1. Spirit Fanfics >
  2. Meu hibrido - Beomgyu - TXT >
  3. Polícia

História Meu hibrido - Beomgyu - TXT - Capítulo 18


Escrita por:


Notas do Autor


Desculpa a demora, os erros ortográficos e o Cap curto. Espero que gostem pq minha criatividade veio igual vento, passou e foi embora.

Capítulo 18 - Polícia


Fanfic / Fanfiction Meu hibrido - Beomgyu - TXT - Capítulo 18 - Polícia

S/N: O-o q-que?

S/M: Isso mesmo, depois seu pai te explica, agora todos saem daqui.

Meu pai me solta e antes de sair eu dou um chute na cara dela, ela cai no chão e seu nariz estava sangrando junto com sua boca que estava machucada. Eu saio de casa e entro no meu carro, vou a caminho de casa. Lá eu estaciono e entro em casa indo direto pro quarto.

Minutos depois eu ouço a porta da sala se abrindo e vozes, logo alguém bate na porta.

S/N: Entra.

Á porta é aberta revelando meu pai, ele entra, fecha a porta e senta ao meu lado na cama.

S/P: Eu sou seu pai biológico, a S/M é sua madrasta praticamente.

S/N: E minha mãe biológica?

S/P: Ela faleceu. Eu e ela nos casamos e depois tivemos vc, ela ficou com depressão pós parto e acabou cometendo suicídio. Eu fiquei com vc até seus dois anos de idade, aí eu conheci a S/M, ela era bem legal naquela época. Quando falei de vc, ela falou que ia me ajudar a te cuidar mas ela acabou indo pro lado do dinheiro. Eu não sabia pelo que vc passava com ela e queria pedir desculpas por isso e por esconder algo tão importante de vc.

S/N: Vc tem uma foto da minha mãe?

S/P: Tenho sim.

Ele pega sua carteira e tira um foto de lá, a foto estava com minha mãe, meu pai e um bebê, que seria eu. Ela era linda, cabelos escuros iguais o meu e seus olhos...

S/P: Vcs são iguais, vc é a cópia dela. Ela disse que não iria conseguir cuidar de um bebê já que ela ficou grávida muito cedo.

S/N: Sim, mas os olhos dela...

S/P: Eu sei, não tem brilho nenhum.

S/N: É.... Obrigada pai.

S/P: Pelo o que?

S/N: Por não ter engravidado aquela anta.

S/P: Aquela anta? Kkk. Aquele chute foi muito bom, onde aprendeu?

S/N: Umas aulinhas pelo YouTube.

S/P: E que aulinhas.

Começamos a rir. Mas meu pai para e me olha.

S/P: Então... está tudo bem?

S/N: Sim, pq não estaria?

Eu sorrio fraco e meu pai suspira.

S/P: É que.... deixa pra lá. Já vou indo Tabom? Qualquer coisa me liga.

S/N: Pode deixar.

Ele levanta e eu também, descemos a escada e eu abro a porta, ele beija minha testa e vai embora. Eu fecho a porta e sento no sofá.

S/N: Vai dormir aqui?

LS: Não. Daqui a pouco eu vou, eu pedi um táxi e ele vai chegar daqui a alguns minutos.

S/N: Quer que eu pague?

LS: Não, que isso. Eu tenho meu dinheiro senhorita.

S/N: Como quiser vossa alteza, agora vc vossa alteza deixar, a senhorita qui vai ver como está seu hibrido.

LS: Eu deixo senhorita, vai a buscas de seu cavaleiro.

S/N: Eu vou, eu o amo muito pra o deixar de lado.

Rimos e eu levanto.

LS: Boa sorte e nada de sair correndo pra matar alguem.

S/N: Como quiser vossa alteza.

Eu subo e entro em seu quarto, ele me olha meio assustado já que estava se trocando. Eu sento em sua cama e fico o observando se trocar.

BG: A dona está bem?

S/N: Eu acho que sim.

BG: Beomgyu não entendeu, como assim a dona acha?

S/N: A dona não conseguiu raciocinar tudo ainda, eu.... não sei o que fazer.

Falo sorrindo fraco e o Beom senta do meu lado me olhando sério. Ele me coloca sentada em seu colo com uma perna em cada lado de sua cintura, ele continuava me olhando.

BG: As vezes dona é melhor chorar e desabafar do que sorrir pra falar que a dona está bem. Então tudo bem se a dona quiser chorar, o Beom está aqui com a dona e sempre vou estar.

S/N: Beom...

Meus olhos começam a arder e lágrimas começam a escorrer, então decidi fazer o que ele falou, desabafar. Eu comecei a chorar e ele me abraça fazendo eu deitar em seu ombro e eu o aperto contra meu corpo.

Eu chorava muito e o Beom estava com a mão esquerda no meu cabelo e a direita dava leves tapinhas na minhas costas. Aos poucos eu parava de chorar mas os soluços continuava, eu vou soltando a cintura dele aos poucos e o mesmo segura no meus ombros querendo olhar nos meus olhos. Eu abaixo a cabeça e ele coloca suas mãos na minha bochecha fazendo eu o olhar e seca minhas lágrimas.

BG: Viu?Não precisa segurar pra vc dona isso não faz bem.

S/N: O-obri....gada... Beom.

Eu falava soluçando, o Beom tira meu chinelo e me pega no colo me deitando na cama, ele apaga a luz e deita comigo.

BG: Dona.

S/N: Hum.

BG: Beomgyu ama a dona.

Ele me abraça e eu coloco minha cabeça em seu pescoço.

S/N: Também te amo Beom.

Eu fecho os olhos e adormeço.

NO DIA SEGUINTE 

Eu sou acordada com meu celular tocando, eu pego e atendo.

S/N: Alô?

SR: Oi Minha lua, fiquei sabendo o que aconteceu ontem. Desculpa não estar com vc.

S/N: Não precisa se desculpar, ninguém saberia que isso ia acontecer.

SR: Então tábom.

S/N: Pq vc está sumida esses dias?

SR: É que...

S/N: Que?

SR: Eu estou saindo com um menino.

S/N: O que? Quem?

SR: Com o Eric, eu o conheci em uma cafeteria.

S/N: Eric? Calma... que? Tô entendendo nada. Espera eu acordar direito, daqui a pouco eu te ligo.

SR: Tabom kkk bjs.

S/N: Bjs.

Eu desligo e levanto, vou pro meu quarto e pego uma roupa. Vou pro banheiro e tomo um banho, depois eu saio, me troco e vou pra cozinha.

Pego meu celular e ligo pra solar colocando no viva-voz, e deixo meu celular em cima da mesa.

SR: Bom dia.

S/N: Bom dia.

SR: Acordou agora?

S/N: Sim, pode falar agora.

SR: Esses dias eu fui naquela cafeteria perto da minha casa, sabe?

S/N: Sei.

SR: Aí, eu sentei na mesa de sempre e eu fiz meu pedido. Quando a mulher ia trazer meu pedido, ela tropeçou e derrubou o café no Eric que no caso estava passando no meu lado. Se ele não estivesse ali o café ia cair em mim, aí eu ajudei a moça e depois ele. Eu convidei ele pra sentar comigo e ele aceitou. E desde então, estamos saindo.

S/N: Bela história.

Eu faço pão na chapa e meu leite com achocolatado, sento na mesa e começo a comer. Eu comia e conversava com a Solar ao mesmo tempo, depois eu limpo tudo e vou pra sala. Quando ia sentar no sofá a campainha toca.

S/N: Calma Aí, vou atender a porta.

SR: Nesse horário? Quem é?

S/N: Não sei.

Eu vou até a porta e a abro me dando de cara com um homem com uniforme de policial.

S/N: Pois não?

PO: Senhorita S/N?

S/N: Sou eu.

PO: Me falaram que a senhorita tem um hibrido.


Notas Finais


Desculpa qualquer coisa.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...