1. Spirit Fanfics >
  2. Meu Final Feliz - Bughead >
  3. Polícia

História Meu Final Feliz - Bughead - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura

Capítulo 11 - Polícia


Sem nem pensar duas vezes eu dei um pulo em direção a Jughead, abraçando suas costas, e apoiando minhas mãos em seus ombros.

- Não faz isso Jughead, não se rebaixe ao nível dele. - ele não abaixa seus braços e continua, apoiando a arma na testa dele. Me aperto mais a seu corpo, e sinto ele se arrepiar. - por favor Jug não faça isso! - Seus ombros relaxam e vão para baixo, em um ato rápido, eu me desvio de seu corpo, mais ele pega minha mão e se vira, olhando em meus olhos.

-- Eu não vou fazer isso- ele solta um suspiro. -  Se você não quiser - ele abre minhas mãos e coloca a arma ali. - mais a decisão é sua - ele segura firme minha outra mão a apertando.

- Foi fisgado Jones - Tall boy fala soltando um riso de sarcasmo. - Não tem como resistir a ela! - desvio de Jughead ficando em sua frente e a frente de Petty. - Faça isso Cooper. - ele me encara e grita - FAÇA AGORA! - em um movimento rápido, atiro em seu ombro.

-- Acha que eu sou idiota como você? Tall Boy! - Prenso a arma em seu ombro, e ele urra de dor. - Eu posso matar você, mais eu não sou como você, não faço isso por diversão, ou por dinheiro...- me aproximo mais - ...ou por vingança. Na verdade, podia muito bem ser por vingança, você e Nick destruíram a minha vida! Por que não posso destruir a sua? E acha mesmo que o Nick vai te pagar? Se acha isso você é mais idiota do que eu pensava - ele me encara e não fala nada, sangue começa a sair de sua boca.

- Acho que já chega disso garota - Verônica fala se aproximando de Jughead, e segurando seu braço. Observo a cena e dou uma risada sem humor, me virando novamente para Tall Boy.

-- Ela não sabe esconder não é? - falo e ele encara minhas costas, e depois meu rosto de novo, curvando seus lábios.

- Você é uma Vadia até com a suas amigas? - ele fala ofegante, quase não sai nenhum som de seus lábios.

-- Ela não é minha "amiga", mais isso não interessa a você. - encaro seu ombro. - por que está aqui? 

- Vim atrás do seu homem! - olho em seus olhos. - ele me deve muito! 

-- Meu homem? 

- Eu não devo nada pra você Tall Boy! - Jughead fala se afastando de Verônica e dando a volta, se apoiando no ombro de Tall Boy. - O que você está fazendo aqui? 

-- Engraçado que eu não falei quem era o seu homem, mais olha, ele se apresentou sem exitar. E tem razão! Você não me deve nada...mais seu pai, sim. - ele fala entre pausas, soltando suspiros de dor, enquanto Jughead aperta sua mão em seu ombro. - Já fui atrás dele, e aquele covarde, chamou seus amigos, da gangue idiota, e não deu as caras. Então eu pensei, a forma mais humana de atingir um homem, e ir atrás do que ele mais preza e ama, ou seja... - ele levanta o outro braço - ir atrás de você - ele retira a mão de Jughead de seu ombro. - e bom, como eu iria atingir você? Iria matar você e seus amigos simples.

- Vemos que seu plano não deu muito certo não é? Tem algum plano B? 

-- Não eu não tenho...para a minha surpresa...- ele fala apertando sua ferida com a mão. - você está aqui! Me diz seu namorado sabe que tem amigos homens? 

- Nick, não é, meu, namorado! E eles não são meus amigos! - encaro os garotos - bom em partes não, pelo menos. 

-- Então está fazendo o que aqui? Decidiu virar, diversão momentânea, de garotos na puberdade? 

- Já chega! - Archie grita - Chega dessa merda. 

-- Ficou estressado ruivo? Vai me dizer que a maior parte da diversão é sua?  Eu pensei que era do Jones a maior parte.

- Cala a boca! - grito destravo a arma em minhas mãos, segurando o gatilho em direção a seu rosto.

Barulhos de sirenes ecoam sobre meus ouvidos.

-- Quem chamou a polícia? - Verônica fala

- Fui eu! Eu chamei - Kevin fala 

-- Preparado pra passar o resto do seus dias preso em uma cama? - Jason se aproxima.

- Preso em uma cama? 

-- Do jeito que você está você nunca mais vai levantar pra mijar, acho que eles vão ter que fazer algum tipo de cano sei lá - Jason fala - Talvez uma cirurgia para por seu, pau, de volta no lugar! - Tall Boy o encara furioso. - Tá olhando pra mim assim por que? Cara, esse tiro perfeito e culpa sua! E não foi eu que dei - ele me encara e solta uma piscada. 

Em alguns segundos a polícia chega até nós.

- O que ouve aqui? Precisamos de detalhes. - um dos policiais fala, enquanto os outros arrastam Tall Boy para fora. 

-- Ele apareceu aqui, querendo matar todos nós! 

- Certo, vocês conhecem ele? - todos começaram a se encarar, então tomo a liberdade de falar.

-- Sim, eu o conheço! O Nome dele e Gerald Petty, mas alguns o chamam de...

- Tall Boy! - o policial completa - estamos a trás dele a anos! 

-- Anos? - Verônica fala

- Sim! Ele tem uma grande ficha na polícia, não só aqui, em Greendale também.

-- Quais são seus crimes? - Kevin pergunta. - o polícial puxa algo de seu bolso, o que parece mais como um telefone, só que diferente.

- Vendas e consumos de drogas, líder de uma guange de assassinos...- Jughead o interrompi.

-- Gangue de assassinos? 

- Sim! Os Canibais, eles não praticam o Canibalismo, bom pelo menos não temos registros disso, mais são pessoas perigosas.

-- Ah entendo, pode continuar.

- Ele também foi acusado de estupro...- ele diz e eu congelo.

-- Es-estupro? 

- Sim...em parte, a culpa de seus crimes, é da polícia, por não ter pego ele, a dez anos.

-- O que ele fez a dez anos? 

- Dirigiu bêbado, e assassinou um casal que estava dirigindo, ele atravessou o sinal vermelho. Mais felizmente ou infelizmente, a criança que estava com eles sobreviveu.

-- Isso é bom...eu acho - Archie fala

- Senhor descobrimos quem ele é! Se trata de...

-- Tall Boy! Eu sei as crianças falaram - ele completa o outro policial que se aproxima.

- Ele está com duas perfurações de balas senhor. - o policial nos encara.

-- E...aposto que querem saber quem foi não é? - falo e eles assentem com a cabeça. - Fui eu! 

- Você? - O policial fala surpreso

-- Por que a surpresa? 

- Talvez porque tenha muitos homens aqui? Porque uma garota precisaria fazer isso? 

-- Boa pergunta - Jason fala. 

- E você acha que uma mulher não seria capaz de atirar em alguém? 

-- O que? Não eu não quis dizer isso! E que você poderia estar defendendo um deles.

- Bom não estou! Eu mesma atirei nele, pode até perguntar!

-- E você tem a autorização pra ter um porte de arma? - todos me encaram.

- Está me perguntando se eu tenho algum papel que diz isso? 

-- Exato.

- Ah sim! Tenho! Ele está...- aponto para o ar depois para ele - está nas suas calças.

-- Vai ter que nos acompanhar...

- Acompanhar vocês? Não...e sabe porque? - ele curva suas sobrancelhas - primeiro porque eu, peguei o cara, que vocês demoraram a uma década pra pegar, segundo, porque você acabou de dar, informações confidenciais, pra gente, o que imagino, que seu superior não se agradaria nada com isso, e terceiro, porque isso aqui - falo apontando pra os lados. - nunca aconteceu.

-- O que? - Verônica pergunta

- É isso mesmo, vocês vão levar ele, e vão dizer que ele estava aterrorizando, adolescentes indefesos no meio da floresta, e que aconteceu, uma troca de tiros entre vocês. 

-- Eles não vão acreditar nisso! Nem estamos machucados ou sujos ou até cansados - um dos policiais fala.

- Não seja por isso - chego perto dele e empurro ele fazendo ele cair no chão - já que está no chão se rola aí na terra! E sobre os machucados... - tiro o canivete de Pea do meu bolso. - relaxa não vou te machucar - jogo o canivete no chão - você vai, fazer isso sozinho. - eles me encaram - alguma dúvida? 

-- Olha nós não...

- Vocês não o que? Ah eu sei, vocês não gostariam de perder o emprego de vocês nessa crise não é? 

-- Ela tem razão, Vargas, vamos logo. - ele estende sua mão pra mim - foi um prazer conversar com você...

- Digo o mesmo, e não sou boba de falar meu nome não é? - ele me dá um sorriso 

-- Nunca duvidei que foi você mesmo que atirou, você tem uma personalidade muito forte garota. Podia trabalhar com a gente.

- É claro algum dia! Porque não, não e mesmo? 

-- Então já vamos indo. - ele fala ajudando seu amigo a levantar. - Eu iria falar pra vocês se cuidarem mais...vocês estão bem seguros eu acho. - ele sorri pra mim e retribuo.

Então eles vão embora, me viro de costas e eles estão me encarando. Olho nos olhos de cada um, antes de seguir pra dentro da casa. Pra procurar minhas coisas. Eles entram atrás de mim.

- Está procurando isso? - olho para trás e Jughead está com meu celular em sua mão.

-- Ah sim! Obrigada! Pode me devolver? 

- Você vai pra onde? - ele fala se aproximando.

-- Não sei ainda, vamos ver onde minha vida vai me levar.

- Você pode ficar aqui se...- ele é interrompido por Verônica.

-- Já estava na hora! 

- Hora de que? - Jason surge atrás dela.

-- Hora dela ir embora é claro! 

- Você vai embora Betty? - Jason fala 

-- Eu...

- Quem vai o que? - Kevin fala adentrando a cozinha.

-- A Betty vai embora! - Jason fala.

- Não ela não vai...

-- Que história é essa dela ir embora? - Archie surge atrás de Kevin.

- Que história é essa dela ficar aqui? - Verônica fala 

-- Você não opina em nada aqui Verônica! - Kevin fala.

- Que treta é essa aqui? Quero participar também - Reggie fala entrando junto com foca.

-- Eles querem que ela fique aqui! 

- Corrigindo, os moradores dessa casa, os moradores que pagam as contas dessa casa, querem ela aqui! - Archie fala

-- O que está acontecendo aqui? - Pea fala adentrando o local.

- Não vai parar de surgir gente aqui não? - falo baixo.

-- O que disse garota? - Verônica fala.

- Meu nome, você já sabe, e eu não vou perder meu tempo com você.

-- Eu preciso falar? - Kevin fala - 3×0 para a Elizabeth! 

- Daqui a pouco a Verônica vai apanhar que nem o Brasil apanhou na copa de... - Verônica grita e interrompe Jason.

-- Da pra Calarem a boca?! - Verônica grita, solto um suspiro e coloco minha bolsa nas costas, não falo mais nada passo por Jughead e pego o celular de suas mãos, mais quando vou passar, ele me interrompi segurando minha cintura. Ele se aproxima perto do meu ouvido e fala.

- Quem sou eu pra deixar uma bela dama, nada indefesa! Sair por aí a noite? 

-- Jughead não quero brigas - sussurro.

- Por isso que deve ficar - ele sussurra de volta. - eu quero que fique...

-- Da pra vocês pararem de sussurrar aí?! - Verônica fala. Abro a boca pra falar mais antão, Jughead aperta seus dedos, com mais força em minha cintura.

- Já não está tarde Verônica? Acho que seus pais já estão te esperando preocupados! - ele fala calmo.

-- Está me expulsando? 

- Oh não! Quem sou eu para fazer isso? Quer dizer além de um dos donos dessa casa é claro! Mas acho realmente que já está na hora de você ir embora.

-- Não vou embora até ela não ir! - ela bate o pé.

- Está agindo como uma criança Verônica! - Jughead fala.

-- Não! Eu estou certa! Ela tem que ir! - Jughead ia falar mais alguma coisa mais coloco minhas mãos nas suas, que estão em minha cintura.

- Já chega! Eu vou embora! Satisfeita? 

-- Não até ver você saindo pela porta! - Tento sair das mãos de Jughead, mais ele me segura mais forte. Verônica encara suas mãos em minha cintura.

- Jughead dá pra soltar ela? 

-- Não! Um não, tá bom pra você? - ela ia falar mais alguma coisa, então Jason a interrompi.

- E se resolvermos isso da maneira tradicional? 

-- Maneira tradicional? - Verônica levanta as sobrancelhas. Todos se encaram, afirmando com a cabeça.








Notas Finais


Capítulo não revisado. Estão gostando? Acham que a aproximação do Jughead e da Betty tá acontecendo cedo demais?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...