História Meu ginecologista - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~KarinaSesshy

Postado
Categorias Inuyasha
Personagens Rin, Sesshoumaru
Tags Adultério, Rin-paciente, Sesshoumaru-médico, Traição
Visualizações 1.563
Palavras 1.415
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa noite e boa leitura a todos =3

Capítulo 2 - Capítulo Dois


Fanfic / Fanfiction Meu ginecologista - Capítulo 2 - Capítulo Dois

Rin on

Algumas semanas depois

Hoje tenho mais uma consulta com o Sesshoumaru.

Agora que tenho noção da beleza daquele homem, decidi vir um pouco mais produzida. Passei maquiagem, batom rosado, um vestido provocante... Estou lindíssima! Amei o meu resultado é minha mãe ficou rindo de mim, enquanto provocava falando: "tudo isso é pra ele"?

Ela não veio comigo dessa vez. Peguei um táxi e vim sozinha. Tenho que começar a ser mais responsável e fazer as coisas sem a presença dos meus pais, neh?

Cheguei ao consultório e fiquei sentada, enquanto esperava a minha vez.

Sesshoumaru on

- Você acha que agora consigo engravidar, cunhado? - Kagome esposa do meu irmão, me perguntou

- Você está no período fértil. Se fizerem, vão conseguir.

- Mas eu sempre tento e nunca consigo.

- Olha, não tem nada de errado com você. Já tentou pedir ao meu irmão que fosse fazer o exame pra saber?

- Ele disse que tem vergonha.

- Vergonha? - Reviro os olhos - Ele faz exame de toque com homens e tem vergonha de ver uma coisinha tão simples dessas?

- Tem.

Suspiro.

- Vou te passar esse remédio e ele será em cápsula. Coloque dois deles, sempre o pozinho, no suco do InuYasha, sem ele saber. Se ele estiver tentando evitar filhos, dessa vez não vai conseguir. Prometo.

Sorrimos largos um pro outro.

- Te adoro, cunhado!! - Me abraçou - Obrigada!

- Não foi nada e boa sorte. Pode chamar a próxima pra mim? - Olha a ficha seguinte - Se chama Rin.

Rin on

Uma mulher saiu da sala e disse que eu poderia entrar.

Entrei com o coração a mil por hora e então meus olhos encontraram aqueles dourados maravilhosos.

É impressão minha ou ele ficou surpreso ao me ver?

Sesshoumaru on

Olhava pra ficha e pra garota em minha frente, repetindo o processo algumas vezes.

- É você mesmo, Rin? - Pergunto sorrindo

Rin on

- Sim, sou eu sim, senhor Taisho. - Respondi sorrindo

- Me desculpe, nem lhe cumprimentei. Bom dia, doutor. - Sentei na cadeira a sua frente, enquanto o olhava nos olhos

Sesshoumaru on

- Sem “senhor”, Rin. Já disse que me sinto velho com esse tratamento. - Ela sorriu

- Mas me diz, por que dessa mudança? Sei que não é da minha conta, mas você realmente mudou.

Rin on

- Resolvi dar um trato no visual, estar mais apresentável... Acho que antes eu estava muito feia e apagada. Resolvi acender a minha beleza.

Sesshoumaru on

- Feia? - A olhei de cima a baixo

- Onde? Você nunca foi feia, só era uma menina comportada. Hum... Tirou a virgindade? - Pergunto na lata

Rin on

Corei com suas palavras e tirei o sorriso do meu rosto.

- Não senhor, não foi nada disso. - Abaixei a cabeça

Sesshoumaru on

- Ei. - Me levanto e pego seu queixo com carinho

- Desculpe se te ofendi, não foi minha atenção, mas é que você mudou de repente.  E querendo ou não, eu iria fazer essa pergunta novamente como procedimento para a sua ficha.

Rin on

- Entendo que teria que me fazer essa pergunta, foi só a forma que perguntou. Achar que mudei o visual por causa disso, me deixou magoada e parece que sou uma qualquer.

Sesshoumaru on

- Desculpe. - Sorri fraco

- Eu sei que às vezes sou um grosso. Peço mil perdões por minhas palavras grotescas.

Rin on

- Tudo bem. - Sorri fraco

Até que estou gostando de conversar com ele.

- Então, o que faremos hoje? Tenho que me trocar?

Sesshoumaru on

- Sim. - Entregue-lhe a bata que já era especificamente dela

- Andou tocando seus seios como havia pedido? - Falo antes que ela entrasse no banheiro

Rin on

Corei.

- Hã... Sim, eu estou. Não senti nada demais. Como você havia dito, eles ficaram sensíveis durante o meu período de menstruação.

Ele concordou com a cabeça e começou a fazer anotações na fixa, então entrei no banheiro e me troquei.

Sesshoumaru on

Vejo-a voltar e a ajudo deitar na cama, ajudando-a se posicionar melhor.

Ela estava de pernas abertas, me dando acesso a sua feminilidade, enquanto eu coloca as luvas. Me sento e começo a examiná-la com cuidado.

- Você se depila com prestorbaba? - Pergunto ao ver um pequeno ferimento em sua flor delicada

Rin on

- Sim. Sempre tive medo de me depilar com a cera. Fiz uma vez na perna e doeu muito, então imagino que nessa região sensível será ainda mais doloroso.

Sesshoumaru on

- Como seu médico, peço que tome cuidado, pois vejo que a região onde foi machuca está pertinho do clitóris. Essa é a parte mais sensível do seu corpo e deve cuidar muito bem dela. Se você perder a sensibilidade nele, não conseguirá sentir prazer quando iniciar sua vida sexual.

Rin on

Arregalei os olhos e fiquei um pouco nervoso.

Meu Deus! Não quero perder a minha sensibilidade, não.

- Tudo bem. Prometo tomar cuidado.

Sesshoumaru on

Continuo a tocá-la e novamente vejo Rin ficar excitada. Na primeira vez ela ficou assim e agora aconteceu novamente.

- Nunca se tocou? - Colho o material

Rin on

- Não senhor. - Respondo corada

É estranho ter que ficar falando sobre isso com alguém.

Sesshoumaru on

- Por isso que você não consegue se segurar quando lhe toco. - Sorrio pra ela

- É normal que uma moça faça esse tipo de coisa, pois assim conhecerá melhor o seu corpo. - Ajudou-a a sentar

- Vai que você começa a namorar, e você e o tal queiram ir pros finalmente? Você se tocando sozinha, saberá encontrar seu ponto mais sensível, pra que na hora H você mesma diga se está bom ou não. Mas não precisa fazer isso agora, se não quiser.

Rin on

- Sou tímida de mais pra fazer esse tipo de coisa. Não tenho coragem. Sempre fui muito acanhada pra ficar me tocando. Até pra tocar meus seios eu fico com vergonha. - Disse de cabeça baixa, pra esconder minha timidez

Sesshoumaru on

- Como disse, só se você quiser. - Levanto sua cabeça com delicadeza

- Vai lá se trocar, e não precisa ficar assim comigo. Sou seu médico, e podemos ser amigos se você quiser

Rin on

Meus olhos brilharam.

- Jura? Porque vou me sentir bem mais à vontade se formos amigos. É estranho saber que um desconhecido está te tocando tão intimamente.

Sesshoumaru on

- Fui seu amigo desde o seu primeiro como minha paciente, você só não reparou. - Sorri

- Aliás, por que não veio com a sua mãe hoje?

Rin on

- Decidi vir sozinha. Não posso depender dos meus pais pra tudo. Preciso aprender a fazer as coisas, sozinha.

Eu ainda estava com aquela bata e estranhamente não estava acanhada por estar daquele jeito na frente dele.

Sesshoumaru on

- Ta certa. - Sorri pra ela

Rin segue pro banheiro e eu guardo o material colhido, escrevendo em seguida alguns detalhes em sua ficha.

- Oi, amor. - Kikyou entra sem bater

- Estou com uma paciente, por que entrou assim? - Pergunto sério

- Pensei que já estivesse no seu horário de almoço, querido. - Sentou na cadeira

- Custava bater? Que isso não se repita, Kikyou. Minhas pacientes podem ficar constrangidas com sua repentina presença.

- Desculpe, amor. - Faz bico

- Tudo bem, só não volte a repetir isso.

Rin on

Ouço o Sesshoumaru falar com a alguém e não gostei nadinha ao ouvir a palavra "amor".

Já vestida, saio do banheiro e vejo uma mulher de pele muito branca, cabelos longos e negros. Ela me olhava séria, de cima a baixo, e fiquei constrangida com aquele olhar.

Sesshoumaru on

- Já sabe, Rin, próxima semana será o resultado dos seus exames. - Sorri pra ela, vendo-a confirmar com a cabeça

Rin sai e fico a sós com a Kikyou.

- Você faz exames de toque em uma garota? - Kikyou pergunta séria

- Sim, e daí? - Pergunto ainda mais sério - Vai querer regular a faixa etária das minhas pacientes agora?

- Não, mas...

- Sem “mas”, Kikyou. Olha, não quero que fique chateada, mas eu não posso quebrar o sigilo do profissionalismo, no qual não me permite comentar sobre as minhas pacientes.

- Tudo bem! - Falou brava e começou a balançar uma das pernas que estava por cima da outra

- Se for ficar assim, prefiro não almoçar.  


Notas Finais


Nova parceria com a @KarinaSesshy
O filho do reverendo: https://spiritfanfics.com/historia/o-filho-do-reverendo-7132202

Obrigada pela presença de todos. Bjs e até o próximo *Sem previsão*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...