História Meu gatinho - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Ativo, Banho, Chuveiro, Paixão, Passivo, Sequestro
Visualizações 24
Palavras 841
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Kshjeajjdke
Olá
Seja bem vindo

Capítulo 2 - Hora do banho


- Katarina… Não precisa disso, eu já falei que consigo fazer sozinho… - Caio reclamava, com as bochechas rosadas. 

Ele estava completamente nu junto à Katarina debaixo do chuveiro, enquanto a loira esfregava suas costas com uma esponja. 

- Olha, quando eu terminar, você pode me dar banho também, tá bom? - Ela disse, na tentativa de consolá-lo ou confortá-lo de algum jeito. 

Caio podia sentir os seios dela nas suas costas, o calor do chuveiro, o do corpo dela, de suas mãos. Ele enfiou a cabeça debaixo do chuveiro, com a esperança de que aqueles pensamentos saíssem de sua cabeça, quase tinha vontade de se afogar na água, mas sabia que ela não deixaria.

Ela passou para parte da frente do seu corpo, e ele protestou.

- Katarina… - Ele cobriu sua virilha com as mãos. - Não precisa, de verdade. Eu consigo me ensaboar sozinho.

- Com essas mãos algemadas, Caio? - Ela arqueou a sobrancelha para ele.

- Pois então me solte! - Ele pediu.

- Não quero. - Ela disse.

E começou a ensaboá-lo. Primeiro seu rosto, depois seu pescoço, seus ombros, sua barriga lisa, suas pernas, e… Caio não parava de tampar sua virilha.

- Escuta, eu preciso lavar aí… - A loira começou, retirando lentamente os braços de caio de sua intimidade. - Tá tudo bem, ok? - Ela disse, suavemente. E deu um beijo no rosto de Caio, que a olhava fixamente. 

Ela corou ao ver o porquê de tanta hesitação, Caio estava excitado. O seu pau pulsava conforme Katarina passava a mão por ele, e num impulso, a loira o empurrou o menor; fazendo com que seu corpo se chocasse contra o azulejo frio do box. Ele soltou um gemido, que nem eu poderia dizer se foi de dor ou prazer.

Ela começou a masturbá-lo, e ele encostou sua cabeça no ombro da loira, - na esperança de que ela não visse seu rosto envergonhado e excitado - que podia ouvir perfeitamente sua respiração forte e gemidos, que se misturavam com o som da água corrente do chuveiro. Ela beijou sua testa. Aquilo era uma sinfonia quase que angelical pra Katarina, seus gemidos, expressões e bochechas rubras, eram uma das coisas que mais a fazia amá-lo.

- Katarina.. eu vou.. - Ele tentou pronunciar algumas palavras, mas nada tinha mais sentido, não era nem ao menos audível.

Um líquido quente, branco e pegajoso escorreu pela sua mão, e a água o levou para o ralo. Mesmo depois de gozar, o pau de Caio permanecia duro e cheio de energia, o que deu uma idéia pra Katarina. 

Ela saiu do box, e pegou a chave da algema de Caio.

- Pega. - ela disse, e soltou a chave no meio de seus seios, um uma mão embaixo para que a chave não caísse. Ele fez que ia pegar com a mão, mas Katarina o corrigiu. - Com a boca.

Caio corou. "Nem queria tanto essa chave mesmo", ele pensou, mas a tentação era maior, o desejo de sentir seus seios, sua pele. Em alguns segundos, lá estava ele, com o rosto em meio aos seus seios, procurando a chave com a língua. Katarina gemia baixinho, mas era audível para Caio. Ele pegou a chave.

A loira soltou seus pulsos, e o encarou firmemente. Não sabia o que ele iria fazer agora, mas a porta do banheiro estava trancada. 

Caio parou e pensou por um instante, ele teria mil motivos pra fugir, mas queria estar ali, queria ficar. Ele puxou Katarina e a beijou, o que a deixou sem reação. 

Quando os dois se separaram, ela virou de costas para o moreno, com as mãos apoiadas na parede e o corpo dobrado. Ela olhou para ele por cima dos ombros.

- Me fode. - Ela disse, e o pedido pegou Caio de surpresa. - Tudo bem, você merece. 

Caio obedeceu sua ordem, e introduziu seu pau dentro de Katarina, a fazendo gemer. Sua bunda, seus quadris, a cintura fina, seus cabelos longos caindo pelas costas. Ela sabia bem como deixá-lo louco por ela, e ele amava isso, essa sensação de ter os sentidos entorpecidos e pensamentos turvos. 

A buceta dela era divina, e ele poderia comê-la até o fim da vida, - se isso fosse possível. A única coisa de que ele realmente sabia é que queria ficar com ela, de verdade, sem dúvida.

Ele ouviu um gemido agudo, e as pernas dela começaram a tremer. Em alguns segundos, ele a girou e pressionou contra a parede, segurando suas pernas e a fodendo entre beijos, arranhões e gemidos. 

Pela segunda vez, ele iria ejacular.

- Eu vou gozar, - ele disse, em meio as fortes estocadas. 

- Deixa dentro. - Ela pediu, e ele até ponderou não a atender, mas ele queria ter filhos dela. 

*

- Toma a toalha. - Ele deu o roupão para a loira. 

- Obrigada. - Ela agradeceu, e o puxou para um abraço. - Eu te amo.

- Eu também te amo. - Ele deu um beijo na testa dela.



Notas Finais


Oie
É isso ^--^
Espero que tenham gostado


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...