1. Spirit Fanfics >
  2. Meu híbrido >
  3. Três;

História Meu híbrido - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Último cap dessa three-short aaaaaa <3
Avisos prévios para o cap:
- Não curto violência, muito menos quero influenciar ela, este cap contém cenas violentas de luta por conta da série em si também pelo que pude notar em alguns trailers e spoilers já que não assisti a série toda;
- Os personagens tem mais de +18 anos, o que fica bem óbvio por conta deles terem muitos anos de vida ao serem sobrenaturais;
É isso.... boa leitura e espero que goxtem :)

Capítulo 3 - Três;


Fanfic / Fanfiction Meu híbrido - Capítulo 3 - Três;

Meu híbrido

Três - último -;
 

Geralt tinha-se revestido de armadura com ajuda de sua magia de bruxo, assim como providenciara também uma roupa específica para a vampira. Esta que lhe dera um sorriso de canto em agradecimento pela roupa elástica mas também resistente no lugar de seu antes, maiô.

Os dois saíram de mãos dadas da caverna, mas ao saíram dela, se afastaram um pouco mas ainda assim estavam juntos, correndo até podiam sentir aonde estavam os cavalheiros de Rivia.

Karoline estreitou os olhos ao ver a quantidade de homens velhos cheios de armas mais á frente, mas logo seu semblante se suavizou ao enxergar pelo canto do lado a luz que emanava da palma das mãos do híbrido, fazendo uma boa quantia daqueles homens flutuarem para depois despencarem alguns metros londe de onde estavam. E com uma virada apenas, seus olhares se encontraram por poucos segundos mas que pareceram bons minutos, e isso foi cortado por uma risadinha solta por ela antes de decapitar um cavalheiro que veio á espreita dela.

Pelo jeito aquela luta demoraria pela quantidade de guerrilheiros de Rivia, e bem sangrenta, mas.... tanto Geralt quanto Karoline não iriam desistir e voltar atrás, lutariam juntos até acabar com o último soldado, sem cessar.

[.....]

A vampira corria com sua super velocidade por entre os soldados, matando dois dele a cada um passo dado. Ela estava se divertindo em colocar seus poderes em prática mais uma vez, assim como o híbrido, mas este tinha um sorriso vitorioso maior ainda por estar acabando com aqueles que querem destruir a sua vida.

POV. Geralt de Rívia

Sentia a adrenalina correr pelas minhas veias lupinas e o poder dos feitiços que vez ou outra lançava, para acabar com a luta um pouco mais rápido.

E querendo ou não, uma veia minha saltava pela testa por conta de uma certa preocupação com a Karol. Tudo bem que sei o quão poderosa ela é e que consegue se virar sozinha, mas..... é inevitável não me preocupar com ela.

Sei que cometi um grande — imenso — erro correndo atrás de outras ao invés de ter corrido atrás dela primeiro, pois é ela quem que amo de verdade.

O problema é que é muito difícil lidar com toda essa perseguição sobre mim, por eu ser um híbrido as coisas tornam-se mais difíceis e ela é como se fosse alguém da realeza vampira.

— Hum... — solto um resmungo por ter sido acertado de raspão na bochecha por alguma flecha que veio pra cima de mim e consegui desviar por muito pouco. Toco o lugar sentindo algo escorrer e ao ver sangue nos dedos, procurei com uma certa ira de quem foi o idiota que me acertou e ao ver o cara com o arco e flecha demonstrando uma cara de surpreso, sorri de canto ao invocar uma flecha com veveno e a atirei nele pegando-a de forma certeira no peito.

— Aí?! É sério que vai ficar brincando de arco e flecha mágica como se fosse o Agente Barton? Ah fala sério Geralt! — ouvi o grito um tanto raivoso mais a frente, da Karol e não pude não rir disso.

— Eu só revidei na mesma moeda, amor. Se não quiser que eu seja o Barton, posso ser seu Capitão América ou....o malvadão Loki. Eh eu sou o Loki!  — parti um homem ao meio á minha direita com a espada enquanto pela direita dei um soco forte em um cara, fazendo-o se chocar contra um tronco de árvore e perder a conciência.

— AHHHH PRA QUE ESTAMOS TENDO ESSA CONVERSA AGORA?

— PORQUE VOCÊ COMEÇOU ME COMPARANDO COM O ARQUEIRO. — retruquei e logo fiz com que alguns raios saíssem das minhas mãos como bolas de energias e lancei em um grupo de seis soldados que vinham de frente, os acertando em cheio. — AHA! Viu isso? Sou o Loki e não o Arqueiro!

— Tenha santa paciência... — Karol me pegou de surpresa ao aparecer de repente atrás de mim e escostar nossas costas uma na outra, pude ouvir uns gemidos de dor vindo de trás. — Pronto, salvei a sua pele enquanto se comparava ai igual a um idiota com heróis que nem existem. — sorri podendo jurar que a mesma revirou os olhos. — Se concentra Geralt, não sou sua baba protetora não.

— Hum.... verdade, está mais para minha anja da guarda. — ela soltou um suspiro e de repente me deu uma ideia maluca que iria deixá-la maluca — tenho certeza disso — e então fechei os olhos pensando no meu desejo e no feitiço apropriado para isso enquanto a ouvia dar alguns grunhidos furiosos provavelmente matando alguém e.....assim que abri os olhos novamente, observo todos os soldados travados como se tivessem sido congelados e sorri por dentro ao ver que deu certo. 

Sem perder tempo para ouvir um batalhão de reclamações por parte da Staianov, me virei de frente pra ela, a puxei pela cintura e a beijei.

Uma mão repousei na sua nuca, a trazendo ainda mais pra mim, sorri em meio ao beijo — com um pouquinho do goste de sangue mas quem liga? — a ouvi soltar um resmungo típico de desaprovação dela e em seguida a mesma intensificou o beijo me surpreendendo admito.

POV. Karoline Staianov

Não vejam isso pelo lado ruim, mas já que era para ser uma faxina daqueles idiotas de Rívia, por que não aproveitar e me alimentar um pouco com o sangue podre deles?

Minha boca se encontrava encharcada do sangue desses malditos e enquanto eu fazia meu trabalho de matar todos aqueles pelo meu caminho, Geralt como sempre vinha com suas gracinhas no meio de algo sério. E como se ele tivesse me pego pelo meu ponto fraco, ele me chamou de “anja da guarda” assim como há muitos anos atrás quando eu o vi e o salvei pela primeira vez. Acho, não, tenho certeza que isso me deixou “fora da órbita” porque não consegui de jeito nenhum não corresponder o beijo surpresa desse cachorro feiticeiro logo após ele fazer algo surpreendente como paralizar todos os soldados.

A partir dai, nada mais a minha volta fazia importância pra mim. Era uma sensação tão boa estar nos braços dele! 

Geralt inclicou a cabeça um pouco pro lado e me pediu espaço para adentrar com a língua e eu cedi sem precisar pensar. Nossas línguas travavam uma batalha e uma dança ao mesmo tempo, com isso não pude me conter em soltar alguns resmungos durante o beijo, fazendo-me sentir os leves sorrisos de canto que ele dava sem mesmo se desgrudar de mim.

O ar já começava a dar falta mas foi com um pressentimento que me afastei dele rápido o suficiente para matar um dos soldados muito perto da gente que havia voltaro a se mexer e depois, tudo voltou ao normal e acho que isso motivou a ter mais raiva ainda. Droga! Por que eu fico sentindo raiva por não ter beijado ele mais um pouquinho? Que maldição!

Eu chutaria que Geralt está mais insano na luta — agora do meu lado — quando os soldados “voltaram a vida” e nos separamos, mas dizer isso em voz alta iria fazer com que um botão verde invisível aparecesse pra ele começar as suas gracinhas de sempre, então não tive coragem de comentar nada.

[.....]

Eu estava cansada, tinha cortes pelo corpo por conta da minha regeneração estar fraca pelo desgaste de uso na batalha — minha roupa de armadura tinha praticamente ido pro chão — e acho que nunca digeri tanto sangue quanto hoje.

Restava apenas cinco soldados de Rívia e estes eram bem persistentes e resistentes, pra ser mais exata, eram cinco brutamontes de dar um belo trabalho!

Enquanto ele dava conta de três, eu lutava contra dois e não reclamari disso nunca porque esses dois estão realmente pegando pesado! Minha velocidade e agilidade estava desgastada assim como o poder de cura, mas uma boa luta corpo a corpo resolveria tudo ao meu ver.

Estava mais afastada de Geralt por conta da luta mas conseguia ouvir cada grunhido de raiva dele e o bater de suas armas contra os dos outros soldados.

Em um deslize dos dois brutamontes que lutam comigo, roubei suas espedas e no primeiro cortei sua perna ouvindo-o gritar de dor e o outro desferi no peito, matando-o em segundos. 

Pelo canto do olho vi Geralt tendo sérios problemas com dois, já que o outro se encontrava morto estirado no chão. Senti meus olhos arderem, provavelmente ficando mais vermelhos, e assim consegui me estabilizar melhor e ter alta velocidade para chegar até ele. Faltando alguns centímetros para chegar perto dele de surpresa, capto o momento certo em que os dois soldados atacariam ele e então sem imaginar nas consequências possíveis, me coloquei na frente de Geralt, sentindo assim duas lanças me perfurarem no abdômem e não pude deixar de soltar um gemido de dor. Respirei com dificuldade me sentindo um tanto tonta, encarei-os soldados surpresos a minha frente e sem perder tempo, arranquei as lanças do meu corpo e as lancei sob eles, matando-os rapidamente.

Minha respiração estava ao ponto de ficar ausente e meu corpo que já é naturalmente gelado, parecia estar congelando a mim mesma. Os meus joelhos foram pro chão e minha visão antes mais do que perfeita, se tornou ofuscada e ao meu redor podia ouvir um barulho irritante como de um apito estridente, ardendo meus ouvidos apurados.

Senti-me cair em direção ao chão mas antes disso dois braços fortes me apararam antes da queda.

— G....G-Geralt..... acho q-que sou mesmo sua....an-anja da guarda, m-meu....híbrido.

E tudo ficou escuro.

POV. Geralt de Rívia

Tudo em minha volta pareceu congelar no tempo ao beijá-la naquela hora, só agora....nesse momento, esse congelar não é mais algo possível a se admirar e querer guardar pra sempre na memória.

Quando a vi vacilar soltando um gemido baixo, não pensei que ela poderia me surpreender e me deixar ainda mais apavorado ao lançar as mesmas lanças, que haviam sido atiradas em si, neles.

A amparei em meus braços antes mesmo que ela caísse no chão e pude senti-la mais fria do que o próprio gelo da neve.

— G....G-Geralt..... acho q-que sou mesmo sua....an-anja da guarda, m-meu....híbrido. — sua voz saiu tão baixa e seus olhos estavam se fechando que mal percebi de que estava chorando feito um garotinho ao apertá-la em mim e encostar nossas testas.

FLASHBACK ON

— Você me salvou....por que? 

— Não sei... — o sorriso dela foi tão lindo que não pude não sorrir mesmo nas circunstâncias em que me encontrava.

— Sou diferente.... uma aberração...

— Bom.... também sou diferente mas isso não quer dizer que sou uma aberração.

— Sabe com o que você se parece?

— Hum... não.. — ela ficou tão fofa com a cabeça de lado!

— Com um anjo da guarda....

FLASHBACK OFF

Abraçava com firmeza o corpo da Karol em meus braços, sem conseguir acreditar em sua morte, afinal pra mim ela sempre seria imortal....

Nenhum feitiço que recitava parecia surgir efeito...me causando uma fúria e dor descomunal.

Eu havia perdido minha anja da guarda, minha vampira.....meu mais verdadeiro amor por alguém.


Notas Finais


Espero que tenham goxtado :)
Terminei meu presentinho pra Kaah e acho que ela vai me matar KKKKK
Kisses da Uchiha <3 e até os próximos projetos novos :D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...