganta.

—  Mas eu tenho medo — continua. — Medo que ela não sinta o mesmo por mim, medo de ser rejeitado e o pior de tudo estrar meu bom relacionamento com ela.

Então ela é alguém próxima dele. Sinto-me traída de certa forma. Ele nunca me contou que tinha outras amigas além de mim. Meu coração bate dolorosamente rápido. Minha garganta fica seca. Eu não sei o que responder sobre isso.

— Estou tomando coragem pra dizer isso há semanas. — Ele respira fundo e encara os pés.

—  Jackson? — Vejo meu celular tocando em cima da mesa.

—  Jackson? O que ele tem a ver com isso? — Ele me encara confuso até seu olho direcionar para o mesmo lugar que o meu. Sua cara se fecha. — Por que ele está te ligando? Voltou ser amiguinha dele?

—  Não pira, né.

—  Não pira você – aumentou o tom de voz. — Você sofreu horrores por causa desse desgraçado. Você voltou a gostar dele? Sabia que nunca tinha esquecido ele. Sabia!

—  Por que está irritado assim? Foi só uma ligação. Qual o problema nisso?

—  O problema é que eu gosto de você. Se o seu coração fica partido o meu vira pó. — Ele se levanta e começa a recolher suas coisas. — Eu tenho que ir.

—  Espera. O que quer dizer?

— Quero dizer que você é a garota que não sai da minha cabeça. E como sempre Jackson teve que estragar o momento pra mim.

A campainha toca.

—  Por favor. — Seguro seu braço e o olho nos olhos. — Vamos conversar sobre isso com calma. Eu só vou atender a porta e conversamos.

Quando atendo a porta, minhas pernas bambeiam. Jackson estava lá parado.

—  Oi. Eu sei que não é o melhor momento, mas... — Ele coça a nuca. — Podemos continuar nossa conversa de hoje cedo?

Ouço passos atrás de mim.

—  Hoje cedo? — Yug me encara.

—  Ah, me desculpe. Eu nem pensei que você pudesse estar com visita. — Lançou um olhar feio para Yug e ele fez o mesmo. — Eu volto amanhã.

—  Tudo bem. Eu já estou de saída. — Yug veste seu casaco enraivado. Ele passa por mim com ferocidade.

—  Yug, por favor. Volta aqui! — grito.

Ele me ignora completamente e continua andando em passo largos e firmes sem olhar pra trás.

—  Acho melhor eu ir também. — Não consigo responder nada, ainda chocada com o que eu acabei de ouvir, então Jackson saí me deixando sozinha.

...O que acabou de acontecer?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...