1. Spirit Fanfics >
  2. Meu Humano Inocente (JungKook) >
  3. 05

História Meu Humano Inocente (JungKook) - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Boa Leitura!
❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤

Capítulo 5 - 05


Fanfic / Fanfiction Meu Humano Inocente (JungKook) - Capítulo 5 - 05

               

   Kim _______________.


 Os dias se passaram rapidamente. Jin sumiu e, logo depois dele, também o meu pai. Eu sabia que havia algo errado com aqueles dois. Sabia que eles estavam me escondendo algo, porém, ainda não descobri e nem faço a menor ideia do que seja.

        Com os dois fora de casa, tenho que cuidar dos dois vampiros, ou melhor, do vampiro, porque somente o Jimin que se mete em furada, o Yoon é tranquilo e o Jeon nem se fala. 

        A rixa que havia entre Yoongi e JungKook desapareceu. Os dois têm uma amizade legal, pois o Yoongi deixou bem claro que o seu interesse em mim é somente amizade e, que ele nunca encostaria uma de suas "patas" - como ele mesmo havia dito. - em mim. 

    Jimin não quer falar comigo, e eu também não vou fazer questão. Depois do tapa que eu dei em seu rosto, ele ficou magoado. Vive caçando encrenca com o JungKook, porque segundo ele, o Jeon o provoca o tempo todo. – Esses dias, se não fosse pelo Yoongi, Jimin teria o matado. 

   É noite, neste momento estou sozinha em casa. Suga e Jeon saíram, foram visitar a bruxa Sunmi. Não há nada pra fazer dentro dessa casa, a não ser ficar presa dentro dos meus próprios pensamentos. 

      O celular tocou e eu fiquei igual à uma louca o procurando. Não estava conseguindo o encontrei. A ligação até caiu. Mas logo voltou a tocar e eu o encontrei na cozinha, em cima do balcão. 

     É o Jeon. Atendi meio apreensiva. Sentia que algo ruim estava acontecendo, só não sabia ao certo oque era e com quem.

Alô

____________. - sussurrou com a voz falha.

JungKook? JungKook onde você está? O que aconteceu com você? Onde está o Yoongi? - ele riu sem humor. 

Calma a-amor. Eu não sei dizer onde estou. Me bateram, estou todo machucado e, o Yoongi... bom, ele não acorda. - me sentei na bancada. - Meu desespero começou a tomar posse do meu corpo. Eu não poderia me deixar sair do controle. Não poderia sair por aí matando todo mundo novamente. 

Quem te bateu? - segurei o choro. 

Ai... - gemeu de dor. — Eu... Não consigo me levantar. Me morderam... 

— ... - por mais que meu coração não batesse, aqui dentro do meu peito, eu senti algo estranho. O medo. Característica do sentimento humano que eu não sinto há décadas.

Eu te amo, ______________.

— O que? - a ligação caiu. - Fiquei com medo de quem fez isso com ele voltasse lá e o matasse de vez, ou sei lá oque poderia estar acontecendo. 

       Começei a andar de um lado para o outro dentro daquela cozinha. Como eu poderia fazer algo sendo que eu nem sabia onde meu namorado estava? 

    E outra, Yoon é um híbrido. Ele é extremamente forte. Como alguém poderia bater tanto nele ao ponto de deixá-lo desacordado? 

       A porta da sala se abriu e por ela entrou Jimin. Fui ao encontro dele e distribui vários socos em seu rosto e peito. Ele tentava segurar minhas mãos, mas não funcionava. Sou mais velha e mais forte. 

— O que aconteceu com você, ____________? Para de me bater! - ele me virou de costas, prendeu meu corpo ao seu enquanto segurava meus braços. — Por que está fazendo isso? 

— Foi você não foi? - perguntei chorando igual à uma criança quando faz pirraça. 

— O que está acontecendo aqui? - Jin entrou pela porta da sala, praticamente a derrubando. — Solte-a, Jimin! - me soltou e fiquei encolhida em um canto da sala. - Puxando meus cabelos, mordendo minhas unhas e tremendo igual à um passarinho com frio.

— Ei! - levantou meu rosto. - ______________. Olha pra mim! O que houve? Você usou drogas? 

— Alguém bateu no Yoongi e no Jeon. - Jin arregalou os olhos. — Morderam o Jeon... - chorei mais ainda. — O Suga não acorda, e não sei onde eles podem estar. - caí ao chão, sentada sobre minhas próprias pernas. 

— Jimin... - Jin  travou o maxilar

— Nem vem Jin, não olha pra mim! Eu não sei de nada. 

— A mãe dele... - Sussurrei. — Me dá o meu celular. - Jimin me entregou. - A mãe dele é bruxa, pode fazer algum feitiço de localização e encontrar os dois pra mim. 

               

O que quer? - atendeu impaciente. 

Preciso de ajuda. - funguei 

Ah, é?! - riu. — O que aconteceu? 

— Bateram no Jeon e o morderam. Ele não sabe onde está. 

— Está falando sério? - sua voz estava trêmula. 

Pode fazer algo e encontrar a localização dele? 

— Vou fazer agora. Aguarde minha ligação. 

               

           Tentei ligar para o número do Jeon várias vezes, mas só caía na caixa postal. Meu medo é que a transição estivesse sendo feita e ele já fosse um vampiro. 

O celular do Yoongi também só caía na caixa postal. 

— Onde está o meu pai? - perguntei pro Jin.

— Resolvendo assuntos. 

— Que assuntos? Já estou cansada desse segredo de vocês! - começei a chorar outra vez. - O celular tocou e fui correndo atender. 

Ele está em um terreno baldio. Vou com você. - desligou. 

     Saí correndo da minha casa para a casa da bruxa. Jin corria ao meu lado me seguindo. 

*

— Jeon! - gritei ao ver o meu namorado todo sujo de sangue, com algumas escoriações e uma mordida no pescoço. — Por favor! Acorda! - balançei ele diversas vezes. - Ele não estava morto. Sua respiração estava bem fraca, assim como seus batimentos cardíacos. Coloquei sua cabeça em meu colo e começei a beijar seu rosto. — Amor... Acorda por favor. 

— Você vai ter que escolher ______________. - Jin se abaixou em minha frente. — Vai querer perder-lo para o mundo dos mortos ou para o vampirismo? 

— Nenhum! Quero que ele continue sendo um humano! Sunmi, por favor, faça algo. - Ela não parecia demonstrar desespero, ao meu ver ela estava calma demais. 

    Ela se sentou ao lado do corpo do Jeon, colocou suas mãos sobre o peito dele, e de repente, uma energia azul começou a tomar conta do lugar em que estávamos. 

    Jeon começou a acordar. Ele estava sentindo dor, podíamos ver o quanto ele se mexia inquieto com oque a mãe dele estava fazendo. Seu rosto tomou um pouco de cor e a mordida e escoriações cicatrizaram. 

— Jeon... - beijei seu rosto e lábios inúmeras vezes seguidas. 

— ____________. Calma, você vai machucá-lo. - Jin o apoiou em seu ombro. Olhei para o lado preocupada com meu amigo, mas minha preocupação foi embora ao ver que ele se levantava do chão lentamente coçando seus olhos. 

       Todos fomos para a casa da bruxa. Ela deixou que nós entrassemos em sua casa. Jeon estava no banheiro, tomando banho. Fiquei na sala conversando com Yoongi sobre quem foi e o porquê de ter feito aquilo. 

— Quem foi? - perguntei. 

— A HyunA. - respondeu 

— Aquela vagabunda de novo?! Quando eu encontrar ela eu vou... 

— _____________. - Jeon me chamou do seu quarto. Fui até lá e o encontrei sentado com as costas na cabeceira da cama. Me sentei na beira e fiquei o olhando. 

— Você está bem? - ele assentiu. — Que bom. - sorri mínimo. 

— Por que você está chorando? - tentou se aproximar e eu me afastei. — Ei, eu já estou bem. - apontou para o local onde estava a mordida. — Por que está agindo dessa forma comigo? 

— Foi a HyunA que fez isso com você? 

— Foi... Nós estávamos passando por aquele local quando o Yoongi desmaiou. Eu tentei acordá-lo e foi nessa hora que aquela mulher apareceu e fez aquilo. 

— E você sabe o motivo dela ter feito isso com você? - negou. — Não dá mais para continuarmos, Jeon. 

— Como assim? 

— Meu relacionamento com você termina aqui. - me levantei.

— Por que? - segurou o choro. — Você não me ama mais, é isso? - levantou da cama ficando em pé à minha frente. 

— Eu te amo, JungKook. - ri sem humor. — Eu te amo demais. Mas ela tentou te matar por vingança. Já é a segunda vez que ela faz isso, talvez na terceira você não dê sorte. Sinto muito. - abri a porta e no mesmo instante ele a fechou com certa força. 

— Você não pode simplesmente terminar comigo! - ajeitou os óculos. 

— Sim, eu posso. É para a sua proteção. 

— VOCÊ NÃO ENTENDE QUE EU NÃO QUERO FICAR LONGE DE VOCÊ? - gritou com uma voz extremamente alta. - Eu nunca havia o visto daquela forma. É estranho. 

— Não vou me arriscar em ser a culpada pela sua morte, JungKook! - abri a porta e novamente ele a fechou. Jeon me empurrou para me sentar na cama e se abaixou ficando a minha altura. — Por que está dificultando as coisas? Acha que estou feliz em terminar com você? Sinto como se um pedaço de mim estivesse sendo arrancado pouco a pouco. 

— Por favor... - disse com os olhos molhados. — Não faz isso com a gente...

— É por uma boa causa, Jeon. - tirei seus óculos e sequei suas lágrimas. 

— Não! Não é por uma boa causa! Você quer voltar para ele, não quer?!

— Do que você está falando? 

— Você quer voltar para o Jimin. - se levantou e virou de costas. 

— Não faço idéia de onde tirou isso. 

— Eu vi que vocês estão estranhos um com o outro. Você só pode estar querendo se livrar de mim para voltar com ele. Só pode ser isso! - Ele está em negação? 

— Pense oque quiser, JungKook! - abri a porta para sair. — Espero que fique bem. - O olhei uma última vez e saí de lá, encontrando todos me olhando na sala. — Me manterei longe do seu filho. - senti a presença do Jeon atrás de mim. — Peço que não o tranque dentro de casa, ou o proíba de estudar novamente. - Ela assentiu. — Proteja ele, Sunmi. 

           Olhei para trás e vi Jeon com os olhos cheios de lágrimas. Ele me olhou, passou a língua sobre os lábios em sinal de nervosismo, virou as costas e entrou no quarto batendo a porta. 

— Espero que fiquem bem. - olhei para a mulher que um dia já chamei de sogra e saí de lá, correndo rápido. 

                                

 Confesso estar sentindo muito a falta do meu ex-namorado. Os dias sem ele não tem cor, meu mundo parece não existir mais.

     Meu pai desde aquele dia ainda não voltou, e agora, o Jin novamente sumiu. Yoongi sai com o Jeon todos os dias, e em casa só restam o Jimin e eu.

    Depois de ter terminado com o Jeon, Jimin tenta se aproximar pouco a pouco de mim. Acha que vou voltar com ele agora que o caminho está livre

   O mais difícil é permanecer no mesmo ambiente em que o Jeon e ao menos falar com ele. Na escola, posso sentir seu olhar sobre mim. As vezes escuto ele lendo textos românticos de sua autoria que sei muito bem que são destinados à mim. 

   Ele parece ser bipolar. Uma hora me olha e fala coisas românticas. Na outra, me ignora por completo em meio às pessoas. 

   Ele e Yoongi tem saído com algumas meninas aos finais de semana. Meu coração se aperta com isso, por pensar que à qualquer momento ele pode se apaixonar por outra pessoa e me esquecer.

— Quer companhia? - Jimin perguntou se sentando ao meu lado. - Eu estava sentada no lugar onde o Jeon mais gostava de ficar: embaixo daquela mesma árvore onde eu o conheci. — Por que está aqui sozinha? 

— Pensando. 

— Em que exatamente? - bebeu um pouco do refrigerante que estava na lata em sua mão. 

— Na minha vida. Um dia ela está normal, no outro tudo vira de cabeça pra baixo. 

— Está pensando nele, não é? - assenti. — Viu como é difícil ficar longe da pessoa que ama? É assim que me sinto em relação à você, ______________. - me olhou. — Você lá no fundo sabia que esse namoro não iria durar. 

— Ela vai me pagar por ter feito aquilo. - me referi a HyunA. — Logo logo ela aparece de novo. Se prepare, Jimin. - me olhou sem entender. — Eu vou matá-la .

— E por que disse pra eu me preparar? Não Me importo se ela vai morrer ou não! - fez cara de nojo. — Quer sair hoje? 

— Não, obrigada. 

— Qual é, _____________! Hoje é sexta-feira. - fez bico.

— Quero ficar em casa. 

*

    Fomos os três para a casa. Cada um foi fazer algo que era do seu interesse. A única coisa que eu fiz foi ir à aldeia de lobos para ver como estavam indo. 

 Fiz amizades com alguns deles. Passava o dia lá para me esquecer da falta que o Jeon causava em mim. 

   No fim do dia, tomei um banho, me alimentei e fiquei sentada no sofá da sala, esperando o Yoongi acordar. 

— O que faz aqui sozinha? - falando no diabo...

— Estava te esperando. - deitou sua cabeça em meu colo. 

— Pra que? - bocejou.

— Quer sair comigo hoje? 

— Ahn... - coçou a nuca. — Bom, eu havia combinado de sair com o JungKook hoje, sabe? 

— Ah, claro. Sem problemas. - sorri forçado tentando não demonstrar o quanto aquilo me deixou triste.

— Não vai ficar chateada? - neguei. — Tudo bem então. 

— E então... Já que o Yoongi te dispensou... - Jimin entrou pela porta da sala. — O que acha de sair comigo? 

— Pode ser. - respondi sem ânimo. Não era com o Jimin que eu queria sair, era com meu melhor amigo, poxa. — Onde quer me levar? 

— Numa balada. - tirou um cartão do bolso e me entregou. All night é o nome da balada. — O que acha?

— Tudo bem. Estou precisando esfriar a cabeça mesmo. - sorri para ele que logo piscou em seguida. 

*

   Maquiagem clara, cabelo solto com algumas ondas e o vestido na cor vermelho com um pequeno decote. Estava impecável! Borrifei um perfume, calçei um salto alto preto, peguei minha bolsa e desci até a sala encontrando o Jimin sentado mexendo em seu celular. 

   Jimin vestia uma calça jeans na cor preto, uma camisa social branca e sapatos pretos. O cheiro de seu perfume amadeirado invadia minhas narinas.

— Você está linda! - guardou o aparelho no bolso, entrelaçou seus dedos aos meus e seguimos até o carro. 

    Do lado de fora do local, a música alta já se fazia presente. Haviam alguns adolescentes do lado de fora do local que estavam se drogando. 

   Nos sentamos no balcão do bar, e pedimos uma vodca de setecentas ml para tomarmos no mesmo copo. 

— Quer dançar? - sussurrou no meu ouvido por causa da música alta. Assenti, ele pediu para que o bartender guardasse o nosso copo enquanto dançavamos, e seguimos até a pista de dança. 

  Tocava uma música sensual. Jimin movia seu corpo colado ao meu. Juro que em algumas vezes senti algo duro próximo a minha bunda. - ele está excitado somente com isso? - continuei a rebolar o provocando cada vez mais. 

— Se continuar fazendo isso, vamos terminar na cama. - segurou minha cintura com possessividade. — Ou na floresta, como a última vez. 

— Fazendo o que? - me fiz de inocente e voltei ao bar, pedindo novamente o nosso copo, e voltando a beber. 

    Ao olhar para trás, pude ver Jimin dançando sozinho e algumas mulheres tentarem se aproximar dele. Sorri com a cena ao ver ele não negando uma boa dança. Bebi todo o líquido praticamente sozinha. Pedi outro e aguardei. 

— Está sentindo ciúmes de ver seu namorado dançando com outras mulheres? - reconheceria aquela voz em qualquer lugar. Me virei para olhar a pessoa ao meu lado. — Oi, ______________. 

— Oi, Jeon JungKook. - ele riu soprado. Estava vestindo uma calça jeans skinny lavagem escura, camiseta branca, uma jaqueta de couro na cor preto e sapatos na mesma cor

— Jeon JungKook... - revirou os olhos. Ele destestava ser chamado assim por mim. — Não tem ciúmes dele como tinha de mim? - perguntou olhando para o Jimin. 

— Do que está falando? 

— Você não suportava que nenhuma mulher chegasse perto de mim, agora que está com ele, deixa ele dançar daquela forma com outras mulheres? - ajeitou o óculos demonstrando que está nervoso.

— Não tenho compromisso com o Jimin. Por que ainda insiste nisso? - minha bebida chegou e eu tomei uma boa golada sentindo o olhar penetrante do Jeon sobre mim.

— Será que não? - se aproximou mais do meu corpo. — Você já transou com ele?

— Você está bêbado? - terminei de tomar toda minha bebida e o olhei.

— Já transaram ou não? Aposto que sou melhor do que ele.

— Você é um completo idiota, JungKook! - me virei para sair dali mas ele segurou em meu pulso. 

— Desculpa. - passou a mão pelo rosto. — Dança comigo? 

— Não. 

— Por favor, _____________. Ao menos isso... 

— Não! - saí de lá as pressas ouvindo seus gritos pedindo para que eu esperasse. — O que você quer em? - perguntei chorando. — Eu disse que não poderia ficar com você. Custa respeitar? 

— Desculpa, não queria te fazer chorar. - se aproximou segurando meu rosto com suas duas mãos. — Sinto sua falta. - pegou em minha mão e me puxou para irmos sentar em uma área afastada. — Quero te propor uma coisa.

— Jeon... 

— Detesto quando você me chama assim. Volta comigo? 

— Já conversamos sobre isso

— Escondido. 

— Como assim? 

— Volta comigo, amor. - como eu senti falta de ser chamada assim. — Só eu e você vamos saber. - acariciou minha mão. 

— Você não conhece os vampiros, Jeon.

— Eu conheço você e já é o suficiente. Eu quero você. - beijou meu pescoço. — Sinto tanto a sua falta, amor. - passou os dedos por minhas coxas. 

— Para... - disse com meus olhos fechados tentando manter o controle. Eu estava carente, o tempo que eu passei sem sexo não estava ao meu favor. 

— Sei que você me quer, _____________. Então por que não volta comigo? Hu? - adentrou sua mão por entre as minhas pernas e alisou minha intimidade por cima da calcinha. — Eu tentei sair com outras pessoas. Mas nenhuma delas me interessou. Yoongi é a prova viva disso. Ele disse que você iria sair hoje com o Jimin e, que viria naquela balada. Foi ele quem me trouxe aqui, ______________. Ele quer que eu volte com você tanto quanto eu quero. 

— Eu não acredito que ele fez isso. - ri sem humor. — Pensei que você tivesse seguido em frente com uma daquelas meninas. 

— Eu não fiquei com ninguém, ______________. Pra mim seria traição. 

— Por que traição? Nós não temos nada.

— Pra você nós terminamos, mas pra mim, você e eu nunca rompemos. 

— JungKook, olha...

— Me diga, sim ou não? 

— Jeon...

— Sim ou não, _____________? 

— Não! Não vou voltar atrás com minha palavra. - minhas palavras parecem ter afetado muito ele. 

— ____________, o que faz aqui fora? - Jimin perguntou. — Ah, entendi. - olhou para o Jeon.

— SERÁ QUE VOCÊ PODE NOS DAR UM TEMPO? - Jeon gritou olhando-o. Eu Jurava ter visto seus olhos ficarem vermelhos, assim como os meus. Mas ao olhar novamente, percebi que era só impressão mesmo. Jimin saiu bufando. — Quando você terminou comigo, você ao menos me deu um beijo de despedida. Já que quer passar o resto da sua eternidade longe de mim, pode por favor deixar que eu sinta seus lábios uma última vez? 

Eu até poderia beijá-lo, mas não aqui. O puxei para um lado onde só havia mata, me encostei no tronco de uma árvore e ele segurou em minha cintura com força. 

— Amor, por favor, não faz isso comigo. - começou a chorar. — Volta comigo, ______________. - fungou em meu pescoço. 

— Vim aqui para te dar o seu beijo de despedida, lembra? - ele secou as lágrimas.

— Tudo bem. - com uma mão em minha cintura e, outra no meu rosto, ele iniciou um beijo calmo e cheio de amor, que ao passar dos segundos foi se tornando um beijo com extrema luxúria. - Sua língua pediu passagem e eu concedi. Uma de suas mãos desceu para minha bunda apertando com força, ele arfou durante o beijo. 

Desceu minha calcinha por entre as minhas pernas e a guardou no bolso de sua calça

— Já está tão molhada assim, amor? - passou seus dígitos em minha boceta em seguida os levou até sua boca lambendo-os.

Jeon abaixou o zíper de sua calça, tirou seu pau pra fora, me pegou no colo e em seguida me penetrou sem aviso prévio. 

— ... - gemeu em meu pescoço. 

— JungKook... - como eu havia sentindo falta disso. - Não me lembrava do quão bom era sentir seu pau entrando e saindo de dentro de mim. 

Abraçei seu corpo com força o trazendo cada vez mais para perto de meu corpo. Seus lábios sugavam a pele do meu pescoço com força, e eu fazia o mesmo com ele. 

— Olha pra mim enquanto eu te fodo! - tentava manter minha atenção em seus olhos, mas era difícil. Quando eu desviava meus olhos dos seus, ele fazia questão de dar um belo de um tapa na minha bunda. — Gosta quando eu te fodo assim, hum? 

— G-gosto. - Jeon me tirou de seu colo e virou meu corpo me deixando de costas para ele. Encostou minhas mãos na árvore e voltou a me comer, agora de costas. 

— Você é tão gostosa, amor. Senti falta disso. - de um um tapa na minha bunda e grunhi. — Eu adoraria ouvir você gritar o meu nome. - mordeu meu ombro. 

— Não! - já não era o suficiente eu gemer baixinho? Era realmente necessário que eu gritasse o nome dele? 

— Acha que não consigo te fazer gritar? - riu sacana. — Fala comigo, amor...

— Acho que não. 

— Se eu te fizer gritar, você volta comigo? - que tipo de homem o Jeon se tornou? Me ameaçando? Tsc. ... Ótimo! Ele é uma cópia minha. Vou entrar no seu jogo, só tenho que controlar meus lábios. 

— Sim. - respondi com um certo tom de medo.

JungKook levou uma de suas mãos até meu clitóris massageando sem parar de me foder. Eu estava tentando controlar ao máximo não gritar, era tudo o que ele mais queria, e eu sinceramente não poderia arriscar voltar com ele. 

— Se você continuar mordendo essa boquinha, eu vou bater tão forte nessa sua bunda que você vai implorar pra eu parar.

— JungKook...

— Isso, amor. Agora só gema mais alto. - meteu com mais força, meu ápice chegou e eu acabei por gritar seu nome. 

Senti ele gozar dentro de mim e o líquido escorrer por entre as minhas pernas. O sexo foi tão bom que me deixou de pernas bambas. Ele me segurou para não cair. Tirou um lenço do bolso e entregou para eu me limpar. 

— Agora você é minha de novo. - fechou o botão da sua calça. Eu não poderia nem argumentar, foi uma aposta e eu perdi feio. — Posso te levar em casa? - beijou meus lábios. 

— Não. - arrumei meus cabelos. — Você disse que voltaríamos em segredo, então assim faremos. - olhei pra ele que sorriu em resposta.

— Eu te amo. 

— Também te amo. - O beijei uma última vez. 

— Já terminaram? - Yoongi perguntou nos assustando. 

— Você nos viu...

-- Não, eca! - fez cara de nojo. — Mas eu ouvi. Vocês fazem muito barulho! - fez uma careta engraçada possivelmente estava se lembrando do que acabará de ouvir. — E eu adorei a ideia de vocês terem voltado. - Jeon me olhou assustado. 

— Fica calmo, Jeon. O Yoon é um lobo, ele é fiel assim como um cachorro. Ele não conta segredos. 

— Não sabia disso. 

— Agora sabe. - Yoon respondeu. — Se despeçam, vou te levar pra casa. - saiu e me deixou à sós com o Jeon

— Quando vou te ver de novo? 

— Vou te mandar mensagem. - respondi e selei nossos lábios. — Agora vá antes que ele venha te pegar pelo colarinho. 

— Até logo, amor. - me beijou uma última vez e saiu. 

Voltei para a frente da balada encontrando Jimin encostado no carro, com uma cara de triste. Eu já sabia o motivo, então não fazia sentindo perguntar. 

— Você está bem? - perguntou e assenti. — Vocês voltaram? 

— Não. - abri a porta e entrei no carro. 

— Já quer ir embora? - entrou logo dando partida. 

— Na verdade não. Estou com fome. - O sexo me deixou com fome.

— Quer caçar? - assenti. — Tudo bem. 


Notas Finais



Devo avisar que o casal principal é muito contubardo. 😏 Talvez não fiquem juntos. 🤐
Espero vocês nos comentários. 🍓
VOCÊS SÃO MEUS ANJOS E EU AMO VOCÊS!🍓

https://www.spiritfanfiction.com/historia/do-inicio-ao-fim--min-yoongi-18917287


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...