História Meu Homem é o meu Chefe! - Jikook - - Capítulo 44


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Pentagon (PTG)
Personagens E'Dawn, Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Min-seok (Xiumin), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Oh Se-hun (Sehun), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags 2ª temporada, Amizades, Amor, Atritos, Bangtan Boys (BTS), Casados, Chefe×funcionário, Ciumes, Confianças, Drama, E'dawn, Haejin, Hoseok, Hot, Inseguranças, Jikook, Jikookcasados, Jimin, Jimin!bottom, Jin, Jungkook, Jungkook!top, Kookmin, Lemon, Namjin, Namjoon, Nari, Noivados, Os_3_mosqueteiros, Passado/lembranças, Personagens_novos, Provocações, Reconciliações, Romance, Romance_no_trabalho, Sehun, Suga, Superação, Taehyung, Tretas, União, Vanbts, Vhope, Xiumin, Yoongi
Visualizações 305
Palavras 3.104
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Suspense, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Annyeong! Desculpa pelo o horário... Só tive tempo para postar agora.

Espero que gostem... ❤️

Próximo capítulo, será o casamento de Vhope e Namjin. O especial do Jin, virá depois do casamento.

Parabéns, Jin Oppa ❤️🎂👏🏻
I Purple You 💜✨

Desculpem pelos erros ortográficos;
Leiam as notas finais, por obséquio.
Boa leitura! 😘

Capítulo 44 - Jeon Jimin, meu pãozinho guloso.


Fanfic / Fanfiction Meu Homem é o meu Chefe! - Jikook - - Capítulo 44 - Jeon Jimin, meu pãozinho guloso.

Estava animado para esta noite. O Jin estava na cozinha preparando alguns aperitivos, enquanto o Taehyung ajeitava a sala para nós e as garotas.

 

 

– Elas já estão chegando? - O mais velho perguntou, no mesmo que, usava a colher de pau para preparar o brigadeiro.

– A Nari já me ligou e confirmou que estão próximas daqui. 

 

 

Combinamos de fazer algo divertido esta noite, junto com a minha cunhada, Haejin e Neide. É claro que vocês já sabem do meu desentendimento no passado com a última mencionada, porém isso como bem dito, já está no passado. Somos amigos agora!

 

 

– Elas chegaram. - Me direcionei até a porta, abrindo a mesma e encontrando-as bem animadas. 

– Entrem, minhas gatinhas. 

– Meu cunhado lindo! - Seus braços rodearam o meu pescoço, me puxando para si.

 

 

[...]

 

 

Estávamos sentados no sofá da sala conversando sobre coisas aleatórias, quando o Tae sobressaltou e colocou-se de pé entre nós.

 

 

– Vamos brincar? Que tal o jogo “Eu nunca”, hein? - Correu até a cozinha, pegando uma garrafa de bebida alcóolica.

– Vamos brincar. - Haejin se sentou no tapete felpudo, colocando uma das almofadas em seu colo.

 

 

[...]

 

 

A noite estava ótima. A mesinha de centro que ficava no cômodo, estava encostada em algum canto do espaço. A cortina estava agitada, devido ao ótimo tempo que estava lá fora.

 

 

Eu nunca transei em um local público. - O Jin se pôs a falar.

– Eu nunca. Haha! - Meu outro amigo, parecia orgulhoso de si mesmo. Jura? Achei que já teria feito.

 

 

Me mantive em silêncio, me servindo do copo cheio e tendo a atenção de todos para mim.

 

 

– Jimin, você já fez? - Uma das garotas perguntou, totalmente surpresa.

– Já... - Minhas bochechas estavam ruborizadas.

– Aonde foi? - Tae se debruçou em cima de mim, me mostrando o seu lado curioso. – Conta para a gente, Jimin.

– Foi no elevador da empresa. - Levei as minhas mãos até o rosto, escondendo o quanto, eu estava envergonhado.

– Misericórdia... Hahaha!

– Em minha defesa, Jungkook é um safado. - Beberiquei mais um pouco.

– Que horror... - Jin gargalhava.

– Eu sei disso. A propósito, vocês já fizeram em outros lugares da empresa também.

– O quê? - Arregalei os olhos. Fui pego de surpresa.

– Eu já ouvi vocês se pegando no escritório. - Minha cunhada, e também, secretaria do Jungkook, gargalhava já um pouco alterada.

– Que vergonha! - Afundei o meu rosto nos travesseiros. – Vamos mudar de assunto. Quem é o próximo, hein?

 

 

Depois de muitas brincadeiras e piadas, decidimos assistir um filme de comédia romântica, acompanhado do brigadeiro feito pelo o mais velho. Sentia algumas pernas se enroscarem nas minhas por debaixo das cobertas finas.

 

 

Finalmente, conseguia ver a minha vida se endireitando aos poucos. Já não havia mais confusões e mal entendidos. Ufa! Podíamos até dizer, que se isso fosse uma história, o final estaria próximo.

A Haejin estava feliz com o Yoongi; ele que até então, estava no Japão estudando música. A Nari estava conhecendo um rapaz e já estava programando uma viagem com a Neide; ambas muito felizes por sinal.

 

O casamento dos meus amigos, já estávamos nas vésperas. A Neide se pôs prestativa em me ajudar com as decorações, lista de convidados e os pratos a serem servidos.

 

 

•  Jungkook Narrando  •

 

 

Estava na casa do Namjoon sentado em seu sofá, enquanto curtia as fotos do Jimin nas redes sociais, estas, que eram da época que não estávamos comprometidos um ao outro. Isso mesmo! Quero ver se ele me nota.

 

Namjoon estava na varanda com o ex guarda-costas do meu pãozinho. Os dois conversavam sobre trabalho, enquanto o Hoseok, assistia um programa de dança na televisão.

 

 

– Jungkook... - Meu amigo de infância se aproximou, encostando a sua cabeça em minhas coxas. – Faz um cafuné em mim.

 

 

Uma de minhas mãos pousaram em seus fios, iniciando então, um carinho em seu couro cabeludo. Não demorou muito, para o mesmo pegar no sono com um almofada entre suas pernas.

 

 

– Vou tirar uma foto e mandar para o Taehyung. - Gargalhei discretamente.

 

 

Não recebia nenhuma notícia do meu amorzinho. Que droga... Eu quero o Jimin!

Me perguntava o que eles poderiam estar fazendo naquela casa, ainda mais, depois de descobrir que a minha irmã e as outras meninas haviam sido convidadas.

 

 

– Como é a vida de casado, Jungkook?

– Eu gosto muito, Nam. Tenho certeza que você irá gostar também. - Continuava com os carinhos nos fios do outro. – Acordar ao lado de quem ama todas as manhãs, é a melhor coisa.

 

 

Depois de algumas horas, E’dawn nos contou de sua ótima proposta de emprego no exterior, então logo depois do casamento, ele estará indo. 

 

 

[...]

 

 

No meio da noite, resolvi pegar as chaves de meu carro e ir até a casa do Hoseok, já que não estava recebendo nenhuma mensagem do Jimin. Era por volta das quatro horas da manhã, quando travei o cinto de segurança no suporte e liguei o carro.

E quantos aos outros? Bom... Hoseok estava em seu sono pesado no sofá da sala; o Nam estava em seu próprio quarto e o E’dawn, se aconchegou no quarto de visita. 

 

 

+ Mensagem +

 

[ Hoje | 4:12 ]

_ Jimin, você está acordado?

_ Meu pão <3 _ Estou acordado. Achei que já estivesse dormindo...

_ Estou com saudades...  ç.ç

 

[ Hoje | 4:13 ]

_ Meu pão <3 _ Em algumas horas, estaremos juntos. Dorme um pouco, Amor. Eu vou me deitar também...

_ Se divertiu bastante?

_ Meu pão <3 _ Sim. E você? Fez alguma coisa com os meninos? 

 

[ Hoje | 4:15 ]

_ Meu pão <3 _ Dormiu? 

_ Estou acordado. Abre a porta da casa. Eu estou aqui fora :3

_ Meu pão <3 _ O quê?! KKKKK Sério?! 

_ Sim, vem abrir.

 

 

Esperava em frente à porta, no mesmo que, observava a vizinhança. O carro estava estacionado em frente à garagem da casa, próximo ao carro de minha irmã.

 

A porta foi aberta discretamente, me mostrando a imagem do meu maridinho. Realmente ele estava surpreso com a minha visita, porém muito feliz, já que estava com um sorriso enorme em seu rosto.

 

 

– O que faz aqui? - Sussurrou em frente à porta.

– Estou com saudades. Poxa, Jimin... É a primeira noite sem você. - Me pus cabisbaixo. 

– Entra, mais não faz barulho. - Segurou em minha mão destra e me guiou para dentro.

 

 

Jimin me guiava em silêncio até o quarto, mais antes disso, tivemos que passar pela a sala. Pude ver todos a dormir no tapete felpudo, junto aos travesseiros e suas cobertas finas.

 

Assim que adentramos ao cômodo, o menor trancou a porta e pulou em meu colo, entrelaçando as suas pernas em minha cintura e desferindo selares em meu pescoço.

 

 

– Amor... - Apertei as suas coxas, em seguida, ouvindo os seus arfares.

– Hum... 

 

 

~ Much! :*

 

 

Nosso beijo era necessitado. Suas mãos agarravam a minha nuca, e vez ou outra, sentia os seus dedos emaranharem em meus fios e os puxarem. Nossas línguas se enroscavam e alguns chupões, eram dados por mim.

Mordiscava os seus lábios vez ou outra, na tentativa de lhe provocar cada vez mais. 

 

 

– Amor... - Senti os meus fios serem puxados para trás, deixando o meu pescoço e pomo de Adão, ainda mais expostos. – Não faz isso... - Mordi o meu lábio inferior, descontando o prazer bem ali.

 

 

Jimin com certeza, estava alterado. Não estava a cheirar a álcool, pelo contrário, estava com o perfume que eu tanto gostava.

 

 

– Amor, não podemos. E se alguém acordar? - Lhe coloquei na cama, espalmando as mãos no colchão da mesma, próximo a ele.

– Eu ficarei quietinho.

 

 

Observava o Jimin todo manhoso por debaixo de mim. Sua camisa estava levemente levantada, mostrando o seu abdômen e o caminho de sua pélvis.

Suas mãos agarraram a minha nuca novamente, me puxando para si e me roubando um beijo. Aish! Suas pernas se entrelaçaram em minha cintura, fazendo-me pender o controle e cair sobre o mesmo.

 

 

~ Much! 

 

 

Arrepiei ao sentir as suas mãozinhas, deslizarem por dentro de minha camisa, dedilhando por cada centímetro de minha pele. Urgh! Como pode me deixar tão sedento por ele? 

 

 

– Vai ficar quietinho? - Mordisquei o seu lóbulo esquerdo, assim que lhe perguntei.

– Eu vou, Kookie. - Me apertava cada vez mais.

– Meu pãozinho... Sobe em cima de mim, então. - Inverti as posições, tendo o menor, a sentar em minhas coxas.

 

 

Eu não acredito que iremos fazer isso na casa de um dos nossos amigos. Pelo menos, não estávamos na cama do Hoseok e do Taehyung.

 

 

– Posso começar? - Se endireitava em cima de mim.

– Jimin, você realmente quer fazer? Eu me contento em apenas dormir abraçadinho com você, Amor. - Afundei os meus cotovelos no colchão, me apoiando e mantendo o contato de nossos olhos.

– O seu pãozinho quer você. - Trilhava os seus dedos por cima de minha calça, desabotoando e abaixando o zíper da mesma.

– Não me culpe depois. - Encostei as costas novamente no colchão, deixando que continuasse com os seus estímulos.

 

 

Estremeci ao sentir a minha extensão ser segurada por ele, logo em seguida, o seu polegar massagear a minha glande. Eu temo, que não irei me controlar, se ele continuar tão atrevido.

 

 

– Amor... Vamos para casa. A gente pode fazer com calma e sem nos preocuparmos. - Tentei segurar um de seus pulsos que me agarrava, mais foi falho. Ao invés disso, Jimin segurou os meus braços.

 

 

~ Much... Much... 

 

 

Selares eram deixados em meu maxilar, pescoço e clavícula que estava a amostra. Suspirava e me contorcia no colchão, no mesmo que, mordia o meu lábio inferior. Safado... Estava fazendo rápidos movimentos de vai e vem, me deixando ainda mais louco e em alguns momentos, acariciava os meus testículos sem nenhum pudor.

 

 

– Hum... Ji-Jimin... - Inclinei a cabeça para trás, mantendo os meus lábios entreabertos e sentindo aquele calor, tomar conta de mim junto aos espasmos.

– Shh...

 

 

O pré-gozo escorria por minha extensão, melecando a mão do menor, este que nem  por um momento, parava com os seus movimentos. Caralho... Eu vou gozar!

 

 

– Urgh! Jimin... Para. - Não conseguia lutar contra. Uma parte de mim, queria que ele fosse mais rápido, e outra, que ele cessasse.

– Não.

– Eu vou... Jimin! - Uma de suas mãos tamparam a minha boca, enquanto me pus a apertar as cobertas, assim que cheguei ao limite.

 

 

A falta de ar se fazia presente. Meu peito inflava, a cada batimento pesado que eu dava. Minhas mãos deslizavam em suas coxas, lhe fazendo um carinho.

 

 

– Espera um pouquinho, Amor.

– ... - Apenas lhe vejo assentir, retirando a sua própria camisa e jogando ao lado.

– Eu quero que você vá bem devagarinho. Rebola para mim? - Umedeci os lábios, mordendo o inferior e sorrindo sapeca.

– Uhum... Bem devagarinho. - Jimin parecia empolgado.

– Amor... Você está muito safado. Aconteceu alguma coisa? Você bebeu mais cedo, certo? 

– Não aconteceu nada demais. Eu só pensei em me aventurar um pouco, já que fizemos no elevador da empresa, nada mais justo, que fazermos na casa de um dos nossos amigos. - Gargalhou, encostando a cabeça em meu peitoral coberto.

 

 

Depois eu sou o safado da relação. Beleza! Jeon Jimin, meu pãozinho guloso. Não irei dizer, do que ele sente fome.

 

 

– Deixa eu tirar a sua camisa. - Suas mãos seguraram a barra de meu tecido, removendo-a de mim.

 

 

Seus beijos iniciaram novamente, desta vez, em meu abdômen. Estava completamente sem fôlego, quando senti a sua boca em meu membro.

 

 

– Urgh! - Fechei os olhos e aproveitei dos prazeres, que estava a me oferecer.

 

 

Sentia a sua língua passear por cada centímetro de meu membro, até focar em minha glande e chupa-lá com tamanha dedicação.

 

 

~ Chuc Chuc!

 

 

Segurei os seus fios com força, controlando os movimentos e as investidas. Algumas vezes, sentia alguns tapas serem desferidos em minhas coxas e murmúrios, enquanto me acolhia.

 

 

– Chega. Deita um pouco, Jimin. - Trocamos novamente de posição. Me ajoelhei entre as suas pernas, estas, que estavam abertas para mim.

– O que você vai fazer? - Parecia estar assustado.

– O que você acha, hein? - Arqueei uma de minhas sobrancelhas. – Vou colocar a minha salsicha no meu pão.

 

 

Gargalhamos. Segurei em suas coxas, abrindo-as, ainda mais para mim. Observava as suas expressões tensas, no instante que umedeci os meus lábios e me inclinei sobre si.

 

 

– Relaxa... Eu não serei tão malvado com você. Mais se você quiser... Eu posso ser.

– Eu não quero. - Respondeu de imediato, me fazendo rir.

 

 

Mordisquei o seu lábio inferior, descendo beijos pelo o seu pescoço e mamilos. Sua destra agarrou os meus fios, descontando o prazer que lhe dava com os chupões e beijos na região.

 

 

– Chupa. - Direcionei a minha mão direita, lhe mostrando dois de meus dedos.

 

 

Jimin segurou em meu pulso desta mesma mão e levou até os seus lábios, iniciando com um beijinho nas pontas de minhas digitais e os acolhendo, no interior de sua boquinha gostosa.

 

 

– Tão sexy... Tão safado! - Desferi um tapa em uma das bandas de sua bunda.

 

 

Intensificou as provocações e a lubrificação em meus dedos. Que vontade... Que delícia!

 

 

– Já estou satisfeito. Pare com este seu joguinho, Jimin. Eu já estou duro novamente. - Suspirei.

– Tão rápido?

– Sim. Já que estamos falando de você, não é preciso fazer muita coisa. - Lhe roubei um selinho.

 

 

Meus dedos brincavam ao redor de sua entrada, ameaçando a entrar em si. O baixinho suspirava cheio de expectativas e reclamava, quando sentia elas irem por água abaixo.

 

 

– Não me provoca. Você disse que não ia ser malvado comigo. - Me mostrou um biquinho fofo, este que por sinal, eu amo demais.

– Shh... Vou lhe morder, se continuar me mostrando esse seu lado fofo. - Apertei a sua cintura com a mão esquerda, enquanto adentrava os dedos da outra em sua entrada.

– Hum... Urgh! - Sentia o meu pulso próximo a sua cintura, ser apertado. Meu baixinho descontava o prazer em mim, o que me deixava completamente louco.

– Shh... Não geme. - Me inclinei em cima de si, mantendo nossos rostos colados, enquanto brincava com os meus dedos dentro de si.

– Porra! - Sentia a sua respiração ofegante e pesada, bater em meu rosto.

– Posso colocar? - Já não aguentava mais. Minhas condições exigiam tanta atenção, quanto a dele. Ambos ofegantes e insaciáveis.

– Pode!

 

 

Me posicionei entre suas pernas, tendo as mesmas levantadas e entrelaçadas em minha cintura, juntando os nossos íntimos. Forcei o meu membro em sua entrada, observando um gemido mudo sair de seus lábios entreabertos.

 

 

– Urgh! Jimin... - Fazia movimentos de vai e vem, sentindo o contato e o suor de nossos corpos.

– Jungkookie... - Agarrou os meus fios morenos. – Você pediu para que eu rebolasse.

– Eu quero... Mais iremos fazer assim, primeiro.

 

 

Estocava cada vez mais, intensificando os movimentos e causando o ranger, entre a cabeceira da cama e a parede atrás dela.

 

 

Que gostoso! - Forçava mais algumas estocadas, sentindo as suas unhas, arranharem as minhas costas nuas.

– Mais... Mais, Jungkook. - Me puxou para um beijo necessitado.

 

 

~ Much!

 

 

Nossas línguas se enroscavam uma na outra, para logo depois, sentir a sua chupar a minha e me provocar com algumas mordidinhas em meu lábio inferior.

 

 

– Você não tem ideia, não é? - Lhe perguntei, deixando-o confuso. – O quão louco eu sou por você. O quão bom, é estar lhe comendo.

– Ah não, Jungkook. Não gosto desse vocabulário! - Fez birra.

– Oxi... Prefere como? Fazendo amorzinho, hum? - Acariciei uma de suas bochechas.

– Exatamente assim. Embora você me chame de pão... Nem ouse a dizer que vai me comer. 

 

 

Não lhe dei atenção. O que resultou em uma puxada de cabelo, que por sinal, doeu demais. Porra!

 

 

– Não me ignore!

– Doeu, sabia? Aish! Eu ouvi. - Continuava com as investidas, aumentando a velocidade e levando o seu corpo junto ao meu.

– Huumm... Jungkookie... Aah! - Gemia loucamente. 

– Shh...

 

 

Acabei extrapolando, fazendo o Jimin bater a cabeça na cabeceira da cama com os meus movimentos.

 

 

– Amor?! Desculpa. - Me mantive imóvel, no momento, que vi o seu semblante mudar. – Machucou?

– Aish! Tem que ser tão agressivo? Porra... Achei que íamos atravessar a parede. Você quer encontrar o meu ponto de prazer, ou atravessar o meu intestino e chegar até a minha garganta? - Me desferiu um tapa em meu braço esquerdo.

– Desculpa... - Comprimi os lábios, mostrando um biquinho arrependido.

– Tudo bem... Eu comando agora.

 

 

[...]

 

 

O quarto já cheirava a sexo. A iluminação do dia, já estava a adentrar pela janela e pela cortina mal fechada.

 

Suas mãos estavam em meu abdômen e os seus joelhos, afundados no colchão da cama. Os movimentos de vai e vem, variavam para quicadas intensas.

 

 

– Urgh! Huum... Caralho... - Apertei a sua cintura, lhe ajudando com os seus movimentos.

 

 

Minhas pernas estavam inquietas embaixo do menor, até eu dobrar os meus joelhos e impulsionar o meu íntimo contra o dele, lhe arrancando gemidos manhosos. A cada espaço daquele cômodo, podíamos ouvir os barulhos de nossos íntimos molhados e o choque, que nossos íntimos faziam à cada movimento bruto e desesperado.

 

 

– Eu vou... Para, Jungkook... - Tombou o peitoral sobre o meu, apertando os meus ombros, enquanto me pus a estocar fundo e forte.

– Jimin... Não paro nem por um caralho! Aaah... Goza! - Apertava a sua cintura.

 

 

Estava tão gostoso... Sentia as suas paredes internas me apertarem cada vez mais, quando senti os espasmos fortes atingirem a nós dois, e logo depois, sentir o meu abdômen melecado. Jimin havia chegado ao seu limite, e em seguida, foi a minha vez novamente.

 

 

– Você está bem, meu pãozinho? - Falava com uma certa dificuldade. A falta de ar e o cansaço, atrapalhava tudo.

– Estou.

 

 

Seu corpo estava exausto encima de mim, mantendo-se na mesma posição e com o seu rosto deitado próximo ao meu. Sentia a sua respiração ofegante na curvatura de meu pescoço.

 

 

– Melhor tomarmos um banho.

– Sim. Vamos ao banheiro no final do corredor, então. - Com a minha ajuda, se colocou de pé e nos ajeitamos para ir até o outro cômodo.

 

 

[...]

 

 

Depois de um banho de água morna, com direitos a beijos e carícias de ambas as partes, saímos e fomos em direção ao quarto novamente, desta vez, estávamos vestindo roupões.

 

 

– Jungkook, o que faz aqui? - Jin apareceu no corredor com uma expressão de sono ainda, junto ao Tae.

– Espera... Por que estão de roupão? Aliás, nem precisam nos dizer. Jimin! - Taehyung parecia irritado, até começar a rir descontroladamente.

– Eu vou ignorar a informação que vocês transam em qualquer lugar. - Jin se retirou, descendo as escadas com o outro, enquanto nos davam “Bom dia”.

 

 

Que vergonha...


Notas Finais


Alguns dos meus leitores que estão no grupo do WhatsApp, já estão sabendo do ocorrido. Bom... Ontem, eu recebi uma mensagem de um dos meus leitores, me informando sobre plágio de minha capa da minha fanfic: Entre Dois Mundos.
Queria agradecer a este anjinho, por me avisar e ter sido prestativa comigo ❤️ E dizer a ela e a todos vocês, que já resolvi o problema com a administração da plataforma.

Quero deixar bem claro aqui, que em nenhum momento, autorizei o uso de minhas capas, banners e de minhas histórias em outras contas e plataformas. Caso vocês encontrem, por favor, me avisem ❤️🙌🏻

Até logo, benzinhos 💜

🐰Link do grupo do WhatsApp:
https://chat.whatsapp.com/K8YuiAaCH7j4pArTgTRpsI

🐥Minhas outras Fanfics:

_1ª Temporada da Fic: Meu Pretendente é o meu Chefe!
https://www.spiritfanfiction.com/historia/meu-pretendente-e-o-meu-chefe--jikook-14637102

_Entre Dois Mundos! - ABO
https://www.spiritfanfiction.com/historia/entre-dois-mundos--jikook-abo-15111820

_A Little Cupid! - Jikook
https://www.spiritfanfiction.com/historia/a-little-cupid--jikook-15922832


Beijinhos da Van
⊂(˃̶͈̀ε ˂̶͈́ ⊂ ) Chuu ~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...